quinta-feira, 7 de junho de 2012

Estudo aponta que 1 em cada 3 cristão não vivem os ensinamentos de Cristo


Estudo aponta que 1 em cada 3 cristão não vivem os ensinamentos de CristoUma pesquisa realizada por R. Brad White, fundador do Changing The Face of Christianity (Mudando a Cara do Cristianismo), aponta forte crescimento no número de cristãos “nominais”, também chamados “não praticantes”. “Os resultados são preocupantes, porque 1 em cada 3 autoproclamados cristãos admitem que raramente vivem os ensinamentos de Jesus Cristo”, afirmou o pesquisador.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
White completou ainda: “Nossa missão é reverter os estereótipos negativos dos cristãos para ajudar os cristãos a serem mais comprometidos com Jesus Cristo. E assim nosso objetivo é transformar estes cristãos em cristãos espiritualmente maduros que caminhem e representem melhor nossa fé ao mundo”.
Divulgada na semana passada, a pesquisa é resultado de testes de auto avaliação anônima, que pediu aos cristãos para dizer como eles agiriam aos dilemas da vida. A pesquisa foi divulgada pela Changing The Face of Christianity, que é uma organização de educação cristã sem fins lucrativos.
Através das respostas do teste, a organização procurou determinar se os entrevistados estavam “longe de Cristo”, se estavam agindo como “os cristãos mundanos” ou como “bom cristão”, ou se estavam sendo “cristãos espiritualmente maduros”.
Segundo o Noticias Cristianas, a investigação começou em 2011, e os resultados iniciais indicavam que um em cada quatro foi classificado como “cristãos mundanos” ou “cristãos apenas no nome”, como a organização os descrevia, mas agora, os resultados mais recentes mostram que o número aumentou de 23,7 % a 30,9% – ou seja, quase 1 em cada 3 agora “cristãos são mundanos”.
Nas outras três categorias o estudo classificou, entre os 1500 entrevistados, apenas 2,9% como “longe de Cristo”, 38,5% como “Bom Cristão”, e 27,8% foram classificados como “cristão espiritualmente maduro”.


ISSO MOSTRA CLARAMENTE A GRANDE DIFERENÇA ENTRE CRENTE É CRISTÃO PRATICANTE .

VIA GRITOS DE ALERTA.
G+

PISANDO NA BOLA - Pré-candidato, José Serra agenda reunião com líderes evangélicos em busca de voto e não comparece


Pré-candidato, José Serra agenda reunião com líderes evangélicos em busca de voto e não compareceUma reunião organizada entre lideranças políticas e evangélicas, com presença de pastores, foi realizada na última quinta-feira, 31/05, para discutir o apoio ao pré-candidato à prefeitura de São Paulo pelo PSDB, José Serra.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Porém, o ex-governador paulista não compareceu ao evento, que contou com a presença do vice-governador Guilherme Afif Domingos (PSD) e do coordenador de campanha do PSDB, Edson Aparecido.
Entre os cerca de trinta pastores presentes à reunião, estavam representantes da Assembleia de Deus e da Missão Mundial Graça e Paz. O vice-governador Guilherme Afif Domingos explicou o motivo de Serra não ter comparecido: “Não podemos estressar o candidato. Não podemos tirar a energia. Ele tem que estar descansado para aparecer na televisão”.
Domingos ainda ressaltou a importância de contar com o apoio dos evangélicos, que somam 20% do eleitorado paulista, para vencer as eleições: “Temos duas frentes de ação: a artilharia aérea, que bombardeia por cima, como a comunicação, muito importante numa cidade como São Paulo. E a infantaria, uma batalha em cada campo. Vocês são pregadores e vamos ter que pregar essa boa nova por São Paulo”.
O deputado Walter Feldman (PSDB) ressaltou a relação histórica de parceria entre José Serra e os evangélicos. O candidato foi apoiado por uma das principais lideranças evangélicas nacionais em sua candidatura à presidência, em 2010. “Todos querem estabelecer primeiros contatos [com os evangélicos]. Não é nossa realidade. Serra tem uma relação antiga, histórica. Queremos que ela se aprimore”.
O coordenador da campanha, Edson Aparecido afirmou que Serra precisa ir às igrejas: “Precisamos de um comando para definir propostas, agenda e a ação que vamos fazer em suas igrejas. E colocar o Serra no corpo a corpo”.
De acordo com a reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”, os líderes evangélicos escolheram o atual prefeito da cidade, Gilberto Kassab, aliado político de José Serra, e que mantém boa relação com as igrejas Universal e Mundial como alvo: “Quando somos atendidos [na Prefeitura], somos mal atendidos. E hoje temos o que eles precisam. Agora somos chamados para eleger Serra, mas vamos ser excluídos”, disse o reverendo José Dinarte Macedo Barbosa, da Catedral da Bênção, que emendou: “Apoiamos [José Serra] até porque não tem opção melhor”, completou.
Sobre a discussão em torno da legalização ou não do casamento gay, os líderes evangélicos não cobraram dos políticos uma posição a respeito do tema: “A gente sabe que a disputa municipal não é o fórum para isso. Mas as posições dos candidatos são levadas em conta”, afirmou o presidente do Conselho Político da Assembleia de Deus, Lélis Washington, que acredita que José Serra é “uma das opções” que os evangélicos paulistanos tem para apoiar.
Fonte: Gospel+

