quinta-feira, 21 de novembro de 2013

VEJA COMO SE DESMASCARA UM FALSO MENDIGO .




Estranho Misterio agua cor de sangue em vários rios em todo o mundo


A verdade sobre o arrebatamento


ANJO DA TROMBETA2Uma pesquisa recente da revista U.S. News & World Report descobriu que 61 por cento dos americanos acreditam que Jesus Cristo vai voltar à terra, e 44 por cento acreditam no Arrebatamento da Igreja.[1] O que é o Arrebatamento? Com tamanha certeza popular, por que há tanta confusão interpretativa a respeito desses acontecimentos? A doutrina do Arrebatamento pré-tribulacional é um ensino bíblico importante não apenas por oferecer percepções interessantes sobre o futuro, mas também porque oferece aos crentes motivação para a vida contemporânea.
O Arrebatamento pré-tribulacional ensina que, antes do período de sete anos conhecido como Tribulação, todos os membros do corpo de Cristo (tanto os vivos quanto os mortos) serão arrebatados nos ares para o encontro com Jesus Cristo e depois serão levados ao céu.
 

 

O ensino do Arrebatamento é mais claramente apresentado em 1 Tessalonicenses 4.13-18. Nessa passagem Paulo informa seus leitores de que os crentes que estiverem vivos por ocasião do Arrebatamento serão reunidos aos que morreram em Cristo antes deles. No versículo 17 a palavra “arrebatados” traduz a palavra grega harpazo, que significa “dominar por meio de força” ou “capturar”. Essa palavra é usada 14 vezes no Novo Testamento Grego de várias maneiras diferentes.
Ocasionalmente o Novo Testamento usa harpazo com o sentido de “roubar”, “arrastar” ou “carregar para longe” (Mateus 12.29; João 10.12). Também pode ser usada com o sentido de “levar embora com uso de força” (João 6.15; 10.28-29; Atos 23.10; Judas 23). No entanto, para nossos propósitos, um terceiro uso é mais significativo. Diz respeito ao Espírito Santo levando alguém de um lugar para outro. Encontramos esse uso em quatro ocorrências (Atos 8.39; 2 Coríntios 12.2, 4; 1 Tessalonicenses 4.17; Apocalipse 12.5).[2]
Esse último uso é ilustrado em Atos 8.39, quando Filipe, ao completar o batismo do oficial etíope, é “arrebatado” e divinamente transportado do deserto até a cidade costeira de Azoto. De modo semelhante, a Igreja será, num momento, levada da terra ao céu. Não deve-se estranhar, portanto, que um autor contemporâneo tenha chamado esse evento peculiar de “O Grande Seqüestro”.[...]
Por que a doutrina da iminência é significativa para o Arrebatamento?
O ensino neo-testamentário de que Cristo poderia voltar a qualquer momento e arrebatar a Sua Igreja sem sinais ou advertências prévios (i.e. iminência) é um argumento tão poderoso em favor do pré-tribulacionismo que se tornou uma das doutrinas mais ferozmente atacadas pelos oponentes da posição pré-tribulacionista. Eles percebem que, se o Novo Testamento de fato ensinar a iminência, um arrebatametno pré-tribulacional estará praticamente assegurado.
Definição de Iminência
Qual é a definição bíblica de iminência? O Dr. Renald Showers define e descreve iminência da seguinte maneira:
1) Um acontecimento iminente é aquele que está sempre “pairando acima de alguém, constantemente prestes a vir sobre ou a alcançar alguém; próximo quanto à sua ocorrência” (The Oxford English Dictionary, 1901, V. 66). Assim, a iminência traz consigo o sentido de que algo pode acontecer a qualquer momento. Outras coisas podemacontecer antes do evento iminente, mas nada precisa acontecer antes que ele aconteça. Se alguma coisa precisa acontecer antes de determinado evento ocorrer, tal evento não é iminente. Em outras palavras, a necessidade de que algo ocorra antes destrói o conceito de iminência.
2) Uma vez que é impossível saber exatamente quando ocorrerá um evento iminente, não se pode contar com a passagem de determinado período de tempo antes que tal evento iminente ocorra. À luz disso, é preciso estar sempre preparado para que ele aconteça a qualquer momento.
3) Não se pode legitimamente estabelecer direta ou implicitamente uma data para sua ocorrência. Assim que alguém marca uma data para um evento iminente, destrói o conceito de iminência, porque ao fazer isso afirma que um determinado intervalo de tempo deve transcorrer antes que tal evento ocorra. Uma data específica para um evento é contrária ao conceito de que tal evento possa ocorrer a qualquer momento.
4) É impossível dizer legitimamente que um evento iminente vai acontecer em breve. A expressão “em breve” implica que tal evento precisa ocorrer “dentro de um tempo pequeno (depois de um ponto específico designado ou implícito)”. Em termos de contraste, um evento iminente pode ocorrer dentro de um pequeno intervalo de tempo, mas não precisa fazê-lo para ser iminente. Espero que você perceba, agora, que “iminente” não é igual a “em breve”.[3]
