quarta-feira, 7 de março de 2012

Futuro incerto para minoria cristã na Síria


Futuro incerto para minoria cristã na Síria
A situação na Síria está ficando pior para todos os habitantes do país. A violência está em curso em várias cidades, especialmente em Homs, e o boicote internacional tem consequências para todos os sírios.

Por quase 11 meses, protestos contra o governo são respondidos com violência do exército. O número de civis mortos é estimado em mais de 5 mil, também em 2 mil pessoas que eram das forças de segurança morreram.

Nos primeiros meses os cristãos não foram alvos de ataques feitos pelos muçulmanos, mas isso mudou. "Os últimos meses são sinais de que as minorias (alauítas e cristãos) são alvos nas cidades de Homs e Hama", disse um trabalhador anônimo do Portas Abertas que também ouviu relatos de assassinatos e sequestros.

A Síria tem uma minoria de 10% de cristãos (1,9 milhões) e também cerca de 10% dos alauítas. A grande maioria no país, cerca de 74% é muçulmana sunita. Como presidente Bashar al-Assad é alauíta e fez com que a Síria se tornasse um estado secular, as minorias religiosas desfrutam de uma certa liberdade que não é vista em outros países árabes.

Isto trouxe aos cristãos uma situação durante os protestos anti-governamentais, apoiados pelos sunitas, iniciados em março de 2011. Para eles, o regime de Assad trouxe a liberdade e a estabilidade para outras religiões.

Por serem minoria no país, não temem ataques terroristas, atentados e assassinatos. Com o número da oposição crescendo para mais liberdade à renúncia de Assad, os cristãos têm medo de perder a mesma. Eles temem que um outro governo possa ser menos tolerante com eles. Muitos cristãos se mantiveram em silêncio nos últimos onze meses, nem dando apoio aos manifestantes, nem para o governo.

"Como cristãos e alauítas são vistos como partidários do governo porque não participaram dos protestos, eles podem ser escolhidos como alvo de violência. Cristãos em geral parecem estar preocupados com o que poderia acontecer à sua minoria na Síria se Assad for derrubado e, por exemplo islamitas tomarem o poder ", diz o trabalhador do Portas Abertas.

Assad é internacionalmente criticado por resposta militar aos protestos que no início eram pacíficos. Por causa da repressão contínua sobre os protestos, há um boicote internacional no lugar certo agora. Dentro de Síria, o governo central tentou tomar o poder novamente. Os últimos dias têm sido de muita luta em Homs. É difícil obter informações objetivas da cidade sobre a real situação.

Um problema urgente no país é a questão das viagens lá dentro. As pessoas ficam em suas cidades por causa de gangues que dominam as estradas fora delas. Viajar não é seguro por causa de assaltos e seqüestros de grupos criminosos ao longo das estradas. Por causa do boicote há uma falta de todo o tipo de artigos.

"Alguns cristãos deixaram a Síria por causa da situação", o trabalhador Portas Abertas continua. "Mas não em grande número ainda. Os únicos a sair são principalmente aqueles que têm possibilidades fáceis para deixar o lugar, como passaporte de casal ou família no exterior”.


Fonte: Portas Abertas

Pastor é espancado e preso por ´proselitismo´ na Índia


Pastor é espancado e preso por ´proselitismo´ na Índia
Mais um ataque foi realizado contra uma igreja cristã em Karnataka, o sexto desde o início do ano. Cerca de 30 extremistas hindus invadiram a Igreja Pentecostal Nova Vida em Ankola, interrompendo o culto de domingo e insultando os membros da igreja.

Após prenderem o reverendo Manohar, eles o acusaram de proselitismo, forçando os hindus da região a aceitar o cristianismo como sua fé. Após prender o líder cristão, eles arrastaram ele e sua esposa até a delegacia em Ankola.

O Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC) interveio na situação e conseguiram libertar a mulher do reverendo depois de quase 8 horas, mas o Manohar continua preso acusado de “ofender os sentimentos religiosos do país”.

