segunda-feira, 30 de maio de 2016

ISSO NINGUEM COMENTA , NÉ - Criança morta na Rocinha foi estuprada e levou mordidas, aponta laudo

 A menina Rebeca Miranda Carvalho dos Santos, de 9 anos, foi vítima de abuso sexual segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML). Segundo o chefe de operações da Divisão de Homicídios (DH), Rafael Rangel, a causa da morte da jovem foi esganadura. Ela também apresentou marca de mordidas pelo corpo.
Rebeca foi encontrada morta na madrugada deste domingo na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul, com as roupas íntimas abaixadas. O crime foi cometido a cerca de 100 metros da sede da UPP local, na localidade conhecida como Cachopa.
Corpo de jovem foi enterrado nesta segunda-feira
Foto:  José Pedro Monteiro / Agência O Dia
De acordo com Rangel, imagens das câmeras de segurança da região onde ocorreu o crime já estão sendo analisadas. Como estava muito abalada no dia do crime, a mãe de Rebeca será chamada para prestar novo depoimento. O corpo da vítima foi sepultado no início da tarde desta segunda-feira no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul.
"Interromperam o sonho da minha filha, Ela era uma menina decente. Quero justiça", disse, emocionado, o motorista de ônibus Reginaldo dos Santos, pai da jovem. Os moradores da comunidade planejam uma manifestação para quarta-feira.
Testemunhas dizem ter visto um homem negro, de cerca de 30 anos e que vestia agasalho verde saindo, durante a madrugada de domingo, do terreno onde o corpo da menina foi encontrado pela manhã.
Menina Rebeca foi achada morta na manhã de domingo
Foto:  Reprodução Internet
A perícia encontrou o corpo da menina sob telhas, sem roupas íntimas e com vestígios de sangue. Rebeca foi encontrada por volta de 7h30 por um amigo que reconheceu seu chinelo no acesso a uma obra abandonada. O local não é iluminado à noite.
Ela havia sido vista pela última vez, quando saiu de uma festa infantil, por volta das 22h30, para entregar um pedaço de bolo para a mãe, que a esperava. Parentes realizaram buscas no morro durante toda a madrugada e registraram o desaparecimento na 15ªDP (Gávea). Para a mãe da menina, Maria Miranda, o crime foi cometido por alguém de fora da Rocinha: “Muitas pessoas vieram para cá depois da implantação da UPP”.


http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2013-09-30/crianca-morta-na-rocinha-foi-estuprada-e-levou-mordidas-aponta-laudo.html

ABACAXI AZEDO - Funkeira transexual vai se lançar no mercado gospel

Imagem redimensionadaMarcela Porto, mais conhecida como a Mulher Abacaxi, está querendo alavancar a sua carreira de cantora com um projeto ousado. Aos 33 anos, a funkeira transexual trabalha a todo vapor no lançamento do novo disco que marcará sua entrada no mercado gospel. Frequentadora da Igreja Universal, ela está disposta a quebrar barreiras em busca do sonho. "Existem desentendimentos entre alguns evangélicos e homossexuais, quero ajudar na união", garante.

Em um bate-papo com o iG, a cantora relembra sua transformação do caminhoneiro Bruno Souza em Mulher Abacaxi. Para se tornar Marcela Porto, a funkeira investiu mais de R$ 60 mil em plásticas e próteses. Entre silicones e cirurgias, fez lipoescultura no abdômen e nas costas; afinou o nariz três vezes; puxou os olhos e aumentou o bumbum para dar vida à sua nova identidade.

Dona de uma frota de caminhões em Duque de Caxias, Marcela lembra que se sentia intimidada por outros homens e até mesmo mulheres lésbicas nos tempos de caminhoneira. "Eu tinha que usar uma tala para esconder os seios. Me sentia um sapatão. Agora não, sou mulher 24 horas por dia", comemora. Apesar do assédio, a mulher-fruta afirma que não sofre preconceito dos caminhoneiros. "Todos me respeitam. E eu não trabalho toda montada, né?! Vou de calça jeans e tênis".

Aproveitando a repaginada no visual, Mulher Abacaxi pretende se dedicar mais à carreira artística. Depois de fazer sucesso no funk com o Furacão 2000, a cantora quer realizar o sonho de gravar um CD gospel. Polêmicas a parte, ela afirma ter uma relação muito íntima com a religião. "Eu sou de uma família de caminhoneiros e evangélicos. Sempre tive afinidade com a igreja. Mesmo cantando funk, eu gosto de escutar música evangélica e orar. Gosto muito de escutar a palavra de Deus, sou muito ligada a Ele".

