terça-feira, 17 de maio de 2016

PRESIDENTE MICHEL TEMER , RECEBA LOGO O EMBAIXADOR DE ISRAEL PARA O BRASIL.


Pastores levaram palavra profética para Temer

Dissipados os rumores que seja satanista, inclusive com o próprio Daniel Mastral esclarecendo isso, Michel Temer parece estar cada vez mais interessado no apoio dos evangélicos. Voltou a circular nas redes um vídeo antigo (de 2010), onde o presidente empossado já esclarecia toda essa falsa polêmica.  Mesmo assim, jornalistas que ainda são alinhados com Dilma, fazem questão de insistir no assunto.
Alheio a tudo isso, Temer chamou para seu gabinete vários líderes religiosos para o que foi chamado de “culto de posse”. Estavam na sala de reuniões do gabinete presidencial vários pastores evangélicos, incluindo Silas Malafaia (Vitória em Cristo) e Samuel Ferreira (Assembleia de Deus Brás). Participaram do encontro cristão Dom Edgar Madi e Dom Damaskinos Mansour, representantes da igreja católica maronita, a qual a família Temer é ligada –  bem como o arcebispo metropolitano da Igreja Ortodoxa Antioquina.
Oferecendo ao mesmo tempo apoio político e espiritual estavam deputados que são pastores e integram a Frente Parlamentar Evangélica, como Marco Feliciano (PSC/SP), Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ) e Roberto Lucena (PV/SP).
O deputado federal João Campos (PRB/GO), que é pastor da Assembleia de Deus, publicou um vídeo onde mostra que foi entregue uma palavra profética ao atual mandatário da nação. Ele leu trechos onde Davi dá conselhos para Salomão, que acabara de assumir o governo de Israel.
Leu primeiramente o texto de 1 Reis 28:20: “Sê forte e corajoso e faze a obra; não temas, nem te desanimes, porque o SENHOR Deus, meu Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que acabes todas a obras e todo o serviço”. Depois, ressaltou o versículo 9: “porque o Senhor esquadrinha todos os corações, e penetra todos os desígnios dos pensamentos; se o buscares, será achado de ti; porém, se o deixares, ele te rejeitará”.
No vídeo, Temer diz amém após ouvir a leitura.
Assista:
 


CUMPRINDO AS PROFECIAS BÍBLICAS, JUDEUS PORTUGUESES E ESPANHÓIS INICIAM RETORNO A ISRAEL

A profecia de Obadias é bem clara: nos "últimos dias", os "Bnei Anussim"(judeus no exílio na Espanha e Portugal) regressariam à Terra de Israel para habitarem o Negueve, no sul do país:
"...os cativos de Jerusalém, que estão em Sefarade (Espanha), possuirão as cidades do sul" (Obadias 20).
Os "cripto-judeus", ou "Bnei-Anussim" (no hebraico) são descendentes de judeus que foram forçados à conversão católica em Espanha e Portugal durante as famigeradas perseguições da Inquisição Católica Romana dos séculos 14 e 15.
Naquela época, os judeus constituíam cerca de 20% da população total de Portugal e Espanha, mas só meio milhão fugiu com as perseguições e expulsões resultantes da intolerância católica romana.
Todos os que ficaram foram forçados a se converterem ao catolicismo romano. No entanto, e apesar de uma conversão "de fachada", muitos judeus preservaram as suas raízes judaicas através de práticas familiares crípticas. Só agora se começam a investigar as raízes familiares ancestrais desses "cripto-judeus", muitos deles tentando restaurar as suas identidades espirituais e genealógicas.

Vários eventos têm recentemente sido organizados neste sentido pela "Ezra L'Anousin" (Ajudem os Anoussim), uma organização fundada por Batya Yaffa da Costa, uma judia que já retornou a Israel para ajudar os "cripto-judeus" a se religarem às suas raízes judaicas. A organização oferece uma plataforma para que os "cripto-judeus" comuniquem uns com os outros na sua jornada conjunta de regresso às suas raízes espirituais.
O reconhecimento da identidade nacional teve um significado especial para os grupos de "cripto-judeus" que se reuniram em mais de 40 cidades espalhadas pelo mundo no Dia da Independência de Israel celebrado na semana passada para apoiar o estado judaico.