O presidente da GCIC, Sajan George, disse que a polícia e os radicais hindus estão agindo em parceria. “A polícia de Karnataka é rápida para prender cristãos inocentes que são falsamente acusados por extremistas hindus”, disse Sajan.

Ele continuou dizendo: “A parceria entre a polícia, os extremistas religiosos e os líderes políticos está criando um clima de medo entre os cristãos da Índia, que sofrem com ataques quase que constantes em Karnataka”.

O governo de Karnataka apoia o nacionalismo e também as atividades de grupos extremistas hindus. No ano passado foram registrados 49 ataques contra cristãos em todo o estado indiano.

“Os cristãos em Karnataka não tem nem o direito de poder orar e ler a Bíblia em suas casas” lamentou Sajan George. “Essa é a segunda vez que o reverendo Manohar é atacado e nada foi feito contra os extremistas que infringem a lei e violam a privacidade das pessoas inocentes”.


Fonte: Portas Abertas

Preso diversas vezes na adolescência, pastor Peter Esteves conta seu testemunho de conversão

Preso diversas vezes na adolescência, pastor Peter Esteves conta seu testemunho de conversão

O testemunho de conversão do pastor Peter Moreira Esteves foi retratado em uma matéria especial, onde ele contou seu envolvimento com drogas e crimes na adolescência.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Criado no Rio de Janeiro, Esteves foi preso diversas vezes e após ser solto em uma delas, roubou um carro e foi perseguido pela polícia. Na perseguição foi baleado e encurralado, e segundo ele, um dos policiais pretendia matá-lo. O agora pastor conta que na ocasião implorava ao policial que não o matasse: “Não me mata não, pelo amor de Deus”, eram suas palavras de desespero, segundo o testemunho contado ao site Charisma News.
Viciado, preso mais uma vez por roubo, baleado e assustado, Esteves afirmou que se lembrou das palavras de sua mãe, que havia dito a ele que se em seus últimos momentos de vida buscasse o perdão, Deus o perdoaria. Esteves conta que achava que seu momento havia chegado, porém, estava anestesiado e não conseguia sentir nada: “Deus, você vai me deixar morrer assim sem sentir nada? Não me deixe morrer assim sem sentir nada”, orou, momentos antes da chegada de mais viaturas que atendiam a ocorrência, o que fez o policial desistir da execução. “Acredito que se fossem somente aqueles dois policiais, eles teriam me matado. Mas, uma vez que havia outras testemunhas, eles não o fizeram”, afirma Peter Esteves.
Na adolescência turbulenta e desestabilizada por causa de seus vícios, Peter Esteves chegou a vender bens da família para se drogar, e foi preso muitas vezes. “Como minha mãe era advogada, ela sempre conseguia me soltar da cadeia”, conta, lembrando que seus problemas passaram a refletir no casamento de seus pais. Quando Peter completou 18 anos, o pai dele ameaçou se divorciar de sua mãe, caso ela o tirasse da cadeia novamente. Porém, quando voltou para casa após passar um mês na cadeia, encontrou seu pai, que o abraçou e recebeu de volta: “Eu esperava o pior. Mas quando ele chegou perto de mim, ele me abraçou, e ele me disse exatamente estas palavras: ‘Meu filho pródigo, eu te amo’”, relata Peter, lembrando que nessa ocasião, sua mãe não conseguia expressar sentimentos: “Ela me colocou de joelhos ao lado dela, mas não conseguia orar. Ela só chorava”.
Um missionário que se tornou mentor de Peter, Eric Reese, afirma que nessa época, quase ninguém mais tinha esperanças quanto à sua recuperação: “As pessoas de sua família estavam prontos para desistir dele. Sua mãe era a única pessoa que não desistiu de tentar ajudá-lo”, relata o membro da “International Mission Board”.
Peter Esteves conta que esse foi o ponto de mudança essencial em sua vida. Após a oração em prantos ao lado da mãe, mudou de comportamento e focou na fé, de uma maneira que o fez abandonar os vícios e o crime: “Comecei uma vida nova com Jesus, e eu comecei a servir o Senhor. Isso foi há mais de 25 anos”, conta feliz o hoje pastor presidente de uma igreja no Rio de Janeiro e diretor de um curso de inglês com mais de 500 alunos.
Casado com Jane, possui três filhos e dois netos, e hoje, trabalha e evangeliza no Rio de Janeiro. Peter conta que o apoio do pastor e missionário Eric Reese, foi essencial: “Foi muito importante para mim conhecer Pastor Eric. Ele começou a ser como um mentor para mim. Eu sabia que Deus tinha algo especial para fazer com minha vida, mas não sabia o quê. Naquela época, o Pastor Eric me ajudou a entender este chamado de Deus para minha vida”, analisa.
O pastor Eric conta que o empenho e desejo de mudar fez toda a diferença: “Peter fez uma mudança radical. Quando ele se entregou a Cristo, ele o fez de todo o coração. A graça de Deus trouxe esse cara de tiroteios e risco de morte para a construção agora de uma bela família, uma esposa linda e filhos incríveis. Somente a graça de Deus poderia fazer isso”, conta o missionário, que exerceu o discipulado durante anos com Peter Esteves, sempre tratando-o como um irmão: “Enquanto discipulava o Peter, ele sempre sorria, ele sempre sorri! Ele está sorrindo hoje! Eu vejo o amor de Deus, a misericórdia de Deus e a bondade de Deus brilhar na vida de Peter”, pontua o missionário.
Redação Gospel+