Prestes a lançar um clipe produzido por KondZilla, Marcela garante: "Eu não vou largar o funk, mas quero trabalhar nesse projeto novo também. Tenho medo do povo não aceitar, mas vou em frente". Se por um lado ela teme a repercussão entre o público conservador, por outro a cantora comemora o bom relacionamento que mantém com os fiéis da igreja. "Eu tive muito medo de frequentar a igreja protestante e não ser recebida por ser trans. A única igreja que me tratou bem, que não tentou me exorcizar e disse que eu era coisa do diabo foi a Universal. Lá sou muito bem tratada por todos e ninguém me chama de homem. Fiz muitos amigos. Cada um é feliz do seu jeito, o que importa é o que temos no coração. ".

Com uma boa relação dentro da comunidade evangélica, Marcela Porto evita fazer críticas sobre religião, mas não consegue esconder sua aversão pelo pastor Silas Malafaia. "Eu não tenho problema nenhum com a igreja, mas se tem uma pessoa que eu não me adapto é o Malafaia. Ele é muito crítico à comunidade LGBT, não iria nunca na igreja dele. Se ele é assim como líder, imagina no resto?".

Fonte: iG

Pastor Gean Carlos, líder da Igreja Batista Ágape, tem prisão revogada


A Justiça de Paraíso do Tocantins, por meio do Juiz Océlio Nobre, revogou na tarde desta sexta-feira (27), a prisão preventiva do pastor Gean Carlos, líder da Igreja Batista Ágape, preso desde a última quinta-feira, 19. Ele é acusado pelo Ministério Público do Tocantins, de maus tratos na Casa Meninas dos Olhos de Deus, projeto comandado pela Igreja Batista Ágape, com sede em Paraíso do Tocantins, a 63 km de Palmas – TO.

Imagem redimensionadaO pedido de prisão do pastor Gean Carlos e da zeladora Karine Pereira Arantes, foram feitos pelo promotor de Justiça Guilherme Goseling, da Vara da Família.

Silas Malafaia condena
Na última quinta-feira (26), o pastor Silas Malafaia afirmou que vai representar o promotor no Conselho Superior do Ministério Público, e acusou o promotor de agir por “interesses ideológicos”.

Entrevista

Após ser solto, o pastor Gean Carlos concedeu entrevista ao JM Notícia, neste sábado (28), e afirmou que não havia nenhum motivo que ensejasse a sua prisão.

“A respeito de situações de maus tratos, estão procurando coisas que não existiam. Nós estamos tranquilos. A Casa era aberta a comunidade,” disse o pastor Gean Carlos, afirmando que o seu advogado, Dr. Marcelo Cordeiro, já está trabalhando na sua defesa junto ao Poder Judiciário.

Na ocasião, o pastor lembrou que já são cinco anos cuidando de crianças e adolescentes por meio do projeto, e disse que as acusações são totalmente infundadas, e que podem estar querendo prejudicar um projeto nacional.

Voluntário

Gean Carlos disse na ocasião, que foi voluntário desde o inicio no projeto, e que a Instituição Meninas dos Olhos de Deus, sobreviveu por três anos com o apoio financeiro da Igreja Batista Ágape, na qual ele é líder.

O pastor lembrou ao JM Notícia, que foi solto nesta sexta-feira, por volta das 16 horas, e que a sua saída foi festejada pela comunidade espírita, católica, evangélica e pela comunidade em geral.

Advogado comenta
O advogado do pastor Gean Carlos, Dr. Marcelo Cordeiro, afirmou ao JM Notícia que o Juiz entendeu que não havia motivos para manter o pastor preso, e afirmou que foi uma injustiça a prisão do líder evangélico.

Fonte: JM Notícia

AMANTE DO DIABO - Chefe da igreja protestante defende ensino do Islã nas escolas públicas alemãs

Imagem redimensionada

Chefe da igreja protestante sublinha a importância de jovens muçulmanos crescerem com uma visão crítica sobre a fé

A crise de refugiados, o crescimento da extrema-direita - que defende o fim dos minaretes e dos véus - e os ataques terroristas em solo europeu têm contribuído para dificultar a relação entre a Alemanha e o Islão.

