segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Culto ateu tem ceia com biscoitos


Culto ateu tem ceia com biscoitosCulto ateu tem ceia com biscoitos
No final da Assembleia de Domingo, o culto ateu realizado em Londres, os participantes comungam com biscoitos, leite, café e chá.
A reunião não religiosa é uma cópia de cultos e missas, a diferença é que não há um deus para ser adorado.
A cerimônia é coordenada pelo humorista Sanderson Jones, criador do culto ateísta que já tem templos em diversos países, e tem momentos musicais, de reflexão, de palestras e até mesmo de ofertar.
O jornalista Leandro Colon, da Folha de São Paulo, acompanhou a última reunião dos ateus e falou sobre alguns momentos desse “culto”.
Na hora da oferta Sanderson chegou a sugerir o valor a ser doado. “Sugerimos doações de 3 a 5 libras (R$ 12 a R$ 20), algo assim, ou o que você puder. Obrigado pela generosidade”, disse.
A palestra do dia foi dada por um neurocientista que falou sobre o poder da mente, sobre o fenômeno da sinapse, como controlar sensações e sentimentos.
Uma jovem ficou responsável em dividir sua experiência de vida falando como superou um dano cerebral, algo parecido com o momento de testemunho promovido pelas igrejas.
Sanderson Jones não gosta do termo “culto ateísta” e explica que a ideia em criar a Assembleia de Domingo surgiu há seis anos, durante o Natal. Seu lema é “não acredito em Deus, mas no bem” e o espaço é aberto para todos que querem comemorar a vida.
Além de Londres já é possível participar de cultos ateístas nos Estados Unidos e em outros países. No Brasil a Assembleia de Domingo deve ser lançada em setembro, mas o humorista não quis dar detalhes ao repórter.

GP

Rio de Janeiro investirá R$ 1 milhão na construção de “macumbródomo”


Rio de Janeiro investirá R$ 1 milhão na construção de “macumbródomo”Rio investirá R$ 1 milhão na construção de "macumbródomo"
A Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Rio de Janeiro vai criar um espaço exclusivo para rituais de umbanda e candomblé.
O projeto tem como objetivo oferecer um local adequado para a realização desses rituais que são feitos em áreas urbanas causando grande polêmica com seguidores de outras crenças e também com ecologistas, como mostrou uma reportagem da revista Isto É.
Para a construção do “macumbródomo” a Secretaria deve investir R$ 1 milhão. O espaço terá 4.500 m² e estará localizado na Curva do S, no Alto da Boa Vista, zona Norte do Rio de Janeiro.
Nesse local serão construídos 15 recantos decorados com totens cada uma com as características dos orixás, também haverá duas entradas com placas orientando o comportamento dos visitantes, além de 2 banheiros públicos.
O secretário da pasta, Carlos Minc, declara que além do “macumbródomo” outras duas áreas do Rio de Janeiro receberão espaços religiosos. “Dessa forma será possível (aos praticantes) fugir de santuários e parques privados que cobram pela entrada para a prática de cultos”, disse ele.
A Curva do S já é usada por seguidores da umbanda e do candomblé para realizar trabalhos, o problema é que no dia seguinte o espaço fica sujo e ecologistas reclamando do impacto negativo que isso causa no meio ambiente.
No projeto da construção do “macumbródomo” a prefeitura irá pavimentar o espaço, para impedir incêndios, e ainda uma central de tratamento de resíduos. As obras começam agora em fevereiro.
A Mãe Fátima Damas, presidente da Congregação Espírita Umbandista do Brasil (CEUB), apoia a ideia. “O reconhecimento de um espaço para a gente por parte das autoridades acaba com aquela ideia distorcida de que estamos fazendo algo irregular”, disse ela à Isto É.
Mas há outros religiosos que estão desconfiados, como é o caso de Dayse Freitas, diretora cultural da Federação Brasileira de Umbanda. “Apoiamos, desde que não encurralem a gente em um canto cercado e pequeno, sem policiamento”, disse ela.
A antropóloga do departamento de ciências sociais da PUC-Rio, Sônia Giacomini, também comentou o assunto dizendo que a criação do “macumbródomo” não deve proibir que esses religiosos façam suas oferendas em outros lugares.
“Essa permissão só não pode significar a impossibilidade de uso de outros espaços públicos para rituais”, afirmou.

FONTE . GOSPEL PRIME

Igreja em BH suspende missa, e fiéis protestam em frente a paróquia


Ato foi em defesa de frei, após ele não celebrar missa do último domingo. Segundo arquidiocese, Ordem Carmelita administra a Igreja do Carmo.


Fiéis fizeram, neste domingo (2), um protesto na Igreja do Carmo, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O ato ocorreu após uma confusão no último domingo (26), depois que frei Cláudio Van Balen não celebrou a tradicional missa das 11h. Por causa desse problema, a missa deste domingo foi suspensa.