O fato de que Jesus Cristo pode voltar a qualquer momento, mesmo que não necessariamente em breve, e sem a necessidade de qualquer sinal anterior à Sua vinda, requer o tipo de iminência ensinado pela posição pré-tribulacionista e é um forte apoio ao pré-tribulacionismo.
Que passagens do Novo Testamento ensinam essa verdade? Os versículos que afirmam a volta de Cristo a qualquer momento, sem aviso prévio, e aqueles que instruem os crentes a esperar e aguardar a vinda do Senhor ensinam a doutrina da iminência.
Observem-se as seguintes passagens do Novo Testamento:
• 1 Coríntios 1.7 – “…aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo”.
• 1 Coríntios 16.22 – “Maranata!”
• Filipenses 3.20 – “Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.
• Filipenses 4.5 – “Perto está o Senhor”.
• 1 Tessalonicenses 1.10 – “e para aguardardes dos céus o Seu Filho…”.
• 1 Tessalonicenses 4.15-18 – “Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras”.
• 1 Tessalonicenses 5.6 – “Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios”.
• 1 Timóteo 6.14 – “que guardes o mandato imaculado, irrepreensível, até à manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo”.
• Tito 2.13 – “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus”.
• Hebreus 9.28 – “assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação”.
• Tiago 5.7-9 – “Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor… pois a vinda do Senhor está próxima… Eis que o Juiz está às portas”.
• 1 Pedro 1.13 – “Por isso,… sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo”.
• Judas 21 – “guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna”.
• Apocalipse 3.11; 22.7, 12, 20 – “Eis que venho sem demora!”
• Apocalipse 22.17, 20 – “O Espírito e a Noiva dizem: Vem. Aquele que ouve diga: Vem.
Aquele que dá testemunho destas cousas diz: Certamente venho sem demora. Amém. Vem, Senhor Jesus!”
Ao considerarmos as passagens mencionadas acima, observamos que Cristo pode voltar a qualquer momento, que o Arrebatamento é de fato iminente. Somente o pré-tribulacionismo pode dar um sentido pleno, literal, a tal acontecimento iminente. Outras posições sobre o Arrebatamento precisam redefinir iminência de maneira mais elástica do que indica o Novo Testamento. O Dr. John Walvoord declara: “A exortação a que aguardemos a ‘manifestação da glória’ de Cristo para os Seus (Tito 2.13) perde seu significado se a Tribulação tiver que ocorrer antes. Fosse esse o caso, os crentes deveriam observar os sinais.”[4] Se a posição pré-tribulacionista sobre a iminência não for aceita, então haverá sentido em procurar identificar os eventos relacionados à Tribulação (i.e., o Anticristo, as duas testemunhas, etc.) e não em esperar o próprio Cristo. O Novo Testamento, todavia, como demonstrado acima, uniformemente instrui a Igreja a olhar para a volta de Cristo, ao passo que os santos da Tribulação são exortados a observar os sinais.
A exortação neo-testamentária a que nos consolemos mutuamente pela volta de Cristo (João 14.1; 1 Tessalonicenses 4.18) não mais teria sentido se os crentes tivessem, primeiro, que passar por qualquer porção da Tribulação. Em vez disso, o consolo teria que esperar a passagem pelos eventos da Tribulação. Não! A Igreja recebeu uma “bendita esperança”, em parte porque a volta do Senhor é, de fato, iminente.
A Igreja primitiva tinha uma saudação especial que os crentes só usavam entre si, conforme registrado em 1 Coríntios 16.22: a palavra “Maranata!” Esta palavra é constituída de três termos aramaicos: Mar (“Senhor”), ana (“nosso”), e tha (“vem”), significando, assim, “Vem, nosso Senhor!” Como outras passagens do Novo Testamento, “Maranata” só faz sentido se uma vinda iminente, ou seja, a qualquer momento, for pressuposta. Isso também serve de apoio à posição pré-tribulacionista.
Não foi à toa que os antigos cristãos cunharam essa saudação peculiar que reflete uma ansiosa expectativa pelo cumprimento dessa bendita esperança como uma presença real em suas vidas cotidianas. A vida da Igreja em nossos dias só teria a melhorar se “Maranata” voltasse a ser uma saudação sincera nos lábios de crentes que vivem com esta expectativa. Maranata! (Thomas Ice eTimothy Demy – http://www.chamada.com.br)
  1. Jeffrey L. Sheler, “The Christmas Covenant”. U.S. News & World Report, 19 de dezembro de 1994, pp. 62, 64.
  2. Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, “harpazo”, editado por Colin Brown. Vida Nova, São Paulo, 1982. Volume 1, p. 239-243.
  3. Ibid., pp. 127-128.
  4. Walvoord, The Rapture Question, p. 273.
Extraído do livro A Verdade Sobre O Arrebatamento.

