sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Jornalista atribui o ataque de Edir Macedo contra igrejas pentecostais a debandada de fiéis da IURD

O jornalista Tony Goes, especializado em televisão e colunista da seção F5, do jornal Folha de S. Paulo, escreveu artigo analisando a polêmica reportagem do Domingo Espetacular sobre o fenômeno “cair no espírito”, veiculada no último domingo.
Jornalista atribui o ataque de Edir Macedo contra igrejas pentecostais a debandada de fiéis da IURDVisite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
No artigo, Goes afirma ter tomado uma “dose extra de pachorra” para assistir a reportagem, que segundo ele “quebrou regras básicas do jornalismo” ao não mostrar depoimentos de pessoas ou fiéis que defendam a prática.
Para o jornalista, o motivo de a Record ter exibido a reportagem é a perda de fiéis que a Igreja Universal do Reino de Deus vem enfrentando. Citando dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Tony afirma que “estamos assistindo a uma guerra entre líderes evangélicos, e a razão é óbvia: o IBGE apontou, nos dados de seu último censo, que a Igreja Universal do Reino de Deus perdeu nada menos do que 24% de seu rebanho entre 2003 e 2009”, e que “mesmo com seu império midiático, a IURD manteve apenas três de cada quatro fiéis conquistados no início da década passada. É uma sangria e tanto”.
Prevendo que a disputa dure muito tempo, Goes acredita que “esta guerra está só começando, e vai sobrar tiro para todo lado”.
Para ele, a emissora coloca em risco toda a credibilidade que tenha com seus telespectadores. “Ao se propor a ‘desmascarar’ o ‘cai-cai’, a Record envereda por um caminho perigosíssimo. Para um não-crente, esta nem de longe é a prática mais questionável das igrejas evangélicas. Quando ataca diretamente suas rivais (apesar de não citar nomes), a IURD expõe um flanco vulnerável, que pode por em risco todo o movimento pentecostal, tanto o neo como o antigo”.


VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: Gospel+

Bento XVI Mostra Preocupação com Crescimento de Evangélicos

O papa Bento XVI expressou nesta sexta-feira sua preocupação pelo crescimento das igrejas evangélicas na América Latina e África.
Bneto XVI conversou com jornalistas a bordo do avião que o levou à capital do Benin, Cotonou. Ele falou que a igreja católica tem hoje o desafio de de levar uma mensagem simples, profunda e compreensível, que as igrejas evangélicas utilizam.
Segundo o pontífice, os evangélicos têm uma liturgia mais participativa que, em suma, seria um sincretismo de religiões.
Na sua visão, isso garantiria “um êxito, mas também resulta em pouca estabilidade". Bento XVI destacou que é muito importante que o Cristianismo não se conceba como um sistema difícil, e tenha uma mensagem universal, de acordo com a agência Efe.
O Papa analisou que muitos fieis estariam voltando à Igreja Católica ou adotando outras igrejas pentecostais. Para que isso não aconteça, defende uma mensagem "simples, profunda e compreensível".
Ele também pediu reconciliação, justiça e paz nas guerras que ainda existem na África. "Muitas vezes, as palavras foram maiores que as intenções, que a vontade de realizar esses acordos", declarou, se referindo a políticos e pessoas em geral para que enxerguem além do egoísmo.
"A África é um grande pulmão espiritual para uma humanidade em crise de fé e esperança". Bento XVI lembrou a maioria dos países africanos tiveram que enfrentar processos muito rápidos de mudança.
"A humanidade se encontra em processo cada vez mais rápido de transformação, e para os povos africanos é um processo difícil, que exige a colaboração de todos", ressaltou.

