sábado, 22 de outubro de 2016

O General voltou para casa* Peter Wagner




Um grande general, reformador, pai e discípulo de Jesus, cujo legado já era maior que ele mesmo! Deixou os fundamentos da próxima grande reforma da Igreja e que sua partida para a Glória marque o avanço do futuro que ele viu e sobre o qual escreveu, mas que não poderá ver!
Faleceu hoje (21/10/2016) o Apostolo e Profeta Charles Peter Wagner (1930 -2016), teólogo estadunidense, nascido de uma família anglicana. Foi ele que criou o termo "Terceira Onda" para se referir às igrejas neopentecostais.
Durante os anos de 1956 até 1971, ele e sua esposa, Doris foram missionários na Bolívia. Após isso, ele se tornou professor de Crescimento da Igreja no Seminário Teológico Fuller, influenciado por Donald McGravan. Também lecionou os cursos sobre dons espirituais e o conhecido curso MC510, chamado "Sinais, Maravilhas e Crescimento da Igreja", em 1982 junto com John Wimber, da Igreja Videira.
Após isso, começou a se identificar cada vez mais com os pentecostais, apesar de ter afirmado não ser pentecostal. Pregou doutrinas como batalha espiritual, outros conceitos sobre demônios, quebra de maldições, ministério de libertação, mapeamento espiritual. É também um dos principais defensores dos apóstolos modernos nas Igrejas Apostólicas, a chamada Nova Reforma Apostólica.
Presidente do Global Harvest Ministries, fundado em 1992, do World Prayer Center, e de outras instituições. É chanceler do Wagner Leadership Institute (WLI), fundado em 1998. Wagner é um dos membros fundadores da International Coalition of Apostles (Coalizão Apostólica Internacional - ICA), organização que reúne milhares de apóstolos em várias nações, e foi seu Apóstolo Presidente até 2010, quando passou a presidência para John P. Kelly, e se tornou Presidente Emérito da instituição.
Wagner também escreveu mais de 70 livros, todos relativos a assuntos teológicos. Ele e sua esposa viviam em Colorado Springs, Colorado, tem três filhos, nove netos e três bisnetos. Já esteve no Brasil, querido e admirado por muitos lideres evangélicos.
Lutou bravamente a guerra e em todas as batalhas deixou grandes conquistas. Formou guerreiros, treinou exércitos, ampliou o território do Reino de Deus, mas hoje, foi chamado pelo grande general a prestar relatório de suas atividades no céu.

Igreja Batista é atacada por muçulmanos e mata pelo menos 40 cristãos, na Nigéria

Ataque de muçulmanos em aldeia. (Foto: 360Nobs)

Pelo menos 40 pessoas foram mortas, após um massacre brutal a uma comunidade cristã  Batista na Nigéria.

Homens armados (provavelmente membros de tribos Fulani) invadiram Godogodo no estado de Kaduna, Nigéria – um assentamento predominantemente cristão – no último sábado (15). O incidente ocorreu após assassinatos anteriores na mesma aldeia.
Além dos mortos e feridos neste ataque recente, centenas de pessoas foram expulsas de suas casas e igrejas também foram destruídas.
Moradores da aldeia disseram que o massacre aconteceu pouco depois de alguns jornalistas terem passado por lá para fazer uma matéria sobre um ataque com facões que havia matado oito pessoas no final de setembro, segundo relatórios da agência cristã ‘Morning Star News’.
Uma testemunha do ataque, Peter Atangi, viu seus quatro filhos sendo mortos pelos pastores Fulani [grupos de extremistas islâmicos que perseguem cristãos na Nigéria].
“Os pastores vieram à noite, no sábado [15 de outubro]. Eles invadiram nossas casas depois de atacar um posto de controle militar. Eles usavam armas sofisticadas, além de facões, facas e paus. Assim que eles chegaram, começaram a atirar indiscriminadamente e começamos a correr em direções diferentes”, disse ele.
“Eles atiraram e mataram meus quatro filhos. Enquanto corríamos para salvar nossas vidas, eles também atearam fogo em nossas casas. Muitos estão desabrigados agora”, acrescentou.
O pastor Isaac Balason, da Igreja Batista Nasara, em Godogodo, falou com a agência ‘Morning Star News’ pelo telefone durante o momento ataque.
“Agora são 20:30 e o ataque está acontecendo”, disse ele. “Não temos certeza se vamos sobreviver a isto. Por favor, estejam em oração conosco”, pediu.
Solomon Musa, advogado e presidente da União Popular do Sul de Kaduna, disse em uma conferência de imprensa na última segunda-feira (17), que os residentes locais identificaram pelo menos 40 pessoas que morreram.
Ele disse: “A comunidade Godogodo voltou a sofrer um ataque feroz, aterrador, brutal, selvagem e bárbaro por parte dos pastores Fulani sem qualquer motivo aparente, no último sábado, 15 de outubro de 2016”, disse ele. “Até agora, os moradores conseguiram identificar pelo menos 40 corpos, além de vários outros cadáveres queimados, o que dificulta o reconhecimento”.
De acordo com Solomon quase todas as casas da aldeia foram queimadas.
“A selvageria e barbárie do ataque é inacreditável”, disse ele. “No entanto, os governos federal e estadual parecem permanecer tranquilos e evasivos. Fomos abandonados e negligenciados”.
Rev Thomas Akut, da Igreja Evangélica ‘Winning All Good News’, em Godogodo disse que o ataque expulsou todos os 245 membros de sua igreja.
“A maioria das aldeias ao redor de Godogodo foram destruídas e milhares de cristãos foram expulsos de suas casas”, disse ele, observando que considera que este ataque é parte de uma guerra islâmica contra os cristãos.
“Esta é uma jihad”, disse ele. “É uma guerra santa islâmica contra cristãos na parte sul do estado de Kaduna”.
A organização cristã ‘World Watch Monitor’ relatou que mais de 300 pessoas – a maioria sendo cristãs – foram mortas em ataques de pastores Fulani nos últimos cinco meses e mais de 5.000 pessoas foram expulsas de suas aldeias.
Outro pastor nigeriano, Rev Agostinho Akpen Lev, disse ao site da organização: “Este é outro jihadista, assim como o Boko Haram no nordeste do país. Os terroristas transportam armas sofisticadas, às vezes até usam armas químicas em nossas comunidades. Eles atacam muitas vezes durante a noite, quando as pessoas estão dormindo. Eles atacam pessoas indefesas e vão embora. Eles têm claramente um objetivo: Acabar com a presença do cristianismo e assumir as terras”. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Mais de 1.300 crianças foram vítimas de abusos sexuais na Austrália

Pedofilia A Comissão Real para Respostas Institucionais ao Abuso Sexual Infantil, na Austrália, lançou, esta quinta-feira, um relatório ...