terça-feira, 27 de setembro de 2016

CRENTE PENTECOSTAL PEDINDO PIZZA e CANTADA #TôSolto

CRENTE PENTECOSTAL DE DIETA | Tô Solto

ME LIBERTEI . O FACEBOOK FAZ MAL A SAÚDE FÍSICA, MENTAL, SOCIAL E PSICOLÓGICA. MAS COMO ASSIM? PORQUE? VEJA:

Estresse, depressão e transtornos alimentares são alguns dos fatores que podem colocar a nossa saúde em risco, afirmam especialistas



Das 845 milhões de pessoas cadastradas no Facebook, 483 milhões utilizam a rede social todos os dias. No ano passado, a empresa de pesquisas Nielsen revelou que o tempo médio gasto no Facebook é de pelo menos quatro horas mensais, e que alguns de nossos hábitos têm sido alterados pela maneira como nos portamos na rede - isso inclui dormir pouco, beber, fumar, entre outros exemplos.

Estes são alguns exemplos de como o Facebook tem alterado consideravelmente a nossa vida - e, consequentemente, a nossa saúde. Para mostrar o papel que a rede social adquiriu na vida dos usuários, o Digital Trends listou cinco motivos pelos quais o site de Mark Zuckerberg pode prejudicar o nosso comportamento diário e até psicológico. Acompanhe.

1. Transtornos alimentares

Um estudo recente do Centro de Transtornos Alimentares em Sheppard Pratt feito com 600 usuários do Facebook, com idades entre 16 e 40 anos, constatou que mais da metade dos entrevistados afirmou que fotos deles mesmos e de outras pessoas na rede social os fazem julgar mais o próprio corpo. E olha que não foi uma exclusividade apenas das mulheres: 40% dos homens se mostraram insatisfeitos em relação à própria aparência em imagens do Facebook. Além disso, 32% relataram que se sentem "tristes" quando comparam fotos de si mesmos com fotos de outros usuários, e 44% disseram que gostariam de ter o mesmo peso dos amigos quando visualizam suas fotografias no site.
2. Baixa auto-estima e depressão fb-depressed
Um número crescente de pesquisas (123) descobriu que as mensagens dos amigos postadas no Facebook nos fazem sentir mais tristes com relação às nossas próprias vidas. Isto se dá pelo fato de que nós, naturalmente, comparamos o nosso cotidiano com o das outras pessoas. Essa situação se agrava porque, geralmente, as pessoas preferem postar coisas boas sobre suas vidas ao invés de coisas ruins, o que distorce a nossa percepção de como é a realidade. Com isso, os especialistas sugerem limitar o número de amigos no Facebook para evitar possíveis crises.
3. Distúrbios psicológicos facebook depression
Além de nos deixar mais deprimidos, o Facebook pode implantar sentimentos de loucura, principalmente nos mais jovens. O Dr. Larry D. Rosen, professor de psicologia na Universidade Dominguez Hills, do Estado da Califórnia, divulgouum relatório no ano passado e concluiu que os adolescentes e adultos que passam muito tempo no Facebook possuem um risco maior de desenvolver uma série de distúrbios psicológicos, incluindo vício, paranoia, tendências agressivas e comportamento antissocial. Além disso, a rede social pode elevar os níveis de narcisismo dos adolescentes, o que seria prejudicial na construção de caráter dos indivíduos quando mais velhos.
4. Estresse

A Dra. Kathy Charles, da Universidade Edinburgh Napier realizou um estudo no ano passado que constatou que a maioria das 200 pessoas entrevistadas já havia sentido algum tipo de estresse em relação ao Facebook, e que 12% disseram se sentir ansiosos toda vez em que usavam o site. Charles também descobriu que muitos ficam perturbados com a ideia de perder alguma coisa (supostamente) boa postada na rede social, um fenômeno que agora é conhecido como o "medo de perder", ou FOMO na sigla em inglês. 

5. Vício
kids-internet-facebook
Assim como o sexo, o vício em internet é tachado como um mal do novo século. Pesquisadores da Universidade de Chicago analisaram recentemente mais de 8 mil relatos dos desejos diários de 250 pessoas. No final do estudo, os cientistas concluíram que parar de usar o Facebook (e o Twitter também) foi pior do que desistir do cigarro ou álcool. Neste caso, o vício tem o mesmo efeito do estresse e está diretamente relacionado à FOMO.

Líderes evangélicos planejam usar as eleições deste ano para consolidar força política

Imagem redimensionada

Pela primeira vez em disputas eleitorais, há uma organização de caráter nacional dando sustentação a candidaturas protestantes, pentecostais e neopentecostais.