Homem faz igreja de refém depois de decapitar a esposa e sufocar a sogra nos Estados Unidos


Em um ato horripilante, um homem fez uma igreja de refém depois de supostamente fugir das autoridades por matar sua esposa e sufocar a sogra no estado de Dakota do Norte, extremo norte dos Estados Unidos.

Durante o mês de outubro, Billy E. Varner, de 54 anos, atacou violentamente e quase decapitou sua esposa, Peggy Henderson, de 61 anos, com um facão, no estado de Illinois, a 1,5 quilômetro ao sul de Dakota do Norte. E depois de sua sogra Dorothy Varner, de 82 anos, suspeitar do sumiço de sua filha, Varner a sufocou.

Posteriormente, Varner desapareceu no dia 28 de outubro, para fugir da sentença das autoridades que encontraram os corpos das duas mulheres, e finalmente aparecer durante uma missa de uma igreja católica de Dakota do Norte, com uma espingarda nas mãos.

Entre as 25 ou 30 pessoas presentes no local, Varner invadiu a celebração mandando o padre "calar a boca", antes de pedir para as pessoas encostarem na parede e jogar um saco plástico de lixo no chão, e pedir que o padre embalasse os objetos de valor, de acordo com Mike Weyrauch, uma das testemunhas do ocorrido.

A testemunha contou que o que mais lhe assustou, durante a ameaça, era a expressão aterrorizante que o criminoso passou, ao olhar para as pessoas enquanto as intimidava.

"O olhar em seu rosto tinha me assustado. Provavelmente o mais chocante que eu já encarei em toda a minha vida", disse Mike Weyrauch em reportagem recente do jornal The Chicago Tribune.

Depois de correrem risco de morte, as pessoas da igreja foram abandonadas por Varner cerca de cinco minutos depois. Em seguida, ele foi preso em uma batida de trânsito, informou a polícia. Até o momento, o criminoso foi acusado de assassinato em primeiro grau pela morte da esposa e da sogra.

