domingo, 23 de setembro de 2012

A caça continua... - Governo do Paquistão oferece 100 mil por morte de produtor de filme

Governo do Paquistão oferece 100 mil por morte de produtor de filmeOnda de protestos muçulmanos continua fazendo mortos em todo o mundo
Governo do Paquistão oferece 100 mil por morte de produtor de filme
Ghulam Ahmed Bilour, ministro de Ferrovias do Paquistão, ofereceu US$ 100 mil para quem assassinar o autor do filme A Inocência dos Muçulmanos, que desrespeitou a imagem de Maomé e causou revolta no mundo muçulmano.
Durante uma entrevista coletiva neste sábado (22), em Peshawar, o ministro disse saber que embora estimular um assassinato seja crime, estava pronto para cometer esse delito.
“Se existir alguma causa contra mim em uma corte internacional ou nacional, pedirei ao povo que me entregue”, disse Bilour. Ele “convocou” os talibãs e a rede terrorista Al Qaeda para ajudá-lo e disse esperar que “os ricos ponham à disposição da causa todo seu dinheiro, para que assim o assassino possa ser banhado em ouro e dólares”.
A declaração ocorreu após a celebração do “Dia de Amor a Maomé”, celebrado no Paquistão como forma de protesto ao material anti-islâmico produzido por Nakoula Basseky Nakoula, um cristão copta egípcio que vive nos Estados Unidos e que está desaparecido.
Há quase uma semana, o Paquistão assiste protestos constantes por causa do filme. Nesta semana morreram 19 pessoas e mais de 200 ficaram feridas durante os embates com a polícia nas cidades de Peshawar e Karachi. Na capital Islamabad, forças de segurança isolaram a área que abriga as embaixadas estrangeiras.
Outros protestos
Na onda de violência que começou em 11 de setembro, muitos países continuam protestando pelas ofensas contra o profeta Maomé. O jornal francês Charlie Hebdo publicou caricaturas de Maomé. Como medida preventiva, o Ministério de Relações Exteriores da França fechou suas representações diplomáticas e escolas localizadas em países islâmicos nesta sexta-feira.
No Iraque, cerca de 3 mil muçulmanos condenaram o filme e as imagens do Charlie Hebdo.No Sri Lanka, cerca de 2 mil pessoas queimaram imagens de Barack Obama e bandeiras dos Estados Unidos. Enquanto em Bangladesh manifestantes tomaram as ruas da capital, Daca. Houve protestos pacíficos de muçulmanos inclusive em nações não islâmicas como Alemanha, Filipinas e Noruega
O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, asseverou que “Depois dos piores insultos contra o mensageiro divino, eles [o Ocidente] levantam o slogan de liberdade de expressão. O que é, claramente, uma enganação.”

GOSPEL PRIME/GRITOS DE ALERTA

Denzel Washington revela como foi cheio do Espírito Santo

Denzel Washington revela como foi cheio do Espírito Santo Ator ganhou dois Oscar e vê sua fé como elemento importante de sua vida e carreira

