sábado, 3 de dezembro de 2011

Mantida prisão de pastor acusado de estupro de criança

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas corpus a um pastor acusado de estupro de uma criança, em Santa Catarina. O relator, ministro Marco Aurélio Bellizze, considerou bem fundamentada a decisão que determinou a prisão do acusado, baseada na garantia da ordem pública, em razão de haver a possibilidade de que novos crimes fossem cometidos e de ameaças contra testemunhas. A decisão foi unânime.

Em seu voto, o ministro ressaltou que a prisão preventiva não é incompatível com o princípio fundamental da presunção de inocência, quanto mais porque está alicerçada em elementos concretos, conforme demonstram as circunstâncias. O juízo de primeiro grau verificou haver indícios de autoria e de materialidade do delito, e julgou indispensável a prisão para a garantia da ordem pública, tendo em vista a gravidade do crime e a periculosidade do acusado.

O ministro Bellizze também observou que a ordem de prisão se baseou igualmente na conveniência da instrução criminal, por conta do fundado temor de que o acusado viesse a intimidar a vítima e as testemunhas. De acordo com o ministro, a autoridade policial relata que "vítimas e familiares estão aterrorizados, devendo-se zelar pela preservação destes".

“Se os fatos mencionados na origem são compatíveis e legitimam a prisão preventiva, nos termos do artigo 312 do Código de Processo Penal, não há ilegalidade a ser sanada nesta via excepcional”, afirmou Bellizze. Para o ministro, o que importa neste momento são as afirmações do juiz, não sendo possível, por via transversa, debater em habeas corpus matéria de fato discutida na causa e decidida com base na prova dos autos.

Coordenadoria de Editoria e Imprensa

MULHER FAZ PARTO SOZINHA EM MS.

Mãe com a filha de 3 dias e o filho de 4 anos (Foto: Tawany Marry/ G1 MS)
Mãe com a filha de 3 dias e o filho de 4 anos
(Foto: Tawany Marry/ G1 MS)

O carpinteiro Sebastião Cáceres, 24 anos, marido da doméstica Maria Marleide da Silva, 22 anos, que fez o parto de seu próprio filho na quinta-feira (1º), em Campo Grande, disse ao G1 que admira muito a mulher por ter trazido a pequena Marcela sozinha ao mundo. “Ela é muito guerreira. Jamais imaginei que ela conseguiria fazer isso. Se eu estivesse casa na hora acho que teria desmaiado”, contou o pai orgulhoso.

Sebastião estava no trabalho no momento em que a filha nasceu e só soube do fato ao chegar em casa e ser recebido pelos filhos Esterferson Matheus da Silva Cáceres, 4 anos, e Beatriz da Silva Cáceres, 1 ano, com a notícia. “Eu cheguei em casa e eles começaram a gritar: papai o neném nasceu”, disse.

No primeiro momento, ao entrar em casa e ver a mulher segurando a filha no colo, Sebastião ficou nervoso e com medo de que algo pudesse ter dado errado. “Quando eu entrei e casa e vi minha mulher toda suja de sangue fiquei desesperado. Eu chamei o Corpo de Bombeiros e acabou dando tudo certo. A minha filha é o meu presente de aniversário atrasado”. A bebê nasceu no dia seguinte ao aniversário do pai.

A criança, que se chamará Marcela da Silva Cáceres, nasceu aos nove meses, pesando 3,85 quilos e medindo 50 centímetros. Segundo a maternidade, mãe e filha estão bem e receberam

Mãe olha bebê de apenas trâs dias dormindo na cama de casa (Foto: Tawany Marry/ G1 MS)Mãe olha bebê de apenas trâs dias dormindo na
}cama de casa (Foto: Tawany Marry/ G1 MS)

O nascimento
A casa humilde, de apenas um cômodo, foi onde Marcela, de três dias, nasceu apenas com a ajuda da mãe. A previsão, segundo os exames pré-natais, era de que o bebê viesse apenas no dia 12 deste mês, mas o nascimento acabou alguns dias antecipado.

Sem telefone ou celular em casa, a mulher se viu obrigada a fazer todo o procedimento de parto quando a bolsa estourou, incluindo cortar o cordão umbilical da criança com uma tesoura. “Era apenas eu e Deus naquela hora. Ou ia ou ia do mesmo jeito”, disse a mãe.

A doméstica entrou em trabalho de parto na frente dos filhos, Esterferson e Beatriz. “Eles não entendiam o que estava acontecendo, mas ficaram ao meu lado chamando pela neném. O menino ficou segurando minha mão o tempo todo”, contou a doméstica ao G1.