Governo pode legalizar aborto de forma indireta

Eleonora Menicucci, ministra do governo Dilma.
O aborto é proibido no Brasil, certo? Se depender do governo, a reposta pode ser sim e não.
O Ministério da Saúde poderá adotar uma política de “redução de danos e riscos para o aborto ilegal”, segundo indica o jornal Folha de São Paulo.
O objetivo seria reduzir a mortalidade materna e traçar uma política de planejamento reprodutivo. Esse modelo já foi adotado pelo Uruguai em 2004, mas os resultados são moralmente questionáveis.
No Brasil, o sistema de saúde iria ajudar toda mulher que já decidiu fazer um aborto clandestino, dando informações sobre os riscos à saúde e os métodos abortivos existentes. A polêmica se instaurou porque isso poderia fazer com que os médicos precisem indicar os métodos considerados mais seguros, como o uso de misoprostol, presente no remédio estomacal Cytotec, e amplamente usado em abortos, embora tenha a venda restrita.
Segundo dados do governo, a estimativa é que são feitos cerca de um milhão de abortos clandestinos no país. Em 2011, 1.038 mulheres morreram em consequência desses abortos ilegais.
“Como essa discussão é nova para nós, não fechamos o que seria um rol de orientação. Queremos estabelecer, até do ponto de vista ético, qual é o limite para orientar as equipes”, diz o secretário de Atenção à Saúde do ministério, Helvécio Magalhães.
Essa proposta foi tratada pela ministra Eleonora Menicucci (Ministério das Mulheres), na semana passada, em um seminário sobre mortes maternas. Menicucci e Magalhães dizem, que sua decisão não muda a legislação que criminaliza o aborto. “Já temos a ideia de que isso não é crime, o crime é o ato em si”, diz o secretário.
Mais uma vez o governo da presidente Dilma se contradiz, ou muda as regras, pois na época da sua candidatura, para receber apoio dos evangélicos, prometeu não mexer com essas questões. Por ocasião da nomeação de Menicucci, que se declarava favorável ao aborto, o governo voltou atrás, mas aparentemente não desistiu.
O colunista Gilberto Dimenstein, da Folha, rapidamente “alertou” seus leitores que os evangélicos irão se opor.
“Qualquer indivíduo que conheça um mínimo sobre juventude sabe que aborto é prática cotidiana… Fala-se em mais de 200 mil internações anuais por causa do aborto inseguro, afetando na maioria das vezes adolescentes. Ficar sem fazer nada, apenas olhando, não é apenas uma irresponsabilidade. Mas uma desumanidade em nome de Deus.
Uma das involuções brasileiras: temas de saúde pública passaram a ser ainda mais enfocadas pela ótica teológica durante a campanha eleitoral. Há uma violência diária contra gays e lésbicas nas escolas. Produziu-se um material didático, preparado por especialistas. Veio a pancadaria, o material está mofando, dinheiro jogado fora. E simplesmente não se fala mais no assunto”, escreveu ele.
O jornalista, assim como muitos outros, acredita que as recentes discussões públicas que receberam críticas da chamada Frente Parlamentar Evangélica tem sido um atraso para o país. O assunto mais comumente debatido é a questão da legalidade do casamento homossexual, mas temas como a descriminalização das drogas também merecem atenção.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. GOSPEL PRIME

Blogueira publica série de artigos em resposta ao desafio do pastor Silas Malafaia e afirma que a mensagem pregada por ele traz “heresias ensinadas por americanos”. Confira


