quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Saiba como consultar o saldo de contas inativas do FGTS

0 Presidente Michel Temer anunciou nesta quinta-feira (22) que o
 governo vai liberar o saque de contas do Fundo de Garantia por 
Tempo de Serviço (FGTS) inativas até 31 de dezembro de 2015. 
Conta inativa de FGTS é aquela que em que o empregado deixa
 de receber os depósitos do empregador por extinção ou rescisão
 do contrato de trabalho. 

Antes, só tinha direito a sacar o FGTS de uma conta inativa quem 
estivesse desempregado por, no mínimo, três anos ininterruptos 
(veja, abaixo, como saber se você poderá sacar o dinheiro de uma
 conta inativa de FGTS).
A partir de agora, quem está atualmente empregado passa a poder
 sacar o valor de uma conta inativa, desde que o afastamento do 
emprego anterior tenha ocorrido até 31/12/2015, informou ao G1 a assessoria de imprensa da Caixa.
O trabalhador, no entanto, não pode sacar o FGTS de uma conta 
ativa, ou seja, depositado pelo empregador atual.

De acordo com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, 
o cronograma para o saque de contas inativas será divulgado
 até o início de fevereiro e levará em conta a data de nascimento 
dos beneficiários.

O trabalhador pode consultar o saldo no site da Caixa ou 
do próprio FGTS e através de aplicativo para smartphones e
 tablets (com versão para Android, iOS e Windows). É possível
 ainda fazer um cadastro para receber informações do FGTS por
 mensagens no celular ou por e-mail (veja detalhes abaixo).
A medida anunciada nesta quinta faz parte de uma tentativa do 
governo de reaquecer a economia. O presidente explicou que não
 haverá limite para o saque. O trabalhador, se quiser, poderá sacar
 todo o valor que tem na conta inativa. O presidente não detalhou
 a partir de quando o saque será liberado.
Segundo o governo, cerca de 10, 2 milhões de trabalhadores 
poderão sacar o dinheiro e a maior parte das contas inativas 
tem saldo de menos de um salário mínimo.

— Veja abaixo como consultar o saldo do FGTS das

 contas inativas:

Pessoalmente

O trabalhador pode consultar seu extrato do FGTS presencialmente 
no balcão de atendimento de agências da Caixa. Também é possível
 ir a um posto de atendimento e fazer a consulta utilizando o Cartão Cidadão, desde que tenha em mãos a senha. Não é possível consultar 
o extrato do FGTS pelo telefone.

Pela internet, no site da Caixa

No site Caixa, é preciso informar o NIS (PIS/Pasep), que pode ser
 consultado na carteira de trabalho, e usar uma senha cadastrada
 pelo próprio trabalhador. É possível usar ainda a Senha Cidadão. 
A página oferece a opção de recuperar a senha, mas é preciso 
informar o NIS. O serviço mostra dados cadastrais e lançamentos 
feitos na conta nos últimos seis meses.
O site da Caixa apresentava instabilidade na tarde desta quinta-feira 
devido a uma sobrecarga de acessos. O banco informou que uma 
equipe técnica está atuando para solucionar o problema. A Caixa 
prevê que o problema será sanado em breve.
Para consultar seu saldo, clique aqui.
A tela abaixo aparecerá:

Ministro do STF libera para julgamento ação sobre ensino religioso nas escolas

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso liberou para julgamento a ação na qual a Procuradoria-Geral da República (PGR) pede que a Corte reconheça que o ensino religioso nas escolas públicas deve ser de natureza não confessional, com a proibição de admissão de professores que atuem como “representantes de confissões religiosas”.
Imagem redimensionadaCom a liberação do processo para julgamento, caberá a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, colocar o assunto para julgamento na Corte, o que deve ocorrer no ano que vem.

A ação da PGR foi proposta em 2010 pela então vice-procuradora Débora Duprat. Segundo entendimento da procuradoria, o ensino religioso só pode ser oferecido se o conteúdo programático da disciplina consistir na exposição “das doutrinas, práticas, histórias e dimensão social das diferentes religiões”, sem que o professor tome partido.

Para a procuradora, o ensino religioso no país aponta para a adoção do “ensino da religião católica” e de outros credos, fato que afronta o princípio constitucional da laicidade. O ensino religioso está previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educacao Nacional e no Decreto 7.107/2010, acordo assinado entre o Brasil e o Vaticano para o ensino da matéria.

No ano passado, uma audiência pública foi realizada no STF para discutir o tema.

Em 2011, a Agência Brasil publicou uma série de matérias retratando o desafio das escolas brasileiras de oferecer um ensino religioso que respeite as diversas crenças. O especial Escolas de fé: a religião na sala de aula foi ganhador do Prêmio Andifes de Jornalismo 2012 na categoria educação básica.

Fonte: Agência Brasil via Jus Brasil

PEQUENOS REPAROS RESIDENCIAIS , INDUSTRIAIS E COMERCIO EM JAGUARIÚNA , HOLAMBRA , AMPARO , SERRA NEGRA , POSSE E PEDREIRA










“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...