segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Acordo nuclear entre potências e Irã é visto como 'ultraje' em Israel

As supostas negociações privadas conduzidas entre EUA e Irã, culminando no acordo interino deste domingo (24), foram recebidas em Israel com ultraje, de acordo com informações da mídia local.
O veículo israelense Canal 2 noticiou que tal diplomacia secreta foi descoberta pela Inteligência de Israel, apesar dos esforços americanos em escondê-la.
A informação contradiz as informações anteriormente divulgadas de que, segundo funcionários da administração americana, o governo do premiê Binyamin Netanyahu havia sido informado por Washington a respeito das negociações em andamento desde agosto.
Os esforços americanos foram conduzidos por William Burns, vice-secretário de Estado, e Jake Sullivan, assessor de segurança nacional para o vice-presidente Joe Biden. Eles teriam se reunido cinco vezes neste ano com figuras iranianas.
De acordo com relatos, os nomes de Burns e Sullivan foram excluídos das listas de participantes das delegações diplomáticas. Eles teriam, também, usado entradas alternativas e elevadores de serviço em hotéis.
DESGASTE
As relações diplomáticas entre Israel e os EUA foram severamente desgastadas durante as negociações nucleares com o Irã. A posição israelense fora de total repúdio à suavização das sanções contra o país persa, pela qual o premiê Netanyahu sofreu derrota política com o recente anúncio de um acordo.
Um legislador israelense afirmou hoje (25) à televisão local que o primeiro-ministro criticou a decisão dos EUA, em conversa com o presidente Barack Obama.
"O premiê deixou claro ao homem mais poderoso do mundo que, se ele quiser continuar a sê-lo, é importante mudar a política americana, porque o resultado prático de sua prática atual pode levá-lo ao mesmo fracasso que os EUA tiveram na Coreia do Norte e no Paquistão", disse Tzachi Hanegbi, do partido governista Likud.
Para Netanyahu, o acordo interino com o Irã é um "erro histórico" e tornará o mundo um lugar mais perigoso. Ele está, porém, isolado nessa posição, conforme países ocidentais louvaram os esforços diplomáticos americanos.
A questão iraniana aproximou Israel, porém, de outras potências regionais, como a Arábia Saudita e os países do Golfo, desafetos do governo iraniano.


http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/11/1376193-acordo-nuclear-entre-potencias-e-ira-e-visto-como-ultraje-em-israel.shtml

FINAL DOS TEMPOS ??? BH testa chip que faz mão virar um controle remoto universal


A-GImagine um futuro sem chaves, senhas, códigos de barras e, ainda assim, com privacidade e segurança. Essa evolução já es
tá bem perto de virar realidade.Dentro de três semanas, chega a Belo Horizonte a novidade que irá substituir todos esses instrumentos: um chip implantado debaixo da pele, com funções múltiplas. A venda está prevista para começar em fevereiro de 2014.O dispositivo, que mede cerca de 2 mm – aproximadamente o tamanho de um grão de arroz –, foi desenvolvido pelo norte-americano Amal Graafstra, que queria acessar seu escritório com mais facilidade. Desde 2005, ele possui um chip em cada mão.
Nesse caso, o local escolhido para o implante foi entre a membrana do polegar e o dedo indicador, por ser uma região de fácil acesso, uma vez que o chip funciona por radiofrequência compatível com Near Field Communication (NFC). Essa tecnologia permite comunicação em curta distância entre dispositivos, sem a utilização de fios e configurações adicionais, apenas aproximando a mão ao leitor do chip.
Dessa forma, o dispositivo permite a interação humana com diversos sistemas no dia a dia, como destrancar portas, acessar telefones, fazer login em computadores e ligar veículos. Além disso, ele facilita o compartilhamento de contatos, vídeos do YouTube, páginas do Facebook e outras funções nas redes sociais.
Auxílio. Por exigir poucos movimentos para atender as necessidades do usuário, o chip poderá beneficiar pessoas com deficiência. “O biochip também poderá ser usado com outras finalidades como pagamentos de contas, ou qualquer outra situação na qual pessoas, animais ou plantas precisem ser identificados”, afirma Ewerson Guimarães, um dos fundadores da Área 31 Hackerspace, laboratório comunitário localizado em Belo Horizonte, aberto e colaborativo, que possibilitou a vinda dos primeiros biochips ao país.
Graças a uma parceria, pesquisadores da Área 31 Hackerspace irão realizar testes de utilização do biochip também para a automação residencial (controle da iluminação da casa, por exemplo), credenciamento e monitoramento.
Várias pessoas já manifestaram interesse em testar a novidade e se tornarem “cyborgs” – abreviação de “cybernetic organism”, organismo cibernético, em português –, ou seja, um humano ou animal com partes orgânicas e eletrônicas, diz Guimarães.
Por ser revestido com um vidro biocompatível bastante resistente, não possuir bateria e ter pouca quantidade de liga metálica, o dispositivo não precisa ser trocado ou passar por  manutenção, afirma o cientista.
 
Na capital mineira, um dos focos da pesquisa será aumentar a capacidade de armazenagem de dados que hoje é de até 144 bytes por chip. “Um dos nossos desafios é aumentar a quantidade de dados que podem ser armazenados, sem alterar fisicamente o biochip, desafio esse que já está bem adiantado”, conta.

Saiba mais sobre a pesquisa em www.area31.net.br.
 