Blogueira publica série de artigos em resposta ao desafio do pastor Silas Malafaia e afirma que a mensagem pregada por ele traz “heresias ensinadas por americanos”. ConfiraO desafio do pastor Silas Malafaia a blogueiros e formadores de opinião, que são contrários à sua pregação da teologia da prosperidade, a provarem erro teológico em suas afirmações, foi rebatido em uma série de cinco artigos da blogueira Vera Siqueira.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Vera, esposa do pastor Paulo Siqueira, também blogueiro e líder do movimento “Evangelho Puro e Simples”, afirmou em seu primeiro artigo da série que pregar a teologia da prosperidade é incoerente com a Bíblia.
Se Deus quisesse que todos os Seus filhos fossem ricos, não começaria exemplificando no próprio Jesus, Seu Filho Unigênito? Por que Deus quis que Seu Filho nascesse numa manjedoura, filho de um carpinteiro? Por que Jesus disse: “As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça” – Mateus 8.20? Por que Jesus fez centenas de milagres, mas NUNCA fez ninguém ficar rico? Por que Jesus disse que é MUITO DIFÍCIL um rico entrar no Reino dos Céus (Marcos 10.25-27), e o Malafaia leva seus fiéis a crerem que Deus lhes quer tornar ricos e abundantes NESTA vida?
Em seu segundo artigo de resposta ao pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Vera afirma que “Malafaia e seu amigo americano ‘Dr.’ Mike Murdock vendem descaradamente a ‘salvação de toda a família’ e outras duas bênçãos por irrisórios R$ 1.000,00, com a desculpa de que esse valor levará 1 milhão de almas a serem salvas. Essa promessa se deu em 2010, e até agora o ‘contador de almas’ do site do Malafaia não conta nem 100 mil”.
Nem vou comentar a gigantesca e nababesca heresia que é dizer que, em troca de uma oferta alçada, o fiel terá toda a sua família salva. Que Deus abra os olhos do Seu povo.
Em seu terceiro artigo, Vera Siqueira afirma que o pastor Silas Malafaia “pensa que basta pregar uma mensagem ‘bonitinha’ sobre a prosperidade e desafiar seus críticos a encontrarem nela alguma heresia, para que todas as suas heresias passadas sejam esquecidas”. A blogueira afirma ainda que “contra as heresias proferidas, o Malafaia precisa demonstrar verdadeiro arrependimento”.
Vera Siqueira afirma que por necessidade de arrecadação, Malafaia e Cerullo reduziram o “preço da unção financeira” divulgada nos programas do pastor assembleiano.
Como estava baixando a arrecadação da oferta de salvação para toda a família por mil reais, o Cerullo voltou e baixou o preço da unção financeira dos últimos tempos, de R$ 900,00 para R$ 610,00. Mais em conta (embora ainda bem caro), mais acessível, mas tão herege quanto a oferta original.
Em seu quarto artigo, a blogueira comentou a igreja perseguida nos países onde a pregação do evangelho não é permitida, e afirmou que a “prosperidade que eles [igreja perseguida] possuem (tesouros e grandes riquezas e galardões nos céus, não nessa terra) não interesse a pessoas como Silas Malafaia”.
O quinto artigo da série de resposta da blogueira Vera Siqueira ao desafio do pastor Silas Malafaia traz comentários sobre a mensagem veiculada por ele no programa Vitória em Cristo do dia 02/06.
Vera afirma que assistiu à mensagem de Malafaia com “profunda tristeza e indignação”, e afirma que esperava que a pregação a surpreendesse: “Sinceramente imaginei que o Malafaia aproveitaria para fazer uma mensagem bíblica, sem os ranços da Teologia da Prosperidade que aprendeu de gente como Morris Cerullo e Mike Murdock”.
O relato da blogueira explica que “na mensagem tão propagandeada como sendo irrepreensível à luz das Escrituras, sendo motivo de um desafio de tolo (pois não passou de uma jogada de marketing…), o pastor disse apenas mais do mesmo. As mesmas heresias, os mesmos enganos antes ensinados por seus professores americanos”.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. G+

VEJA A FORMA DE TRATAMENTO PARA ENGRAVIDAR FEITO POR ALGUNS GRUPOS ISLÂMICOS.


OUÇA AS CANÇÕES ENQUANTO SOCA A COITADA DA MULHER.
MAIS UM PRODUTO DAS ORGANIZAÇÕES TABAJARA.
Um tribunal de Bruxelas, na Bélgica, condenou nesta quinta-feira seis pessoas por torturar até a morte uma jovem de 23 anos durante uma sessão de exorcismo. Latifa Hachmi morreu em agosto de 2004, depois de ser submetida durante um mês a uma violenta prática de exorcismo na esperança de conseguir engravidar.
O processo, admitido entre alguns grupos islâmicos - religião de todos os envolvidos no caso - é conhecido como Roqya, uma mistura de magia e religião.

Segundo a juíza Karin Gérard, a vítima foi golpeada "uma centena de vezes" com sandálias e bastões cobertos com versos do Corão, o livro sagrado dos muçulmanos, depois de ter sido obrigada a beber enormes quantidades de água suja e a passar dias sem comer.


Hachmi também foi forçada a permanecer com fones de ouvido durante o processo para escutar incessantemente versos do Corão.

Mas, segundo o laudo dos médicos, o momento fatal teria ocorrido quando Hachmi, com os pulsos e os joelhos atados, foi submersa em uma banheira com água "extremamente" quente e quase se afogou.


"Eu quis pedir ajuda, mas os outros (dois exorcistas e três "curandeiras" responsáveis pela sessão) disseram que Latifa não sofria, era os Djinns (demônios) que estavam sofrendo", afirmou ao tribunal Mourad Mazouj, marido da vítima e um dos condenados.