A HISTÓRIA É FEITA DE PEQUENOS INÍCIOS
O resultado destes encontros foi ainda modesto, mas a participação nos mesmos foi entusiástica. Estes pequenos grupos representam a vanguarda de um muito mais amplo movimento que só pode vir a aumentar e crescer. A causa é importante, e o número de pessoas afectadas conta-se aos milhões.
Esta identidade religiosa ganhou uma dimensão nacionalística com a criação do moderno estado de Israel, a qual, de várias formas capacitou os "Bnei Anussim" a finalmente se religarem ao judaísmo. Yaffa da Costa explicou que Israel proporciona um ponto focal para que os judeus se reúnam, um aspecto necessário para o retorno dos judeus descendentes das famílias hebraicas que viviam em Portugal e Espanha e que hoje se encontram um pouco por toda a parte, especialmente no Brasil, EUA, Argentina, Turquia, Holanda, etc. 
"A razão destes encontros é para que estas pessoas que tiveram que viver uma vida secreta durante tanto tempo possam saber que não estão sós. Este é um tremendo despertamento que está a acontecer, mas ainda há pessoas que têm muito medo de se manifestarem publicamente por causa do trauma de tudo quanto aconteceu" - elucidou Costa, comparando com o que se passou com o Holocausto, em que irmãos entregavam outros irmãos. "A diferença é que isto já se passou há 500 anos" - acrescentou Costa.

CUMPRINDO OBADIAS
Segundo Costa, muitos dos "Bnei Anussim" querem ir viver para Israel, expressando uma preferência de viver no Negueve, tal qual a profecia de Obadias revela.
Várias organizações têm sido criadas recentemente para ajudar os "Bnei Anussim"a se ligarem ao povo judeu. "Shavei Israel", a maior de todas, tem estado há mais de uma década a trabalhar com os "Bnei Anussim." Foi publicado um livro de orientações básicas em espanhol, distribuído gratuitamente às dezenas de milhar entre os cripto-judeus, prevendo-se para breve edições em português, italiano e inglês. "Reconectar" é um site para ajudar as pessoas a se orientarem, seja na sua ligação ao judaísmo ou para um maior conhecimento da sua herança judaica.

UM FENÓMENO PROFÉTICO RECENTE
O retorno dos "Bnei Anussim" é um fenómeno global recente. Tanto o governo espanhol como o português estão oferecendo cidadania a descendentes de judeus expulsos dos seus países há séculos atrás. O Ministério das Relações Exteriores de Israel realizou em Outubro passado a primeira convenção oficial no Knesset para a "Reconexão com os Descendentes das Comunidades Espanhola e Portuguesa." 
Costa planeia organizar um encontro global anual no Dia da Independência de Israel. Ela compara este evento ao início do movimento que abriu as portas para que milhões de judeus "encravados" na antiga União Soviética pudessem sair para Israel, ainda que o retorno dos "Bnei Anussim" tenha um potencial muito maior para o povo judeu. Recentes estudos genéticos têm demonstrado que o retorno dos "Bnei Anussim" poderá aumentar em quatro vezes mais o número dos judeus espalhados por todo o mundo.
Costa insiste que estes primeiros passos para o despertar da conscientização são essenciais. Ela tem grandes expectativas de que mais pessoas pelo mundo fora venham a descobrir as suas raízes judaicas e juntar-se aos próximos eventos. 
"Existe realmente um grande despertamento "anussim" a acontecer, e isto é apenas o início" - afirmou Costa.

Shalom, Israel!

Clama Bahia 2016 confirma atrações



O maior evento de música gospel do Estado da Bahia, Clama Bahia, completa 10 anos de realização e reúne grandes nomes do cenário artístico nacional. A organização do evento confirmou nestes dias, boa parte do cast de atrações do evento que reúne mais de 20 mil pessoas a cada edição. Em 2016, já estão confirmados os nomes de Gabriela Rocha, a dupla André e Felipe e, a estréia do Preto no Branco em palcos baianos.

