segunda-feira, 14 de maio de 2012

Lideranças cristãs afirmam que declaração de Obama favorável ao casamento gay é uma afronta a Deus


A recente declaração do presidente Barack Obama sobre o casamento gay provocou reações entre os eleitores, analistas políticos e líderes cristãos.
Lideranças cristãs afirmam que declaração de Obama favorável ao casamento gay é uma afronta a DeusVisite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Segundo levantamento feito pelo Instituto Gallup, 60% dos eleitores entrevistados afirmaram que a opinião pessoal do presidente Obama, favorável à união entre pessoas do mesmo sexo, não influenciará na decisão de voto.
Para o restante dos eleitores que afirmaram levar essa opinião em consideração, 26% dos entrevistados consideraram como negativa a postura do presidente, enquanto que 13% passaram a admirá-lo.
O analista político Jeffrey Jones afirmou que a postura de Obama pode representar um prejuízo a curto prazo, mas que pode se tornar um benefício, dependendo de como a campanha prosseguir: “É importante observar que os resultados da sondagem são reações imediatas dos americanos sobre a posição de Obama. É possível que o impacto da declaração acabe por ser maior ou menor, de acordo com a atenção dada à questão durante a campanha presidencial”, afirmou, de acordo com informações de “O Globo”.
A convenção das Igrejas Assembleias de Deus nos Estados Unidos se posicionaram contrários à postura do presidente em relação ao casamento gay. Através de um comunicado oficial, a denominação, que reúne 3 milhões de fiéis no país, declarou que “a crescente aceitação cultural da identidade e conduta homossexual, masculina e feminina, é sintoma de uma desordem espiritual mais ampla que ameaça a família, o governo e a igreja”.
“Embora tenha se tornado muito comum citar a Bíblia grosseiramente fora de contexto para atender a uma agenda pessoal ou política, isso porém não muda o que a Palavra de Deus declara claramente”, afirma o comunicado.
Outra liderança cristã, o pastor Franklin Graham, que é conselheiro espiritual de Obama, afirmou que a mudança de postura do presidente é uma afronta a Deus: “O presidente Obama tem, em minha opinião, fechado o seu punho contra o mesmo Deus que criou e definiu o casamento”.
Para Graham, a definição de casamento não pode ser alterada por leis ou governantes: “A instituição do casamento não deve ser definida pelos presidentes, governadores ou mídia. A definição foi estabelecida há muito tempo e mudar a legislação ou política nunca vai mudar a definição de Deus. Este é um dia triste para a América. Que Deus nos ajude”.