Desespero
Durante o processo, Mazouj assegurou que o exorcismo foi realizado a pedido de sua própria esposa, para conseguir engravidar

 "Ela queria esse tratamento e concordava com ele. Hachmi tinha decidido abandonar a medicina tradicional (para aumento da fertilidade) e tinha escolhido a Roqya", afirmou a advogada de Mazouj, Carine Couquelet.
De acordo com Antoine Chomé, advogado de Xavier Meert, um dos exorcistas condenados, seu cliente queria apenas ajudar a vítima, que estava desesperada com sua incapacidade de engravidar. "Ele quis ajudar, ainda que de uma maneira catastrófica. Não se deve classificar o quase afogamento como uma tortura, mas, sim, como uma falta de discernimento", argumentou.
O tribunal belga, por outro lado, entendeu que os atos cometidos contra Hachmi se qualificam penalmente como tortura. A pena para este caso varia de 20 a 30 anos de prisão e será anunciada na próxima segunda-feira.

SE TRATAMENTO PARA ENGRAVIDAR É ASSIM QUE ELES FAZEM , FICO IMAGINANDO O RESTO DO TRATAMENTO .
POR EXEMPLO,  A VAZECTOMIA COMO DEVE SER FEITO ?


GRITOS DE ALERTA.



Filha de Regis Danese não será transferida de hospital

A filha de Regis Danese, Brenda, que foi para a UTI com uma piora em seu estado, não poderá ser transferida para o Hospital Sírio Libanês em São Paulo, segundo a assessoria do cantor.

“Brenda não será transferida, os médicos disseram que ela não tem condições”, disse Luciana Dias ao The Christian Post, nesta quarta-feira pela manhã.

Segundo ela, um agendamento está sendo feito para a vinda de um médico do Hospital Sírio Libanês para Belo Horizonte para trabalhar com a equipe mineira.

Brenda, de 3 anos, que foi diagnosticada com leucemia, teve recentemente complicações e teve que ser levada para a UTI.

“Orem pela Brendinha, está na UTI, mas a vitoria é nossa em nome de Jesus!!! Deus tem um plano na vida dela, ore e jejue por ela!!!”, escreveu Regis em seu Twitter no dia 1° de junho.

“Ai, está doendo muito, mas Deus está no controle, senhor Jesus, tu tens um plano na vida da Brendinha, eu creio nos teus milagres! Brendinha continua na UTI tomando plaquetas duas vezes por dia”, expressou depois o cantor, a sua dor.

Regis começou um jejum de oração de 21 dias como relatado no livro de Daniel, no antigo testamento, em prol da cura completa de Brenda. Em seu Twitter ele convocou também aos seus seguidores e amigos a ajudarem no jejum.

“Vamos começar amanhã (terça-feira, 5) um Jejum de Daniel pela vida da Brenda, 21 dias só de agua, legumes, verduras, quem pode nos ajudar da um RT”, escreveu ele no microblog.

O jejum faz mênção ao jejum que Daniel fez e retratou, “Naqueles dias eu, Daniel, estive triste por três semanas. Alimento desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas (Daniel 10:2-3)”.

Algumas igrejas também motivam as pessoas a fazerem esse jejum em prol de uma dedicação maior à Deus, em coração de humilhação e esvaziamento, intensificando a comunhão do crente com o Senhor.

Regis urge a todos que continuem o jejum aos que optaram por fazer “em nome de Jesus pela vida da Brendinha”, e agradece a todos pelo apoio até o momento recebido.

“Continuamos firmes, orando e jejuando pela vida da Brendinha, 21 dias de jejum e oração, a vitoria e nossa pelo sangue de Jesus!!!”

Fonte: The Christian Post

NÃO VOTE EM BANDIDO FICHA SUJA , VOTE EM QUEM TEM CARATER E MORAL .

A Igreja Crstã deve   aproveitar as eleições municipais desse ano para eliminar do pleito “os candidatos cujas vida pregressa de acordo com a lei (da Ficha Limpa) contamina o cenário político e ameaça a democracia” .
TIRAR FORA OS PINOCHIOS QUE SOMENTE SABEM MENTIR  E ENGANAR O POVO HUMILDE E TRABALHADOR.
Para tanto propõmos  aos eleitores em geral que não venda seu voto e nem o anule, pois quem anula o voto “omite-se e renuncia à possibilidade de participar do processo político”.

Os conceitos estão no documento “Orientação sobre a participação dos católicos e evangelicos nas eleições” .

Um dos principais alertas da Igreja é para que o eleitor “avalie, com cuidado, as campanhas dos candidatos, a quantidade de dinheiro gasto e as promessas feitas.


Verifique se eles terão condições de cumprir o que estiverem prometendo”.

 Pede uma “atenção especial” à “propaganda enganosa, á oferta de dinheiro ou favores que visem enganar o eleitor”.



Queremos que todos tomem consciência, pois estamos preocupados com o seguinte: diante do que aparece na mídia sobre os políticos há o perigo das pessoas descrerem da política, acharem que é uma coisa ruim, quando ela é a arma do cidadão para se defender da corrupção.