A Sony Music é uma das apoiadoras do evento que neste ano mais uma vez será realizado no Parque de Exposições em Salvador. No dia 28 de maio, a organização do Clama Bahia realizará um coquetel de apresentação do projeto que contará com a presença da imprensa, lideranças, lojistas, políticos e celebridades. Maiores informações pelo site oficial do evento, http://clamabahia.com.br/

Novo projeto de Paulo César Baruk em breve nas lojas e plataformas digitais


88875195642 (2).jpg

Contagem regressiva para o lançamento do mais novo projeto do cantor Paulo César Baruk, "Graça ao Vivo". No dia 27 de maio, o vídeo da canção "Santo Espírito" será oficialmente disponibilizada no canal VEVO do artista. No mesmo dia, as rádios de todo o país receberão com exclusividade este mesmo single para inserir em suas programações e, também no dia 27, as plataformas do iTunes e Google Play lançarão a pré-venda do álbum com preço promocional e ainda a liberação da faixa-bônus do single. No dia 03 de junho, todas as plataformas digitais disponibilizarão o álbum completo. A expectativa é de que o produto em CD e DVD chegue às lojas de todo o Brasil até o dia 30 de maio.

A primeira canção escolhida para ser trabalhada junto às mídias e o público conta com a participação especial de Leonardo Gonçalves. Na verdade, o projeto 'Graça ao Vivo" conta com muitas participações especiais como o próprio Gonçalves, Lito Atalaia, Juliano Son (Livres), Samuel Mizrahy, Gerson Borges, Daniela Araújo, entre outros. O repertório do projeto conta com músicas do álbum "Graça"além de canções inéditas. O DVD foi gravado na Assembléia de Deus do Bom Retiro em São Paulo e contou com a direção de vídeo de Hugo Pessoa.

Já nos próximos dias, Baruk estará intensamente dedicado ao processo de divulgação e promoção do projeto. Várias iniciativas estão sendo desenvolvidas como entrevistas, pocket shows, promoções, tardes de autógrafos, turnês de divulgação e em breve, a assessoria do cantor e da gravadora estarão confirmando as datas.






Bruna Moura

Damares participa do Domingo Legal do SBT

Damares participa do Domingo Legal do SBT

DOMINGO LEGAL.jpg

No próximo domingo (22), a cantora Damares estará mais uma vez no palco do Domingo Legal no SBT. A cantora estará cantando seus sucessos e contando mais novidades de seu novo trabalho que em breve será lançado pela Sony Music. Todo mundo ligado!