VIA GRITOS DE ALERTA
INF. CRISTIAN POST

Países africanos revoltam-se contra o imperialismo sodomita britânico

 


O presidente do Gana lidera a investida à medida que vários países africanos se mostram firmes em relação à ameaça britânica de suspender a ajuda económica a países que consideram os atos homossexuais ilegais.
Na altura, quando este tipo de notícia foi veiculada percebeu-se logo que os países ocidentais não tinham em vista os países árabes e islâmicos (onde os homossexuais são com frequência executados em público) mas sim os países africanos. Estes países africanos são, na maioria, países que estiveram sob o império britânico, e como tal, possuem uma cultura mais Cristã que os países islâmicos.
O imperialista David Cameron sente-se mais à vontade em forçar a homossexualidade aos países africanos do que aos países árabes.
O presidente do Gana John Atta Mills, numa declaração oficial, diz:
Eu, como presidente desta nação, nunca irei dar início a manobras que visem legalizar a homossexualidade no Gana.
David Cameron, falando no programa de Andrew Marr em Perth durante a sua estadia na Austrália, disse:
A ajuda britânica tem que ter alguns fios agarrados. Nós somos uns dos principais países do mundo quando se trata de ajuda humanitária, e como tal, queremos ver os países que recebem a nossa ajuda a aderir às convenções em torno dos direitos humanos. Isto inclui a forma como as pessoas tratam os homossexuais e as lésbicas.
Cameron esqueceu-se no entanto, de dizer que parte da Declaração dos Direitos Humanos fala nos "direitos" que são adquiridos mal alguém passe a levar a cabo actos homossexuais.
O presidente ganês John Mills respondeu a Cameron e disse que ele não tem o direito de tentar alterar a cultura e os valores morais do Gana:
Ninguém pode negar ao PM Cameron o direito de levar a cabo políticas ou tomar iniciativas que sejam um reflexo das normas sociais mantidas por ele.Mas ele não tem o direito de intervir em nações soberanas em relação à forma como eles devem agir, especialmente onde as normais sociais e os ideiais são distintos daqueles que existem na sociedade do PM Cameron.
Embora nós reconheçamos a assistência financeira e todo o apoio humanitário que nos foi dado por parte dos nossos parceiros em desenvolvimento, nós não aceitaremos qualquer tipo de ajuda que tenha "cordas agarradas" a ela se essa ajuda não estiver de acordo com os nossos interesses, ou se a implementação - ou a utilização - de tal ajuda-com-cordas-agarradas for piorar o nosso sofrimento como nação, ou destruir a mesma sociedade que nós queremos melhorar com a tal ajuda financeira.
A porta-voz do governo do Malawi, Patricia Kaliati disse que era um "infortúnio" que a Grã-Bretanha esteja a considerar "cordas pró-homossexualismo" na sua ajuda financeira, acrescentando que os actos homossexuais são ilegais no Malawi. Ela ressalvou também que tais leis são um legado britânico.
Os representantes do Uganda, Tanzânia e Zanzibar afinam pelo mesmo diapasão e mostram-se profundamente ofendidos pela atitude imperialista britânica. John Nagenda do Uganda disse que os ugandeses "estavam cansados deste sermões" e que "não deveriam ser tratados como crianças".
Se bem se lembram, o Uganda é um país soberano, cansado de receber este tipo de sermões. Se querem suspender o seu dinheiro, então que seja.
Bernard Membe da Tanzânia disse:
A Tanzânia nunca irá aceitar a proposta de Cameron uma vez que nós temos os nossos valores morais. A homossexualidade não faz parte da nossa cultura e como tal, nunca iremos legalizá-la.Estamos prontos a terminar os nossos laços diplomáticos com a Grã-Bretanha se esta impuser condições que joguem em favor da legalização da homossexualidade.
Somos guiados pela nossa tradição. Temos famílias compostas por uma mãe, um pai e os filhos. O que Cameron está a fazer pode levar ao colapso da Commonwealth.
Zanzibar fez ouvir a sua insatisfação pelo jogo pró-sodomia que Cameron quer levar a cabo:
Temos uma forte cultura islâmica e zanzibari que despreza as actividades gay e lésbicas. A todos aqueles que nos dizem que o apoio ao nosso desenvolvimento depende da nossa aceitação destas prácticas, nós respondemos "Não".
Presidente ganês John Evans Atta Mills - anti-imperialista.

Portanto, ou os países africanos legalizam o uso do ânus como órgão sexual, ou os países ocidentais deixam-nos morrer à fome.
O governo de Obama bem como o governo inglês dão ajuda financeira a países islâmicos mundialmente conhecidos por violarem os VERDADEIROS direitos humanos (liberdade de religião, liberdade de expressão). No entanto, estes dois países não querem dar ajuda financeira a países pobres pelo facto destes criminalizarem os actos homossexuais (e não os homossexuais).
Por aqui se vê que, para os imperialistas é mais importante um país aceitar a sodomia do que ter o que comer.