Procedimento
Pele. O implante do chip deve ser feito apenas sob orientação. O processo dura de 5 a 10 segundos e é como colocar um piercing. A cicatrização pode levar até quatro semanas. Um médico pode removê-lo, se necessário.


http://www.otempo.com.br/interessa/bh-testa-chip-que-faz-m%C3%A3o-virar-um-controle-remoto-universal-1.745337

Rapaz é morto a tiro em culto evangélico no bairro Bela Vista

Willian foi morto durante um culto em uma igreja do bairro Bela Vista
Foto : Reprodução

Willian da Silva Monteiro, de 20 anos, conhecido como "Grilo", morador do bairro Bela Vista, em Cachoeiro-ES,  foi morto a tiros no momento em que participava de um culto evangélico numa igreja do bairro. O crime aconteceu na  noite desta sexta-feira (23) na rua Gení Alves Leite.
Com este já é o oitavo homicídio registrado em menos de um mês  pela Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV). De acordo com os militares, o rapaz estava em uma igreja participando de um culto quando um homem trajando camisa do Flamengo e capacete na cabeça entrou na igreja e disparou contra o jovem  que não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Os investigadores da Polícia Civil constataram que o rapaz já tinha passagens pela Polícia e que vinha sendo constantemente ameaçado de morte. A perícia foi ao local e informou que um dos tiros acertou a nuca da vítima. A equipe da Delegacia de Crimes Contra a Vida vai abrir inquérito para apurar o autor do homicídio.

http://www.folhadoes.com/noticia/2013/11/23/rapaz-e-morto-a-tiror-em-culto-evagelico-no-bairro-bela-vista.html

Milagre? Maná ainda cai do céu na ÁfricaMilagre? Maná ainda cai do céu na África
O pastor adventista Gérson Pires de Araújo teve uma experiência curiosa em Angola algum tempo atrás. Enquanto trabalhava como voluntário durante um ano ensinando teologia no país de língua portuguesa, ele visitou uma comunidade com cerca de 100 adventistas em Uambo. Localizada na região central de Angola, no local é possível colher do chão o que os moradores chamam de “maná”.
Trata-se de “flocos brancos” que servem de alimento e fazem parte da rotina daquela comunidade desde 1939. Ao voltar para o Brasil, o pastor trouxe uma amostra e submeteu-os a uma análise da Universidade de Campinas (veja o relatório aqui). O laboratório comprova que os flocos são basicamente frutose, glicose, sais minerais e aminoácidos. Ou seja, não é algo conhecido, mas apropriado para a alimentação humana.
No vídeo postado esta semana pelo site Terceiro Anjo, Gérson conta que lera sobre o fenômeno numa edição da Revista Adventista de novembro de 1948. Contudo, não tinha ideia de que continuava acontecendo. Segundo a história contada pelos angolanos da missão Namamba, após a Segunda Guerra Mundial, a comunidade passou por um período de fome por causa da escassez de alimentos e estiagem na região.
Os evangélicos moradores do local que fica no alto das montanhas, oraram pedindo a Deus não os deixasse passar fome. Ao terminar a reunião de oração, a filha de cinco anos do casal de missionários que liderava a comunidade chegou no local comendo os flocos brancos e afirmando ser maná. Perguntada como ela sabia que aquilo era maná, a menina disse que ouviu de dois “homens de branco” que Deus havia ouvido a oração deles. Acredita-se que eram anjos.
O maná caiu em grande quantidade até que voltou o período de chuva. Desde então continuou caindo em pouca quantidade, apenas duas vezes por semana. E somente em um local específico: atrás do local onde ficava a igreja. O pastor Gérson conta que parecem pequenas pipocas e o gosto é adocicado, como relata a Bíblia que ocorreu em Êxodo, cerca de 3500 anos atrás.
Sua experiência foi postada na rede social Facebook e na última semana gerou uma grande discussão entre evangélicos e incrédulos sobre a existência (ou não) de milagres modernos.
Assista o testemunho:

Senadora culpa evangélicos por atraso na pauta LGBT


O Senado tirou PL da Homofobia da pauta e a Câmara aprovou propostas contrárias à causa dos gays. Enquanto Ana Rita (PT-ES) e presidente da ABLGT criticam setores religiosos conservadores, Feliciano diz que partidos fugiram do debate.

Em um mesmo dia, a comunidade LGBT(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) sofreu derrotas nas comissões de Direitos Humanos da Câmara e do Senado. Para parlamentares ligados a esses grupos, a culpa é da bancada evangélica no Congresso, em especial seus os integrantes do movimento neopentecostal. Enquanto o Projeto de Lei 122/06, que trata do crime de ódio contra gênero, orientação sexual e raça, foi retirado de votação pelos senadores, deputados aprovaram duas propostas que contrariam decisões da Justiça em favor dos gays.

“O que está empacando é o setor de neopentencostais, que não admite a aprovação desse projeto. Esse projeto tem acordo com as igrejas evangélicas; igrejas mais progressistas; com a Igreja Católica; com o movimento LGBT; com o governo, por meio da Secretaria de Direitos Humanos; mas, infelizmente, aqui no Congresso, tem uma representação de parlamentares neopentencostais que não admitem que esse projeto seja aprovado”, afirmou a presidente da CDH do Senado, senadora Ana Rita (PT-ES), ao Congresso em Foco.

Foi justamente na comissão presidida por Ana Rita que houve a primeira derrota do setor. Na manhã de quarta-feira, estava prevista a votação do PL 122. Apesar de tramitar na Casa há mais de sete anos, ainda não conseguiu ser analisado na comissão de mérito. Integrantes da bancada evangélica nas duas Casas do Congresso e representantes de igrejas se manifestaram na sessão, impossibilitando a votação da proposta.