A Concepab (Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil), instituição que desde 2009 reúne pastores de diferentes denominações, tem acompanhando de perto ao menos 100 candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador em todo o país -grande parte é ligada à Igreja Universal e à Assembleia de Deus.

O objetivo é conseguir eleger no mínimo 60% desses candidatos. Na avaliação da entidade, isso garantiria representação com peso suficiente para que, a partir de 2017, os políticos evangélicos passassem a trabalhar de maneira mais coesa, reivindicando as mesmas pautas em suas cidades, independentemente dos partidos e das igrejas às quais são vinculados.

"Por toda essa articulação que estamos fazendo, buscando o diálogo além de partidos e denominações, acreditamos que essas eleições serão um passo importante na conquista da representação político-partidária dos evangélicos", disse o bispo Robson Rodovalho, fundador da igreja Sara Nossa Terra e presidente da Concepab.

Embora ninguém admita isso em público, os líderes que comandam a articulação também querem com isso reduzir a influência exercida pelo bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal.

Grande parte das candidaturas apoiadas por essa organização nacional é do PRB, partido ligado à Universal. Das 52 candidaturas a prefeito acompanhadas de perto pela direção nacional da Concepab, 43 são do PRB.
A principal é a do senador Marcelo Crivella (PRB), sobrinho de Edir Macedo e o líder das pesquisas na disputa pela prefeitura do Rio. Segundo o Datafolha, Crivella tem 29% das intenções de voto.

Segundo os dados compilados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), até agora a candidatura de Crivella foi integralmente bancada com recursos que o PRB recebe do fundo partidário, que é financiado pelo Orçamento da União. Até a segunda-feira passada (12), a campanha registrou o repasse de R$ 1,9 milhão dos cofres do partido.

CAPITAIS

Mesmo atuando para que a articulação dos candidatos evangélicos seja suprapartidária, o bispo Rodovalho diz que o PRB concentra a maioria dos candidatos às eleições municipais por ser um partido "mais estruturado para um trabalho de alcance nacional neste momento".

Ele ressalta, no entanto, que a intenção é fortalecer o segmento evangélico, independentemente dos partidos que abriguem esses candidatos. Em Macapá, capital do Amapá, por exemplo, a confederação de pastores apoia dois candidatos a prefeito: Clécio Luís (Rede) e Aline Gurgel (PRB).

Além do Rio e de Macapá, outras 12 capitais do país estão na mira dos evangélicos. Maceió (AL), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), São Luís (MA), Campo Grande (MS), João Pessoa (PB), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC) e Aracaju (SE).

Candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, que ao lado de Crivella é uma das principais apostas do partido no país, não está na lista da confederação de pastores. Na relação só entram aqueles que são declaradamente evangélicos e têm atuação em suas igrejas.

Russomanno, que viu sua vantagem na corrida paulistana encolher nas últimas semanas, é católico e também não conta com a simpatia do bispo Robson Rodovalho.

Na capital paulista, Rodovalho decidiu que a Concepab não vai se posicionar no primeiro turno. Em 2012, o bispo foi um dos signatários de uma carta de apoio ao petista Fernando Haddad, que venceu o tucano José Serra no segundo turno da eleição.

Além de todos serem evangélicos, os candidatos carregam bandeiras e propostas comuns. "A pauta da defesa da família tradicional e da vida está presente em todas as campanhas", diz o bispo Robson Rodovalho, referindo-se a posições contrárias ao casamento gay e ao aborto.

O grupo de candidatos evangélicos também atua alinhado com o movimento Escola Sem Partido, defensor de projeto de lei que visa restringir a manifestação de opiniões de natureza política por professores em sala de aula.

