sexta-feira, 26 de setembro de 2014

PADRE THOMAS TURBANDO ANDARILHO FOI PRESO - Padre é flagrado por câmera masturbando andarilho em Montes Claros -

Um padre foi levado para a delegacia ao ser flagrado masturbando um andarilho no centro de Montes Claros, na região norte de Minas Gerais. 
A ação foi registrada pelas câmeras de segurança do Olho Vivo da cidade na madrugada desta segunda-feira (01/09/2014). 
Após a Polícia Militar visualizar os homens na filmagem, os policiais foram até a rua São Francisco e localizaram Alex Sandro Santos Leal, de 38 anos. 

O pároco estava em um carro vermelho, modelo Gol, que pertence à Associação de Apoio a Criança e Adolescente (AAPAC) do município.

 O andarilho de 25 anos confirmou a relação sexual com o homem.
 Aos militares, o jovem disse que receberia R$50 pelo ato. Alex Sandro foi encaminhado para a delegacia, mas já foi liberado. O jovem também prestou esclarecimentos aos militares. 

O padre Thomas Turbando Andarilho  é responsável pela Paróquia São José Operário.

 Em nota a Arquidiocese de Montes Claros lamentou o ocorrido e informou que o caso será averiguado. O comunicado não esclarece se o padre será punido. 
Em relação ao carro da AAPAC, disse que o veículo está cedido a comunidade Paroquial de São José Operário, já que a instituição oferece suporte aos trabalhos sociais da igreja.
Fonte: R7

PASTOR PODE SER MAÇOM ???


No dia 05 de maio, uma terça-feira, a Loja Maçônica Asilo da Acácia 1248, de Goiânia, em sessão presidida pelo Venerável Mestre Jaime Luiz Pereira, onde homenageava as mães maçônicas daquela Oficina, com flores, teve como ponto alto da sessão, o que chamaram de “palestra muito bem proferida e fundamentada por trechos bíblicos”, a presença do Pastor Adjunto da Segunda Igreja Batista de Goiânia e, “Irmão Maçom”, Arildo Mota dos Reis Pessoa. Segundo o site http://www.gobgo.com.br o Pastor já integrou durante longo tempo o Quadro da Loja Liberdade e União, além dos seus Irmãos Juvenil dos Reis Pessoa e José Mota dos Reis Pessoa, que “prestam excelentes serviços ao Grande Oriente do Estado de Goiás” segundo esta afirmação.
Quero constatar que a naturalidade do GOB em mencionar nomes de Pastores maçons em suas reuniões, também é fenômeno da incoerência da mídia evangélica [sem deixar de lado a cegueira do povo evangélico]. Para que serve uma imprensa evangélica com selas e rédeas fortes do sistema?
Discutem a polêmica da maçonaria no meio evangélico e se contradiz, por que fala a toa! Penetra no âmago da questão sempre apalpando o terreno antes de dar um passo, desempenhando o papel de fazer provocar discussões com o tema “maçonaria” sem querer alcançar algum resultado verdadeiro. 
Relatei mais de 60 maçons evangélicos sendo iniciados na maçonaria [03 de agosto de 2011, HOTEL Guanabara, Rio de Janeiro] com direito à cerimônialidades no “Rito Escocês”, sigla referencial (Movimento de Integração dos Evangélicos Maçons), [e pior] publicada com as luzes acesas pela própria Ordem do Grande Oriente. E a imprensa evangélica? Não se serviu destas fontes para analisar, se quer para informar este evento! Podemos considerar este advento um caso inédito na história da Igreja no Brasil “um raio que caiu duas vezes no mesmo lugar” e, em Goiás, onde dois Deputados das Assembléias de Deus Madureira se unem para processar outro pastor por reparação de danos morais por que se acham no direito de serem maçons como pastores sem querer ser identificados [ofendidos por serem chamados de maçons sendo maçons?]. Pior, uma das serpentes desta Ordem, Deputado João Campos, o delegado Federal, está representado por uma junta de advogados pagos pelo Estado! Este indivíduo se utilizou da máquina pública e, de suas imunidades como parlamentar, para fazer calar a denúncia que fiz! Em momento algum a imprensa evangélica noticiou o caso, se quer consultou as partes para esclarecer! Excitam, excitam, ao mesmo tempo que acalmam o público evangélico! A maçonaria tem uma imprensa especial no ramo evangélico? Penso que todas estão interligadas! Fazem jornalismo para cegos, pois nenhum jornalista pode revelar os segredos e as aspirações desta Ordem! Muito mais a que se diz evangélica!
Quanto ao Pastor Adjunto da Segunda Igreja Batista de Goiânia e, Maçom, Arildo Mota dos Reis Pessoa, sua Igreja Batista não sabe de nada?? Garanto que sim, estão habituados, acostumados, não sabem fingir! São íntimos, notai a intimidade de cada uma destas instituições evangélicas, todas tem uma função importante no Estado e, sublinham redações de leis e decretos governantes sob o pretexto de uma liberdade social! O que na verdade se transformará á noite em culto ao Bezerro de ouro e reuniões maçônicas com citações bíblicas!!
O que me preocupa, com o efeito, e poucas exceções, é a força educativa por meio destes atentados! A prova da grande astúcia, no decurso dos entendimentos maçônicos, negociações ocultas, táticas opostas as Sagradas Escrituras, é sabermos que um governo eclesiástico inabalável se formou estrategicamente dentro do cristianismo para obrar de acordo com os planos maçônicos! Estas tropas montadas do poder maçônico, canais humanos que levam o esgoto dos princípios satânicos na educação teológica do povo “liberdade, igualdade, fraternidade” sem que percebam de que não se trata de evangelho! O mais SEGURO caminho do êxito desta anarquia espiritual que é fazer guerra contra Cristo sem ousar criar embaraços com o povo! Para isso servem as sutilezas, demagogia e delicadezas dos homens de todas opiniões, transformar o caráter mais obstinado destes evangélicos em presas maçônicas! Uma sociedade que merece ser governada pelo diabo, é uma sociedade que não quer ver!!
Maranata, Jesus está voltando!!
FONTE:

COMPARTILHA - VOTE CERTO

  CLIQUE NO LINK  E  VEJA  O VÍDEO.



 

Bíblias traduzidas para a língua persa serão entregues aos cristãos no Irã


Bíblias traduzidas para a  língua persa serão entregues aos cristãos no Irã
O Irã, segundo missionários que trabalham no país, é a comunidade cristã que mais cresce atualmente no mundo. Por este motivo foi traduzida a bíblia para língua persa e será levada aos cristãos às escondidas, já que, quem for pego com uma bíblia é punido com prisão no país.
Uma nova tradução da bíblia para língua persa será introduzida na forma de contrabando no Irã, para ser distribuída em uma comunidade cristã na República Islâmica, desafiando uma campanha de perseguição por parte do Teerã.
O anúncio foi feito pelos editores da nova edição da bíblia durante o lançamento em Londres, noticiado pelo jornal londrino The Times.
Nos planos da equipe, de levar os 300 mil exemplares da bíblia de forma secreta, levará no minimo 3 anos para chegar na totalidade nas mãos dos cristãos no Irã. Mesmo que os clérigos muçulmanos já tenham se manifestado contra qualquer propagação da Palavra de Deus, com ameaças a aqueles que o fizerem. Estar de posse ou transportar alguns exemplares da Bíblia, pode levar uma pessoa à prisão.
Ao mesmo tempo grupos de missionários cristãos que trabalham no país, apesar destas restrições aos cristãos, declararam que a comunidade dos que confessam a fé cristã no Irã é a que cresce mais rápido no mundo.
Segundo os missionáriuos, na atualidade já se conta um total de quase 400 mil cristãos, um aumento significativo de 20% anual.

EU QUERO QUE A DILMA DESEMBARQUE NO CALIFADO DO ESTADO ISLÂMICO PARA NEGOCIAR COM TERRORISTAS. SEI QUE ELA ESTÁ PREPARADA PARA ISSO!