Inicialmente, o texto apresentado pela deputada Iara Bernardi (PT-SP) criminalizava a homofobia. Porém, após sucessivas negociações com a bancada evangélica, o termo foi retirado da proposta e foi adotada uma redação mais genérica. O relator do PL, Paulo Paim (PT-RS), ampliou a lei que já pune a discriminação racial e o capítulo do Código Penal que trata do crime de injúria para incluir o combate a todo tipo de preconceito, não apenas aos homossexuais, mas também ao direcionado a idosos, mulheres e pessoas com deficiências físicas.

“Fundamentalistas”
Em discurso no plenário do Senado na quarta-feira, o senador Magno Malta (PR-ES), um dos integrantes da bancada evangélica no Congresso, disse que o PL 122 pretende criar um “império homossexual” no país. Crítico do projeto – “é uma anomalia” -, o parlamentar capixaba entende que, com as mudanças elaboradas por Paim, fica aberto o caminho para a criação do “estatuto do homossexual”.

“É um império homossexual, em que eles podem tudo e ninguém pode nada. Por exemplo: se não alugar casa a um homossexual, você vai preso; se não admitir, você vai preso; se demitir, vai preso também. São essas as aberrações que existem no bojo daquele projeto. E mais: você vai preso se não aceitar a opção sexual do indivíduo. Ou seja: você está criminalizado e é obrigado, se não é um criminoso, a aceitar a opção sexual dele”, disse.

Em nota, o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Carlos Magno, diz que “esse povo apenas quer impor a teocracia”. Ele entende que os parlamentares da bancada evangélica devem, ao citar dados de violência contra homossexuais, serem responsabilizados “pelas mortes, pela violência e pelas discriminações que fazem vítimas de milhares de brasileiras e brasileiros todos os anos”.

“Este povo fundamentalista não quer diálogo, este povo quer transformar o Brasil em uma ditadura fundamentalista que faz acepção a quem não siga seus dogmas. Este povo perdeu os valores: semeia o ódio contra a população LGBT. Basta ver conteúdos de determinados programas de televisão apresentados por pastores fundamentalistas, sem falar da vergonhosa Comissão da Câmara dos Deputados que não é digna do nome de Direitos Humanos e Cidadania”, afirmou.

Acordo

Ana Rita garante que existe acordo com igrejas e com o governo para aprovação da proposta. Mas coloca na conta dos neopentecostais a culpa pela proposta não avançar no Senado. “Eu acho que a religiosidade não pode se sobrepor a questão dos direitos humanos. A defesa dos direitos humanos tem de estar acima de qualquer religião, de qualquer identidade religiosa. E o que está prevalecendo aqui, por parte de alguns parlamentares, é a crença acima dos direitos humanos. Eu acho quem é cristão, e tem fé, tem de defender os direitos humanos. E o Estado é laico”, disse.

Com a retirada de pauta, a proposta não tem data para ser analisada novamente. Paim e Ana Rita vão retomar as negociações com os líderes para o texto ser analisado. “Eu, sinceramente, espero que possamos aprovar esse projeto. Na minha opinião, é um grande avanço na conquista de direitos de toda essa população e, particularmente, da população LGBT, que é altamente discriminada em nossa sociedade”, comentou a presidente da CDH.

Casamento, direitos previdenciários e plebiscitos
Horas depois, a CDH da Câmara, em uma sessão esvaziada, aprovou dois projetos e rejeitou um diretamente ligados aos grupos LGBT. O primeiro deles foi o Projeto de Decreto Legislativo 871/13, que revoga a resolução (175/13) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) editada para obrigar cartórios a celebrar casamentos de pessoas do mesmo sexo. A mesma norma torna obrigatória a conversão para casamento de união estável entre homossexuais.

Na sequência, a comissão de Direitos Humanos rejeitou projeto do ex-deputado Maurício Rands (PE), que permite a inclusão de companheiros gays como dependentes na Previdência Social. No fim, ainda aprovaram um projeto de resolução que prevê a realização de plebiscito nacional sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo. “Essa comissão não é séria, propor isso não é sério, é um escárnio com o país”, afirmou o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), que deixou a CDH após a eleição do Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência do colegiado.

Para Feliciano, “faltou o contraditório”. “Os partidos que defendem a causa [LGBT] simplesmentefugiram da comissão. Cadê o contraditório, não apareceram aqui. Ou não estão defendendo direito ou ignoraram a nossa votação”, afirmou, em referência à decisão de deputados do PT, PCdoB e Psol em sair do colegiado. Presidente da CDH desde o início do ano, sofreu reações de grupos ligados a direitos humanos por conta de declarações dadas no passado. Nenhum dos projetos aprovados na quarta são de autoria dele.

Trâmite
Apesar de a CDH ser a comissão de mérito, todas as propostas ainda precisam passar por outros colegiados. O plebiscito, por exemplo, segue para a Finanças e Tributação (CFT) e depois pela Constituição e Justiça (CCJ). Feliciano entende que a “falta de coragem” em debater assuntos relacionados a LGBT levam o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a atuarem no vácuo legislativo. “Existe uma interferência nos poderes. O STF não pode mudar a Constituição, apenas esta Casa pode fazer.”

Em abril, o CNJ aprovou uma resolução para obrigar os cartórios de registro a reconhecer a união civil entre pessoas do mesmo sexo e celebrar o casamento homoafetivo. Para aprovar a determinação, o conselho se baseou em decisão do Supremo de maio de 2011, quando a mais alta corte reconheceu a união estável entre pessoas do mesmo sexo.

Fonte: Congresso em Foco via Extra Alagoas

Kleber Lucas ganha Grammy Latino com o CD “Profeta da Esperança”


Nesta quinta-feira (21) aconteceu em Los Angeles, nos Estados Unidos, a entrega do Grammy Latino. A premiação anual é realizada pela Academia Latina de Música (LARAS) que premia cantores e bandas latinos em diversas categorias.