Para a doméstica, o momento de cortar o cordão umbilical foi o mais difícil. “Eu tinha uma noção de como cortar, mas fiquei meio preocupada com o umbigo dela, pois não sabia o que fazer depois”. De acordo com os bombeiros, mesmo sozinha, a mulher fez a maioria dos procedimentos corretamente e não teve nenhuma complicação. Ela apenas deixou de prender o cordão umbilical do bebê após o corte, o que poderia ter causado uma hemorragia.


VIA GRITOS DE ALERTA
FONTE . G1

Evangelista Billy Graham está internado com pneumonia

O evangelista Billy Grahan, 93, foi internado no hospital da Carolina do Norte, EUA, para cuidar de uma pneumonia, mas seu quadro é estável.

Ele foi levado ao hospital após episódios de sudorese e tosse durante a noite. O evangelista teve uma ligeira febre e dificuldade para respirar. Os médicos ainda não divulgaram que dia ele poderá receber alta. Amigos e familiares do pregador esperam que ele possa voltar para as festividades natalinas.

Esta não é a primeira vez que ele precisa ser internado por problemas pulmonares. No início deste ano, em maio, ele também foi ao hospital pelos mesmos sintomas. Desde então ele retomou suas atividades normais e seu programa de fisioterapia.

A pneumonia de Graham é consequência do mal de Parkinson que comete o evangelista há mais de 15 anos, causando acúmulo de fluído em seu cérebro e com isso pneumonia, além de osteoporose e ossos quebradiços.

Outros males relacionados à idade também atingiram Billy, incluindo a degeneração muscular e a perda de audição, mantendo-o em casa e obrigando-o a trabalhar através da escrita, sem ir à peregrinações como gostava.



Com o renascimento do evangelismo, Billy Graham tornou-se um dos Cristãos mais famosos do século XX.

Ele pregou o Cristianismo a milhões de pessoas em todo o mundo através de rádio, televisão e durante peregrinações. Sua última cruzada em Nova York, em 2005, trouxe cerca de 300 mil pessoas.

Em 2008 ele visitou o Brasil, onde pregou para milhares de pessoas em São Paulo.

Devido seu estado de saúde, Billy Graham entregou o cargo de evangelizador para o seu filho mais velho, Franklin Graham.

Seu último trabalho foi o lançamento do livro “Próximo do Lar Celestial: Vida, Fé e Acabar Bem”, publicado em outubro deste ano.

Fonte: The Christian Post

BANALIZAÇÃO - Após mudança na lei, divórcios batem recorde e separações alcançam menor nível em 26 anos

Em números absolutos, foram 243.224 divórcios e 67.623 separações no país durante o ano de 2010, segundo estatísticas do IBGE.

A taxa geral de divórcios registrados no Brasil atingiu em 2010 o seu maior nível em 26 anos: 1,8 para cada mil habitantes com 20 anos ou mais, de acordo com as estatísticas do Registro Civil, divulgadas nesta quarta-feira (30) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 2000, por exemplo, esse índice foi de 1,2; em 2005, de 1,3.

A taxa de separação (processo no qual as partes ainda ficam impedidas de formalizar uma nova união), por outro lado, caiu para o menor patamar desde o início da série histórica, iniciada em 1984: 0,5 para cada mil habitantes. Em números absolutos, foram 243.224 divórcios e 67.623 separações no país durante o ano.

De acordo com Claudio Dutra Crespo, gerente de estatísticas vitais e estimativas populacionais do IBGE, os números estão diretamente ligados à mudança pela qual passou a legislação em julho do ano passado, que acabou com o tempo mínimo necessário de separação para dar entrada no divórcio. Agora, os casais não precisam mais aguardar até dois anos para pedir a dissolução definitiva, seja ela de natureza consensual ou litigiosa.

“Esse foi um fator decisivo para que o divórcio tivesse esse aumento tão expressivo. Com o trâmite burocrático facilitado, tudo pode fluir mais rapidamente. Em tese, não há mais motivos para que o casal entre com um pedido de separação, a não ser que ainda tenha dúvidas”, diz Crespo.

Segundo análise do IBGE, a flexibilização da legislação sempre resulta em um aumento do número de divórcios. Foi o que aconteceu em 2007, por exemplo, quando os divórcios e separações puderam ser solicitados por via administrativa, nos tabelionatos de notas do país (nesses casos o casal não pode ter filhos menores de idade ou incapazes e é preciso haver consenso entre as partes).