IGREJA NA URNA
Confira alguns dos candidatos evangélicos a prefeito nas capitais

João Henrique Caldas (PSB)
Maceió (AL)
sem denominação especificada

Silas Câmara (PRB)
Manaus (AM)
Assembleia de Deus

Clécio Luís (Rede)
Macapá (AP)
sem denominação especificada

Aline Gurgel (PRB)
Macapá (AP)
Universal

Ronaldo Martins (PRB)
Fortaleza (CE)
Universal

Íris Rezende (PMDB)
Goiânia (GO)
sem denominação especificada

Vanderlan Cardoso (PSB)
Goiânia (GO)
Sem denominação especificada

Enivaldo Holanda Júnior (PDT)
São Luis (MA)
Sem denominação especificada

Rose Modesto (PSDB)
Campo Grande (MS)
Sem denominação especificada

Luciana Cartaxo (PSD)
João Pessoa (PB)
Sem denominação especificada

Marcelo Crivella (PRB)
Rio de Janeiro (RJ)
Universal

Alex (PRB)
Boa Vista (RR)
sem denominação especificada

Sebastião Mello (PMDB)
Porto Alegre (RS)
Sem denominação especificada

Gean Loureiro (PMDB)
Florianópolis (SC)
Sem denominação especificada

Fonte: Folha de São Paulo

Moro decreta bloqueio de até R$ 128 milhões da conta de Palocci

Moro decreta bloqueio de até R$ 128 milhões da conta de Palocci
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, decretou o bloqueio nas contas bancárias do ex-ministro Antônio Palocci (PT), de Branislav Kontic, que atuou como assessor do ex-ministro e do ex-secretário da Casa Civil Juscelino Antônio Dourado de até R$ 128 milhões. O valor do bloqueio é para cada uma das contas.
Os três investigados foram presos temporariamente na 35ª fase da Lava Jato, deflagrada na manhã desta segunda-feira (26), e que foi batizada de Operação "Omertà". O prazo da prisão tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogado pelo mesmo período ou convertido em prisão preventiva, que é quando o preso fica detido por tempo indeterminado.
A mesma medida de bloqueio também é válida para as contas das empresas Projeto Consultoria Empresarial e Financeira Ltda e J& F Assessoria Ltda, que também foram citadas na atual fase. A decisão está no despacho em que Moro autorizou o cumprimento dos mandados judiciais.
"Observo que a medida ora determinada apenas gera o bloqueio do saldo do dia constante nas contas ou nos investimentos, não impedindo, portanto, continuidade das atividades das empresas ou entidades, considerando aquelas que eventualmente exerçam atividade econômica real. No caso das pessoas físicas, caso haja bloqueio de valores atinentes a salários, promoverei, mediante requerimento, a liberação", destacou o juiz.
A atual fase apura a relação entre o Grupo Odebrechet e Palocci. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), há evidências de que o Palocci e Branislav receberam propina para atuar em favor da empreiteira, entre 2006 e o final de 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal.
O ex-ministro também teria participado de conversas sobre a compra de um terreno para a sede do Instituto Lula, que foi feita pela Odebrechet.
"Conforme planilha apreendida durante a operação, identificou-se que entre 2008 e o final de 2013, foram pagos mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, incluindo Palocci. Remanesceu, ainda, em outubro de 2013, um saldo de propina de R$ 70 milhões, valores estes que eram destinados também ao ex-ministro para que ele os gerisse no interesse do Partido dos Trabalhadores", diz o MPF.
As investigações da PF e MPF apontam que Palocci e a Odebrechet negociaram:
- Esforços para aprovação para o projeto de lei de conversão da Medida Provisória 460/2009, que resultaria em benefícios fiscais para a empreiteira;
- Aumento da linha de crédito junto ao BNDES para Angola, país com o qual a empresa tinha relações comerciais;
- Interferência em licitações da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal;
- Favorecimento de negócios envolvendo programa de desenvolvimento de submarino nuclear (Prosub).
Ainda conforme a PF, outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado “setor de Operações Estruturadas” da Odebrecht para diversos beneficiários que estão sendo alvos de mandados de busca e de condução coercitiva.
Planilha de propinas
De acordo com o MPF, a planilha apreendida mostra valores ilícitos repassados a Palocci tanto em período de campanha quando fora dele. A planilha era chama de “Posição Programa Especial Italiano” e usava, segundo investigados, o termo “italiano” como codinome para se referir ao ex-ministro.
"A análise das anotações registradas nesta planilha aponta para o fato de que grande parte dos valores utilizados para o pagamento das vantagens indevidas se originaram da Braskem, empresa petroquímica que possui diversos contratos com a Petrobras", diz o MPF.
O Ministério Público afirma que alguns dos valores registrados ainda precisam de maior apuração para identificar a quais fatos estão relacionados.
Terreno do Instituto Lula
"As provas até agora colhidas apontam que, além dos pagamentos realizados em favor de Monica Moura e João Santana [marqueiteiros de campanha] no interesse do Partido dos Trabalhadores, os subornos repassados a Antonio Palocci também envolveram a aquisição do terreno inicialmente destinado à construção da nova sede do Instituto Lula, referido na planilha pela rubrica “Prédio (IL)”, afirma o MPF. A empreiteira comprou o terreno avaliado em R$ 12 milhões, segundo laudo revelado em maio deste ano.
Investigadores dizem que Antonio Palocci participou de reunião com Marcelo Odebrecht e Roberto Teixeira, e recebeu, por intermédio de Branislav Kontic, documentos encaminhados via e-mail pelo presidente do grupo empresarial, relacionados à compra do terreno (em mensagens sob o título “Prédio Institucional”, “Prédio do Instituto” e planilha intitulada “Edificio.docx”).
Outra prova analisada, segundo o MPF, se refere à minuta de contrato do terreno encontrada no sítio usado pelo ex-presidente Lula, em que constava o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, como o comprador, e representado por Roberto Teixeira. Em depoimento, Bumlai afirmou que se recusou a figurar como comprador do imóvel, tendo sido, de fato, identificado que a compra se deu em favor de pessoas vinculadas à Odebrecht.
O que dizem as defesas
O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, disse que a Lava Jato "parece um espetáculo". “O show tem que continuar. O circo tem que continuar”, afirmou. Batochio também estranhou o fato de o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ter anunciado no domingo (25) que haveria Lava Jato nesta semana.
“O fato de ele anunciar em um encontro do PSDB que haverá novas diligências não é estranho. Aécio [Neves] denunciado, Anastasia denunciado, Serra. Por que será [que anunciou no evento]?” Para Batochio, “as liberdades constitucionais foram sequestradas em Curitiba”. “Ninguém faz nada. Um silêncio absoluto”, disse.
"Não sabemos a acusação, pois ela é até o presente momento absolutamente secreta ao melhor estilo da ditadura militar. Você não sabe de nada, não sabe o que está sendo investigado, um belo dia batem à sua porta e o levam. De modo que nós estamos voltando ao velho tempo do autoritarismo, da arbitrariedade. Qual a necessidade de se prender uma pessoa que tem domicílio certo, que é médico, que foi duas vezes ministro, que pode dar todas as informações quando for intimado. É por causa do espetáculo?", questionou Batochio.