Denzel Washington revela como foi cheio do Espírito Santo
O ator Denzel Washington de 57 anos é possivelmente um dos atores mais carismáticos de Hollywood. Ele já interpretou vários papéis de destaque e ganhou dois prêmios Oscar, pelos filmes “Tempo de Glória” e “Dia de Treinamento”.
Recentemente, ao filmar o longa O Livro de Eli, mostrou ao mundo um pouco mais de sua vida de fé, como cristão membro da Igreja de Deus em Cristo de West Los Angeles.
Em uma entrevista à revista GQ, Washington, declarou: “Leio a Bíblia todos os dias. Leio a minha palavra diária. Li algo muito legal ontem: “Nós não aspiramos só viver a vida, aspiramos a fazer a diferença”.
Ele contou ainda sobre uma experiência que teve com o Espírito Santo durante um culto em sua igreja. “Foi há trinta anos, na igreja que eu ainda frequento. O pastor estava pregando: “Deixa fluir”. Eu disse, “eu vou deixar”.
Foi então que o ator teve o que descreve como sentiu o Espírito Santo tão perto pela primeira vez. “Eu tive essa tremenda experiência física e espiritual. O que me assustou é que eu estava com a língua enrolada, chorando, suando. Minhas bochechas pareciam que iam explodir. Foi como uma limpeza. Foi algo muito intenso… Liguei para minha mãe, e ela disse que eu estava sendo cheio do Espírito Santo. Eu questionei ‘Isso significa que eu nunca mais poderei beber vinho?”.
Washington acredita na importância da espiritualidade, não só em sua vida, mas também em sua carreira. “A espiritualidade é importante em todos os aspectos da minha vida”, disse. “Quero dizer, é por isso que eu estou aqui. Isso é o que tem me abençoado”.
Durante a entrevista também comentou sobre a morte de Whitney Houston com que contracenou no filme com tom religioso “Um Anjo em Minha Vida”: “Whitney era um doce de pessoa, uma garota humilde. Pra mim, o que aconteceu com ela deveria servir como mais um exemplo para que todos andem na linha… Posso até estar falando algo que não saiba. Pode ser que, pra ela, o limite ainda não tivesse chegado. Mas seu corpo a traiu. Ela sequer notou que estava envelhecendo mais rápido e, naturalmente, não conseguia mais manter o ritmo de antes. Algumas pessoas sobrevivem a Holywood e à fama, outras não”.
Traduzido de Urban Christian News e Noticia Cristiana

GOSPEL PRIME/GRITOS DE ALERTA

Missão liberta dois mil cristãos que estavam aprisionados no Sudão

Missão liberta dois mil cristãos que estavam aprisionados no SudãoConflito entre o norte e o sul dura décadas e resultou na divisão do país
Missão liberta dois mil cristãos que estavam aprisionados no Sudão
Uma grande operação realizada pela missão Barnabas Aid resgatou cerca de 2.000 mulheres e crianças cristãs que estavam presas no Sudão. Depois de uma série de obstáculos políticos e burocráticos, dia 19 de setembro foram realizados com sucesso os 12 voos fretados que saíram de Cartum para a capital do Sudão do Sul, Juba.
A missão de resgate tem se estendido desde então e deve ser concluída nos próximos dias. Os líderes da Igreja e da comunidade local identificaram os cristãos mais necessitados e vulneráveis entre as centenas de milhares de sulistas que estavam “presos” em Cartum.
“Eles serão acolhidos nas instalações de acolhimento temporários criados pelo governo sudanês do Sul antes de chegar até membros da família espalhados por todo o país”, disse um porta-voz do Barnabas Aid, que ressaltou:  ”A Igreja no Sudão do Sul está pronta para ajudá-los com as suas necessidades imediatas”.
Cristãos nascidos no sul que permaneceram no Sudão após a divisão dos dois países foram despojados de sua cidadania pelo governo e receberam um prazo para sair. O presidente Omar al-Bashir deixou claro que eles não são mais bem-vindos no Sudão e repetidamente declara  sua intenção de fazer com que seu país seja formado 100% por islâmicos e que imporá a lei da sharia.
Embora no ano passado muitos foram para o Sul do Sudão por sua própria vontade, o governo sudanês recentemente fechou a fronteira e com isso os sulistas vem sofrendo. A vulnerabilidade dos que ficaram presos no norte intensificou-se na semana passada por causa dos violentos protestos islâmicos que mexeram com todo o Sudão. O Barnabas Aid afirmou que “Além de enfrentarem o perigo de morte, os cristãos empobrecidos do sul têm vivido em condições terríveis nos abrigos improvisados da periferia de Cartum há muitos meses.”
Independente desde 9 de Julho de 2011, pelo voto de 97% dos habitantes, o Sudão do Sul enfrenta sérias dificuldades econômicas. A população da nação mais jovem do mundo é formada majoritariamente por cristãos e animistas. Após anos de guerra com o Sudão, principalmente por causa de motivos religiosos e étnicos, o novo país carece de uma administração estatal eficaz, infraestruturas e serviços básicos, e precisou ser construído quase do zero, pois Cartum nunca permitiu o desenvolvimento do Sul.
Além disso, está privado de 98% das suas receitas desde janeiro, quando paralisou a sua produção de petróleo, por causa dos conflitos com o Sudão sobre a partilha dos recursos petrolíferos. Agora investe, com a ajuda da ONU, num gasoduto em direção ao Djibuti. Os dois Estados continuam envolvidos numa maratona de negociações mediada pela União Africana, para tentar  resolver as suas diferenças e ainda debatem a delimitação de fronteiras.
Organizações cristãs e humanitárias de todo o mundo tem enviado ajuda e havia o temor que os cristãos que ficaram no norte fossem massacrados como uma forma de retaliação do governo do Sudão.
Traduzido de Religion Today