TJ-RS determina que crucifixos sejam retirados dos prédios da Justiça estadual

O Conselho da Magistratura do TJ-RS (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul) determinou por unanimidade nesta terça-feira (6/3) a retirada dos crucifixos e símbolos religiosos presentes nos espaços públicos dos prédios da Justiça gaúcha.Essa foi uma requisição da Liga Brasileira de Lésbicas, que protocolou o pedido pela retirada dos ícones na presidência do TJ-RS no último mês de fevereiro. A sessão foi acompanhada por militantes homossexuais e também por representações religiosas.
O relator da matéria foi o Desembargador Cláudio Baldino Maciel, que afirmou em seu voto que o julgamento feito em uma sala de tribunal sob um expressivo símbolo de uma Igreja e de sua doutrina não parece a melhor forma de se mostrar o Estado-juiz equidistante dos valores em conflito.
“Resguardar o espaço público do Judiciário para o uso somente de símbolos oficiais do Estado é o único caminho que responde aos princípios constitucionais republicanos de um estado laico, devendo ser vedada a manutenção dos crucifixos e outros símbolos religiosos em ambientes públicos dos prédios”, argumentou.
O processo administrativo foi movido em recurso a uma decisão tomada em dezembro de 2011 pela antiga administração do TJ-RS. Na época, o tribunal entendeu que não havia postura preconceituosa na instalação de ícones religiosos nas dependências dos prédios de justiça e não acolheu o pedido.
A decisão determinando a retirada dos crucifixos deve ser expedida nos próximos dias.

Pastor evangélico morre após bater carro em caminhão em rodovia de MT

acidente em Diamantino (MT) (Foto: Márcio Mendes/O Divison)Homem de 31 anos perdeu controle do veículo e bateu em caminhão.
Corpo da vítima está sendo velado na cidade de Diamantino.
Acidente aconteceu na rodovia estadual MT-240 em
Diamantino (Foto: Márcio Mendes/O Divison)

Um pastor evangélico de 31 anos morreu na noite desta terça-feira (6) em um acidente na MT-240, no município de Diamantino, a 209 quilômetros de Cuiabá. A vítima estava em uma caminhonete quando perdeu o controle do carro e bateu de frente com um caminhão que transportava frangos.