MR1 Music & Entertainment

DEPOIS DO PROGRAMA ÍDOLOS DA RECORD E DO TEM UM CANTOR GOSPEL LÁ EM CASA DO SBT
TIAGO MATTOS SE APRESENTA NO NATAL DAS CATARATAS DE FOZ DO IGUAÇU
Ele participou do Programa Ídolos, na Record e foi um dos finalistas do concurso "Tem um Cantor Gospel lá em casa", no SBT, ganhando a gravação de um CD e um contrato com o selo MR1 Music & Entertainment. Cumprindo uma agenda bem apertada entre shows e entrevistas, Tiago Mattos no próximo dia 2 de Dezembro de 2011 vai participar da segunda edição do famoso "Natal das Cataratas", evento que já está na segunda edição e faz parte do calendário oficial da Cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná.
É a primeira vez que Tiago se apresenta num evento natalino e pretende surpreender o público fiel que já o acompanha, cantando lindas canções de Natal. A programação acontece de 24 de Novembro de 2011 a 9 de Janeiro de 2012. Além disso, o evento traz neste ano uma série de novidades, como a Vila do Natal, na Praça do Mitre, que concentrará os shows e apresentações artísticas. Além da Casa do Papai Noel, da Casa de Brinquedos e da Árvore de Natal de 20 metros de altura, construída com garrafas pet, o espaço vai ganhar feiras de artesanato e de gastronomia.
“A Vila do Natal será um local de encontro e de confraternização. E presépios de areia que serão instalados em cinco regiões da cidade. As atrações que iluminaram o Natal de Foz do Iguaçu no ano passado também estão de volta – como os pórticos instalados nas avenidas Brasil e Jorge Schimmelpfeng; as árvores de Natal nos principais cruzamentos da cidade; totens iluminados; 280 banners na Avenida das Cataratas com inscrição em diversas línguas; concurso de decoração natalina, entre outras. Queremos fazer um evento à altura dos nossos atrativos e do potencial turístico de Foz do Iguaçu, mas à altura também da expectativa dos iguaçuenses. Para que a população curta, aproveite e participe de todas as atividades”, declarou o superintendente de Comunicação Social da Itaipu, jornalista Gilmar Piolla, que preside o Fundo de Desenvolvimento e Promoção Turística do Iguaçu – o Fundo Iguaçu. Outro sucesso da campanha do ano passado, e que volta neste ano, é o concurso de decoração natalina. Serão premiadas as melhores decorações em quatro categorias: residências, hotéis, lojas de rua e restaurantes. A meta para este ano é dobrar o número de participantes – pulando dos 250 inscritos no ano passado para mais de 500. Os prêmios para os vencedores serão viagens para diferentes destinos da América do Sul.
Para Tiago Mattos, o evento é um presente. São dele as palavras: "Ora, eu vou cantar na comemoração do aniversário de Jesus e na minha cidade. Agradeço a Deus por ter a oportunidade de fechar o ano com chave de ouro. Creio que será um momento em que as pessoas estão mais sensíveis e através da música, naquele dia, Jesus vai nascer em muitos corações".
Luciana Mazza
MR1 Music & Entertainment

SBT QUER SUBIR NO IBOPE E USA AS COSTAS DO PADRE MARCELO - A Fé como Marketing: SBT Anuncia o Sorteio de uma "Benção" do Padre Marcelo Rossi