Fonte: The Christian Post

Valdemiro Santiago diz que Deus “vai pesar a mão” sobre o programa Pânico na Band


Valdemiro Santiago diz que Deus “vai pesar a mão” sobre o programa Pânico na BandSantiago diz que Deus "vai pesar a mão" sobre o Pânico na Band
No início do ano, o programa Pânico gerou mais uma vez descontentamento entro os evangélicos com o novo quadro “A Turma do Didimaiscedo”, que ridicularizava o bispo Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.
Um movimento crescente criticou o programa e pediram um “boicote à Band” por causa das piadas dos humoristas que envolviam o nome de Deus. Um quadro da “Igreja Univernelson do reino de Nelson” mostrou um exorcismo e teve inclusive um “louvor” em ritmo de funk.
Cerca de um mês depois, o programa que sempre apelou para uma mistura de humor non sense e piadas de gosto duvidoso, desistiu da paródia.  O humorista Carioca afirmou na época: “Religião é difícil. Meu conteúdo estava restrito. Esse clima de incitação religiosa assusta. Não vale fazer humor com preocupação”. .
Mesmo assim, as piadas envolvendo igrejas continuaram em diferentes quadros.  Mais recentemente, quem se tornou alvo do Pânico foi o apóstolo Valdemiro Santiago.
Ele que ocupava parte da grade da Band, agora que saiu da emissora começou a criticar duramente o programa “Pânico na Band”. Nas últimas semanas ele respondeu publicamente os humoristas a quem chamou de “marginais” e classificou o programa de “imundice”.
Em trechos dos cultos exibidos na TV, o fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus manda um recado: “Eu não preciso de vocês, eu uso minha fé. Vocês tem de me usar, usar meu nome, usar minha voz para ter audiência… Vocês aí do ‘Pânico’ que ficam fazendo chacota, estão fazendo chacota de ‘Deus’. Deus vai pesar a mão em cima de vocês… [O Pânico] blasfemou, dizendo que se Jesus é prosperidade eu sou o pedágio… Se eu sou ungido de Deus a coisa vai ficar feia para o lado deles… Enquanto Deus não lhe pesar a mão, não vai aprender a ter respeito pela obra de Deus… Vai cuidar da sua vida, marginal”.
Assista:

Cancelamento do Troféu Promessas foi por razões financeiras, diz jornalista


Cancelamento do Troféu Promessas foi por razões financeiras, diz jornalistaCancelamento do Troféu Promessas foi por razões financeiras
O jornalista Lauro Jardim, da coluna Radar On-line, disse que o cancelamento da cerimônia de entrega do Troféu Promessas aconteceu por motivos financeiros.
O evento aconteceria no dia 13 de novembro no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói, mas a Globo, organizadora da premiação, resolveu não realizar a festa e entregar os prêmios via Correios.
Quando comentou o assunto, a emissora carioca alegou “razões operacionais”, mas o jornalista diz que a noite de entrega dos prêmios custaria R$280.000,00. Apesar do alto faturamento, a Globo resolveu não gastar este valor e definiu cancelar a cerimônia.
A lista com os onze ganhadores foi divulgada no site do Troféu Promessas no dia 11 de novembro tendo muitos nomes novos entre os principais ganhadores.
O artista que mais ganhou prêmios foi o cantor Gui Rebustini que levou três troféus para casa. O filho dos líderes da Igreja Bíblica da Paz ganhou o Troféu Promessas nas categorias de Melhor Clipe, Melhor Música e Cantor Revelação.
Para compensar, a Globo convidou cinco ganhadores para participar do programa “Encontro com Fátima Bernardes”. A edição do dia 15 de novembro teve a participação dos cantores Fernanda Brum, Anderson Freire, Ministério Pedras Vivas, Arautos do Rei e Gui Rebustini.

GP

"O ESQUENTA" O programa mais racista da TV Brasileira.

Ela envia uma mensagem retrógrada com seus estereótipos dos negros.