O acidente foi registrado na saída da rodovia do município de Diamantino, em direção à cidade de Alto Paraguai. De acordo com a polícia, no momento da colisão chovia na região e a pista estava escorregadia. “Ele devia estar em alta velocidade e pode ter perdido o controle do veículo”, contou ao G1 o investigador Bartolomeu de Almeida, da Polícia Civil.
Ainda de acordo com a polícia, a vítima era pastor de uma igreja evangélica da cidade e viajava sozinha no veículo. “Ele rodopiou o carro, invadiu a outra pista e acabou batendo na frente com um caminhão que levava frangos”, completou o investigador.

O homem de 31 anos não resistiu aos ferimentos e morreu preso nas ferragens. Já o motorista do caminhão não teve nenhum ferimento, segundo a polícia. O corpo da vítima está sendo velado na Câmara Municipal de Diamantino e deve ser enterrado às 17h.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. G1

Pressionado por evangélicos, Embaixador afirma que que não houve condenação ao pastor e nem perseguição religiosa


Parlamentares evangélicos estão aguardando a promessa feita pelo Embaixador no Irã no Brasil de emitir uma nota oficial que acalmará as comunidades cristãs no mundo todo que aguardam notícias sobre a condenação de morte imposta a Youssef.
O novo embaixador do Irã no Brasil, Mohammad Ali Ghanezadeh Ezabadi, afirmou que não há perseguição religiosa em seu País e disse que o crime do pastor teria sido de roubo. Segundo ele, o preso está em contato constante com a família e recebe o mesmo tratamento que outros presos no País. “Avançamos muito nos Direito Humanos no Irã, por isso mesmo ficamos surpresos ao ver as notícias divulgadas sobre este caso”, afirmou Ezabadi.
Em encontro na embaixada do Irã nesta terça-feira (06/03) - que reuniu o presidente da Frente da Família, senador Magno Malta, o senador Sérgio Petecão e cerca de quinze senadores e deputados cristãos - os parlamentares conseguiram a promessa do embaixador de que uma nota oficial sobre o caso será divulgada ainda esta semana e que não houve condenação ao pastor e nem perseguição religiosa.
“Recebemos informações importantes e percebemos abertura da embaixada para debater o tema”, afirmou Marcelo Aguiar. Para o parlamentar, que foi autor de uma moção de repúdio contra a condenação por suposta perseguição religiosa no ano passado e esteve com o ex-embaixador iraniano na seqüência, a informação mais importante foi a garantia de não existência de condenação. “Estamos, antes de mais nada, lutando pela vida de um ser humano. Recebemos a garantia de que não há pena de morte na Lei Civil iraniana e que o suposto crime do pastor Youssef não seria religioso, logo, temos mais garantias quanto à manutenção de sua vida”, acredita o parlamentar.


VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. GUIA ME

Conselho de Psicologia estaria cometendo crimes de prevaricação, imoralidade pública e falsidade ideológica ao censurar psicóloga evangélica Marisa Lobo

Conselho de Psicologia estaria cometendo crimes de prevaricação, imoralidade pública e falsidade ideológica ao censurar psicóloga evangélica Marisa Lobo

