domingo, 25 de dezembro de 2016

ÉDEN . ONDE ELE ESTA ?


Qualquer pessoa que desejar estudar o atual mapa do Iraque, poderá, sem nenhuma dificuldade, identificar o território da Mesopotâmia, entre os rios Tigre e Eufrates. Ali, segundo as Escrituras, o homem foi formado por Deus, há cerca de seis mil anos atrás. Porém, ao lermos as Escrituras, a Bíblia, tomamos conhecimento da existência de um jardim plantado no Éden. Que jardim era este? E onde está o Éden narrado na Bíblia?
O primeiro Livro da Bíblia, o Gênesis, narra a criação dos céus e da terra, a criação do homem, a comunhão do homem com Deus e a trágica queda do primeiro casal. Para que possamos compreender mais profundamente o Livro de Gênesis, é necessário termos em mente que Deus planejou a criação para nela estabelecer um relacionamento paternal e amoroso com o homem. No princípio, Deus se relacionava íntima e diretamente com o homem, até que este desobedeceu o Criador, introduzindo o pecado no mundo e, como conseqüência, foi rompida a comunhão original entre a criatura e o Criador. E foi, precisamente, a fim de restabelecer esta comunhão perdida que Deus enviou seu Filho Unigênito, o Senhor Jesus Cristo.
Sobre o Éden
Durante a narrativa da criação dos céus e da terra, vemos na Bíblia que Deus criou toda a vegetação da terra no terceiro dia:
“E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez. A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. Houve tarde e manhã, o terceiro dia.” Gênesis 1:11-13
Notemos que o trecho bíblico acima mostra que a relva, as árvores frutíferas e as sementes estavam sobre a terra. Mais a seguir na narrativa bíblica encontramos o seguinte:
“E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.” Gênesis 1:29
Novamente, a afirmação de que as ervas estavam na superfície da terra.
Agora, vemos algo bastante interessante sobre a erva da terra:
“Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo.” Gênesis 2:5, 6
Vemos, pois que a erva da terra ainda não havia brotado e que ainda aguardava que Deus fizesse chover sobre a terra e, ainda, que o homem lavrasse o solo. O texto bíblico diz que não havia ainda nenhuma planta do campo na terra.
Imediatamente após esta narrativa, vemos na Bíblia, nos dois versículos seguintes ao anterior, o que se segue:
“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, na direção do Oriente, e pôs nele o homem que havia formado.” Gênesis 2:7, 8
A Bíblia diz que Deus plantou um jardim no Éden. A distinção entre as sementes da terra, as quais aguardavam pela chuva, e o jardim plantado por Deus é clara. Enquanto a erva aguardava seu crescimento sobre a terra, um jardim completo foi plantado pelo próprio Deusno Éden. O texto bíblico prossegue:
“Do solo fez o SENHOR Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal.” Gênesis 2:9
O trecho acima não diz “do solo da terra”, mas, simplesmente, do soloO solo do Éden. Diz ainda a Bíblia que do solo do Éden Deus fez brotar a Árvore da Vida, a qual se encontrava no meio do jardim. No Livro do Apocalipse vemos quatro  referências a esta mesma Árvore da Vida, a qual Deus fez brotar do solo do Éden. Eis duas referências:
“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-hei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.” Apocalipse 2:7
“No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos.” Apocalipse 22:2 
Agora vejamos: A Bíblia, em Gênesis,  diz que a Árvore da Vida brotou do solo do Éden e que a Árvore da Vida se encontrava no meio do jardim. E no Livro do Apocalipse vemos que esta mesma Árvore da Vida se encontra no meio da praça da Nova Jerusalém, e no Paraíso de Deus. Vejamos um pouco mais sobre a glória da cidade eterna, a Jerusalém celestial:
“A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente. Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.” Apocalipse 21:21,22
É, pois, evidente, que a Bíblia está afirmando que a Nova Jerusalém é o lugar da habitação de Deus, pois a Nova Jerusalém desce do céu, da parte de Deus:
“E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente.” Apocalipse 21:10,11
Pois bem, é justamente nessa cidade celestial e eterna que a Bíblia diz estar a Árvore da Vida, a mesma Árvore da Vida que Deus fez brotar do solo do Jardim do Éden. Diante do que foi exposto, podemos entender que o Éden era, e continua sendo, um lugar distinto da terra, pois a Árvore da Vida sempre esteve no solo do Éden, e que o jardim do Éden foi plantado pelo próprio Deus no solo do Éden e não sobre o solo da terra.
Vemos ainda, em um belíssimo relato bíblico, que Deus passeava no jardim do Éden durante o período quando era a tarde sobre a terra, e que Adão podia ouví-lo:
“Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim.” Gênesis 3:8
E aqui, precisamente neste versículo, vemos que o homem tinha acesso ao Éden, onde está a Árvore da Vida, e nele caminhava. Porém, após a queda, o homem foi expulso do Éden:
“O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.” Gênesis 3:23
Ora, se o homem foi expulso do Éden e posto para lavrar a terra de que fora tomado, é claro que o Éden e a terra nunca foram o mesmo lugar.
Pelas Escrituras, vemos que o Éden é o lugar da habitação de Deus, o lugar onde está o Senhor, e que este lugar era aberto ao acesso do homem, porém, este último perdeu o acesso ao lugar da habitação de Deus, em conseqüência da queda.
“E havendo lançado fora o homem, pós querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.” Gênesis 3:24
Não somente ao homem foi vedado o acesso ao Éden, bem como lhe foi bloqueado o acesso à Árvore da Vida, a qual brotou do solo do Éden e que se encontra no Paraíso de Deus. O acesso ao Paraíso de Deus e à Árvore da Vida foram restabelecidos pela obra do Senhor Jesus Cristo, o qual desceu do céu a fim de reconciliar consigo o mundo:
“a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação.” 2 Coríntios 5:19 
“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.” Apocalipse 2:7
Conclusão:
Embora tendo sido feito do pó da terra, ie, material, o homem possuía acesso ao mundo espiritual e com ele interagia, pois o homem tinha acesso ao mesmo jardim onde Deus passeava na viração do dia, o Jardim do Éden. O Éden não ficava na terra, porém, da terra o homem podia adentrar nesse Jardim. Esta observação é comprovada pelo fato do homem ter se escondido de Deus (após a desobediência) por entre as árvores do Jardim do Éden, tendo sido, posteriormente, de lá expulso. O Éden era o local de comunhão da criatura com o Criador, o entrelaçamento do ambiente original da criação (material) com Deus (espiritual). A mesma Árvore da Vida que brotou do solo do Éden, para a qual o homem perdeu o acesso, se encontra no Paraíso de Deus, lugar da eterna e gloriosa habitação do Criador e onde viverão com Ele todos os que adentrarem pela Porta:
“Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo” Senhor Jesus Cristo. João 10:9 