Este ano cinco brasileiros concorriam ao prêmio de “Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa e o vencedor da noite foi o cantor Kleber Lucas com o CD “Profeta da Esperança”.

Os indicados eram: Eyshila com o CD “Jesus, o Brasil te adora”, Anderson Freire com “Raridade”, Bruna Karla com “Aceito o Teu Chamado”, Kleber Lucas com “Profeta da Esperança”, Padre Reginaldo Manzotti com “Paz e Luz” e Ministério Adoração e Vida com o CD “Herói”.

Ao ser anunciado como ganhador, Kleber Lucas subiu ao palco para receber o prêmio e fazer seus agradecimentos. “Muito obrigada, Academia. Muito obrigada MK Music Brasil. É um prazer muito grande estar aqui com vocês. E o meu desejo é que o Brasil caminhe num tempo de tolerância, de unidade. E que a nossa música não morra, que a nossa música continue vivendo”, disse.

“Profeta da Esperança” é o 10º trabalho do cantor e foi lançado pela MK Music marcando os 15 anos de ministério do pastor Kleber Lucas. O CD já recebeu Disco de Ouro pela venda de mais de 40 mil cópias.

Assista:

http://www.youtube.com/watch?v=cKFw8CQDwWE

Fonte: Gospel Prime

Movimento LGBT foca em crianças e adolescentes para propagar seus ideais de liberação sexual


Cartilhas, livros didáticos e livros infanto-juvenis têm sido usados como estratégias para tornar o homossexualismo algo natural. O objetivo do Movimento LGBT tem sido desconstruir a heteronormatividade e os fundamentos da cultura judaico-cristã.

Trabalhar a consciência de jovens e adultos, não é mais suficiente. Agora, a meta do Movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT) em todo o mundo é doutrinar os indivíduos desde a infância e adolescência, despertando a sexualidade desses, para que possam “desabrochar o seu lado feminino ou masculino” sem crises. Escolas de Ensino Fundamental e Médio em todo o mundo têm sido bombardeadas por estes ensinamentos e com o apoio do Estado que, na maioria dos casos, é quem financia a produção e divulgação do material com o dinheiro dos cidadãos contribuintes. A meta do movimento LGBT é orientar e educar as crianças para que elas possam ser, mais facilmente, objeto do que eles chamam de 'desconstrução da heteronormatividade'.

No Brasil, o grupo tem orientado o governo neste sentido, buscando junto ao Ministério da Educação, que lições “anti-homofóbicas” sejam inseridas nos livros didáticos. Lições estas, em realidade, submetem meninos e meninas à ensinamentos bissexuais, e os estimulam a se descobrirem sexualmente com a justificativa de que isso é comum, normal, natural.

Um exemplo disso é a ilustração de um livro alemão (de onde foi retirada a imagem no início do texto) que ficou bem conhecido no Brasil, na metade deste ano. O livro mostra o dia-a-dia de um casal homossexual e sua convivência de sucesso com o “filho” adotivo. Na Holanda, em 2000, a escritora Linda de Hann lançou o livro ‘Koning & Koning’ que foi traduzido para o inglês ‘King & King’ e já existe a versão em português ‘Prìncipe e Príncipe’. Um conto de fadas, onde o príncipe vai se tornar rei, mas não quer se casar com uma princesa. Já Open in new windowem 2010, o prefeito da capital holandesa Amsterdã, Eberhard Van Der Laan, declarou que iria inserir personagens homossexuais nos livros escolares, para que as matérias abordem a homossexualidade com naturalidade.

Em dezembro do ano passado, no Rio de Janeiro, cartilhas produzidas para o público gay foram distribuídas livremente no IFRJ (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro) – instituição de ensino voltada para adolescentes e jovens – com um conteúdo que chocou pais e mesmo alunos, pelas imagens explícitas, sem nenhum pudor, de relação sexual entre homens, além de linguagem pesada, obcena e de duplo sentido. Mais ainda, a cartilha orientava que o sexo poderia ser seguro mesmo sem o preservativo. Quando o caso chegou à imprensa e foi investigado, representantes do movimento LGBT informaram na época que desconheciam a ação e que a distribuição do material foi feita por um grupo isolado. O material teria sido enviado da Holanda.

A direção do IFRJ, por sua vez, declarou que a distribuição das cartilhas foi feita durante a 5ª Parada da Cultura, que é um evento aberto ao público em geral, e que, portanto, a distribuição do material ocorreu sem sua autorização. Seja como for, as informações do IFRJ e do Movimento LGBT não levaram aos responsáveis pela distribuição, porém o material chegou ao ponto de ser entregue a adolescente de até 13 anos de idade.

Algumas cartilhas produzidas com a intenção de complementar o material didático, na verdade tem causado confusão na mente dessas crianças, pois o corpo e a formação psicológica, em sua maioria, não estão preparados para um incentivo à auto-descoberta deste nível. No início do ano, cartilhas com ensinamentos sexuais foram distribuídas em vários Estados do Brasil, porém um grupo de parlamentares do Congresso Nacional realizou uma campanha para a retirada do material de circulação e conscientizando os pais sobre o perigo deste conteúdo.

Os Ministérios da Saúde e da Educação já foram responsabilizados, até em juízo, pela produção de materiais que “educam sexualmente” e “orientam” sobre o uso das drogas (orientando a usar a droga de forma responsável). Esses conteúdos eram destinados a crianças entre 8 e 12 anos, onde em alguns casos foi pedida a confidencialidade, e a criança não poderia revelar aos pais. Há relatos de casos no Rio de Janeiro nos quais, com o material distribuído livremente nas mãos dos alunos, isso começou a causar sérios prejuízos à saúde das crianças (meninas), pois, ao ensiná-las a se masturbar, elas acabavam inflamando seus órgãos genitais (informação confirmada por ginecologistas que procuraram o apoio parlamentar em Brasília). Do mesmo modo, meninos começaram a freqüentemente sair da sala de aula para estimularem-se sexualmente no banheiro.