O advogado Klauber Cristofen Pires escreveu um artigo falando sobre o ultimato recebido pela psicóloga evangélica Marisa Lobo para que ela não expressasse mais sua fé na internet. No texto o advogado afirma que o Conselho Federal de Psicologia estaria, nesse caso, cometendo crimes de prevaricação, imoralidade pública e falsidade ideológica.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Pires começa seu texto criticando as organizações profissionais, que, segundo ele, “obtiveram o status de autarquias competentes para legislar sem representatividade popular e à revelia da Constituição”. O advogado acusa ainda essas instituições de “promover o mais jurássico corporativismo e a mais descarada transformação ideológica da sociedade, via filtragem seletiva e/ou legislação administrativa”.
Antes de falar diretamente do caso da psicóloga, Pires comenta sobre a OAB, afirmando que a prova imposta pela entidade aos recém-formados impede a atividade de muitos “bacharéis a quem o Ministério da Educação, isto é, o estado brasileiro, tem fornecido diplomas que atestam sua a conclusão do curso e consequentemente, a capacidade para o exercício de suas atividades”. Como exemplo da atuação das entidades de classe, Pires destaca o caso de Marisa Lobo e a reação que o caso tem causado na bancada evangélica.
Segundo Pires, o Conselho de Psicologia estaria exercendo “protagonismo ideológico” por ter à sua disposição a “prerrogativa de manipulação da consciência humana”.
Criticando uma nota do Conselho Federal de Psicologia sobre “Psicologia e religiosidade no exercício profissional” o advogado falou da laicidade do estado afirmando que “o laicismo se resume ao estado, ficando a sociedade à vontade para fazer uso do direito de associação, de modo que os crentes se unam em torno da construção de instituições segundo a concepção de mundo e de sua fé”. Ele lembrou ainda que tais organizações religiosas são responsáveis por instituições de abrigo e de cuidados de pessoas especiais, de creches, escolas e hospitais, muitas das quais são reconhecidas como as melhores do país.
O advogado falou ainda da liberdade de escolha do paciente em ser tratado ou não por um profissional religioso e concluiu dizendo que o “Conselho Federal de Psicologia usurpa os direitos políticos dos seus associados”.
Pires finalizou se texto rogando a “Deputados e Senadores, especialmente os evangélicos, católicos e da oposição, bem como ao Ministério Público Federal, para que representem contra o Conselho Federal de Psicologia e seus atuais mandatários sob a acusação de prevaricação, falsidade ideológica e abuso de poder”.


VIA GRITOS DE ALERTA
FONTE . GOSPEL +

YOUSEF NÃO FOI EXECUTADO

O Centro Americano pela Lei e a Justiça confirmou que o pastor Iraniano Yousef Nadarkhani está vivo, desmentido rumores que ele teria sido executado. Preso de 2009 o líder é acusado de apostasia, sentenciado a morte, por não negar a Jesus. Segundo a entidade a pressão internacional tem sido importante para manter o pastor vivo.
Enquanto isto no Brasil e no mundo, representantes internacionais acusam o Irã de violar a declaração Universal dos Direitos Humanos. Preso de 2009, quando Nadarkhani protestou contra imposição das aulas de conteúdo islâmico a seus dois filhos na Escola, o líder foi condenado à morte.

No Brasil, pressionado pela bancada evangélica,o Governo Federal entrou em contato com o Irã para saber quais motivos levaram o governo a condenar o pastor a morte. No Senado, a Comissão de Direitos Humanos pretende realizar uma audiência pública para debater os motivos que levaram o Irã a prender Youssef Nadarkhani. A audiência deve ser realizada no dia 20 de março e foi pedida pelo senador Magno Malta (PR-ES), que integra a bancada evangélica no Congresso. A ideia dos senadores é convidar para a audiência o embaixador do Irã no Brasil.


CREIO

Pastor Silas Malafaia anuncia que apresentará programa especial com “denuncias graves contra a ditadura gay”

Pastor Silas Malafaia anuncia que apresentará programa especial com “denuncias graves contra a ditadura gay”O pastor Silas Malafaia anunciou que dedicará uma edição do programa Vitória em Cristo para fazer denúncias ligadas ao ativismo homossexual e ao que chamou de “ditadura gay”.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Silas Malafaia tem sido um dos principais opositores dos projetos de lei e ações tomadas por ativistas gays que visam punir pessoas que pensem e opinem de forma diferente dos anseios dessa parcela da população.
Segundo informações do site Verdade Gospel, Silas Malafaia classificou o programa como “imperdível” e disse que as informações que divulgará são extremamente importantes.
Dirigindo aos evangélicos e católicos, Malafaia afirmou que a “ditadura gay” quer fazer com que opositores a seus princípios sejam calados e convocou os fiéis a divulgarem nas redes sociais a veiculação das denúncias em seu programa, que irá ao ar no dia 07/04: “Será um programa esclarecedor tanto para os evangélicos como para os católicos praticantes. Querem a todo custo calar a voz do povo de Deus”.
Silas Malafaia é alvo de uma ação do Ministério Público, que quer que o pastor conceda direito de resposta aos ativistas gays e se retrate com relação às suas declarações de protesto contra atitudes de participantes da Parada Gay, que segundo ele, teriam profanados símbolos católicos durante o evento. Na ocasião, Malafaia afirmou que a Igreja Católica deveria “entrar de pau em cima desses caras” e “baixar o porrete” em reação à manifestação durante a Parada Gay.