G+

Volta da “tribo perdida de Israel” é cumprimento de profecia bíblica

Volta da “tribo perdida de Israel” é cumprimento de profecia bíblica
Depois de uma parada de cinco anos no fluxo de imigração, o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu deu permissão para uma comunidade de cidadãos indianos mudarem-se para o Estado judeu.
Acredita-se que eles são uma das “tribos perdidas de Israel”. “Tivemos um grande avanço, e graças a Deus, a Aliya [a imigração para Israel] está certo que recomeça neste verão. Esperamos e oramos para que o primeiro grupo de 50 famílias, ou cerca de 250-300 imigrantes Bnei Menashe, virá para Israel até o final de agosto”, disse Michael Freund, presidente da Shavei Israel, fundação que está por trás da iniciativa.
A Shavei, com sede em Jerusalém, espera trazer para o Estado judaico todos os 7.000 cidadãos indianos restantes que acreditam ser os Bnei Menashe, descendentes de Manassés, filho do patriarca bíblico José e neto de Jacó.
A organização liderada por Freund ajudou a facilitar a imigração de mais de 1.700 Bnei Menashe no passado, sempre com o apoio dos governos israelenses. Até que em 2007, o primeiro-ministro Ehud Olmert interrompeu o processo, que somente agora está sendo retomado.
O plano da Shavei é levar essas 50 famílias Bnei Menashe para Israel como turistas, seguindo o acordo com o Ministério do Interior. Após desembarcarem no país, os Bnei Menashe se converterão oficialmente ao Judaísmo, ganhando assim a cidadania israelense.
Esse era o procedimento adotado em anos passados, mas alguns funcionários de ministérios israelenses se recusam a conceder permissão para que o restante desse grupo que ainda está na Índia viaje com esse propósito.Para suavizar o processo, Freund espera contar novamente com a ajuda do chefe do rabinato de Israel, que voou para a Índia em 2005 para converter os membros da Bnei Menashe. Esse processo foi interrompido no ano passado pela Índia.
O que se sabe no momento é que os membros da “tribo perdida” vivem nos Estados indianos de Manipur e Mizoram. Eles dizem que foram exilados de Israel há mais de 2.700 anos atrás pelo império assírio. De acordo com a tradição oral judaica, a tribo Bnei Menashe foi exilada de Israel e empurrada para o Extremo Oriente, se estabelecendo nas regiões fronteiriças da China e da Índia, onde permanecem até hoje.
A maioria manteve aspectos culturais semelhantes à tradição judaica, incluindo a observação do Shabat [sábado sagrado], as leis do Kosher [alimentos permitidos], praticando a circuncisão dos meninos recém-nascidos no oitavo dia e as leis de “pureza familiar”.
Na década de 1950, milhares de Bnei Menashe disseram que partiriam a pé para Israel, mas foram rapidamente interrompidos pelas autoridades indianas. Desde então, começaram a praticar o judaísmo ortodoxo e se comprometeram em manter suas tradições judaicas. Hoje, frequentam centros comunitários na Índia estabelecidos pela Shavei Israel onde aprendem mais sobre a religião judaica e hebraico moderno.
Freund acredita que a imigração dos Bnei Menashe é o cumprimento da profecia bíblica de Isaías 43:5-7, que afirma: “Não tenha medo, pois eu estou com você, do oriente trarei seus filhos e do ocidente ajuntarei você. Direi ao norte ‘Entregue-os! ’ e ao sul ‘Não os retenha’.
De longe tragam os meus filhos, e dos confins da terra as minhas filhas; todo o que é chamado pelo meu nome, a quem criei para a minha glória, a quem formei e fiz”.
“Acho que este é um projeto histórico”, acrescentou. “É o fechamento de um círculo na história. É o retorno de uma tribo perdida de Israel depois de 27 séculos de exílio. É um cumprimento da profecia bíblica diante de nossos olhos”.
Traduzido e adaptado de WND


Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/volta-da-tribo-perdida-de-israel-e-cumprimento-de-profecia-biblica/#ixzz1utcSk8Ar

Estudo mostra que cerca de 1,5 mil pastores abandonam o ministério pastoral todos os meses


Estudo mostra que cerca de 1,5 mil pastores abandonam o ministério pastoral todos os mesesO jornalista Marcelo Brasileiro publicou uma matéria na revista Cristianismo Hoje na qual falou sobre a quantidade crescente de pastores que abandonam o ministério pastoral por não suportarem as cobranças que esse sacerdócio exige.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A reportagem aponta pesquisas como a realizada pelo ministério LifeWay, que aponta que apesar de se sentirem privilegiados pelo cargo que ocupavam (item expresso por 98% dos entrevistados), mais da metade dos pastores entrevistados, ou 55%, afirmaram que se sentiam solitários em seus ministérios e concordavam com a afirmação “acho que é fácil ficar desanimado”.
Outra pesquisa sobre o tema é a do Instituto Francis Schaeffer, que revelou que, no último ano, cerca de 1,5 mil pastores têm abandonado seus ministérios todos os meses por conta de desvios morais, esgotamento espiritual ou algum tipo de desavença na igreja. Em uma das maiores denominações pentecostais do país, a Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ), cerca de 70 pastores saíram da igreja por mês desde o ano passado.
Não se trata de pessoas que abandonam a fé cristã, mas de líderes que deixam o púlpito por não suportarem o as exigências do cargo.
Temos como exemplo o pastor José Nilton Lima Fernandes, 41 anos, que durante todo o ano de 2011 esteve de licença e afirma que essa experiência lhe mostrou que é possível servir ao ministério pastoral sem estar dirigindo uma igreja. “Não acredito mais que um ministério pastoral só possa ser exercido dentro da igreja, que o chamado se aplica apenas dentro do templo. Quebrei essa visão clerical”, explica.
“Eu entrei num processo de morte. Adoeci e tive que procurar ajuda médica para me restabelecer”, completou o pastor, que conta ter pedido licença da sua função na Igreja Presbiteriana Independente (IPI) no final de 2010, depois de quase 15 anos enfrentando problemas.
Atualmente Nilton está casado novamente e retomou seu trabalho como pastor em uma IPI da zona leste da capital paulista.