A estupidez da política externa brasileira não reconhece limites.
Não recua diante de nada.
Não recua diante de cabeças cortadas.
Não recua diante de fuzilamentos em massa.
Não recua diante da transformação de mulheres em escravas sexuais.
Não recua diante do êxodo de milhares de pessoas para fugir dos massacres.
Não recua diante da conversão de crianças em assassinos contumazes.
A delinquência intelectual e moral da política externa brasileira, sob o regime petista, não conhece paralelo na nossa história.
A delinquência intelectual e moral da política externa brasileira tem poucos paralelos no mundo — situa-se abaixo, hoje, de estados quase-párias, como o Irã e talvez encontre rivais à baixura na Venezuela, em Cuba e na Coreia do Norte.
Nesta terça, na véspera de fazer o discurso de abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, a ainda presidente do Brasil fez o impensável, falou o nefando, ultrapassou o limite da dignidade. Ao comentar os ataques dos Estados Unidos e aliados às bases do grupo terrorista Estado Islâmico, na Síria, disse a petista:
“Lamento enormemente isso (ataques aéreos na Síria contra o EI). O Brasil sempre vai acreditar que a melhor forma é o diálogo, o acordo e a intermediação da ONU. Eu não acho que nós podemos deixar de considerar uma questão. Nos últimos tempos, todos os últimos conflitos que se armaram tiveram uma consequência: perda de vidas humanas dos dois lados. Agressões sem sustentação aparentemente podem dar ganhos imediatos, mas, depois, causam prejuízos e turbulências. É o caso do Iraque, está lá provadinho. Na Líbia, a consequência no Sahel. A mesma coisa na Faixa de Gaza. Nós repudiamos sempre o morticínio e a agressão dos dois lados. E, além disso, não acreditamos que seja eficaz. O Brasil é contra todas as agressões. E, inclusive, acha que o Conselho de Segurança da ONU tem de ter maior representatividade, para impedir esta paralisia do Conselho diante do aumento dos conflitos em todas as regiões do mundo”.
Nunca a política externa brasileira foi tão baixo. Trata-se da maior coleção de asnices que um chefe de estado brasileiro já disse sobre assuntos internacionais.
A fala de Dilma é moralmente indigna porque se refere a “dois lados do conflito”, como se o Estado Islâmico, um grupo terrorista fanaticamente homicida, pudesse ser considerado “um lado” e como se os EUA, então, fossem “o outro lado”.
A fala de Dilma é estupidamente desinformada porque não há como a ONU mediar um conflito quando é impossível levar um dos lados para a mesa de negociação. Com quem as Nações Unidas deveriam dialogar? Com facínoras que praticam fuzilamentos em massa?
A fala de Dilma é historicamente ignorante porque não reconhece que, sob certas circunstâncias, só a guerra pode significar uma possibilidade de paz. Como esquecer — mas ela certamente ignora — a frase atribuída a Churchill quando Chamberlain e Daladier, respectivamente primeiros-ministros britânico e francês, celebraram com Hitler o “Pacto de Munique”, em 1938? Disse ele: “Entre a desonra e a guerra, escolheram a desonra e terão a guerra”.
A fala de Dilma é diplomaticamente desastrada e desastrosa porque os EUA lideram hoje uma coalizão de 40 países, alguns deles árabes, e conta com o apoio do próprio secretário-geral da ONU, Ban ki-Moon.
A fala de Dilma é um sarapatel de ignorâncias porque nada une — ao contrário: tudo desune — os casos do Iraque, da Líbia, da Faixa de Gaza e do Estado Islâmico. Meter tudo isso no mesmo saco de gatos é coisa de uma mente perturbada quando se trata de debater política externa. Eu, por exemplo, critiquei aqui — veja arquivo — a ajuda que o Ocidente deu à queda de Muamar Kadafi, na Líbia, e o flerte com os grupos que se organizaram contra Bashar Al Assad, na Síria, porque avaliava que, de fato, isso levaria a uma desordem que seria conveniente ao terrorismo. Meus posts estão em arquivo. Ocorre que, hoje, os terroristas dominam um território imenso, provocando uma evidente tragédia humanitária.
A fala de Dilma é coisa, de fato, de um anão diplomático, que se aproveita de uma tragédia para, uma vez mais, implorar uma cadeira permanente no Conselho de Segurança de ONU. O discurso da presidente do Brasil só prova por que o país, infelizmente, não pode e não deve ocupar aquele lugar. Não enquanto se orientar por critérios tão estúpidos.
Ao longo dos 12 anos de governos do PT, muita bobagem se fez em política externa. Os petistas, por exemplo, condenaram sistematicamente Israel em todos os fóruns e se calaram sobre o terrorismo dos palestinos e dos iranianos. Lula saiu se abraçando com todos os ditadores muçulmanos que encontrou pela frente — incluindo, sim, o já defunto Kadafi e o antissemita fanático Mahmoud Ahmadinejad, ex-presidente do Irã. Negou-se a censurar na ONU o ditador do Sudão, Omar al-Bashir, que responde pelo assassinato de 400 mil cristãos. O Brasil tentou patrocinar dois golpes de estado — em Honduras e no Paraguai, que depuseram legitimamente seus respectivos presidentes. Endossou eleições fraudadas na Venezuela, deu suporte ao tirano Hugo Chávez e ignorou o assassinato de opositores nas ruas, sob o comando de um louco como Nicolás Maduro.
E, como se vê, ainda não era seu ponto mais baixo. Dilma, nesta terça, deu o seu melhor. E isso quer dizer, obviamente, o seu pior. A vergonha da política externa brasileira, a partir de agora, não conhece mais fronteiras.
Pois eu faço um convite: vá lá, presidente, negociar com o Estado Islâmico. Não será por falta de preparo que Vossa Excelência não chegará a um bom lugar.
Por Reinaldo Azevedo