Gospel l Sony Music

Ministro da Saúde quer igrejas no debate sobre aborto

  • O ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante entrevista
    O ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante entrevista
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou que quer envolver as igrejas na discussão sobre aborto no Brasil.
O ministro reconheceu que o país enfrenta um problema relacionado ao tema, com grande número de procedimentos realizados de forma inadequada e muitas mortes. "Como é o crack. É uma entre outras mazelas que precisam ser cuidadas pelo poder público", disse.
Deputado federal licenciado e ex-relator do orçamento, Barros já tem definido o valor que vai pedir numa reunião programada para a quarta-feira (18), com o ministro do Planejamento, Romero Jucá: R$ 14 bilhões, recursos que já estavam previstos para a pasta, acrescidos de pagamentos a prestadores de serviço e fornecedores que não foram quitados em anos anteriores. A seguir, principais trechos da entrevista.
Como o senhor pretende tratar o tema do aborto?
Ricardo Barros - Esse é um tema delicado. Recebi a informação de que é feito 1,5 milhão de abortos por ano. Desse total, 250 mil mulheres ficam com alguma sequela e 11 mil vão a óbito. Esse é um tema que vou estudar com muito carinho com nossa equipe. Vou ver com o governo qual será nossa diretriz para agir nessa direção. Essa é uma decisão de governo. Não de um ministério, algo que possa ser decidido individualmente.
O senhor considera aborto um problema de saúde pública?
Esse é um problema que existe e precisa ser cuidado. Como é o crack. Como tantas outras mazelas da sociedade que precisam ser cuidadas pelo poder público. Mas a maneira como vamos abordar isso vai depender de discussões. Vamos ter de conversar com a igreja. A decisão do ministério não deve provocar resistência ou discussão. Temos de ajustar. Antes de propor uma política para isso, vamos ter de realizar um diálogo muito amplo.
Não há um risco de se demorar muito tempo para que um consenso seja alcançado? O senhor trabalha com algum prazo?
Se você acompanhar o meu ritmo, vai saber que o longo prazo para mim é muito rápido. Farei essa interlocução muito rapidamente. A primeira ação será ouvir. Isso vale para vários assuntos.
O senhor tem como meta uma gestão de consenso?
Vou ouvir o máximo que eu puder para que toda ação do ministério seja um pacto, não apenas uma proposta. Vou propor algo que quem está lá na ponta vai praticar. Para não ficar uma coisa como o ministro sugere e depois provoca discussão, não é feito. Vou combinar especialmente com prefeitos. Visitarei todos os Estados.
O governo vai regulamentar a lei que libera o uso da fosfoetanolamina, a pílula do câncer?
Há possibilidade de que seja regulamentada por meio de decreto. Mas será decisão do governo.
De todas demandas ouvidas, qual é a prioridade?
Há dificuldade de financiamento. Vou ouvir os prefeitos, temos de fazer uma articulação ampla. E fazer algo que possa alcançar o maior número de pessoas. Vou tratar gestão, governança, prevenção e informação. A prioridade hoje é informação. Quero ter a capacidade de saber como cada real do SUS é gasto, online.
O senhor falou em pôr em prática o Cartão SUS, algo que é proposto há pelo menos 15 anos. Há dinheiro para isso? Por que isso não foi em frente?
Os recursos disponíveis no DataSus deverão ser redirecionados para essa tarefa. Se conseguir informatizar toda estrutura do SUS saberei como cada cidadão é atendido. Resolveremos o problema dos cartões duplicados. Hoje existem cerca de 300 milhões, número muito acima da nossa população. O sistema já foi implementado, mas precisa ser aprimorado para que duplicações desapareçam. É o mesmo problema da Cédula de Identidade, que pode ser feita em 27 Estados.
Qual a verba que o senhor pleiteia para levar adiante seus projetos no ministério?
Na quarta à tarde vou falar com ministro do Planejamento, Romero Jucá. Vou pedir que o que está no orçamento seja cumprido. Nem um centavo a mais. E vou pedir restos a pagar (dívidas adquiridas com prestadores de serviços e fornecedores que não foram pagas até o momento). Eu gostaria de ter recursos para cumprir tudo o que está contratado e cumprir os restos a pagar. Não sei se o ministro vai conseguir. Ele terá de discutir com o Congresso Nacional a meta fiscal deste ano. E essa proposta terá de refletir todas as demandas que ministros estão apresentando para ele. Esse dinheiro vai ter de ser emprestado. Vai ser necessário emitir letras do Tesouro para pagar essa conta.
As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Violência islâmica mata muitos cristãos na República do Congo


Na República do Congo, militantes islâmicos são suspeitos de matar cerca de 40 aldeões no extremo leste do país, de acordo com os relatórios da Portas Abertas. Várias facções apareceram armadas com machados na aldeia que fica na província de Kivu, no meio da noite. "Eles chegaram prontos para matar e tinham se organizado para isso, pois conheciam as posições do exército e conseguiram invadir várias áreas protegidas. Pessoas foram atacadas dentro de suas próprias casas. Pessoalmente, eu vi pelo menos 16 pessoas que morreram violentamente", conta uma das testemunhas à agência de notícias France-Presse.
Não houve critérios para os assassinatos, morreram desde as crianças até os aldeões mais idosos. A aldeia era de maioria cristã. "A cena agora é desoladora, centenas de pessoas estão deslocadas. Vi famílias levando caixões pela estrada, muitas pessoas carregando seus pertences, de carro, moto e até mesmo a pé, indo embora daquele pesadelo. Um lugar onde havia uma comunidade próspera agora parece uma cidade fantasma", comenta uma fonte local. A região é muito conhecida pelos assassinatos e sequestros que ocorrem rotineiramente. "Dizem que os grupos extremistas atuantes no país têm o apoio do governo islâmico do Sudão. Essa é uma afirmação feita pelo governo de Uganda e apoiada por fontes diplomáticas ocidentais", comenta um dos analistas de perseguição.
A população da região atingida é predominantemente cristã (95,8%) e o impacto sobre eles tem sido imenso. Após este último ataque, as pessoas ficaram muito amedrontadas, poucas manteram a esperança de recomeçar suas vidas no mesmo local. Em uma carta divulgada há um ano, os líderes religiosos da província de Bukavu denunciaram os ataques, a passividade do Estado e também da comunidade internacional. Um dos líderes chegou a questionar "será que vão deixar essa situação piorar ainda mais e ninguém vai tomar as medidas necessárias contra o jihadismo?". Enquanto isso, as bases de treinamento dos extremistas estão sendo instaladas para a imposição dos "surtos do fundamentalismo religioso". 
Pedidos de oração
- Ore pela igreja no Congo e interceda pelos cristãos que estão sofrendo com o aumento da perseguição religiosa no país.
- Peça ao Senhor para que dê estratégias aos líderes que dirigem ministérios no país e que eles continuem pregando a Palavra.
- Ore também para que Deus alcance os corações dos perseguidores e que eles se arrependam por tantos males causados a pessoas inocentes.