Na comparação entre 2009 e 2010, constatou-se que a taxa geral de divórcios cresceu em todos os Estados do país, exceto em Roraima, Tocantins, Paraíba e Mato Grosso, onde os índices se mantiveram iguais aos do ano anterior.

O levantamento do IBGE mostra que os divórcios de 2010 foram de casamentos que tiveram, em média, 16 anos de duração. Na divisão por Estados do país, o tempo transcorrido entre a data do casamento e a da sentença do divórcio teve pequena oscilação, sendo que a maior média, de 19 anos, foi registrada no Piauí, e a menor, de 14 anos, no Distrito Federal e no Amazonas.

A análise aponta ainda que, em 2010, 40,9% dos divórcios foram de casamentos que duraram no máximo dez anos. O percentual aumentou desde 2000, quando 33,3% dos divórcios tinham até dez anos.
Quanto à natureza das separações, 71% delas foram consensuais. Entre aquelas que foram judiciais não consensuais, 70,5% foram solicitadas pela mulher. No caso dos divórcios, o consenso foi observado em 75,2% das dissoluções concedidas sem recursos. Entre os não consensuais, há maior equilíbrio entre os requerentes (52,2% dos pedidos foram feitos pelas mulheres).

Guarda dos filhos
As estatísticas do Registro Civil mostram também que o compartilhamento da guarda dos filhos menores entre os ex-cônjuges está mais comum: esse percentual passou de 2,7% em 2000 para 5,5% em 2010.

Em Salvador, por exemplo, 46,54% dos filhos menores de casais que se divorciaram em 2010 ficaram sob responsabilidade de ambos os cônjuges, a maior proporção entre as capitais. Cuiabá (MT) e Goiânia (GO), por outro lado, não registraram nenhum caso de guarda compartilhada no ano passado.

O avanço da guarda compartilhada, no entanto, ainda é pequeno quando comparado à hegemonia das mães nessa responsabilidade, mesmo com a pequena queda verificada entre 2000 (89,6%) e 2010 (87,3%). No total do país, apenas 5,6% dos filhos menores ficaram sob a guarda dos pais em 2010.

Perfil do divorciado
Em relação à faixa etária dos casais, a pesquisa mostra que tanto o homem quanto a mulher estão se divorciando mais tarde. Em 2000, a idade média dos homens em fase de divórcio era de 41 anos. No ano passado, passou para 43 anos. Quanto às mulheres, a diferença aumentou um ano, de 38 para 39 anos de idade.

Na avaliação por tipo de família, constatou-se um crescimento da proporção dos divórcios de casais sem filhos: 30% em 2000 para 40,3% em 2010. Essa tendência também foi observada entre os casais que tinham somente filhos maiores (aumento de 13,3% para 22,3% no mesmo período).

Fonte: UOL

Professor cristão é deportado das Maldivas


Professor cristão é deportado das MaldivasProfessor cristão é deportado das Maldivas
No país, qualquer coisa que represente uma religião diferente do islã é estritamente proibida
Shijo Kakkattu, um cristão indiano de 30 anos, foi deportado das Ilhas Maldivas após ser pego com materiais cristãos. Ele era professor em uma escola há dois anos. Um colega de trabalho encontrou material cristão no computador da escola e o delatou para o Centro Nacional de Administração.

De acordo com a Minivan News, uma agência de notícias independente, Kakkattu, acidentalmente, transferiu o material cristão para o computador da escola. Mohamed Shiraj, o diretor da Escola Raafainu em Raa Atool, disse à agência: “Os vídeos eram da Índia, então eu não sei o que eles estavam dizendo, mas as imagens eram cristãs.”

Após a denúncia, a polícia invadiu a casa de Kakkattu e encontrou uma Bíblia e outros materiais de cunho cristão. Então, eles o acusaram de pregar a fé cristã numa nação muçulmana que, recentemente, intensificou as restrições quanto a pregação e a prática de fé não muçulmana.

A polícia levou Kakkattu a outra ilha para interrogatório e o mantiveram preso por 15 dias antes de deportá-lo para a Índia.

No mês passado, o Ministério de Assuntos Islâmicos publicou novos regulamentos sob a proteção da Lei da Unidade Religiosa de 1994. Qualquer coisa que represente uma religião diferente do islã é estritamente proibida. Websites, blogs, jornais e revistas estão proibidos de publicar qualquer coisa contraditória ao islã.

Quem violar tais sanções enfrentará de dois a cinco anos de prisão domiciliar, ou será banido da ilha. Como no caso de Kakkattu, os estrangeiros acusados de proselitismo serão deportados.


Fonte: Voz dos Mártires/Missão Portas Abertas

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...