Cristianismo já é maior que Islã no continente africano



Cristianismo já é maior que Islã no continente africano Um quinto dos cristãos do mundo vivem na África.

Cristianismo já é maior que Islã no continente africano
Cristianismo em seu todo, incluindo evangélicos, católicos, coptas e outros ramos, é hoje a maior religião da África, passando à frente do Islã. Um em cada cinco cristãos do mundo vive na África.
Esta é a conclusão de um estudo apresentado pelo sociólogo Massimo Introvigne, durante um congresso organizado pelo Centro de Estudos de Novas Religiões (CESNUR) da Universidade de El Jadida, no Marrocos.
Segundo os novos dados, os cristãos representam hoje 46,53% da população africana, em comparação com 40,46% de muçulmanos e 11,8% das pessoas que seguem religiões tradicionais africanas, conforme divulgou o jornal italiano La Stampa.
Também mostra que, enquanto em 1900 os cristãos da África eram 10 milhões, em 2012 as chegam a mais de 500 milhões. Em 1900 os africanos representavam 2% dos cristãos do mundo e hoje, são 20% do total dos seguidores de Cristo no mundo.
“Esses dados ainda estão sendo consolidados”, disse Introvigne, fundador da CESNUR, “mas têm grande significado histórico, cultural e político”.
Além disso, a pesquisa mostra que 31 países africanos têm maioria cristã, em contraste com os 21 que são islâmicos e seis que possuem religiões predominantemente tradicionais.
“Hoje há mais cristãos africanos praticantes do que os europeus praticantes. Eventualmente, isso vai mudar, não só na África, mas em todo o cristianismo”, comentou.
Obviamente, essa mudança de rumos no continente não agradou a todos. O estudioso acredita que este crescimento pode ser a principal causa do aumento dos ataques contra os cristãos em várias nações africanas. “O ultra-fundamentalismo islâmico considera escandaloso o fato de que há mais cristãos que os muçulmanos na África, por isso articulou para perseguir e matar cristãos em países como Nigéria, Mali, Somália, Quênia”, acrescentou.
Traduzido de Protestante Digital

Volta do Império Romano? Europa terá um único presidente e um exército integrado

A volta do Império Romano? Europa terá um único presidente e um exército integrado 11 países propuseram a unificação do governo para o continente