Se há corrupção é porque a escolha dos candidatos foi errada de quem os elegeu”, pois  além da tomada de consciência em relação ao voto, os brasileiros precisam acompanhar os mandatos de quem elege , e corrupto não merece a segunda chance.


 “As pessoas devem acompanhar, se manifestar, elogiando quando uma coisa é bem feita ou reclamar das coisas erradas . O bispo deu “graças a Deus” ao aparecimento da Lei da Ficha Limpa, e “uma lástima” aos ataques que a legislação sofre, e acredita haver a necessidade de se criar uma “cultura política do povo de cobrar dos seus representantes.

E se o político representa bem merece ser reeleito, senão é melhor que não receba mais voto”.
BISPO ROBERTO TORRECILHAS

PARABÉNS AO PREFEITO - ATITUDE CORRETA. - Prefeitura do interior paulista rejeita pedido de hasteamento da bandeira do movimento gay

A Prefeitura de Presidente Prudente (558 km de São Paulo) recusou nesta quarta-feira (6) o pedido de hasteamento da bandeira do movimento gay em frente ao prédio do paço municipal, no centro da cidade.
O pedido havia sido feito pelo Grupo de Estudos Sobre a Sexualidade e Cidadania (Gesc), entidade que defende os direitos dos homossexuais. A solicitação era para que a bandeira permanecesse hasteada, junto com a do Brasil, a de São Paulo e a do município, no período de 1º a 15 de julho, período de eventos relacionados à Parada Gay da cidade.
“Não há instrumento legal para atender o pedido”, justificou o secretário municipal de Comunicação, Marcos Tadeu Cavalcante. Segundo ele, a legislação federal não permite a inclusão de bandeiras de entidades e organizações junto à bandeira nacional em repartições públicas, como o da prefeitura. “Outro problema é que estaríamos abrindo um precedente para todas as outras entidades fazerem o mesmo”, acrescentou.
O presidente do Gesc, Hélio Cruz, organizador da Parada Gay, disse que não aceita a recusa. “Tem cinco mastros em frente à prefeitura. Dois deles nunca ficam ocupados. Não custa nada nossa bandeira ficar tremulando lá, ao lado da nacional, do Estado e do município. Iríamos chamar a atenção das autoridades regionais para a indiferença e a homofobia”.
Cruz disse que na segunda-feira (4) protocolou outro pedido para que a bandeira de seis cores do movimento LGBT seja içada na prefeitura. Caso haja nova recusa, ele promete recorrer ao Ministério Público.
O oficial de instrução do Tiro de Guerra de Presidente Prudente, subtenente Alexandre Motta, afirma que a lei que regula o uso de símbolos nacionais não deixa claro se é permitido hastear, em repartições públicas, bandeiras de entidades junto à bandeira nacional.
“Acho que é uma questão de bom-senso. Eu não permitiria. Em locais particulares, como sedes de clubes de futebol, isso pode, desde que a bandeira nacional fique em posição de destaque em relação às demais.”

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. UOL

Dinamarca aprova lei que permite casamento gay em igrejas

COPENHAGUE, 7 Jun 2012 (AFP) -O Parlamento da Dinamarca aprovou nesta quinta-feira uma lei que permite aos homossexuais se casarem na igreja Evangélica Luterana (oficial no EStado dinamarquês), apesar de deixar para os pastores a opção de realizar a cerimônia ou pedir que outro assuma esta responsabilidade.

A lei, apresentada pelo governo de centro-esquerda no início do ano, recebeu 85 votos a favor e 24 contra e duas abstenções, apesar de 68 legisladores não comparecerem à sessão.

No entanto, os pastores não serão obrigados a realizar estas cerimônias se considerarem que vão contra suas convicções.

A Dinamarca foi o primeiro país do mundo a permitir que casais homossexuais oficializassem uniões civis em 1989 e, mais tarde, deu aos homossexuais o direito de terem estas uniões reconhecidas pela Igreja, mas a nova lei define seu direito a uma cerimônia religiosa.

Em 2009, também reconheceu o direito dos homossexuais em adotar crianças.

