domingo, 25 de agosto de 2013

Ex-mórmon revela segredos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

"A Bíblia é mais acurada do que o Livro do Mórmon", disse o evangelista que passou 30 anos na Igreja Mórmon.

Um professor e evangelista disse que depois de 30 anos na Igreja Mórmon, ela chegou a uma conclusão – A Bíblia é mais acurada do que o Livro do Mórmon, e Deus é maior do que o homem transcendente adorado pelos “Santos dos Últimos Dias” (SUD).

“Eu comecei a sentir como alguém puxando as cortinas em OZ”, disse Lynn K. Wilder, professor associado de educação especial na Universidade Florida Gulf Coast ao The Christian Post na segunda-feira.

Lynn, ex-professor titular da Universidade Brigham Young, é autor de Unveiling Grace: The Story of How we Found Our Way Out of The Mórmon Church (Revelando a Graça: A História de Como nós Encontramos a Saída para a Igreja Mórmon). Ela contrastou as igrejas mórmon e cristãs, desvendando os segredos da SUD – poligamia, racismo, e uma desconfiança fundamental da Palavra e Poder de Deus.

Missionários mórmons bateram em sua porta, falaram sobre os “últimos dias”, e deram boas vindas aos Wilders à comunidade bem unida. “Eles te trazem para dentro, eles te amam, eles começam a suplantar a minha família biológica”, explicou Wilder. Entrar para a igreja lhe deu um status maior para ela e seu marido na Faculdade e comunidades da igreja. Em 1999, Brigham Young University, lhe ofereceu um trabalho.
Open in new windowDepois de se mudar para Utah, contudo, a professora contou novas descobertas – as escrituras mórmon ainda pregam racismo e poligamia, apesar das negações públicas por parte da igreja. “A Bíblia não ensina que a marca de Caim foi uma pele escura”, ela explicou, “mas o Livro dos Mórmons sim”. Ela notou que a marca de Caim está em outras escrituras mórmon também, além do livro do Mórmon.

Não foi até seu filho Micah deixar a Igreja Mórmon, contudo, que Wilder considerou questionar suas doutrinas, disse ela. Recusando-se apresentá-lo ao templo da SUD para excomunhão, ela e seu marido o mandaram embora, e ele os encorajou a ler o Novo Testamento.

“Os Mórmons acreditam que a Bíblia é muitas vezes mal traduzida e corrupta”, testemunhou a ex-professora da BYU. Sua escritura fala de uma “grande apostasia”, após a morte dos apóstolos, de modo que não havia verdadeira igreja até que Joseph Smith fundou o mormonismo em 1830.

Mas quando Wilder leu o Novo Testamento, ela ficou hipnotizada. “Eu fiquei consumida com esse Deus do amor, o Deus da graça,”disse ela, notando que os Mórmons acreditam em salvação baseada em obras. De acordo com a igreja SUD, suas ações te levam ao céu, explicou ela, enquanto que “no Cristianismo, Cristo fez todo o trabalho na cruz”.

A igreja mórmon também ensina que Jesus falhou em manter Sua igreja unida, observou a professora. Ela citou a História da Igreja de Joseph Smith, onde o fundador mórmon escreveu: “Eu tenho mais a gabar-me do que qualquer outro homem teve. Eu sou o único homem que tem sido capaz de manter toda a igreja unida desde os dias de Adão... Nem Paulo, João, Pedro, nem Jesus fizeram isso.”

Wilder disse que ela acreditava que Deus era forte o bastante para manter Sua igreja unida e para preservar a mensagem na Bíblia. No mormonismo, contudo, Deus não é onisciente e onipotente, “Ele é um homem, basicamente, que continua a progredir e que eu posso estar no mesmo caminho”, disse ela.

A ex-professora da BYU explicou que, de acordo com a doutrina SUD, os melhores mórmons irão proceder para se tornar deus como o criador. As mulheres podem alcançar somente se elas foram casadas, e somente apóstatas – aquelas que rejeitam a igreja SUD – irão para o inferno com Satanás e seus servos. Mesmo Hitler e os assassinos, pelo contrário, irão atingir o nível mais baixo nos céus, disse ela.

A ex-mórmon se lembrou que, quando ela se voltou para jesus, ela começou a ver sinais do Deus bíblico pessoal (o deus mórmon não é pessoal, alegou ela) tocando muitos aspectos de sua vida. Seu livro diz a história das imagens de Cristo que sobreviveu edifício em chamas, e o sermão de Billy Graham marcado em sua memória.

Wilder testemunhou que um comprador apareceu em sua casa no dia seguinte em que ela e seu marido decidiram sair da igreja mórmon, e um reitor da faculdade lhe ofereceu um trabalho pela qual ela nunca aplicou. “Cristianismo é maravilhoso por causa de Deus”, disse ela. “Ele criou para todos de nós uma nova família, uma nova vida, e a confiança mais surpreendente nEle por causa do que nós O vimos fazer.”

Além de ensinar, ela e seu marido lideram um ministério dedicado para “ajudar os mórmons a entender um Deus maior, acreditar na Bíblia, e dar um Jesus diferente uma chance”. Ela disse que eles pretendem alcançar milhares de mórmons que deixaram a igreja SUD – muitas vezes para reverter em ateísmo ou agnosticismo.

Fonte: The Christian Post

Vereadores querem intermediar caso de doação de terreno para igreja

Parlamentares tentarão realizar uma reunião com o promotor que quer revogar uma lei de doação de terreno para uma igreja evangélica.