VIA GRITOS DE ALERTA.

CRISTIANISMO HOJE

DEPOIS DO MARTELÃO DA JUSTIÇA DO VALDOMIRO, DO SAL GROSSO DO MACEDO , DO VINHO MILAGROSO DO CASAMENTO , AGORA TEM O CIMENTO DA PROSPERIDADE . HERESIAS PURA A VISTA .

OLHA O CIMENTO DA PROSPERIDADE AI GENTE .



cimento-da-bencao

 

Mais uma que achamos na internet
Pastor vende em seu programa de TV saquinhos de cimento dizendo que é o “cimento da prosperidade”  cada dia aparece mais um


VIA GRITOS DE ALERTA

ALERTA - Marta Suplicy voltará a apresentar polêmica versão original do PL 122 para nova discussão no Senado


Marta Suplicy voltará a apresentar polêmica versão original do PL 122 para nova discussão no SenadoA discussão em torno do texto final do PL 122 será reiniciada em breve, quando a senadora Marta Suplicy apresentar a nova versão do projeto, durante reuniões da Comissão de Direitos Humanos do Senado.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A audiência pública que aconteceria no próximo dia 15/05 no Senado, foi suspensa a pedido da senadora Marta Suplicy, por conta de eventos ligados a manifestantes homossexuais em Brasília. Em seu lugar, a senadora organizou um seminário pró-PL 122, com a presença de ativistas gays.
Agora, segundo o site Mix Brasil, ligado ao movimento homossexual, a senadora Marta Suplicy apresentará novamente a versão original do texto do PL 122 para discussão no Senado.
Essa versão já havia sido recusada anteriormente por divergências entre os integrantes da Comissão de Direitos Humanos e pressão dos parlamentares da bancada evangélica. Em seu lugar, Marta Suplicy havia preparado um texto que excluía os pontos mais polêmicos, como itens ligados à liberdade religiosa, porém essa versão voltou a ser recusada.
Agora, sob pressão dos ativistas gays, que desejam ver aprovada a versão original do PL 122, a senadora deverá apresentar novamente o texto original, inserindo apenas a nomenclatura de “Lei Alexandre Ivo”, em homenagem a um adolescente homossexual que foi assassinado em 2010.
Pela tramitação regular do Senado, o projeto precisa ainda ser aprovado na Comissão de Direitos Humanos, para então ser discutido na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, para então, ser discutido novamente no plenário do Senado e só aí, ser votado, para se aprovado, ser encaminhado à presidente Dilma Rousseff, que poderá sancioná-lo ou vetá-lo.

G+

ALERTA - NETANYAHU ANTECIPA ELEIÇÕES PARA 4 DE SETEMBRO PARA PODER LIDAR COM A QUESTÃO DO IRÃO?