VIA GRITOS DE ALERTA
INF. G+

João Campos rebate acusações de José Dirceu contra parlamentares evangélicos

Open in new windowO líder da Frente Parlamentar Evangélica lembrou que o petista está afastado da vida política por ter se envolvido com um dos maiores escândalos de corrupção.

Diante das acusações feitas por José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, o deputado federal João Campos (PSDB-GO) se manifestou defendo não só os parlamentares evangélicos que foram chamados de preconceituosos pelo PT que se refere aos projetos de legalização do aborto e direitos homossexuais.

Para Campos o posicionamento da bancada evangélica diante desses assuntos não é repressiva, mas democrática. “Quando nos posicionamos contra o ‘kit gay’ e contra o aborto, não se trata de sermos preconceituosos, mas, sim, de defendermos e zelarmos pelos nossos conceitos bem formados em favor da sociedade”, disse o deputado em entrevista ao CPADNews.

Dirceu escreveu em seu blog, no dia 1º de março que os políticos evangélicos buscam impor ao Estado brasileiro “uma visão preconceituosa e repressiva” sobre esses temas, dizendo também que eles dão guarida para o comportamento violento, dizeres que foram caracterizados por João Campos como “impropriedade sem tamanho”.

Campos pontua, porém que a visão de José Dirceu, grande formador do pensamento do PT, pode muito bem refletir o que o próprio Partido dos Trabalhadores pensa a respeito. O deputado também se compromete a dialogar e mostrar que os parlamentares evangélicos não abrem mão do direito de se manifestar.

“Se existe uma coisa que sabemos fazer é exercer a dialética, é estabelecer o contraditório, é enfrentar a crítica, mas fazemos isso tudo a partir do argumento – o que, pelo que vejo no Jose Dirceu ele não tem capacidade. Chamar os evangélicos de chantagiosos que exercem violência é uma impropriedade sem tamanho”.

O líder da Frente Parlamentar Evangélica também usou o espaço que teve para relembrar o passado de José Dirceu que está inelegível até 2014 por ter se envolvido em um escândalo de corrupção.

“Evidentemente que, como ele é um dos formadores do pensamento do PT, isso nos preocupa muito, porque se ele falasse por si só, em se tratando de um homem que perdeu o mandato por corrupção, que é processado por ser chefe de uma organização criminosa que praticava a maior corrupção do Brasil, chamada mensalão, ele não mereceria nenhuma credibilidade. Mas como ele é um dos formadores do pensamento do PT no Brasil, acho que nós evangélicos precisamos parar e refletir no que ele está dizendo. Precisamos refletir no que o PT pensa e propõe para o nosso país”.

Críticas seriam para distorcer as atividades positivas dos parlamentares evangélicos
João Campos declarou na entrevista que as palavras de José Dirceu têm como objetivo desqualificar os parlamentares evangélicos ao chamá-los de preconceituosos. “Essa é a nossa formação, a formação do nosso caráter. Agora, nós temos conceitos, nós temos opinião, concepções, compreensões como a de valorização da vida, o que nos faz lutar contra o aborto, por exemplo. Portanto, nós temos o direito, que está assegurado pela Constituição brasileira, de nos expressar”.

O deputado também comparou o povo evangélico com o ex-ministro dizendo que ao contrário dele, que desviou dinheiro público, “nós [evangélicos] fazemos um bem tremendo para a sociedade brasileira, na política, na área social, na área de cultura, na área de educação, sem sequer usar o dinheiro público para isso. Essa é a grande diferença do povo que o José Dirceu chama de preconceituoso. Isso é lamentável”.