Com 20% do eleitorado, evangélicos são disputados no Rio

Clarissa Garotinho, vice na chapa de Rodrigo Maia, tem penetração entre evangélicos. Foto: Divulgação
Clarissa Garotinho, vice na chapa de Rodrigo Maia, tem penetração entre evangélicos
Foto: Divulgação
Dassler Marques
Mauricio Tonetto
Sem a deputada Benedita da Silva e o senador Marcelo Crivella na disputa, o que não ocorria há quase 20 anos, a eleição do Rio de Janeiro terá um ingrediente novo em um passado recente: a ausência de um candidato evangélico. O fato faz os pretendentes ao cargo se mobilizarem com estratégias específicas para atrair essa fatia do eleitorado, que pode chegar a 20% do total, segundo projeções dos próprios candidatos e do cientista político da Universidade Federal Fluminense (UFF) Marcus Ianoni.
Em teoria, o deputado Rodrigo Maia (DEM) é quem terá mais força junto ao público, já que a deputada estadual Clarissa Garotinho (PR), vice na chapa de Rodrigo, é evangélica, e o pai dela, o deputado federal Anthony Garotinho, também é visto como um interlocutor. "O Garotinho optou por um caminho em que a questão dos valores é prioridade na pauta política e no posicionamento dele. O mandato é na defesa de questões como o kit homofobia, e ele tem se posicionado nesses temas. É natural que os evangélicos vejam nele essa referência", analisou Maia.
O prefeito Eduardo Paes, que busca a reeleição pelo PMDB, tem em sua rede de alianças o PRB, legenda de Marcelo Crivella, ministro da Pesca do governo Dilma Rousseff. Crivella é ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. Outras organizações religiosas que acompanham o atual prefeito são a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, a Igreja Internacional da Graça e as rádios El Shaddai e Melodia, ambas da área gospel.
"Nenhum desses grupos tem mais de 3% ou 4% da população. As assembléias de Deus são as maiores (igrejas), mas ninguém tem controle total", afirmou Maia. O deputado do DEM define os assuntos que mais atraem a atenção: "Isso já foi detectado há muito tempo e todos os partidos trabalham temas polêmicos como valores ou leis municipais, aborto ou casamento gay. O eleitor gosta".
Psol critica "votos de cabresto"
O pastor Mozart Noronha, da Igreja Luterana, critica a "manipulação de massa" que ocorre, segundo ele, em diversas igrejas do Rio de Janeiro. Militante do Psol, Noronha diz que existe um "eleitorado de cabresto" no Rio e que o deputado Marcelo Freixo (Psol), pré-candidato à prefeitura da cidade, não terá nenhuma estratégia para obter votos evangélicos.
"Existem igrejas evangélicas com perfis completamentes diferentes. Os neopentecostais têm um poder de voto muito grande e são compostos de uma grande massa, comandada por um clero ardiloso e manipulador. Essas igrejas normalmente têm candidatos próprios e imenso número de votos. O Marcelo Freixo não está nessa questão. Muitos evangélicos históricos vão votar nele, mas pelas posições políticas", ressaltou.
O pastor tem participado de eventos com Freixo e, mesmo sendo evangélico, propõe uma separação entre igreja e Estado: "As pessoas que vão apoiá-lo farão porque se identificam com ele e sua proposta, que é nova. Ele terá muitos votos conscientes. Não são eleitores de cabresto, passíveis de manipulações. Fazemos uma separação entre igreja e Estado." Freixo, no entanto, busca o apoio da ex-senadora Marina Silva (PV), coadjuvante do segundo turno na última eleição presidencial. Evangélica, ela obteve quase 20 milhões de votos no primeiro turno.
Penetração evangélica no poder
O cientista político Marcus Ianoni acredita que, independentemente de quem vencer a eleição municipal deste ano no Rio de Janeiro, os evangélicos estarão em postos importantes e influentes no Poder Público da cidade: "Dada a presença deles na sociedade e na política carioca, com certeza eles ocuparão postos na próxima administração, seja no Executivo ou no Legislativo. Eles têm lideranças com boa penetração nos partidos e no eleitorado."
O professor da UFF entende que os candidatos vão assumir posturas diferentes durante a campanha para atrair votos religiosos. "Se um candidato conseguir acordo com segmentos evangélicos que lhe abra a expectativa de receber expressivos votos, ele poderá colocar em seu programa de TV algumas bandeiras caras para os evangélicos. Mas é importante não esquecermos que nem sempre tocar em assuntos religiosos de uma forma intensa é uma boa estratégia. Há no Rio um eleitorado de classe média que é avesso a campanhas conservadoras", ponderou.
O Terra entrou em contato com a assessoria do prefeito Eduardo Paes, que afirmou que ele só vai se manifestar sobre esse e qualquer outro assunto relativo durante a campanha eleitoral. Em setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve divulgar novos dados sobre o eleitorado religioso no Rio de Janeiro.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. TERRA.COM.BR

MENSALEIROS PRONTO PARA SEREM JULGADOS- PT TEME QUE ESSE JULGAMENTO AFETE NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS -

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de começar a julgar o mensalão no dia 1º de agosto deste ano preocupa o comando do PT. Dirigentes do partido ouvidos agora à noite pelo Blog já reconhecem de forma reservada que esse julgamento irá interferir diretamente nas eleições municipais desse ano.