Um comentador do canal 2 (Channel 2) da TV de Israel, geralmente muito bem informado, disse na sexta-feira à noite que a idéia do primeiro-ministro ter pedido eleições antecipadas tem a ver com a possibilidade de  querer lidar com a ameaça do Irão em Setembro-Outubro deste ano, tendo a certeza e segurança da sua reeleição e de um Obama paralizado em final de campanha eleitoral.
Estando as eleições anteriormente previstas para Outubro de 2013, esta poderá ser a razão da antecipação das eleições já para 4 de Setembro deste ano, portanto um ano antes do previsto.
Segundo este comentador do Canal 2, Amnon Abramovich, normalmente bem documentado e com boas "ligações", Netanyahu irá liderar um governo de transição, sem ter de se preocupar com os sentimentos de votos, sabendo ainda também que o presidente Barack Obama estará nessa altura "com as mãos e pés atados" por causa da sua campanha eleitoral.
Para além disso, Netanyahu terá ainda do seu lado o seu Ministro de Defesa de confiança, Ehud Barak, que tudo leva a crer não conseguirá grande votação nas eleições, podendo até nem conseguir manter o seu assento no parlamento, mantendo-se no entanto no seu posto governamental até que uma nova coligação partidária seja formada.
E finalmente, segundo a opinião altamente cotada de Abramovich, o período de Setembro-Outubro veria um indeciso Obama na fase final da sua campanha eleitoral, com uma capacidade reduzida para tentar pressionar Israel a não intervir militarmente no Irão, uma vez que "em vésperas de eleições presidenciais, Obama não se atreveria a criticar Israel", para não correr o risco de perder o voto dos judeus norte-americanos, dos quais pode depender claramente a sua reeleição.
Segundo o comentador Abramovich, "as condições seriam fantásticas" para Netanyahu.
O comentador lembrou que um governo de transição está impedido pela lei de tomar decisões políticas dramáticas - excepto em circunstâncias críticas, e chamou por isso a atenção aos comentários feitos a um jornal na passada sexta-feira por Barak em relação a este assunto:
"O sistema político de segurança tomará decisões quando necessárias, mesmo debaixo de circunstâncias desafiadoras" - disse Barak acerca do impacto das eleições, acrescentando: "Temos de separar o assunto do Irão do assunto das eleições."
E acerca do programa nuclear iraniano, Barak disse também: "O momento da verdade está-se aproximando."
O ENGANO DA "BESTA" DA PÉRSIA
Netanyahu, por seu lado, tem estado repetidamente nestas últimas semanas a esboçar paralelos entre a ameaça nuclear iraniana a Israel e o Holocausto, tem afirmado que as sanções não estão a resultar e avisou que não permitirá que Israel seja obrigado a viver à sombra da "aniquilação".
Também deu a entender que uma decisão acerca de uma intervenção militar no Irão terá de ser tomada dentro de meses.
Barak tem por seu lado afirmado repetidamente que confrontar o Irão antes que este consiga uma capacidade nuclear, por muito complexo que isso seja, é muito menos desafiador do que confrontar um Irão nuclearizado.
Numa entrevista concedida na passada sexta-feira ao diário israelita Hayom, Barak recordou um discurso feito em 2003 pelo então presidente iraniano Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, que, segundo Barak, se referiu a Israel como sendo "tão pequeno e vulnerável que é uma nação para 'uma só bomba'".
E acrescentou: "Eu não me iludo. O momento da verdade está-se aproximando. Temos de decidir o que fazer sobre isto no caso de as sanções e diplomacia falharem..."
Setembro-Outubro poderá ser então o ponto de viragem em todo o Médio Oriente. Tempo de eleições e de novo ano judaico...
Deus dará a Israel a coragem e a sabedoria necessários para lidarem com a "besta" da Pérsia. E certamente é isso que vai acontecer, uma vez que Deus já escolheu de que lado vai estar...
Shalom, Israel!