A volta do Império Romano? Europa terá um único presidente e um exército integrado
Representantes de Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Itália, Polônia, Luxemburgo, Holanda, Portugal e Espanha defendem a necessidade um presidente eleito da União Europeia. Pediram ainda o fim do veto britânico sobre a política de defesa, apontando para um plano de mudança radical para o continente, que vive uma crise econômica.
Num documento divulgado após uma reunião entre os 11 ministros de Relações Exteriores desses países, em Varsóvia, o bloco traçou recentemente uma visão do “futuro da Europa”.
Além de concordarem com a escolha de um só chefe de Estado eleito para governar toda a Europa, o bloco exigiu uma nova política de defesa, sob o controle de um ministério pan-exterior da União Europeia, sob o comando da baronesa Ashton, que “a longo prazo poderia implicar um único exército europeu“.
Desejando “prevenir que um único Estado membro tenha a possibilidade de obstruir iniciativas”, uma referência à oposição britânica da formação de um exército europeu, o grupo liderado pela Alemanha exigiu o fim aos vetos nacionais existentes no tocante à política exterior e de defesa. Isto daria à União Europeia a possibilidade de impor uma decisão sobre a Grã-Bretanha, se tivesse o apoio da maioria dos outros países.
O bloco também planeja uma nova força militar europeia, que patrulharia as fronteiras sem necessidade de passaporte e um visto único para a zona europeia. O plano, que conta com o respaldo de 11 países, deve acelerar a convocatória de um referendo britânico sobre sua adesão à União Europeia.
O documento propõe também novos poderes para o Parlamento Europeu e a divisão da União Europeia, com a criação de uma nova sub-câmara parlamentar para os 17 países da zona do euro.
Em uma declaração conjunta, Guido Westerwelle e Radek Sikorski, ministros de Relações Exteriores da Alemanha e Polônia, pediram a homologação de um único presidente da União Europeia, que executaria e supervisionaria reuniões regulares, e que seria eleito pelo voto direto numa eleição paneuropeia “no mesmo dia em todos os estados membros”.
“Para que Europa volte a ser um ator verdadeiramente forte e um líder global necessitamos de uma forte estrutura institucional”, disseram Westerwelle e Sikorski. “Necessitamos de um presidente eleito diretamente que nomeie pessoalmente os membros de seu “governo europeu”.
“Temos que entender que somos uma comunidade de valores e devemos defender nosso modelo europeu”, declarou Westerwelle. “A crise da dívida se transforma cada vez mais em uma crise de confiança. Acredito que é decisivo e crucial darmos mais transparência e democracia às nossas instituições europeias e, por isso, a ideia de eleições diretas na União Europeia me alegra. Creio que seria uma grande resposta à falta de confiança que existe atualmente na União Europeia”, acrescentou.
Os 11 países também pediram que as mudanças nos tratados europeus, no futuro sejam decididas “por maioria superqualificada dos estados membros da União Europeia,” ao invés de por unanimidade, o que significa que os tratados já não poderiam ser bloqueados por votos “não” nos referendos.
O documento fortalece a recente petição feita pelo presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, que a União Europeia se converta numa “federação” e siga um novo tratado europeu ou constituição.
Um porta-voz do governo britânico disse: “Esta é uma contribuição ao debate que acaba de começar. O Reino Unido desempenhará um papel pleno e ativo nesse debate”.
Mario Monti, o primeiro-ministro italiano, defendeu ontem (21), durante o congresso da Internacional Democrata do Centro, que diante da crise do euro é preciso entender que “existe uma globalização que implica a necessidade de um governo da globalização”. Isso obrigaria a “partilha” das soberanias nacionais, para enfrentar os mercados.
O primeiro-ministro italiano afirmou ainda que “alguns Estados-membros da União Europeia estão obrigados a ceder se não conseguirem ter a força para cumprir as regras da vida comunitária”. Segundo ele, essa integração deveria ser feita com especial cuidado, para evitar “problemas de rejeição”, incluindo o que vem ocorrendo com o euro.
Traduzido de Telegraph e Oje.pt

E NÃO TERMINOU! - Centenas de pessoas protestam em Bangladesh contra filme anti-Islã

Partidos islamitas convocaram greve para protestar contra vídeo.
Muitas escolas, lojas e escritórios ficaram fechados neste domingo.