Fonte: Gospel Prime com informações CPADNews

Boko Haram declara guerra aos cristãos na Nigéria


Boko Haram declara guerra aos cristãos na Nigéria
O grupo islâmico Boko Haram anunciou no domingo que irá começar uma “guerra” contra os cristãos e disse que irão coordenar inúmeros ataques contra os cristãos, para que a comunidade de crentes do norte do país não consiga viver ali.

“Nós vamos criar um ambiente horrível para vocês, nos esforçaremos para acabar com a presença do cristianismo para que exista um bom estado islâmico no qual os cristãos conseguiram permanecer”, disse um porta-voz não identificado do grupo terrorista.

O Boko Haram assumiu a responsabilidade pela morte de vários cristãos no ano passado. O grupo extremista atacou recentemente uma igreja em fevereiro, explodindo uma bomba em uma igreja, o que deixou 40 feridos e 3 mortos.

O Boko Haram tem como principal objetivo acabar com o Estado secular da Nigéria e, ao invés disso, impor uma versão mais dura da Sharia (lei islâmica).

O grupo não está travando apenas uma guerra religiosa, mas também contra a polícia e as forças do governo.

A Human Rights Watch disse que a seita islâmica já matou quase mil pessoas desde 2009, das quais, 250 foram mortas em 2012.

A situação para os cristãos nigerianos tem se complicado muito ao longos dos anos, nós percebemos isso pois a Nigéria foi um dos países que mais subiu posições na Classificação de países por perseguição.

Ore pelos cristãos nigerianos para que Deus proteja a vida deles durante esse período de intensa perseguição feita pelos extremistas.


Fonte: Portas Abertas

TJ determina retirada de símbolos religiosos de prédios públicos a pedido de Liga Lésbica

TJ determina retirada de símbolos religiosos de prédios públicos a pedido de Liga Lésbica
A Justiça do Rio Grande do Sul acatou o pedido da ONG Liga Brasileira de Lésbicas e vai retirar crucifixos e símbolos religiosos de todas as salas do Judiciário do Estado. Em fevereiro, a Liga Brasileira de Lésbicas pediu à presidência do TJ-RS a retirada das imagens religiosas.
O Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça (TJ-RS) decidiu por unanimidade após votação na primeira sessão do ano do conselho. O Tribunal gaúcho considerou que a presença de objetos religiosos nos fóruns e na sede do Judiciário vai contra princípios constitucionais de um Estado laico.
O desembargador Cláudio Baldino Maciel foi o relator da matéria e afirmou que julgamentos feitos em uma sala de tribunal sob um “expressivo símbolo” de uma igreja e de sua doutrina não é “a melhor forma de se mostrar o Estado-juiz equidistante dos valores em conflito”. Ainda segundo o relator, o espaço público do Judiciário deve ter apenas os símbolos oficiais do Estado. Esse seria o “único caminho que responde aos princípios constitucionais republicanos de um Estado laico, devendo ser vedada a manutenção dos crucifixos e outros símbolos religiosos em ambientes públicos dos prédios”.
A sessão foi acompanhada por representantes de religiões e de entidades sociais. Nos próximos dias, todos os crucifixos deverão ser retirados. As entidades religiosas protestaram e creem que a decisão poderá gerar pedidos similares em outros Estados da União.
A discussão sobre o uso de símbolos cristãos em prédios públicos já é amplamente discutida em outras partes do Brasil e do mundo.
Em São Paulo, o Ministério Público Federal determinou em 2009 a retirada de crucifixos de edifícios federais. Porém, o pedido foi negado em primeira instância. A juíza responsável considerou, na época, “natural” a exibição do objeto em um país de “formação histórico-cultural cristã”.
Nos Estados Unidos vários Estados já decidiram por retirar símbolos religiosos de prédios públicos. Alguns anos atrás, a Comissão Europeia condenou a Itália por manter objetos religiosos em salas de aula.
Com informações Terra e Zero Hora

VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: GOSPEL PRIME

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...