Segundo a Arquidiocese de Belo Horizonte, a Província Carmelita de Santo Elias é a responsável pela administração da igreja. O frei Evaldo Xavier, da Província Carmelita, informou que frei Cláudio não foi afastado e que ele está viajando. Xavier disse ainda que nesta semana haverá uma reunião para discutir a situação na paróquia.

Os fiéis querem a permanência de frei Cláudio. No protesto, o grupo leu manifestos, rezou e cantou. Os fiéis ainda fizeram um abraço simbólico na igreja, que estava com as portas fechadas.

Fonte: G1

Marco Feliciano comenta sobre beijo gay em "Amor à Vida"


Para Feliciano, "já era esperado" que o beijo acontecesse e que não tem muito a dizer porque a cena foi exibida em horário que só adultos assistem à TV, e não crianças.

Conhecido por ser contra a oficialização da união de casais gays, o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) usou seu perfil no Twitter para comentar o beijo entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), no último capítulo de 'Amor à Vida' (Globo), exibido nessa sexta-feira (31).

Open in new window"Jornalistas de todo o Brasil estão me ligando pra saber da cena exibida na novela ontem, sobre um beijo gay. Primeiro, não assisti a novela", escreveu Feliciano em seu Twitter. "Eu estava ministrando para uma multidão de pessoas em Recife onde vidas se renderam à Cristo. Pelo que ouvi falar desta novela já era esperado", acrescentou o ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Feliciano continuou seu desabafo comentando sobre as declarações do escritor da trama, que afirmou ter sido alvo de críticas nas redes sociais.

"Eu teria algo a dizer caso fosse exibido numa programação infantil, pois com estes me preocupo, mas, pelo horário exibido, só adultos viram. Interessante foi ler hoje no blog da 'Época' o escritor desta novela (Walcyr Carrasco) falar que está sofrendo bullying virtual. O convido a ler minha timeline RS [risos]. Fichinha perto do que eu passo", escreveu.

Marco Feliciano terminou a postagem com uma passagem bíblica: "Termino citando Paulo: No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Efésios 6:10".

Fonte: D24AM

Música gospel indicada ao Oscar é desclassificada



Música gospel indicada ao Oscar é desclassificadaMúsica gospel indicada ao Oscar é desclassificada
O filme, produzido pelo pequeno estúdio Enthuse Entertainment, não teve milhões de dólares para fazer campanhas publicitárias e por isso mesmo a indicação surpreendeu a muitos. O assunto foi muito comentado no meio evangélico americano e pastores sugeriram inclusive campanhas de oração para que ela ganhasse o prêmio máximo do cinema. Isso daria visibilidade ao filme, que conta uma história de fé. Ambientado em 1755, mostra a vida de uma família cristã que vê as duas filhas serem sequestradas pelos indígenas durante a colonização dos EUA.
Contudo, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas desclassificou a música na semana passada.  Foi a primeira vez na história da premiação que um indicado é removido da disputa. Ao invés de cinco, agora apenas 4 músicas estão concorrendo: “Happy” (Meu Malvado Favorito 2), “Let it Go” (Frozen – Uma Aventura Congelante”, “The Moon Song” (Ela) e “Ordinary Love” (Mandela).
O problema todo começou quando Bruce Broughton, um dos autores da música, decidiu fazer contato com os membros da Academia, de onde sairão os votos do Oscar. Broughton já foi chefe do comitê executivo do departamento Musical da Academia, e continua sendo um membro votante.
Conhecedor do processo, ele sabia que os produtores de ‘Alone Yet Not Alone” não teriam dinheiro para fazer uma campanha em favor da canção. Por isso, o compositor utilizou seus contatos entre os votantes e enviou um e-mail pedindo que os membros da Academia escutassem a música.
Como algumas pessoas denunciaram a tentativa, Cheryl Boone Isaacs, atual presidente da Academia, emitiu um comunicado oficial dias depois: “Não importa o quanto bem intencionado tenha sido seu comunicado, usar sua posição como antigo chefe e atual membro do comitê executivo para promover sua própria candidatura ao Oscar cria a imagem de uma vantagem injusta”.
Broughton admite ter enviado um e-mail, mas se defende: “Eu não pedi a ninguém para votar em mim. Eu não fiz qualquer campanha para o filme. Não fiz nada que fuja das regras”.
Muitos membros da Academia estão chamando a decisão de injusta. Há quem afirma que trata-se de preconceito por ser uma canção gospel. Broughton diz que a decisão é ridícula: “Se eu conseguisse influenciar o sistema, teria minhas canções sendo nomeadas mais seguidamente”, desabafou. Na verdade, sua última nomeação foi em 1986. As informações são da CBN.

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...