Grandes campanhas realizadas por cristãos no país, ainda buscam impedir que tais materiais cheguem às mão das crianças dentro das escolas e lutam contra qualquer tipo de apologia à pedofilia, manipulação de estatísticas, violação de direitos, abusos e exploração, como é o caso da ANAJURE. Se você conhece algum caso assim, denuncie à nossa associação.

Fonte: ANAJURE

IGREJA GANHANDO O MUNDO OU O MUNDO GANHANDO A IGREJA .

Uma das tragédias da vida cristã é ver aqueles que professam o nome de Cristo chafurdarem na imundície deste mundo e depois tentarem "testemunhar" para ele!


É triste observar que, conforme a Época da Graça se prolonga, o povo de Deus parece mais determinado do que nunca a adotar as atitudes e ações do mundo. As modas vêm e vão, mas uma coisa continua constante — cada uma delas consegue deixar sua marca indelével sobre certos segmentos da cristandade. Para aqueles de nós que já acumularam certa "quilometragem", vemos esse fenômeno a partir da perspectiva de ter passado por grande parte dele. Eu realmente gostaria de poder expressar com palavras adequadas aos jovens o quanto a sociedade mudou nos últimos quarenta ou cinqüenta anos. Isso nos faz pensar em quanto mais o Senhor permitirá que esse processo continue antes de vir buscar Sua igreja.
Como podemos esperar, a Palavra de Deus tem muito a dizer sobre os assuntos mundanismo e separação. Com a ajuda de Deus, gostaria de explorar ambos os tópicos em profundidade. Começaremos tentando definir a palavra "mundanismo". É o substantivo do adjetivo "mundano" e o Dicionário Aurélio define assim: "Vida mundana; hábito daqueles que só procuram gozos materiais". A partir dessa definição, vemos que não é absolutamente uma palavra que seria usada para descrever um cristão. Ser mundano é aderir e seguir aquilo que caracteriza as atitudes e ações das massas; dos incrédulos — aqueles que estão perdidos. Além disso, precisamos compreender que é uma coisa extremamente fácil de fazer. Tudo o que precisamos é "seguir as massas", seguir o caminho da mínima resistência. A natureza humana nos predispõe para o mundanismo. Antes de sermos salvos, o mundanismo era um modo de vida. Após a salvação, ganhamos uma nova natureza, mas a velha natureza pecaminosa não foi erradicada. Por isso, estamos em uma situação que garante uma vida de conflito contínuo!
Talvez você já tenha ouvido a história sobre um velho chefe indígena que se converteu a Cristo. Certa vez, dois de seus irmãos "caras pálidas" foram visitá-lo e um deles perguntou como estava indo sua vida espiritual. O velho chefe respondeu que era como se ele tivesse dois cachorros vivendo dentro dele — um branco e um preto e eles brigavam constantemente! Após conversarem um pouco, um daqueles homens perguntou: 'Afinal, quem ganha a luta?' A resposta do chefe foi clássica: "Aquele que eu alimento mais." Embora seja uma ilustração simples, ela nos dá um quadro vívido da batalha que ocorre todos os dias dentro de nós. Se alimentarmos nossa nova natureza por meio do estudo da Palavra de Deus e da oração, crescemos "na graça e no conhecimento do Senhor". No entanto, se continuarmos a festejar "com as bolotas que os porcos comem", não devemos esperar muito progresso na vida espiritual.
O apóstolo Paulo menciona essa luta em Romanos 7:15-25. O que ele diz é vital para nossa compreensão do problema, de modo que incluímos todo o texto aqui:
"Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado."
Essa luta interior, que Paulo descreve tão bem, deve ser igual a que experimentamos. Sabemos o que é melhor, mas nem sempre fazemos o que é melhor! Certo? Bem, preciso me apressar em dizer que só porque essa é uma aflição comum, não quer dizer que tenhamos uma desculpa para nossas ações. Permitir que ações e atitudes pecaminosas e mundanas continuem em nossas vidas, sem serem enfrentadas, é convidar problemas maiores. O apóstolo João nos admoesta em 1 João 2:15-17:
"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."
Creio que cada um de nós pode ver nesses versos que o amor ao mundo é um perigo muito real para o cristão. Nossa natureza caída, que está conosco desde o nascimento, está naturalmente inclinada e preparada para as atrações que nos rodeiam. Nunca antes em toda a história humana isso foi mais problemático do que atualmente e está ficando cada vez pior! Os historiadores dizem que uma das principais razões para a queda do Império Romano foi que a maior parte da população desenvolveu um apetite insaciável pelos prazeres e divertimentos. Enquanto as pessoas se divertem, esquecem-se das coisas que realmente são importantes na vida. Esse tipo de comportamento é uma forma de fuga, para não enfrentar as realidades da vida diária. Como os cristãos não são imunes à doença do mundanismo, precisamos reconhecê-la como sendo uma lepra espiritual e evitá-la. (A lepra, freqüentemente mencionada na Bíblia, sempre é retratada como sendo típica do pecado.)
Em toda a Bíblia, os cristãos são constantemente exortados a buscar sabedoria — a pensar, a agir de uma maneira responsável o tempo todo — para nosso próprio bem e para o bem dos outros. Uma das tragédias da vida cristã é ver aqueles que professam o nome de Cristo chafurdarem na imundície deste mundo e depois tentarem "testemunhar" para ele! As atitudes falam mais alto que as palavras e cada um de nós precisa entender que estamos em cena e nossas ações estão sendo observadas o tempo todo. Depois que tomamos o primeiro passo de identificação com Cristo (o batismo), tornamo-nos homens e mulheres, meninos e meninas marcados — pois o mundo está apenas aguardando a primeira oportunidade para nos chamar de hipócritas! Satanás é o deus deste mundo e tenta explorar cada deslize nosso. Amar as atitudes e filosofias prevalecentes na nossa cultura é garantia de ruína para nosso testemunho como filhos de Deus.
O que quero dizer com a palavra "testemunho"? Houve uma época em que a terminologia da fé era tão largamente compreendida que se podia assumir que todos a compreendessem, mas esse não é o caso hoje. É por isto que normalmente procuro definir certos termos. Seu testemunho cristão é similar à sua personalidade, pois é "você" — o que você realmente é — como aparece aos outros em relação à sua profissão de fé. Você pratica aquilo que prega? Se pratica, pode-se dizer que mantém um bom testemunho de Cristo. Depois da salvação, o testemunho é o que de mais valioso você tem. Portanto, mantenha-o limpo e não permita que a sujeira deste mundo grude nele.
