sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Celso Russomanno humilhando pobre

Crivella prega tolerância e diz ter ‘honra’ de fazer parte da igreja Universal


Em sabatina no Clube de Engenharia, na manhã desta terça-feira, o candidato a prefeito Marcelo Crivella (PRB) pregou tolerância, lembrou do seu passado como missionário e fez uma defesa enfática da Igreja Universal do Rio de Deus (Iurd). Bispo licenciado e sobrinho de Edir Macedo, Crivella concorre à prefeitura pela terceira vez e tem procurado se desvincular da igreja para superar a rejeição do eleitorado.

O candidato tem adotado um discurso ecumênico e com ênfase na tolerância. Nas últimas semanas, chegou a fazer campanha ao lado de um pai de santo e a receber apoio de representantes de um grupo responsável pela Parada Gay da favela da Vila do João.

— Eu tenho a honra de fazer parte de uma igreja chamada Universal. As pessoas não conhecem e muitos por não conhecerem criticam. Mas ela tem mais de 8 mil igrejas no Brasil - afirmou o senador ao se referir a um projeto social que criou no nordeste do país para atender a população de baixa renda.

Questionado pelos jornalistas sobre o aceno a sua base evangélica, Crivella disse que "se alegra muito por pertencer à igreja universal".

- Essa é a minha trajetória. Sou evangélico. Não tenho nenhuma vergonha de dizer isso. É uma igreja que está em tantos países do mundo, prestando um grande serviço. Tem erros? É claro que tem. Como eu também tenho. Vejam, não sou candidato a perfeito. Sou candidato a prefeito, perfeito só Deus.

Fonte: Extra

CD de Brother Simion foi gravado como forma de gratidão, diz produtor

O álbum Legado, do cantor e compositor paulista Brother Simion, não recebeu este título por acaso. Segundo o guitarrista Netinho, líder da banda Patmus, a história do disco, gravado por mais de um ano em São Paulo, é fruto da gratidão de vários músicos e artistas pela importância de Simion na história da música cristã brasileira.

Em entrevista ao Super Gospel, o produtor contou a história que envolve a gravação. Em 2014, Netinho e Simion se encontraram em um culto, e a partir daquele reencontro iniciaram-se os primeiros registros do álbum Legado, que marca a volta do músico ao meio fonográfico. A sua obra totalmente inédita mais recente tinha sido lançada em 2004.

“[…] no final deste culto, fui lá dar um abraço nele, fui perguntar sobre a família, os filhos e a esposa. Ele estava vendendo CDs usando um envelope. Aquilo mexeu muito comigo, porque pra mim o Simion é a história da música gospel no Brasil. E quando o vi vendendo um CD num envelopinho, ao final do culto, aquilo de certa forma me incomodou. O Simion merece muito mais do que isso, por tudo o que ele representa, por tudo o que ele é e por tudo o que ele fez”, disse Netinho.

Netinho afirmou que fez uma proposta de gravação gratuita para Brother, em seu estúdio. Simion disse que, antes, iria orar e quase um mês depois aceitou. As gravações ocorreram por mais de um ano e envolveram músicos que conheciam o músico desde os primeiros anos de sua carreira, quando foi líder do Katsbarnea e impulsionou o desenvolvimento do movimento gospel.
No disco, participaram músicos que participaram da extinta banda Troad, que tocaram com Simion no Katsbarnea e também ex-integrantes do Renascer Praise. A gravação, nas palavras de Netinho, envolveu amizade e desafios. “[…] o Simion é um cara muito musical e tem muita experiência. Ele tem 62 anos. Não há o que produzir. Ele traz tudo pronto na cabeça dele. Você só tem que entendê-lo”.

O músico afirmou que, para ele, a gravação foi uma espécie de gratidão a Brother que, segundo ele, esteve em sua vida em momentos bons e ruins. “[…] acho que no nosso meio gospel está faltando amigos. Quando nós perdemos esta essência da amizade e do respeito pelos artistas antigos, estamos desconsiderando a própria história da música. E o Brother Simion é parte desta história”, finalizou.

Fonte: Gospel Prime

TSE confirma cassação de prefeito por doação de terrenos à Igreja Quadrangular

Decisão do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou por maioria de votos, na sessão desta terça-feira (20), as cassacões do prefeito de Nova Lima (MG), Cássio Magnani Júnior, e de sua vice Maria de Fátima, por terem se beneficiado eleitoralmente da outorga de dois terrenos à Igreja do Evangelho Quadrangular nas eleições de 2012. No entanto, os ministros afastaram, também por maioria de votos, a inelegibilidade de oito anos imposta a Cássio e Maria de Fátima por entender que não participaram diretamente do ato de outorga, mas apenas foram beneficiários. O Plenário determinou que os segundos colocados no pleito assumam a prefeitura.

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) cassou Cássio e Maria de Fátima por se beneficiarem na eleição dos decretos de outorga. O TRE mineiro também os havia declarado inelegíveis por oito anos. Na sessão desta noite, além da cassação do prefeito e sua vice, o TSE manteve apenas a inelegibilidade do ex-prefeito Carlos Roberto, autor dos decretos de outorga dos terrenos públicos municipais, a título precário, à citada igreja.

Em voto-vista apresentado na sessão, o ministro Herman Benjamin votou por reverter a inelegibilidade de Cássio e Maria de Fátima, no que foi acompanhado pela maioria do Plenário. Até o pedido de vista de Herman Benjamin, a Corte Eleitoral já havia votado, em sessões anteriores, por confirmar a cassação do prefeito, de sua vice e a inelegibilidade de Carlos Roberto.