"ESTRELAS" DE HOLLYWOOD REDESCOBREM A FÉ DURANTE VISITA A ISRAEL

A convite do Ministério do Turismo de Israel e do Ministério para os Assuntos da Diáspora e Diplomacia Pública um grupo de 8 estrelas da TV e cinema de Hollywood completaram ontem uma visita de uma semana à nação de Israel.
O grupo de estrelas incluiu Anna Lynne McCord (90210 , Nip & Tuck), Omar Epps (House), Paul Johansson (One Tree Hill), Holly Robinson Peete (21 Jump St., Hanging With Mr. Cooper), Mekhi Phifer (ER, Tuskegee Airmen), Holt McCallany ( Lights Out), Zach Roerig (Diários de um Vampiro) and Paget Brewster (Mentes Criminosas).
O grupo dos artistas foi liderado pelo rabi Irwin Katsof, director da "America's Voices in Israel", que é parte da Conferência de Presidentes das principais organizações judaicas americanas. Katsof descreveu a missão com as celebridades como parte de "uma contínua iniciativa para expôr a comunidade de Hollywood a uma vasta variedade de encontros religiosos e pessoais por toda a Terra Santa."
E, tendo os participantes mencionado muitos momentos altos da experiência, as questões de fé e espiritualidade desempenharam um papel crucial entre as estrelas de Hollywood.
Holt McCanally compartilhou que tinha sido baptizado como católico romano na Irlanda, mas que questões relacionadas com a Igreja Católica o tinham levado a considerar-se um agnóstico.
"Ter estado nos lugares sagrados permitiu-me refamiliarizar-me com a minha fé e isso despertou certas questões na minha mente" - confessou o artista, acrescentando: "Foi para mim uma maravilhosa experiência transformadora."
E o artista ainda acrescentou o convite: "Encorajo qualquer pessoa que nunca veio a Israel a vir cá."
Zach Roerig comentou: "Temos andado ocupados a ver este belo país. Não estou saindo de Israel com um renovado sentido de cristianismo: estou saindo com um renovado relacionamento com Deus."
O artista agradeceu ainda a Israel e confessou: "Ficarei eternamente grato ao vosso país."
AnnaLynne McCord, é filha de um pastor evangélico e cresceu lendo a Bíblia duas horas por dia. McCord foi tocada ao ver os locais da paixão de Jesus.
Segundo ela confessou, ter estado na Via Dolorosa foi algo de extremamente poderoso, mas foi naquela manhã, quando estava a sós no seu quarto de hotel escutando a música "My Sacred King" pela banda cristã Hillsong, que ela começou a processar o impacto, e as lágrimas começaram a correr pela sua face.
"As palavras falavam das cicatrizes na Sua mão e eu fiquei imaginando Maria, Sua mãe, e hoje, sendo o Dia das Mães... e pensando nela e como ela caminhou ao lado d'Ele...e pensei sobre mim mesma: e se eu tivesse lá estado? Que teria eu pensado fazer?... E isso então inundou-me. Reconheci que Ele tinha feito tudo isso por mim, por nós."Para Holly Robinson Peete, o ponto alto foi a visita a uma família nos Montes Golan e ver em primeira mão como os israelitas lidam com o autismo: "Há um sentido de compaixão em Israel que não existe na América." - confessou.
Para Omar Epps e Mekhi Phifer, ter estado sexta-feira à noite com a família de Martin e Rivka Rappaport e seus dez filhos em Jerusalém, e ver em primeira mão como as pessoas são bem recebidas em casas de estranhos para a refeição do Shabbat criou uma forte ligação emocional ao país, e ambos planeiam regressar e trazer os seus próprios filhos a Israel.
"Fiquei privilegiado em estar aqui no Shabbat. Foi bonito dançar em círculo (no Muro das Lamentações). O meu kippa estava sempre a cair. Eu não esperava essa ligação emocional no Muro" - confessou Phifer.
McCallany comentou acerca da desconexão entre o retrato de Israel e do Médio Oriente na comunicação social norte-americana e a realidade que se encontra nesta visita: "Só se lê acerca de conflitos - com os palestinianos, com o Irão, a insurreição na Síria... Mas quando vimos aqui e temos uma oportunidade de encontrar pessoas israelitas e experimentar a sua vivacidade, isso torna-nos optimistas." - compartilhou McCallany.
Paul Johansson ficou sobrepujado pela sua visita ao Memorial do Museu do Holocausto em Jerusalém: "A minha experiência foi visceral. Eu nunca fui ao Museu do Holocausto em Los Angeles, onde vivo. Tinha medo. Ao vir aqui ao Museu do Holocausto (em Jerusalém), fiquei de rastos."
As "estrelas" viajaram por todo o país, visitaram uma base das Forças de Defesa de Israel, Cesaréia, o Teatro Na'Lagaat em Tel Aviv, Safed, a Galiléia, os Montes Golan, o Mar Morto, e, obviamente, Jerusalém. Ao longo do trajecto eles participaram numa variedade de experiências "encontros com o povo" incluindo uma celebração do Shabbat na casa de Martin e Rivka Rapaport e seus dez filhos em Jerusalém, um encontro com uma família nos Montes Golan, onde aprenderam um pouco sobre as formas especiais como Israel educa crianças autistas. O grupo também passou algum tempo na "cozinha económica" Meir Panim, em Tiberíades, onde funciona um restaurante de baixo custo.
Os actores tiveram ainda a oportunidade de se encontrarem com alguns dos melhor conhecidos artistas israelitas da TV, do cinema e da música pop, mas para muitos a visita ao Teatro Na Laga'at em Jaffa - a única companhia teatral do mundo com actores cegos e surdos - foi um momento único e especial.
"Tivemos a oportunidade de experimentar a nossa arte a partir de uma perspectiva diferente. Aqueles artistas têm de trabalhar um milhão de vezes mais duramente para poderem expressar algo" - expressou McCord. E acrescentou que depois de ter visto uma representação no Na Laga'at, ela espera agora montar um teatro para surdos e cegos no sul da Califórnia.
Esta visita dos artistas foi seguida por tweeter pelas legiões de fãs que cada um deles tem pelo mundo inteiro.
E arrematando a visita, o Ministro Yuli Edelstein assinalou ao grupo: "Vocês são os melhores embaixadores do estado de Israel.
 