4 rios no Eden.


Na Bíblia encontramos várias passagens que falam de águas, de águas que saram, que limpam, que transformam e também que trazem juízo. Em apocalipse 22:1-2 podemos ver que o rio principal em Éden flui do Trono de Deus e do Cordeiro e que a árvore da vida está na margem deste rio. Em seguida no livro de Gn 2:8-14 vemos este mesmo rio que sai em Éden para regar o jardim se dividindo em quatro rios; Pison, Giom, Hidequél e Eufrates. Estes rios simbolizam quatro estágios em nossa caminhada de Éden até a Jerusalém celestial...
Apocalipse 22:1 E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.
2 No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações. 
Genesis 2:8 E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pós ali o homem que tinha formado.
9 E o SENHOR Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
10 E saía um rio do Éden para regar o jardim; e dali se dividia e se tornava em quatro braços.
11 O nome do primeiro é Pisom; este é o que rodeia toda a terra de Havilá, onde há ouro.
12 E o ouro dessa terra é bom; ali há o bdélio, e a pedra sardónica.
13 E o nome do segundo rio é Giom; este é o que rodeia toda a terra de Cuxe.
14 E o nome do terceiro rio é Tigre; este é o que vai para o lado oriental da Assíria; e o quarto rio é o Eufrates.
Observamos aqui que saia do Trono de Deus um rio que se dividia em quatro, os quais vamos estudar mais a seguir.

No versículo 11...
Gn 2:11 O nome do primeiro é Pison; este é o que rodeia toda a terra de Havilá...
O primeiro rio Pisondo Strong 06376 Nwvyp (Piyshown), que quer dizer: aumento, espalhar,
Rodeia, circunda do Strong 05437 bbo (cabab), que quer dizer: voltar-se, cercar, dar a volta, ser mudado de direção para..., rodear, mudar, transformar...
Este rio vai para a terra de Havilá, do Strong 02341 hlywx (Chaviylah), que quer dizer: círculo.
 Queremos chamar a atenção para o que acontece conosco quando da nossa conversão, quando aceitamos a Jesus, que é simbolizado aqui pelo primeiro rio, ou seja, o Espírito Santo de Deus, que já habita em mim, a partir deste momento, se espalha como ondas excêntricas provocadas por uma pedra atirada em um lago, nos circundando e envolvendo. Sentimo-nos envolvidos pelo amor de Deus e pela maravilha que a paz D’Ele nos trás, é a partir deste ponto que começamos nossa intensa jornada rumo ao coração de Deus e Seu caráter...
     