“Não tem como proibir que esse julgamento seja usado contra o PT na campanha eleitoral”, constatou um dirigente do partido. Para os petistas, esse foi o pior calendário possível. Isso porque os votos dos ministros serão dados a partir da segunda quinzena de agosto, justamente quando começa a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

Já entre advogados com trânsito no STF, a avaliação é de que – independente das versões – a divulgação do encontro em que o ex-presidente Lula teria pressionado o ministro Gilmar Mendes a adiar o julgamento do mensalão ajudou a blindar o Supremo de ações externas. O reflexo disso foi o consenso na Casa em torno do calendário apresentado hoje.


EU QUERO MAIS É QUE AFETE  MESMO , E ESSE PT SUMA DO CENÁRIO POLITICO NACIONAL.

Bispo Roberto Torrecilhas

Reverendo Augustus Nicodemus afirma que “Jesus odeia o legalismo religioso” mas não a religião

Reverendo Augustus Nicodemus afirma que “Jesus odeia o legalismo religioso” mas não a religião
O reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus Lopes afirmou que em seu ponto de vista, Jesus não odeia a religião, assim como muitos tem propagado.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Para Nicodemus, que além de reverendo é chanceler na Universidade Presbiteriana Mackenzie, as teorias de que a religião é algo detestado por Deus são formadas em sua marioria por “frases de efeito”.
Augustus Nicodemus afirma que “a religião que Jesus ‘odiou’ foi o judaísmo legalista e farisaico de sua época, que era uma distorção da religião que Deus havia revelado a Israel e pela qual os profetas tanto lutaram”.
O reverendo ressalta ainda que Jesus tomou parte de certos rituais religiosos que considerava certo: “Jesus [...] foi circuncidado, aceitou ser batizado por João, foi ao templo nas festas religiosas, orou, deu esmolas, mandou gente que ele curou mostrar-se ao sacerdote”.
Ponderando a respeito do sentimento de aversão que é causado a diversas pessoas através de situações ou abordagens erradas do cristianismo, o reverendo Nicodemus afirma no texto publicado no Gprime que o legalismo é a razão de tanta insatisfação com a religião: “É verdade que o Cristianismo através dos séculos se corrompeu em muitos lugares e épocas. Mas, todas as vezes em que isto ocorreu, deixou de ser a religião verdadeira para ser uma religião falsa. Portanto o correto é dizer que Jesus odeia o legalismo religioso, inclusive dentro do cristianismo. Mas é injusto e falso colocar Jesus contra toda e qualquer forma de cristianismo”.
Confira as opiniões de Augusto Nicodemus a respeito do tema Jesus x Religião:
Eu acho que frases de efeito como “Jesus é maior do que religião”, ou ainda “Jesus odeia religião”, ou mesmo “Eu sigo a Jesus; cristianismo é religião” não ajudam muito. Elas precisam de algumas definições para fazer sentido.
(1) A religião que Jesus “odiou” foi o judaísmo legalista e farisaico de sua época, que era uma DISTORÇÃO da religião que Deus havia revelado a Israel e pela qual os profetas tanto lutaram. Logo, não se pode dizer que Jesus é contra a religião em si, mas contra aquelas que são legalistas, meritórias e contrárias à palavra de Deus;
(2) Jesus participou daquilo que era certo na religião de seus dias: foi circuncidado, aceitou ser batizado por João, foi ao templo nas festas religiosas, orou, deu esmolas, mandou gente que ele curou mostrar-se ao sacerdote;
(3) Seus seguidores, os apóstolos, logo se organizaram em comunidades, elegeram líderes, elaboraram declarações de fé, escreveram livros que virariam Escritura, recolhiam ofertas, tinham locais (casas) para se reunir – ou seja, tudo que uma religião tem. Logo, não devíamos dizer que o cristianismo não é uma religião;
(4) É verdade que o Cristianismo através dos séculos se corrompeu em muitos lugares e épocas. Mas, todas as vezes em que isto ocorreu, deixou de ser a religião verdadeira para ser uma religião falsa. Portanto o correto é dizer que Jesus odeia o legalismo religioso, inclusive dentro do cristianismo. Mas é injusto e falso colocar Jesus contra toda e qualquer forma de cristianismo.
***
Augustus Nicodemus é reverendo presbiteriano e Chanceler da Universidade Mackenzie

VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: Gospel+

Google alerta usuários sobre ataques 'patrocinados por governos'

A gigante alerta usuários do Gmail ao suspeitar de anúncios patrocinados pelo governo ou ataques de malwares

O Google começou a alertar nesta quarta-feira (6) usuários do GMail, quando suspeitou que eles poderiam ser alvos de ataques de anúncios patrocinados por governos ("state-sponsored", em inglês).

Já é a segunda vez em duas semanas que o Google divulgou alertas de segurança para uma fração pequena de usuários dos seus serviços.

Mas a companhia foi cuidadosa com relação a dizer como sabe quais indivíduos específicos têm sido alvos de ataques estatais. "Você deve estar se perguntando como sabemos desses ataques", disse o vice-presidente da engenharia de segurança da Google, Eric Grosse, na terça-feira (5/6), em um blog. "Nós não podemos entrar em detalhes sem que escapem também informações que poderiam ser úteis para esses agentes maliciosos."