"Shalom, Israel!
 
VIA GRITOS DE ALERTA

Franklin Graham diz que Obama tem abalado Punho de Deus



Franklin Graham diz que Obama tem abalado Punho de Deus Franklin Graham tem algumas palavras fortes para o presidente Obama, na sequência da sua decisão de apoiar o casamento homossexual.

"Ao mudar sua posição de que do senador/candidato Obama, o presidente Obama, na minha opinião, abalado seu punho no mesmo Deus que criou e definiu o casamento. Aflige-me que o nosso presidente queira agora apoiar o casamento homossexual, apesar de acreditar que Deus se entristece ainda mais ", diz Graham.

"A instituição do casamento não deve ser definida pelos presidentes ou sondagens, governadores ou da mídia. A definição foi estabelecida há muito tempo e mudar a legislação ou política nunca vai mudar a definição de Deus. Este é um dia triste para a América. Que Deus nos ajude. "

Enquanto isso, o conselheiro espiritual de Obama, Joel Hunter, está decepcionado com a postura do presidente sobre o casamento homossexual. Hunter, pastor sênior da Igreja Northland em Longwood, na Flórida, disse à Fox News que ele não é inteiramente surpreendido pela revelação de Obama porque o presidente "pensa com o coração." Obama teria chamado Hunter pedindo perdão.

"Ele sabia onde eu estava, porque eu sou evangélico e acredito no que diz a Palavra de Deus", disse Hunter. "Portanto, uma das razões pelas quais ele foi chamado foi para proteger o nosso relacionamento e me dar um heads up de uma entrevista que ele tinha acabado de conceder. Não era algo que fosse capaz de falar através dele ou eu teria tentado convencê-lo de fora. "

Hunter diz que Obama disse a ele o quanto ele orou e como é difícil a decisão de anunciar publicamente apoio a casamento do mesmo sexo. Apesar de sua decepção, Hunter diz que sua relação com Obama permanecerá sólida.

"Nunca foi uma relação política. Eu não apoio o presidente politicamente ", diz Hunter. "É uma relação pessoal e pastoral e os pastores não são executados quando as pessoas que estão orientando fazem algo que não concordam."


Fonte: Charisma News

Site da igreja inclusiva Cidade de Refúgio vende DVDs de Lanna Holder com pregações e testemunhos de quando a pastora afirmava ter vencido o homossexualismo


Site da igreja inclusiva Cidade de Refúgio vende DVDs de Lanna Holder com pregações e testemunhos de quando a pastora afirmava ter vencido o homossexualismoA igreja inclusiva Cidade de Refúgio, liderada pela pastora Lanna Holder criou em seu site uma seção com produtos à venda, como livros, canecas, camisetas, revistas, CDs e DVDs.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Entre os DVDs da loja virtual há gravações de sermões pregados por Lanna Holder na Igreja Batista da Lagoinha, no Congresso Gideões, Missão Mundial Graça e Paz, entre outros.
Entre os títulos anunciados no site da igreja, há DVDs com testemunhos e pregações de Lanna Holder afirmando ter conquistado libertação, após ter ficado afastada dos púlpitos.
Quando Lanna Holder assumiu seu relacionamento homossexual com Rosania Rocha, anunciou que fundaria a igreja inclusiva Cidade de Refúgio, e afirmou publicamente que suas ministrações anteriores eram baseadas em mentiras e enganações.
Porém, mesmo com a nova linha de pensamento adotada por ela, os materiais que possuem pregações e testemunhos falando sobre o abandono da prática homossexual permanecem à venda no site da igreja inclusiva Cidade de Refúgio.
Cidade de Refúgio Loja Virtual
Imagem da loja virtual com pregações antigas de Lanna Holder
Fonte: Gospel+

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...