Pastor que tinha se livrado de pena de morte é preso novamente no Irã


O pastor Yousef Nadarkhani - líder de uma igreja doméstica no Irã - foi preso pelas autoridades locais, junto com sua esposa e um membro de sua igreja na última sexta-feira (13). As informações são da organização 'Christian Solidarity Worldwide' ('CSW'), com sede no Reino Unido.
Yousef já tinha sido condenado à morte em 2012 por enforcamento sob acusação de ter cometido o crime de apostasia, mas foi posteriormente absolvido no ano seguinte.
"Estamos profundamente preocupados com esta notícia e aguardamos esclarecimentos adicionais sobre as razões para que tenham sido feitas estas detenções", disse o chefe executivo da 'CSW', Mervyn Thomas, referindo-se à prisão do pastor de 37 anos de idade, sua esposa Tina Pasandide Nadarkhani e o membro de sua igreja, Yasser Mosayebzadeh.
Histórico
O pastor foi inicialmente preso em outubro de 2009, por supostamente ter protestado contra uma tarefa dada pela escola de seus filhos, que exaltaria o islamismo e depois por ter tentado registrar sua igreja. Ele foi condenado por apostasia em novembro de 2010, com uma pena de morte por enforcamento. No entanto, o Supremo Tribunal do Irã pediu um novo julgamento do seu caso por um tribunal de primeira instância em Rasht.
Em junho de 2010, as autoridades também prenderam sua esposa para pressionar o pastor a se converter ao islamismo. Nadarkhani e sua esposa também foram ameaçados de que seus filhos seriam tirados do casal e seriam entregues a uma família muçulmana, mas ambos não negaram sua fé cristã. Tina Pasandide foi liberta posteriormente.
Durante as audiências, realizadas em Setembro de 2011, Nadarkhani foi informado pelas autoridades iranianas que ele teria três oportunidades de se converter ao islamismo e renunciar a sua fé no cristianismo e assim, ter as acusações contra ele retiradas. Mas ele recusou a proposta.
Após a libertação de Nadarkhani, o seu advogado, Mohammed Ali Dadkhah, um proeminente jurista de direitos humanos foi condenado a 10 anos e expulso em setembro de 2012 por "ações e propaganda contra o regime islâmico" além de manter "livros proibidos" em sua casa. Ele também foi proibido de praticar ou ensinar sobre o Direito por 10 anos. Mais tarde, ele foi liberto sob condições rigorosas de vigilância.
"Infelizmente, não é incomum que os cristãos que foram presos por causa de suas crenças religiosas sejam libertos e presos novamente, tempos depois. Essa é uma tática concebida para fomentar um sentimento de insegurança dentro da comunidade", disse Thomas.
"Exigimos que as autoridades assegurem ao pastor Nadarkhani, Tina Nadarkhani e Yasser Mosayebzadeh que eles enfrentarão um processo justo e mais uma vez chamamos o Irã a respeitar plenamente suas obrigações constitucionais e internacionais de direitos humanos, garantindo que a justiça e a igualdade perante a lei sejam garantidos a todos os cidadãos, independentemente da sua religião ou crença".
O Irã tem um histórico de respeito aos direitos civis e políticos extremamente pobre.
A Anistia Internacional registou cerca de 700 execuções, incluindo as dos membros de minorias étnicas e religiosas, condenados por "inimizade contra Alá" em pouco mais de seis meses no ano passado, dentro da nação muçulmana xiita. Pessoas tem sido ameaçadas de morte e executadas até mesmo durante o Ramadã - "mês sagrado" para os islâmicos.

VERGONHA PARA O PARANÁ - Senador elogia Hitler e cita Alemanha nazista como exemplo positivo para o Brasil

Senador Roberto Requião
Senador Roberto Requião

Senador Roberto Requião elogiou a administração de
Hitler e afirmou que a Alemanha nazista deve servir de exemplo
positivo para o Brasil sair da crise. Assista ao vídeo: acesse.

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...