O melhor testemunho para Cristo é uma vida que está cheia e que é controlada pelo Espírito Santo. Muitos cristãos têm hoje a idéia errada que testemunhar consiste unicamente em "apresentar o evangelho". Embora compreendamos e concordemos que o aspecto sobrenatural da salvação definitivamente envolve a mensagem do evangelho, nosso testemunho de modo algum é limitado a isso. Independente se você percebe isso ou não, a maioria das pessoas presta muito mais atenção àquilo que você faz e como reage do que com o que diz. Como diz o velho adágio, "Falar é fácil!" Algumas pessoas que falam muito bem acabam ficando constrangidas após serem desafiadas com o "mostre-me ou cale-se". A atitude que a maioria de nós terá é: "Não fale somente, mostre-me também!" As ações falam muito mais alto que as palavras. Quando vivenciamos aquilo que falamos, nossas palavras terão uma força muito maior. Se as pessoas virem que somos genuínos e que nossas vidas irradiam a realidade daquilo que professamos, estarão muito mais abertas à mensagem que anunciamos. Os hipócritas são alvo de escárnio em toda a parte e não é para se admirar! O mundanismo e a piedade são totalmente incompatíveis — como óleo e água, que não se misturam. Mas, apesar das admoestações da Bíblia sobre o mundanismo e suas conseqüências, muitos cristãos insistem em tentar "ficar com as pernas uma de cada lado da cerca". (Para aqueles que sempre viveram na área urbana, essa expressão pode não fazer muito sentido — mas para aqueles que já tentaram saltar uma cerca de arame farpado — certamente faz!) Tentar ficar com as pernas uma de cada lado, uma no mundo e outra nos céus provavelmente o deixará com as calças rasgadas!
Outro modo de ilustrar o ponto é com uma história sobre o Velho Oeste americano. Um homem proprietário de uma empresa transportadora estava entrevistando os candidatos a condutores de diligências. O trecho da estrada que ele selecionou para o teste estava em uma montanha que tinha um barranco em uma das laterais, com uma queda de centenas de metros. As instruções que ele dava a cada candidato eram simples: "Veja o quanto você consegue chegar perto do barranco, mas sem cair!" Primeiro um, depois outro candidato tentaram, levando os cavalos bem para perto do barranco. Finalmente, quando um terceiro homem se apresentou e recebeu as instruções, ele disse: "— O senhor está louco? Vou conduzir os cavalos pelo outro lado da estrada, ficando longe do barranco!". "— O emprego é seu", exclamou o chefe. O risco era grande demais e este é exatamente o ponto que quero deixar claro sobre o envolvimento com o mundanismo. Se você parecer como o mundo, agir como o mundo, e cheirar como o mundo — como o mundo verá a diferença em você? Por que devemos achar que eles serão atraídos a Cristo por meio do nosso testemunho quando parecemos ser virtualmente iguais a todas as outras pessoas? Como diriam alguns garotos hoje: "E aí?"
Outro aspecto muito importante do nosso testemunho envolve a doutrina bíblica da separação. Creio com todo meu coração que essa é uma das menos compreendidas e menos ensinadas doutrinas na Palavra de Deus hoje. Quando é mencionada, é geralmente com generalidades e clichês, mas a Bíblia é tanto explícita e implícita com relação a esse ensino. É explícita porque o assunto é tratado claramente e é implícita porque está ele contido em princípio em toda ela. Vamos saltar para o meio desse assunto e ver se tocamos em alguns nervos expostos:
Em 2 Coríntios 6:14-18, lemos:
"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso."
Paulo, escrevendo sob a influência e inspiração do Espírito Santo, diz que precisamos nos separar dos incrédulos e não nos envolvermos em alianças ou sociedades com eles. A palavra "jugo" refere-se à canga, um implemento de madeira, utilizado para prender uma junta de bois pelo pescoço e ligá-los à carroça ou ao arado. Se alguém tentasse prender um boi com uma mula por meio do jugo, o resultado seria desastroso, pois eles não trabalhariam bem em conjunto. Dois bois ou duas mulas seriam bons, mas as diferenças de temperamento e de tamanho entre bois e mulas não permite combinar os dois. O ponto aqui é que os crentes precisam evitar qualquer situação em que fiquem em jugo desigual com um incrédulo. Isso inclui exemplos como namoro, casamento, sociedades nos negócios, associações voluntárias (clubes, etc.) por meio das quais aqueles que não têm os mesmos valores espirituais possam exercer pressão sobre você. As amizades íntimas com as pessoas erradas também devem ser evitadas.
Abordo este tópico com "temor e tremor", pois sei, a partir de experiências dolorosas, que muitos crentes reagem de maneira emocional ao que caracterizam como "legalismo". Em primeiro lugar, não é legalismo, pois não estou tentando impor a lei do Antigo Testamento sobre os cristãos. É uma proibição muito sã e sensata que objetiva manter a pureza da nossa caminhada com Cristo. Ninguém consegue brincar com um amontoado de carvão sem se sujar todo. É realmente simples assim. "Não procure sarna para se coçar", diz o ditado. Logicamente, aqueles que já estão casados com incrédulos, ou já comprometidos em relacionamentos que são inevitáveis, não devem tornar uma situação má pior! Esse ensino objetiva principalmente a prevenção, mas em alguns casos o incrédulo em questão está arruinando a vida espiritual do cristão e, por essa razão, o relacionamento deve ser rompido. Se você acha isso drástico demais, leia então o capítulo 10 de Esdras, e veja o que Deus exigiu dos sacerdotes e levitas que tinham mulheres estrangeiras. Servimos ao mesmo Deus hoje! A separação é ensinada em toda a Bíblia, do Gênesis até o Apocalipse, mas não é um assunto que as pessoas gostem de ouvir.
Não somente devemos manter a separação pessoal, mas também somos instruídos a manter a separação "eclesiástica". Este é um ensino implícito e requer maturidade espiritual para compreender toda sua implicação. A palavra grega ekklesia, freqüentemente traduzida como "igreja", é a palavra-raiz de "eclesiástica" — referindo-se às igrejas e/ou congregações. O que significa manter separação eclesiástica? Detesto ser extremamente direto, mas significa ficar longe de qualquer pessoa que afirme ser cristã, mas que obviamente não adere aos ensinos de Cristo! A palavra de Deus nos recomenda não julgar os outros — condená-los injustamente e lavrar sentença sobre eles da forma que um juiz faz — mas também somos exortados a "provar (testar) todas as coisas". Deus espera que mantenhamos nossa guarda espiritual e não creiamos nas aparências. É claro que você sabe que nem tudo o que reluz é ouro. As igrejas e os membros que envergonham os ensinos de Cristo e negam as doutrinas essenciais da fé devem ser evitados. Afirmar ser um cristão só por causa da participação em uma igreja é como afirmar ser um carro ficando em uma garagem.
Estamos vivendo nos últimos dias da igreja e creio que o joio exceda grandemente o trigo. Muitos, se não todos, dos mais respeitados e renomados pregadores e evangelistas atuais estão flertando com a Igreja Católica Romana e com seu programa ecumênico mundial.