O projeto de lei do Poder Executivo que revoga lei de doação de um terreno para a Igreja Evangélica Move as Águas, que foi retirado de pauta há duas semanas, voltou para tramitação na Câmara Municipal na forma regimental e deve ir à votação em 15 dias.

Nesta semana, representantes da Associação dos Ministros do Evangelho (AME) tiveram uma reunião com os vereadores sobre a questão. Segundo o presidente da Câmara Municipal, vereador Ibrahim Zaher (PSD), os parlamentares tentarão realizar uma reunião com o promotor de Defesa do Patrimônio Público, Wagner Camilo, para tentar um entendimento para a não devolução ao município dos terrenos que já estão com as igrejas.

De acordo com Zaher, a intenção é intermediar a situação junto ao Ministério Público do Estado (MPE), que recomendou ao município a retomada de áreas anteriormente doadas às igrejas, e depois jamais votar favoravelmente projetos de lei que tratem da doação de terrenos para igrejas em respeito à Constituição Federal.

“Os pastores também nos explicaram que já foram construídas edificações sobre os terrenos e que nos templos também são feitos projetos sociais e cursos. Em uma das áreas há um tanque de piscicultura que, segundo os pastores, tem os lucros revertidos para a comunidade”, explicou Zaher.

O projeto de lei do Executivo que revoga a lei que determinou a doação de um terreno municipal à igreja Move as Águas foi feito após recomendação do Ministério Público, que se baseou no inciso 1 do artigo 19 da Constituição Federal, em que fica vedado à União, Estados e Municípios, estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público.

AÇÕES JUDICIAIS

Além da solicitação recomendatória do MPE para que a prefeitura promovesse a revogação da lei que permitiu a doação do terreno para a igreja Move as Águas, outras três ações estão em andamento na justiça contra três outras igrejas que receberam, na gestão anterior, terrenos públicos municipais.

Fonte: A Tribuna - Mato Grosso

UNIMUNDIAL - Valdemiro Santiago e Edir Macedo podem se tornar sócios

Sócio de Edir Macedo em uma emissora de televisão disse que pretende vender sua parte para o apóstolo Valdemiro Santiago.

O bispo Edir Macedo depôs à Justiça Federal de Chapecó, em Santa Catarina, num processo movido contra ele pelo Ministério Público Federal por falsidade ideológica.

Os autos do processo acusam o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus de forjar documentos para permitir a compra da RIC TV de Xanxerê, em 1996. A emissora é afiliada da TV Record.

Além de Macedo, são réus Júlio César Ribeiro, ex-diretor de uma emissora afiliada, e Marcelo Nascentes Pires, ex-pastor da Igreja Universal, de acordo com informações do jornal O Dia. Macedo se declarou inocente ao juiz responsável, mas se condenado, pode pegar de 1 a 5 anos de prisão, mais multa.

Pires, aliás, é um dos sócios de Macedo em outra emissora, a RIC TV do Vale do Itajaí, também em Santa Catarina. O canal é alvo de uma disputa judicial entre os dois, e Pires o acusa de também forjar um documento para tirá-lo da sociedade.

Recentemente, Pires conseguiu reaver na Justiça sua participação na emissora do Vale do Itajaí e de acordo com o jornalista Lauro Jardim, do Radar Online, afirmou que durante o depoimento, Pires surpreendeu Edir Macedo com a declaração de que pretende vender sua parte na emissora para o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus e um dos maiores desafetos do bispo da Universal.

O caso da RCE TV de Xanxerê Ltda

O bispo Edir Macedo, empresário e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), esteve em Chapecó na porção oeste do estado de Santa Catarina (SC), na quarta-feira (21), às 14 horas, para prestar depoimento em audiência na 1ª vara da Justiça Federal. Ele responde a processo por falsidade ideológica e por declaração falsa em documento na compra da TV Record de Xanxerê, também no oeste catarinense.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público (MP), por meio do procurador da República, Renato de Rezende Gomes. Segundo essa, o religioso teria utilizado ‘laranjas’ na compra das cotas de televisão, que depois foram transferidas para seu nome. Assim, Marcelo Nascentes Pires teria figurado como sócio da RCE TV de Xanxerê Ltda., posteriormente Televisão Xanxerê Ltda., afiliada da Rede Record, quando em verdade, o verdadeiro proprietário das cotas em nome de Marcelo era o denunciado Edir Macedo Bezerra. O bispo utilizou uma procuração para posteriormente transferir as cotas de Marcelo para seu nome. Eles ainda teriam apresentado uma procuração falsa no Ministério da Justiça.

Além de Edir e Marcelo, compareceram a Justiça Federal nesta semana o ex-diretor da TV Record Júlio César Ribeiro e advogados que estão acompanhando o caso.
Edir Macedo não havia estado presente na primeira audiência marcada há cerca de um mês.

O processo continua com considerações finais tanto da defesa como do MP. O juiz deve dar a sentença até o final do ano. Ainda caberá recurso dessa decisão de primeira instância.

Por essas suspeitas, o bispo pode ser condenado segundo os artigos 299 e 304 do Código Penal, que regulam, respectivamente, a declaração falsa em documento e a falsidade ideológica. Os crimes têm penas que podem variar de um a cinco anos de reclusão, além de multa.

O empresário, Edir Macedo, mora atualmente em Nova Iorque, na costa leste dos Estados Unidos (EUA). A IURD está presente em mais de 150 países e tem aproximadamente 8 milhões de fieis. Ele visitou um templo em Chapecó (SC), aproveitando a visita ao município para dar o depoimento.

Fonte: Gospel+ e The Christian Post

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...