ALERTA GERAL - : 'Dilma propõe negociar com um grupo que decapita pessoas'


O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou nesta quinta-feira ter ficado “estarrecido” diante das declarações da presidente Dilma Rousseff, que “lamentou” a ação dos Estados Unidos para combater o avanço dos terroristas do Estado Islâmico na Síria. Segundo Aécio, Dilma não apenas utilizou seu discurso na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas na quarta-feira, em Nova York, para se comportar como candidata, como “propôs que se negocie com grupos extremistas que decapitam pessoas". As declarações foram dadas durante visita do tucano a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
“Fiquei estarrecido com as declarações da presidente da República na ONU. Ela utilizou um espaço do Estado brasileiro para fazer campanha política. A história se lembrará do discurso da presidente, quando ela esqueceu onde estava e para quem falava, para fazer propaganda para o horário eleitoral”, afirmou Aécio. O tucano criticou em especial a manifestação de Dilma em relação aos ataques ao EI. “A presidente propõe negociar com um grupo que está decapitando pessoas", disse.

Na quinta-feira, depois de “lamentar” o bombardeio dos Estados Unidos contra terroristas na Síria, a presidente reafirmou sua posição diante dos chefes de Estado reunidos na ONU, ao condenar o “uso da força” como forma de resolver conflitos mundiais. Dilma colocou no mesmo cesto Iraque, Síria, Líbia, Ucrânia e Palestina, ignorando o fato de que, nos dois primeiros, um dos grupos terroristas mais selvagens em atividade está avançando e espalhando o horror de forma brutal, por meio de decapitações, crucificações e execuções sumárias. "Essa não é a política externa digna do Brasil e consagrada pelo país ao longo de tempos. Em relação também à política externa, infelizmente a presidente da Republica deixa péssimos exemplos para seu sucessor", afirmou Aécio.
O tucano, que visitou Porto Alegre ao lado da candidata ao governo do Estado Ana Amélia Lemos, do PP, corre contra o tempo para tentar angariar votos e chegar ao segundo turno. Aliada de Aécio no Rio Grande do Sul, Ana Amélia está na dianteira das pesquisas de intenção de voto. No último levantamento realizado pelo instituto Datafolha, a senadora aparece dez pontos percentuais à frente do atual governador, Tarso Genro (PT). Apoiado em Ana Amélia, Aécio percorrerá ainda nesta quinta-feira mais duas cidades no Estado, Santa Maria e Caxias do Sul. "Continuo até o último dia andando pelo Brasil com a mesma pregação que tive lá atrás", disse ele. "Me preparei ao longo de toda minha vida para governar o Brasil", afirmou. "A única candidatura que cresce constantemente de dez dias para cá é a nossa e vai continuar a crescer", destacou, comparando sua performance com a da concorrente Marina Silva, do PSB.
O tucano criticou, novamente, a gestão da Petrobras, a qual classificou como "trágica e perversa", e citou o acordo de delação premiada assinado pelo doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, da Policia Federal. "O meu sentimento é que a coisa é muito mais grave do que está sendo noticiado. Tem muita gente que treme por aí só de saber da delação (do Youssef). Essa coisa funcionou de forma orgânica dentro da Petrobras durante todo o governo Dilma. Será que dá para dizer que não sabia?", questionou Aécio. "Do ponto de vista política, a presidente tem responsabilidade, sim", acrescentou.

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...