Muitas escolas, lojas e escritórios permaneceram fechados neste domingo (23) em Bangladesh após uma convocação de greve dos partidos da oposição para protestar contra um vídeo anti-islâmico americano e charges de uma revista francesa que deixaram o mundo muçulmano em pé de guerra.
Dezenas de pessoas protestaram em Bangladesh contra filme anti-Islã. (Foto: Munir Uz Zaman/AFP)Centenas de pessoas protestaram em Bangladesh contra filme anti-Islã. (Foto: Munir Uz Zaman/AFP)
Milhares de policiais vigiavam as ruas da capital Daca, que nos domingos reúnem multidões neste país de 153 milhões de habitantes, dos quais 90% são muçulmanos.
Quarenta ativistas islâmicos foram detidos por tentar de levantar uma barricada em uma das principais avenidas da cidade e atirar pedras contra os policiais.
Quarenta ativistas islâmicos foram detidos por tentar de levantar uma barricada em uma das principais avenidas de Daca. (Foto: Munir Uz Zaman/AFP)Quarenta ativistas islâmicos foram detidos por tentar de levantar uma barricada em uma das principais avenidas de Daca. (Foto: Munir Uz Zaman/AFP)
Vários partidos islamitas, aliados do principal partido da oposição, convocaram a greve para protestar contra o vídeo "Inocência dos Muçulmanos", filme de baixo orçamento e péssima qualidade que ainda provoca comoção no mundo muçulmano.
Os partidos islamitas de Bangladesh também querem protestar contra a publicação de charges do profeta Maomé na revista satírica francesa Charlie Hebdo.
No sábado, 50 pessoas ficaram feridas em Bangladesh em um protesto que havia sido proibido.

G1/GRITOS DE ALERTA

Vendaval destrói salas e deixa alunos sem aula em Ribeirão Corrente, SP



Ventania de 20 minutos arrancou telhado e fez estrutura do forro despencar.
Atividades foram suspensas para técnicos avaliarem risco de desabamento.


Telhado de sala de aula despenca após vendaval em Ribeirão Corrente, SP (Foto: Rosilaine Silveira)Telhado de sala de aula despenca após vendaval em Ribeirão Corrente, SP (Foto: Divulgação)
Cerca de 400 alunos da Escola Municipal Granduque José em Ribeirão Corrente (SP) ficarão sem aulas na próxima segunda-feira (24), após um vendaval seguido de temporal destruir as salas da instituição na tarde de sexta-feira (21). As atividades podem ser suspensas por mais tempo, até que técnicos avaliem o local.
Segundo a secretária Municipal de Educação, Rosilaine Silveira, nenhum aluno ficou ferido porque a direção evacuou o prédio antes do desastre. “Quando a diretora da escola percebeu que podia desabar, levou os alunos para o Ginásio Municipal, que fica em frente à unidade”, relatou.
Toda a estrutura de uma sala de vídeo despencou e o telhado da escola foi arrancado pela ventania, que durou cerca de 20 minutos. Engenheiros da Prefeitura visitarão o colégio para avaliar os riscos de desabamento e a possibilidade de reforma.
“As paredes estão com rachaduras, então acredito que talvez interditem o local”, disse Rosilaine, que não descartou a hipótese de transferir os estudantes para outras unidades para que as aulas não sejam suspensas por muito tempo. "Estamos terminando o ano, não podemos parar agora."

Alunos tiveram aulas suspensas após vendaval destruir telhado de escola em Ribeirão Corrente (Foto: Divulgação)Alunos tiveram aulas suspensas após vendaval destruir telhado de escola em Ribeirão Corrente
(Foto: Divulgação)
 
POR:G1/GRITOS DE ALERTA

FALTA SEGURANÇA - Mais de 1 trabalhador da construção morre por dia no país, diz Previdência

Foram 438 mortes em 2010, número considerado subestimado pelo governo.
Em agosto, homem teve crânio atravessado por vergalhão e sobreviveu.