No versículo 13...
Gn 2:13 E o nome do segundo rio é Giom; este é o que circunda toda terra de Kush.
O segundo rio Giom, do Strong 01521 Nwxyg (Giychown), que quer dizer: irromper, corrente que arrebenta as margens, dar a luz.
Rodeia, circunda do Strong 05437 bbo (cabab), que quer dizer: voltar-se, cercar, dar a volta, ser mudado de direção para..., rodear, mudar, transformar...
Este rio vai para a terra de Kush, do Strong 03568 vwk (Kuwsh), que quer dizer: da descendência de Cam, neto de Noé e pai de Ninrode, progenitor dos povos do extremo Sul da África, (Etiópia), negro.
Como podemos observar após aceitarmos a Jesus o segundo rio entra em ação, vindo como uma correnteza que arrebentas as margens, ou seja, destruindo tudo aquilo que até aqui nós tínhamos como “margens” em nossas vidas. O segundo rio de Deus arranca estas “margens” para que novas “margens” segundo o padrão de Deus sejam delineadas em nossas vidas. Tudo aquilo que é trevas, que é negro dentro de nós, um caráter construído segundo os padrões da Babilônia será gradativamente arrancado, à medida que este segundo rio de Deus for passando. Ninrode representa a Babilônia e os padrões de ajuntamento do mundo, que sempre apontam para o sucesso e exaltação do homem, a edificação de Babel que foi uma tentativa de se chegar a Deus através da construção de templos, dogmas e doutrinas que elevam seus construtores e suas estratégias humanas acima do Deus Verdadeiro, de Seus fundamentos e da Sua reta justiça. Este rio nos leva de volta à Etiópia no sentido de enfrentarmos nossos próprios lados negros, para que só depois disso Deus através das novas margens plante árvores e endireite o curso do rio em nossas vidas. Enfim, este rio, com toda a sua força e poder (caráter de Jesus) quer transformar nossas vidas para sempre e de uma vez por todas sem riscos de se voltar atrás. Ele só entra em nossas vidas quando abrimos as comportas dos nossos corações e deixamos ele fluir...

No versículo 14...
Gn 2:14 E o nome do terceiro rio é Hidequél; este é o que corre pelo Oriente da Assíria;
O terceiro rio Hidequél, do Strong 02313 lqdx (Chiddeqel), que quer dizer: rápido
Corre, do Strong 01980 Klh (halak) que quer dizer: ir, andar, vir.
BXK32456_corredeiras-6800.jpgAssíria, do Strong 0804 rwva (‘Ashshuwr) ou rva (‘Ashshur), que quer dizer: um passo, da raiz no Strong 0833 rva (‘ashar) ou rva (‘asher), que quer dizer: avançar, progredir,  ir direto, andar, ir em frente.

Observamos que há uma seqüência de fatos ocorrendo aqui e que ao deixarmos o segundo rio de Deus fluir em nossas vidas poderemos experimentar a rapidez que somente a revelação do Pai pode nos dar.
Depois que o segundo rio passa, nós entramos no terceiro, onde há um avanço na direção do nosso alvo que é Jesus. Há um andar, há um ir em frente, há uma progressão na sabedoria, no entendimento e na revelação de Jesus, o Cristo como aconteceu com Daniel.
Daniel 10:4-7
4  E no dia vinte e quatro do primeiro mês eu estava à borda do grande rio Hidequel;
5  E levantei os meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho, e os seus lombos cingidos com ouro fino de Ufaz;
6  E o seu corpo era como berilo, e o seu rosto parecia um relâmpago, e os seus olhos como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés brilhavam como bronze polido; e a voz das suas palavras era como a voz de uma multidão.
7  E só eu, Daniel, tive aquela visão. Os homens que estavam comigo não a viram; contudo caiu sobre eles um grande temor, e fugiram, escondendo-se.
        No mesmo versículo 14...
Gn 2:14  E o nome do terceiro rio é Hidequél; este é o que corre pelo Oriente da Assíria; e o quarto rio é o Eufrates.
O quarto rio Parath, do Strong 06578 trp (P@rath), (do grego Eufrates - 2166 Eufrathv) que quer dizer: frutífero , o rio bom e abundante. 
Se você parar, vai notar que o Parath não vai para nenhum lugar como os três anteriores, ele simplesmente segue... Este é o ponto onde nos tornamos frutíferos, pois começamos a cumprir o ide, sabendo de onde viemos e não para onde vamos, pois simplesmente entendemos que para onde vamos pertence a Deus e a Seu tempo Ele mesmo nos mostrará. Então, fazemos discípulos de todas as nações, gerando frutos bons e abundantes para todas as nações da terra. Estamos assim nos preparando para o dia em que finalmente chegaremos e conduziremos alguns a Jerusalém celestial.


Esta deve ser a nossa caminhada cristã. Só depende de nossa abertura e obediência para cumprirmos na íntegra o chamado ao qual fomos incumbidos. É hora de nos lançarmos no rio do Senhor para que sejamos transformados segundo a Sua vontade, que é boa, perfeita e agradável.

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...