Relator do processo, o ministro Herman Benjamin havia solicitado vista dos autos somente para analisar se a inelegibilidade de oito anos deveria atingir também Cássio Magnani e sua vice, na condição de beneficiários eleitorais das doações dos terrenos.

Voto do relator
Em sessão há duas semanas, o ministro Herman Benjamin considerou que houve abuso de poder econômico e político na assinatura de dois decretos de outorga de terrenos públicos à Igreja do Evangelho Quadrangular, pelo então prefeito Carlos Roberto.

Segundo o ministro, o objetivo dos decretos foi beneficiar as candidaturas de Cássio e Maria de Fátima nas eleições de 2012. Herman Benjamin afirmou que, de acordo com os autos do processo, dias antes da eleição um pastor da igreja declarou a um jornal regional apoio político à candidatura de Magnani. Após pedido de vista apresentado naquela sessão pelo ministro Teori Zavascki, votaram com relator os ministros Henrique Neves, Edson Fachin, Rosa Weber e o próprio ministro Teori.

Fonte: TSE

Líderes cristãs são presas na China acusadas de “lavagem cerebral”

Duas líderes de acampamento cristão de Xinjiang Uyghur, noroeste da China, foram presos pelo regime comunistas, acusadas de “doutrinar menores com crenças supersticiosas.” De acordo com a Missão China Aid, a pastora Zhou Yanhua e a seminarista Gao Ming, da Igreja de Yining, foram detidas pela polícia cerca de meia hora antes de levar um grupo de crianças a um acampamento de verão.

Gao, 27 anos, que está se formando no seminário Teológico de Yanjing, ficou presa por 15 dias, enquanto a pena de Zhou – que é pastora da igreja e também dirige o acampamento – foi de 10 dias.

De acordo com o Christian Today, ambas foram acusadas de ensinar “doutrinas” a menores de idade. De acordo com a legislação chinesa, crianças com idade inferior a 18 anos não podem receber qualquer tipo de educação religiosa. Existe uma igreja protestante ligado ao governo, que é proibida de fazer em seus membros “lavagem cerebral” com crenças religiosas e incluir crianças em atividades religiosas.

Além de deter as duas mulheres, as autoridades levaram todas as crianças do grupo para a delegacia e fizeram uma identificação. Os pais e professores de cada uma delas foram chamados e feito ameaças. Para os professores, seus salários podem ser cortados e os pais foram avisados que seus filhos serão proibidos de estudar nas universidades do governo.

A China Aid acredita que todas as igrejas domésticas estão sob risco de serem fechadas pelo governo. O regime comunista de Pequim tem aumentado a perseguição ao cristianismo, após a revelação que há mais cristãos no país que membros do Partido Comunista.

O Instituto Pew Research calcula que há 67 milhões de cristãos na China, 58 milhões de protestantes e 9 milhões de católicos.

Perseguição aumentou 700%
A perseguição contra os cristãos na China ficou sete vezes maior na última década. De acordo com relatórios da China Aid, desde 2008 é possível ver um aumento constante nos casos de prisões de líderes, fechamento e demolições de templos.
De fato, as comunidades religiosas na China vivem o mais intenso ano de perseguição desde a Revolução Cultural (1966-1976), quando o país passou a adotar o sistema comunista.

Nos tempos de Mao Tsé-tung, o ateísmo foi um dos pilares para o estabelecimento da República Popular da China. Contudo, sua tentativa de exterminar toda forma de religião no país fracassou.

Ao longo das décadas seguintes, houve uma tentativa do Estado de assumir o controle das igrejas do país. A questão religiosa passou para segundo plano, enquanto o país mais populoso do mundo passava por profundas mudanças sociais e econômicas. Na década de 1970, Pequim anunciou que desistiria de tentar erradicar a religião organizada.

Com a ascensão do presidente, Xi Jinping, o discurso mudou. Segundo ele mesmo, a “gestão da religião é, em essência, a gestão das massas”. Atualmente, o país está entre os que mais perseguem os cristãos no mundo, segundo a missão Portas Abertas. Estima-se que 90% das cruzes de igrejas consideradas “não oficiais” tenham sido retiradas à força.

Fonte: Gospel Prime

Casal tenta pagar gasolina com papel em branco "sagrado" e polícia é acionada

A polícia de Caçapava, interior de São Paulo, atendeu uma ocorrência inusitada. Um casal chegou a um posto de gasolina da cidade para abastecer. Pediram, então, que o frentista completasse o tanque. No entanto, na hora de pagar os R$ 115, o rapaz, que não teve a identidade revelada, entregou um papel em branco.

O casal disse ao frentista que o papel estava ungido pela igreja e que valia R$ 100. O funcionário, no entanto, acionou o gerente que, obviamente, não aceitou o papel e chamou a polícia.

Curioso com o caso, o frentista começou filmar a abordafem dos policiais. Os policiais pedem para que o casal pague pelo combustível com dinheiro de verdade. “Isso aqui é o dinheiro?”, questionava o agente. Enquanto isso, a mulher respondia que “sim, é dinheiro”.

“Vocês estão com algum problema psicológico?”, perguntou um dos agentes. Cansados da conversa, o policial ameaçou. “Se em 10 minutos isso aqui não transformar em R$ 100, eu levo a senhora presa. Através da Bíblia, vocês estão quereno enganar os outros”, diz o policial. No final, o posto teve que retirar o combustível colocado no carro, e eles foram liberados.



Fonte: Meio Norte

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...