O novo alerta traz o texto: "acreditamos que ataques patrocinados por um governo podem tentar comprometer sua conta ou seu computador." É isso que aparecerá no topo da página de usuários do GMail, enquanto estiverem logados. Essa mensagem não está limitada àqueles que utilizam o Google Chrome, mas poderá aparecer em qualquer outro browser.

Grosse foi igualmente vago sobre o que pode desencadear o alerta. "Isso não significa necessariamente que a sua conta foi roubada. Significa apenas que acreditamos que você pode ser um possível alvo de phishing ou de um malware, por exemplo. E que você deve tomar providências imediatas para manter a segurança de sua conta", disse.

Mas parece que o Google sabe, ou pensa que sabe, como é um ataque do tipo quando vê um. "Nossas análises detalhadas - bem como relatórios de vítimas - sugerem fortemente o envolvimento de estados ou grupos que são patrocinados pelo governo", afirmou Grosse.

Fonte: IDG Now

Revista Época alerta sobre a crescente “cristofobia” no mundo

Revista Época alerta sobre a crescente “cristofobia” no mundo
Pela primeira vez a Revista Época deu destaque para as perseguições sofridas por cristãos em países de maioria islâmica como na África Ocidental, no Oriente Médio, no Sul da Ásia e também na Oceania.
Lembrando de casos onde a liberdade religiosa é combatida com armas, bombas e muita violência, o texto assinado pela pesquisadora Ayaan Hirsi Ali (nascida na Somália, que hoje vive na Holanda) fala sobre diversos ataques sofridos por cristãos em países como a Nigéria, onde o grupo extremista Boko Haram já matou dezenas de pessoas desde o começo desse ano.
Ela cita que a mídia local não divulga os casos de cristofobia por ter, provavelmente, influências de grupos de lobby como a Organização da Cooperação Islâmica. Essa seria apenas uma das várias origens desse problema que faz com que a constante matança de cristãos não seja divulgada.
Camuflados pelas leis contra a blasfêmia, os extremistas usam a violência para tentar exterminar minorias religiosas. Para cumprir esse propósito assassinatos brutais, bombardeios, mutilações e incêndios em lugares sagrados são promovidos em diversas partes do mundo.
Além da Nigéria, Hirsi Ali também fala sobre os problemas do Sudão, governados pelo regime autoritário do norte, muçulmanos sunitas atormentam as minorias cristãs e animistas do sul do país.
No Egito, desde 2003 mais de 900 cristãos iraquianos foram mortos por terroristas em Bagdá, além disso, ao menos 70 igrejas foram queimadas e milhares tiveram que deixar o país por causa dessa violência. Hoje essa cristofobia fez o número de cristãos cair para 500 mil pessoas, metade do que era registrado há dez anos.


VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. GOSPEL PRIME /ÉPOCA

Executivo da Yoki e mulher frequentavam igreja em SP

Elize Matsunaga, mulher do executivo assassinado
Um homem discreto. Assim Marcos Kitano Matsunaga, 42, é descrito pelos vizinhos do edifício Roma, na Vila Leopoldina, zona oeste de SP, onde vivia em uma cobertura avaliada em R$ 1,5 milhão. Ele foi assassinado e esquartejado. A mulher confessou o crime nesta quarta-feira, segundo a polícia.
Todas as manhãs, o administrador formado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) caminhava 22 metros em direção a um mercadinho local, onde comprava pão, sempre sozinho, dizem funcionários.
Na igreja que ele frequentava, a Catedral Anglicana de São Paulo, poucos sabiam que o homem oriental que assistia à missa ao lado da mulher loira e da filha de cerca de um ano era um executivo tão importante, afirma o reverendo Aldo Quintão.
“Ele era um homem muito discreto. Nunca levou um pacote de farinha ou algo que demonstrasse que era um membro da família Yoki.”
O empresário e a mulher Elize, 38, passaram a frequentar a igreja anglicana há cerca de três anos, quando se casaram. Lá batizaram a filha.
Ele era diretor executivo da Yoki, uma das maiores empresas alimentícias do Brasil e que foi vendida no mês passado por cerca de R$ 1,75 bilhão para o grupo norte-americano General Mills.
Matsunaga era divorciado –tinha outra filha de três anos do primeiro casamento– e a catedral anglicana, ao contrário da católica, aceitava a nova união religiosa.
O casal preferia frequentar a unidade da igreja na Vila Brasilândia, na periferia da zona norte, e não a da Chácara Flora, na zona sul, onde costumam ir os fiéis de maior poder aquisitivo.
Na Vila Brasilândia a igreja mantém uma creche. Os dois, segundo o reverendo, costumavam doar brinquedos para as crianças.
“Eles faziam questão de embalar e entregar pessoalmente”, afirma.
Fonte: Folha de São Paulo

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...