segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Pastor canadense preso na Coreia do Norte cava buracos o dia todo

Hyeon Soo Lim durante seu julgamento nesta quarta-feira (16) na Coreia do Norte (Foto: Jon Chol Jin/AP)Hyeon Soo Lim durante seu julgamento na Coreia do Norte (Foto: Jon Chol Jin/AP)
O pastor canadense de 60 anos condenado na Coreia do Norte à prisão perpétua com trabalhos forçados afirma em uma entrevista à rede de televisão CNN que todos os dias cava buracos em uma prisão na qual é o único recluso.
O pastor Hyeon Soo Lim, de 60 anos, afirmou que custou a se adaptar a esta nova vida após sua condenação no mês passado por tentativa de derrubar o regime.
"Nunca fui operário, então no início estes trabalhos eram duros", explicou Lim em uma entrevista gravada em um hotel de Pyongyang.
Vestido com um traje cinza de presidiário marcado com a matrícula "036", Hyeon Soo Lim, com a cabeça raspada, chegou ao quarto conduzido energicamente ao seu assento por dois militares norte-coreanos de gestualidade mecânica.
Os dois guardas deixaram o quarto. Lim, que nasceu na Coreia do Sul, mas fala e entende inglês, explicou que pediram que desse a entrevista em coreano, o que o levava a pensar que seria estreitamente vigiado.
Lim foi detido em janeiro de 2015 pelas autoridades norte-coreanas depois de entrar no país a partir da China. Os fatos concretos que sustentaram a acusação nunca foram esclarecidos.
Segundo a Igreja presbiteriana coreana da Luz de Toronto, onde atuava, Lim estava realizando uma missão puramente humanitária na Coreia do Norte. Estava acostumado às viagens no país, onde agia principalmente em orfanatos.
Pyongyang afirmou que Lim havia reconhecido todas as acusações que pesavam contra ele, incluindo ter "difamado abominavelmente" o sistema e o líder norte-coreano.
Na entrevista da CNN, Lim explicou que é obrigado a trabalhar oito horas diárias, seis dias por semana, e que seu trabalho consiste em cavar buracos em uma horta.
Afirma que recebe tratamento médico, três refeições diárias, e que espera obter a bíblia que pediu.
"Todos os dias rezo pelo país e pelo povo, rezo para que o Norte e o Sul se reunifiquem, para que uma situação como a minha não aconteça mais", declara.
Ao fim da entrevista, que durou cerca de uma hora, os guardas foram buscar o preso.
Pyongyang encara missionários estrangeiros com grande suspeita, embora permita algumas atividades humanitárias.
O Canadá condenou no mês passado a pena "excessivamente severa" pronunciada contra seu cidadão.
Certo número de religiosos cristãos, em sua maioria americanos de origem coreana, foram detidos na Coreia do Norte. Alguns puderam retornar ao seu país após a intervenção de políticos americanos de alto escalão.

O futuro do cristianismo está na África: mais da metade dos africanos já se dizem cristãos


Imagem redimensionada

O futuro do cristianismo é africano. O centro de gravidade da religião mais popular do mundo está se deslocando em direção ao local de nascimento da própria humanidade

Roma, e por extensão a Europa, tem sido o centro do cristianismo desde que o imperador Constantino se converteu à religião, de acordo com a tradição cristã. Dois milênios depois, o cristianismo é a religião mais popular do mundo – há 30% mais cristãos no mundo do que muçulmanos, por exemplo, e a Europa ainda é o continente com a maior população cristã.

No entanto, os padres e ministros europeus estão pregando em igrejas cada vez mais vazias. Apenas 10% dos adultos na França e na Suécia vão à igreja uma vez por mês ou mais. Na Irlanda, a frequência regular caiu de 90% em 1990 para 60% em 2009. O encolhimento das congregações levou a Igreja da Inglaterra, uma das maiores proprietárias de terras da Grã-Bretanha, a fechar 1.900 igrejas desde 1969, ou 11% do total.

Embora a imigração tenha aumentado a parcela não-cristã da população europeia, a maior parte da perda de devotos cristãos se deve ao aumento do secularismo e a uma tendência entre os jovens de favorecer a “espiritualidade” individual sobre a religião organizada. Os dados da pesquisa European Social Survey (ESS), que entrevistou 55 mil europeus em 29 países em 2012, mostram que cerca de um terço dos europeus que se consideram cristãos dizem que freqüentam missas uma vez por mês ou menos. Em toda a Europa cerca de 190 milhões de pessoas vão à igreja regularmente a partir de uma população cristã nominal de 585 milhões.

Por outro lado, os africanos subsaarianos estão abraçando o evangelho com o zelo dos convertidos. De acordo com o Centro para o Estudo do Cristianismo Global do Seminário Teológico Gordon-Conwell, em 1910, apenas 9% das 100 milhões de pessoas no continente africano eram cristãos; hoje, a participação é de 55% de uma população de um bilhão.

Além disso, dados do World Values ??Survey (WVS), que abrange 86 mil pessoas em 60 países, indicam que eles são muito devotos: em cinco países da África Subsariana para os quais existem dados disponíveis (Gana, Nigéria, Ruanda, África do Sul e Zimbábue), 90% das pessoas que se autodenominam cristãs também disseram que frequentam a igreja regularmente. Se essas nações são representativas da região como um todo, então talvez 469 milhões de devotos cristãos agora vivem na África. Outros 335 milhões ou mais de cristãos vivem na América Latina, três quintos mais do que na Europa.

A África Subsaariana não é apenas o lar de cristãos mais devotos do mundo; ela também é a região com a população de mais rápido crescimento do planeta. E sua pobreza enraizada significa que, mesmo se a região experimentar décadas de rápido desenvolvimento econômico, é improvável que ela alcance os níveis de riqueza que tendem a corresponder a um aumento da secularização.


Fonte: Opinião & Notícia

Cristão nigeriano escreve uma carta de encorajamento aos demais líderes na Nigéria


Cristão nigeriano escreve uma carta de encorajamento aos demais líderes na Nigéria
"Eu sempre encorajei minha congregação dizendo que nada neste mundo acontece sem o consentimento de Deus. Nossos passos e nossos dias são contados por Ele. Por isso, devemos ser pacientes na tribulação e ouvir a voz do Senhor a nos guiar, porque ele é o único que pode encontrar soluções para os nossos problemas", escreveu o líder nigeriano.
Para ele, tudo o que está acontecendo no mundo está debaixo da vontade de Deus e é preciso ter o revestimento do Espírito Santo para suportar. "Os líderes não podem desistir, por pior que seja a situação. Estamos em guerra, mas temos a paz de Cristo dentro de nós. Se você, como líder, desistir, o que as outras pessoas aprenderão com você. Seja forte o tempo todo", aconselha ele.
"Leiam a história de Jó, ele mesmo disse à sua esposa que se aceitamos o bem de Deus, devemos também aceitar o dia mal. Quando eu leio o salmo 23, eu tenho certeza de que somente Deus pode me proteger, ninguém mais, e essa é a base da minha fé. Eu vejo muitos cristãos desistindo, até mesmo em nossa igreja, e eles voltam para o mundo muçulmano por medo de morrerem pelo evangelho de Cristo, mas eu penso que a dignidade cristã consiste em perseverarmos até o fim, porque não importa como foi que começamos, importa se vamos terminar como vencedores, é esse o propósito de Jesus para cada um de nós", finaliza o líder.

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...