Esquenta é o programa mais conservador da televisão brasileira. É uma versão barulhenta e colorida de velhos costumes. Num primeiro olhar, parece uma grande festa na periferia, na qual as gírias, danças e modas de regiões com IDH baixo e criminalidade alta são irradiadas para todo o país pela tevê.
Vemos meninos contorcendo as articulações em performances de passinho, meninas com minissaia e microvocabulário, rapazes negros com cabelos louros e óculos espelhados de cores berrantes rodando o salão felizes e eufóricos. A festa mistura samba, funk, estilo de vida despreocupado e despudorado, concurso de beleza, humor, artistas de novela, enfim, para usar um termo bem periférico, “tudo junto e misturado”.
Essas características, apenas, não me incomodam. Não sou quadrado, respeito e até admiro algumas formas de cultura vindas do gueto e abuso do direito de desligar a TV. O que me irrita, e muito, e faz com que chame o programa de conservador e escravocrata é a cor de pele predominante nessa festa maluca.
Certamente o Esquenta é o programa com o maior percentual de negros da TV aberta. Enquanto as novelas, seriados e telejornais são predominantemente caucasianos, quem manda ali são os negros e pardos.
É esse o ponto. O programa reforça o estereótipo dos negros brasileiros como indivíduos suburbanos, subempregados, mas ainda assim felizes, sempre com um sorriso no rosto, esquecendo-se das mazelas cotidianas por meio da dança, do remelexo, das rimas pobres do funk, do mau gosto de penteados e cortes de cabelo extravagantes.
Sou negro e não sei sambar, não pinto meu cabelo de louro, não uso cordões, não ando gingando nem falo em dialeto. Não sou exceção, felizmente. Sei que há muitos caras e moças como eu. Muitos são poliglotas, outros gostam de música clássica, vários gostam mais de livros do que de pessoas, outros reclamam do calor da Brasil, certamente há os que são introspectivos e de poucas palavras, e há os que nem sentem falta do feijão quando viajam para o exterior.
Embora o Esquenta não tenha a proposta de ser um programa sobre cultura negra, ele ajuda a construir um estereótipo. Por que as novelas não têm galãs negros ou musas negras? Faça a lista dos galãs e das musas televisivas e depois veja quantos são negros. O número será irrisório.
Esquenta ajuda a manter essa ordem. Em vez de rapazes elegantes, mostra dançarinos com cabelos bizarros. As moças, sempre de shorts minúsculos e prosódias vulgares, nunca serviriam de modelo para capas da Marie Claire ou da Claudia.
Regina Casé e seu programa parecem dizer aos jovens dos guetos: “Ei, isso mesmo, aprendam passinho, aprendam a rebolar até o chão, continuem com seu linguajar próprio, porque tudo isso é lindo, é legal, é Brasil, é tudo junto e misturado, continuem com seus empregos modestos, porque a vida é agora, é para ser vivida, curtida, com alegria, malemolência, sempre com um sorriso no rosto”.
E assim, aquela menina sentada no sofá vai continuar achando o máximo desfilar com pouca roupa e pelos das pernas pintados de loiros pela comunidade. Nunca vai pensar em aprender a falar alemão ou tentar entender os grafites de Banksy, da mesma forma que os rapazes nunca sonharão em trabalhar no Itamaraty e praticarão bullying contra os meninos polidos que não falam em dialeto e inventam de estudar violino, já que um programa televisivo de uma das principais emissoras do país legitima seu estilo de vida mal educado e de poucas perspectivas.
Como um coronel oligarca e cínico, o programa dá uma recado para a garotada negra e parda da periferia: “É isso, dancem, cantem, divirtam-se. Mas não saiam do seu lugar”.
Texto escrito por: Marcos Sacramento do site www.diariodocentrodomundo.com.br

O QUE SIGNIFICA 5777--"LEI PERFEITA, LEI DA LIBERDADE"

(TG 2:8; 1:25)(ler -2 Co 3:16 a18)."SE CRISTO VOS LIBERTAR SEREIS VERDADEIRAMENTE LIVRES."(JO 8:36)-- Para que...