arte mortes construção civil (Foto: Arte G1) Mais de uma morte acidental de trabalhadores da construção civil é registrada por dia em canteiros de obras espalhados pelo Brasil, segundo dados do Ministério da Previdência.
Acidentes recentes chamaram a atenção para o problema. Nos últimos dois meses, dois operários do Rio de Janeiro foram atingidos por vergalhões em obras: Eduardo Leite, de 25 anos, teve o crânio perfurado; em Francisco Barroso, o pedaço de metal atravessou o pescoço – ambos sobreviveram. Em junho, um trabalhador de Brasília morreu ao cair de uma altura de 30 metros na construção do Estádio Nacional.
Só na cidade de São Paulo, pelo menos oito trabalhadores morreram este ano, de acordo com o sindicato do setor. No Rio de Janeiro, foram pelo menos dois casos.
Em todo o país, 438 trabalhadores da construção civil morreram em acidentes de trabalho em 2010 (dado mais recente disponível). O setor foi o terceiro que mais matou - a indústria de transformação, que perdeu 648 vidas, está em primeiro lugar. Ao todo, foram 2.712 mortes por acidente de trabalho naquele ano, segundo dados da Previdência.

E os números podem ser ainda maiores – o próprio governo os considera subestimados, já que só levam em conta funcionários com carteira assinada e deixam os informais de fora. Na construção civil, os informais são cerca de 40% da mão de obra, de acordo com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).
Exército de inválidos
“Estamos criando um exército de inválidos, com um custo altíssimo para o Estado e para as famílias dessas pessoas”, diz Rubens Curado, gestor nacional do programa Trabalho Seguro, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
A situação levou o TST a eleger a construção civil como tema deste ano do programa Trabalho Seguro, que visa aumentar a conscientização de trabalhadores e empresas sobre a necessidade de adotar medidas para evitar os acidentes.
Acidentes na construção civil
Ano Número de acidentes Número de mortos
2009 55.670 407
2010 54.664 438
Fonte: Ministério da Previdência
A construção civil foi responsável por 56.433 acidentes em 2010, número considerado “irracional” por Curado e equivalente a 8% do total verificado no país envolvendo trabalhadores (701.496).
Para Curado, o governo precisa adotar ações urgentes para reverter esse quadro. Uma delas seria investir na inclusão, nas escolas, de disciplinas que ensinem as crianças a evitar acidentes.
Boom de obras
O vice-presidente de Relações Capital-Trabalho do SindusCon-SP, Haruo Ishikawa, avalia que a alta no investimento na construção civil nos últimos anos – no setor imobiliário e em infraestrutura –, teve impacto também nos acidentes e mortes verificadas no setor.
“O país não estava preparado com profissionais qualificados para o boom de obras que vimos nos últimos anos”, disse ele.
Segundo Ishikawa, o número de trabalhadores formais no setor aumentou de 1,5 milhão para 3,5 milhões entre 2006 e 2012, sem que houvesse aumento proporcional no número de acidentes e mortes.
Ele diz que as empresas de construção investem em treinamento e conscientização de seus trabalhadores e que os acidentes em obras acabam chamando a atenção por conta da gravidade e do interesse da imprensa.
Cumprimento de normas
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), Antonio de Sousa Ramalho, diz que o país dispõe de boas normas de segurança que, se respeitadas, poderiam reduzir os acidentes e mortes nos canteiros.
Para que isso aconteça, diz ele, seria necessário aumentar a fiscalização. “Não deveria existir acidente. Quando acontece, é por falta de prevenção e cuidado”, diz Ramalho. “Aqui em São Paulo, paramos obras quase todo dia por desrespeito às normas de segurança”, completou.
O procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Brasília Valdir Pereira da Silva concorda que os acidentes são resultado de falha no cumprimento de normas de segurança. E diz que a situação só vai mudar com conscientização de trabalhadores, além de fiscalização e repreensão, inclusive com multas altas contra as empresas, que são as responsáveis pelo cumprimento das regras.
“A empresa é a responsável pela aplicação das normas e tem que fiscalizar e cobrar dos seus trabalhadores o cumprimento delas. Jogar a culpa nos funcionários quando ocorre o acidente, ou alegar que eles acontecem por conta da baixa escolaridade, é uma visão simplista e injusta”, diz Silva.
Taxa em queda
Procurado pelo G1, o Ministério do Trabalho e Emprego informou que houve redução na taxa de incidência de acidentes de trabalho na construção civil, de 11,54 para 9,06 acidentes por mil trabalhadores entre 2008 e 2010.