É neste contexto que o bispo Heinrich Bedford-Strohm, chefe da igreja protestante germânica, veio defender o ensino da religião islâmica em todas as escolas públicas alemãs.

De acordo com o clérigo, essa seria uma forma de os alunos muçulmanos crescerem com uma visão crítica sobre a sua própria religião. "A tolerância, a liberdade religiosa, e a liberdade de consciência são pilares que devem ser partilhados por todos", afirmou Bedford-Strohm em entrevista ao jornal Heilbronner Stimme.

Atualmente, segundo números divulgados pela agência Reuters, vivem na Alemanha quatro milhões de muçulmanos, que representam 5% da população.

Neste momento sete dos 16 estados alemães já oferecem alguma forma de educação islâmica, à semelhança do que acontece com as aulas de religião católica e protestante. O bispo defende que essa oferta deve estender-se a todo o país e que a abertura religiosa contribuirá para fazer com que os jovens sejam menos permeáveis às tentações fundamentalistas.

Uma sondagem recente, publicada neste mês e citada pela Reuters, mostra que quase dois terços da população alemã pensa que não deve existir lugar para o Islão em território germânico.


Fonte: Diário de Notícias - Portugal

Governo chinês quer fechar todas as igrejas evangélicas do país

O governo da China está lançando uma campanha de três fases para erradicar todas as igrejas evangélicas do país. Esse foi o teor do comunicado divulgado em abril pela Associação de Ajuda à China, ONG que envia missionários para solo chinês.
A estratégia do governo foi claramente delineada em um documento divulgado em setembro passado, durante uma aula de treinamento gerido pela Administração Estatal para Assuntos Religiosos da China.
De janeiro a junho deste ano, o documento revela que as autoridades locais estão conduzindo uma investigação completa, para listar as igrejas de todo o país que funcionam nas casas chinesas, e fazer dossiês completos sobre cada uma delas.
Na fase dois, nos  dois anos seguintes, as autoridades irão encorajar as “igrejas não registradas” para se filiar ao Movimento Patriótico da Tríplice Autonomia, que monitora tudo o que acontece nos templos. A fase três, a ser concluída em até 10 anos, as igrejas que se recusam a seguir as regras seriam fechadas e os líderes condenados.
Os funcionários do governo também devem banir as palavras “igreja nos lares” de todos os relatórios sobre igrejas em sites e outros meios de comunicação. Agora, só podem usar o termo “reuniões em casas”, um termo que remete aos grupos reunidos em sites afiliados ao MPTA.
Em uma pesquisa recente, conduzida em várias províncias chinesas, mais de 95% dos líderes de igrejas caseiras disseram que já sentiram o impacto dessas investigações, enquanto 85% disseram que investigadores  já haviam feito um dossiê sobre seu grupo.
“Desde o início de 2012, temos notado um aumento na freqüência da perseguição”, disse a Associação de Ajuda à China em um comunicado de imprensa.  “Além da perseguição contínua das igrejas em Pequim, o número de casos semelhantes aumentou 20% em comparação ao  ano passado e se espalhou para outras áreas, incluindo ações contra educação, publicação e livrarias cristãs.”
A campanha foi lançada em dezembro de 2010 através de um documento intitulado “Operação Repressão”, emitido pelo Comitê Central do Partido Comunista.  Esta diretriz pedia às autoridades de todos os níveis para “levar” os cristãos das igrejas nos lares a freqüentar  somente as igrejas registradas e aprovadas pelo governo e acabar com igrejas grandes que se reúnem também em  grupos menores.
A Igreja Shouwang, que reúne mil membros, viu a pressão aumentar muito nos últimos meses.  “No ano passado … a nossa experiência com o Senhor era diferente a cada semana. Foi  Sua graça e paz que nos protegeram e nos sustentaram até agora “, declara um líder da igreja
Essa operação também irá registrar todos os pastore, como uma maneira de continuar controlando o crescimento cristão e o surgimento de novas igrejas. Esse  processo deverá estar concluído até o final de 2012, segundo um comunicado oficial.
Segundo o documento divulgado em setembro passado, o governo planeja usar “medidas humanas da lei de execução” para alcançar a erradicação total de igrejas nos lares.  Ou seja, pastores que se negarem a cumprir a lei serão mortos por desobedeceram a lei.
Traduzido e adaptado de Charisma News

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...