A enganação demoníaca cresce a cada dia. Meu trabalho é dizer a verdade, não importando se isso o deixa contente ou não. Esse conceito de separação é um assunto importante e somente arranhei a superfície, por assim dizer. É de vital importância que o povo de Deus saiba e compreenda os princípios e preceitos da Sua Palavra, de modo que iremos, com a ajuda de Deus, continuar batendo nessas "vacas sagradas" para ajudá-lo a amadurecer na fé.
Finalmente, há um assunto de separação que ainda causa furor em alguns círculos. Isso tem a ver com a questão se a Bíblia ensina ou não a separação dos crentes genuínos. É uma questão emocional para alguns, mas precisamos determinar primeiro e antes de tudo se tem base nas Escrituras — e, em caso afirmativo, o que precisamos fazer para conformar nossas vidas com esse ensino. Novamente, quero lembrá-lo da terrível visão que Deus tem do pecado. Ele odeia o pecado com todo Seu ser e para nos redimir das garras do pecado deu Seu Filho unigênito. Não existe "pecado pequeno" — um conceito de origem humana no qual temos tendência para acreditar. Deus quer que fiquemos longe do pecado, de todas as formas de pecado, e qualquer ensino que enfatize esse princípio precisa ser considerado, gostemos dele ou não. Este é o caso que está diante de nós. Há um tempo em que devemos nos distanciar de outros crentes? Francamente, a maioria dos pregadores conservadores e fundamentalistas provavelmente vai gritar: "Nunca!" Creio que eles estão enganados e espero poder mostrar por que estão enganados. A unidade entre os irmãos é algo que precisa ser preservada, se possível — mas existem momentos em que as atitudes pecaminosas por parte de alguns indivíduos requer ação rápida e decisiva do corpo de Cristo.
Em 1 Coríntios 5, temos uma situação em que um dos irmãos estava vivendo em clara imoralidade com sua madrasta. Aparentemente, o homem era rico e influente na comunidade e, por causa do seu nível social, a igreja "estava vendo o outro lado". Quando Paulo soube do assunto, escreveu a epístola para instruí-los a corrigir o problema. No verso 13, ele ordena que o homem seja excluído da igreja. "Mas pastor Ron, isso não é ser excessivamente severo?" Algumas vezes, medidas drásticas são necessárias para corrigir aquilo que é visto como de pequena importância. A imoralidade entre os irmãos na igreja não pode ser tolerada. Ponto final! Quando uma pessoa é tratada da forma como o próprio Senhor especificou em Mateus 18:15-17, e não ouve ao ensino e as admoestações da igreja, precisa então ser excluída da comunhão. Observe que o verso 17 diz: "... se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano."
Os três passos para lidar com o pecado evidente são: (1) admoestação em particular — de irmão para irmão; (2) admoestação testemunhada por mais um ou dois irmãos; e (3) admoestação pela igreja toda reunida. Se a pessoa não ouvir a admoestação da igreja, então deverá ser desligada do rol de membros e tratada como fosse um incrédulo (alguém ainda perdido em seus pecados). Espera-se que esse passo drástico nunca precise ser dado, mas se for necessário, precisamos orar para que o indivíduo (se verdadeiramente salvo) fique envergonhado, arrependa-se e busque o perdão e reconciliação com a igreja. Graças a Deus, o homem em Corinto veio a se arrepender e foi reconduzido à comunhão com a igreja.
Para enfatizar o ponto que a separação é necessária nesse tipo de situação, veja novamente 1 Coríntios 5:9 em diante:
"Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais."
Isso deve deixar claro que devemos evitar os irmãos professos sob certas condições. O "porquê" desse evitar é deixado claro em 2 Tessalonicenses. No capítulo 3, versos 6, 14 e 15 lemos:
(Verso 6): "Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu."
(Versos 14 e 15): "Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão."