No mesmo período, a taxa de mortalidade no setor caiu de 8,10 mortes por 100 mil trabalhadores, para 7,03 mortes.
O ministério informou que suas fiscalizações em canteiros de obras aumentaram de 25.706 em 2001 para 31.828 em 2011 e que a construção civil tem sido a prioridade para os cerca de mil auditores-fiscais que realizam ações de segurança no trabalho no país.
“Os agravos à saúde e à vida do trabalhador não podem ser resumidos a fatores isolados, especialmente quando se pensa que as empresas não têm sido fiscalizadas”, diz o ministério em nota.
“Precisamos destacar é que a proteção à saúde e à vida dos trabalhadores precisa ser elevada nas empresas, pelo menos, à mesma importância que a proteção aos lucros.”
Segundo o MTE, seu orçamento para 2013 prevê R$ 3,1 milhões para Inspeção em Segurança e Saúde no Trabalho e outros R$ 990 mil para serem aplicados em Auditoria Trabalhista de Obras de Infraestrutura.
 
G1/GRITOS DE ALERTA

'Passaram frio e medo', diz filho de casal preso em trem na Cordilheira

Casal de Jundiaí (SP) ficou preso a mais de 3 mil metros de altitude.
Filho tentou contato com o Itamaraty, mas não conseguiu ser atendido.


O estudante Pedro Müller, de 22 anos, filho do casal que ficou preso em um trem turístico na noite da última sexta-feira (22) em plena Cordilheira dos Andes, no município argentino de San Antonio de los Cobres, disse em entrevista ao G1 que seus pais passaram por momentos de grande apreensão.
"Eram 22h30 quando eles me ligaram para avisar que estavam presos por quatro horas no trem, a mais de 3 mil metros de altitude em um local cheio de neve. Eles disseram que passavam muito frio, faltava água e que não havia mais oxigênio nos cilindros de emergência. Para piorar, as ligações telefônicas estavam péssimas e caíam o tempo todo", explicou o rapaz.
O casal Rosemary Müller Machado e Valdecir de Jesus Machado, pais de Pedro, são de Jundiaí (SP) e viajaram a passeio para a Argentina na quarta-feira (19). O médico de 49 anos e sua esposa, de 52, se hospedaram em um hotel na cidade de Salta, onde embarcaram na sexta (22) no "Trem das Nuvens". "Foi a terceira vez que meus pais foram para a Argentina, mas eles nunca tinham feito este passeio no trem", disse Pedro.
Preocupado com a situação, o filho do casal tentou contato com o Itamaraty, mas não conseguiu falar com ninguém. "Foram mais de 20 ligações durante à noite de sexta-feira sem ter nenhum tipo de retorno, nem mesmo uma simples gravação eletrônica", afirma Pedro.
A angústia do rapaz só foi definitivamente encerrada na noite de sábado (22), quando seus pais lhe enviaram uma mensagem, via e-mail, informando que conseguiram ser resgatados. "Era 19h30 quando recebi um e-mail enviado do hotel. Meu pai relatou que tiveram muita sorte e que tinham sido um dos primeiros a serem retirados do trem", conta. Mais de 400 pessoas ficaram presas por cerca de seis horas entre a noite de sexta-feira (21) e a madrugada deste sábado (22).
De acordo com o filho, os pais devem retornar ao Brasil ainda neste domingo (23). Pedro Müller não soube informar em qual aeroporto os pais vão desembarcar.

POR:G1/GRITOS DE ALERTA

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...