Acusado de `blasfêmia contra Maomé´, escritor cristão é assassinado na Jordânia

Acusado de `blasfêmia contra Maomé´, escritor cristão é assassinado na Jordânia
Um escritor cristão jordaniano foi morto a tiros em frente ao tribunal onde seria julgado por compartilhar um desenho considerado ofensivo para o islamismo. As informações são da agência estatal jordaniana de notícias, Petra.
Nahed Hattar, um escritor cristão que apoiava o presidente sírio, Bashar al-Assad, foi preso no dia 13 de agosto sob a acusação de desprezo da religião e incitar a luta sectária, depois de ter compartilhado uma caricatura que mostrava um homem barbudo no céu, fumando, deitado na cama com mulheres, pedindo a Deus para trazê-lo vinho e castanhas de caju.
As autoridades disseram que ele violou a lei ao compartilhar a caricatura.
A ilustração foi intitulado "O Deus de Daesh", usando a sigla árabe para o grupo terrorista Estado Islâmico.
O escritor cristão de 56 anos removeu o post do desenho de sua página no Facebook e pediu desculpas por tê-la postado depois que a publicação desencadeou indignação nas redes sociais, com muitos jordanianos conservadores muçulmanos considerando que aquilo foi ofensivo e contra o islamismo.
Ele disse que tinha compartilhado a caricatura para fazer uma sátira aos "terroristas sobre como eles imaginam Deus e o céu, mas não quis insultar o islamismo de forma alguma" e acusou seus opositores islâmicos de usarem o desenho para um acerto de contas com ele.
O procurador-geral da Jordânia tinha imposto um blecaute na cobertura da mídia sobre o caso.
O atirador disparou três tiros contra Hattar, antes de ser preso na cena do crime, segundo relatos da agência Petra.
Uma fonte de segurança disse que o autor dos disparos era um pregador muçulmano de 39 anos de idade, que atuava em uma mesquita na capital.
"O agressor foi preso e as investigações estão em curso", informou a fonte à agência de notícias.
Duas testemunhas disseram que o atirador estava usando uma vestimenta árabe tradicional, comum entre os muçulmanos sunitas ultra-conservadores que aderem a uma versão puritana do islamismo.
O Governo jordaniano condenou o ataque.
O grupo islâmico 'Irmandade Muçulmana Moderada' também se posicionou contra a guerra gerada pelas tensões religiosas e sectárias em um país no qual jordanianos cristãos são uma minoria, mas exercem influência política e econômica.
Alguns defensores seculares e liberais de Hattar disseram que sua prisão no mês passado foi uma violação da liberdade de expressão, mas outros jordanianos apontaram a publicação da caricatura como algo que cruzou uma linha vermelha em um país muçulmano, onde é um tabu para atacar Alá ou Maomé.
A mais alta autoridade religiosa oficial do país (fatwa) criticou Hattar pelo o que ela chamou de "insulto à entidade divina, ao islamismo e a símbolos religiosos".

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...