Aqueles que discordam desse ensino — insistindo que a unidade precisa ser mantida a todo o custo — fazem isso, creio, a despeito da clareza do texto. A maioria dos que têm essa posição insiste que o ensino (2 Tessalonicenses 3) é pertinente àquela situação somente. Em outras palavras, Paulo está admoestando algumas daquelas pessoas porque acreditavam que o arrebatamento ocorreria a qualquer momento e tinham abandonado seus empregos, vendido suas propriedades e estavam sentadas, ociosas, só aguardando! Elas se recusavam a fazer qualquer trabalho para se manter e tinham se tornado um peso para a igreja. Embora seja verdade que Paulo esteja falando sobre uma situação particular, seu ensino em 1 Coríntios deve deixar claro que o princípio é o mesmo. Os pecados específicos são totalmente diferentes, mas são pecados também! O senso comum diz que Deus odeia o pecado e está ordenando que nos separemos dele — mesmo se isso significar evitar alguns irmãos. Observe as razões para essa atitude — a separação — é que o irmão malfeitor possa se envergonhar. A idéia é tentar levá-lo ao arrependimento e fazê-lo voltar para o caminho certo. Se não formos cuidadosos, podemos concluir erroneamente que aquele que pratica a separação está exibindo uma atitude "sou mais santo do que você". Embora isso sempre seja uma possibilidade, simplesmente porque pode ser visto assim, não significa que devamos desconsiderar o ensino. Isso seria como jogar fora o bebê junto com a água da banheira!
O próximo passo lógico de separação é também muito controverso. E o irmão que se recusar a dar ouvidos a esse ensino e continuar a se associar com aqueles que deveriam ser evitados? Chamo sua atenção de volta ao verso 14 do nosso último texto: "Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe." Certamente devemos ver que a eficácia do ensino dependerá do grau em que for praticado. Caso alguém na igreja ignore a admoestação de Paulo, o efeito desejado de fazer o membro malfeitor sentir-se envergonhado é diminuído. Evitar aqueles que ignoram esse ensino — aqueles que continuam a se associar e ter comunhão com indivíduos que, por suas atitudes e ações, merecem ser postos para escanteio — é chamado de "separação em segundo grau". O argumento deles é: "Onde você traça a linha?" "Voltamos ao 'terceiro grau' e 'quarto grau', etc.?" Esse tipo de raciocínio é infantil, pois obscurece a questão recorrendo a extremos ridículos. Obviamente, sempre haverá um ponto de "retornos decrescentes" — além do que seria inútil continuar a separação. No entanto, para ser fiel ao intento original das instruções de Paulo, precisamos nos forçar a encarar o fato que os irmãos podem se desviar, e isso acontece. É papel do cristão maduro reconhecer a importância de manter a pureza no andar; uma separação de todo o pecado e obediência ao ensino bíblico.
Mencionei anteriormente um desejo de poder comunicar aos cristãos mais jovens as vastas mudanças na sociedade que ocorreram durante os últimos quarenta ou cinqüenta anos. Essas mudanças, com a degradação resultante dos valores espirituais, são de partir o coração.
Para tornar as coisas ainda piores, os valores daqueles tempos antigos já não eram nada de que se possa orgulhar! Santidade e piedade pessoal são termos praticamente extintos — remanescentes arcaicos de uma época que já passou. A história praticamente já deu uma volta completa no círculo e voltamos à condição descrita nos livros do Antigo Testamento, Deuteronômio 12:8 e Juízes 17:6 e 21:25: "Cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos." A Bíblia — a literal Palavra de Deus — é ignorada pela maioria daqueles para a qual foi dada como padrão absoluto de fé e de prática. Como resultado direto disso, a igreja perdeu a capacidade de ser o sal da terra e a sociedade está nos últimos estágios da podridão moral. O que podemos fazer? A não ser que o Senhor decida operar um milagre de não pouca magnitude, a situação não será corrigida. No entanto, como diz aquele antigo hino: "Brilha no meio do teu viver!" Não importa se o resto do mundo esteja determinado a seguir no caminho errado; cada um de nós deve fazer o melhor que puder para caminhar na luz da Palavra de Deus e buscar a santificação. Todos estaremos diante do Tribunal de Cristo, como indivíduos, para prestar contas pelas obras feitas no corpo. Nosso galardão eterno será determinado pela nossa obediência aos mandamentos do Senhor.


VIA  GRITOS DE ALERTA

O QUE SIGNIFICA 5777--"LEI PERFEITA, LEI DA LIBERDADE"

(TG 2:8; 1:25)(ler -2 Co 3:16 a18)."SE CRISTO VOS LIBERTAR SEREIS VERDADEIRAMENTE LIVRES."(JO 8:36)-- Para que...