A fé está em alta na TV aberta como forma de aumentar o ibope. Neste domingo, o programa “Domingo Legal” do SBT anunciou o sorteio de uma "benção" do padre Marcelo Rossi. O ganhador terá direito a uma visita do padre, que vai abençoar a residência e a família do vencedor.
A polêmica é o uso da fé como ferramenta de marketing na TV. O padre é campeão de vendas de livros e CDs, ícone do movimento carismático católico, e está usando “sua bênção” como um objeto de venda.
Esta não é a única ação do SBT envolvendo religião. Aos sábados, o “Programa Raul Gil” promove um show de calouros do estilo gospel.
Desde a exibibição de uma matéria de 40 minutos, apresentada por Edir Macedo no programa “Domingo Espetacular” da Record, criticando a prática chamada de “cair no espírito” de algumas igrejas pentecostais, as religiões têm sido muito discutidas na TV aberta.
Até a Globo entrou na onda e vai exibir, no próximo dia 18 de dezembro, às 22h30, o primeiro especial gospel da história da emissora. E o programa pode ainda virar uma atração semanal para 2012.
Estão sendo programadas participações de algumas das estrelas do gospel brasileiro, que têm contrato ou parceria com a Som Livre Gospel, como David Sacer, Fernanda Brum, Fernandinho, Regis Danese, Damares, Ludmila, Pregador Luo e Eyshila.
Estima-se que em 2011 a indústria da música gospel no Brasil movimentou R$ 2 bilhões, o que atraiu a atenção dos empresários globais.
Para se ter uma ideia, os 4 CD´s da coleção "Promessas", que deu origem a esse especial do dia 18, venderam 482 mil cópias. Luan Santana, álbum mais vendido em todo 2010, conseguiu vender pouco mais de 230 mil cópias.

A fé que mais cresce no mundo ainda é o cristianismo, especialmente os pentecostais

Segundo o estudo anual “Estado das Missões Globais” o número de ateus e não religiosos diminui a cada dia no mundo. “Especificamente, neste milênio (de 2000 a 2011) a categoria ‘não religiosa’ perde cerca de 700 adeptos por dia, enquanto os ‘ateus’ perdem 300. Ou seja, nos últimos 11 anos, os “infiéis” perderam 2,7 milhões de adeptos e os ateus, 1,37 milhão.
O segmento de fé que mais cresce são os evangélicos, adicionando cerca de 60.000 fiéis por dia. Em seguida vem o catolicismo, que aumenta 34 mil pessoas por dia. No Islã nascem 79 mil fiéis diariamente e no Hinduísmo, 37.000.
Comparando esses números com 1970 (em plena revolução sexual no Ocidente e ateísmo comunista na Europa) percebe-se que, em 41 anos, o ateísmo perdeu 28 milhões de adeptos. Por outro lado, pessoas que se denominam ‘não-religiosas’ cresceram mais de cem milhões. Devido à queda dos regimes comunistas, muitos que antes se declaravam ateus agora dizem apenas ser ‘não-religiosos’. Da mesma forma, na China, no Vietnã e em outros países comunistas, muitos preferem dizer que são ‘não religiosos’ em vez de ateus.
Portanto, no século 21 o número de ateus irá diminuir enquanto as religiões continuarão crescendo. Isso inclui a recuperação do Judaísmo (15,1 milhões em 1970 e menos de 14 em 2000) que agora tem 14,9 milhões de membros.
Os seguidores de outras religiões estão distribuídos da seguinte forma:
- O cristianismo, com todas as suas variantes, soma 2,3 bilhões de pessoas, aumentando 94 mil pessoas por dia (entre protestantes, católicos e ortodoxos).
- Muçulmanos, com quase 1,580 bilhão de adeptos, cresce a uma taxa de 79.000 fiéis por dia.
- O Hinduísmo conta hoje com 952 milhões de adeptos e aumenta em 37 mil a cada dia.
- O Budismo tem 468 milhões fiéis, somando mais 13.800 por dia.
- Taoísmo chinês e o confucionismo já são 457 milhões, ganhando 9.300 seguidores por dia.
- As religiões étnicas totalizam 269 milhões de seguidores, aumentando cerca de 9.000 por dia.
Estima-se que ainda há no mundo dois bilhões de pessoas que nunca ouviram a mensagem do evangelho de forma clara. Outros 2,680 bilhões já ouviram falar ou conhecem um pouco, mas não são cristãos.

Entre os cristãos

A Igreja Católica totaliza 1,160 bilhão de fiéis, de acordo com este estudo, ganhando mais 34 mil por dia.
As igrejas protestantes (incluindo os anglicanos) totalizam 1,125 bilhão de fiéis no mundo.
O total de pentecostais é 612 milhões, crescendo 37 mil por dia.
Os protestantes “tradicionais” são 426 milhões, acrescendo 20.000 por dia.
Os anglicanos, principalmente da África e Ásia, totalizam 87 milhões, com mais 3.000 se unindo a eles a cada dia.
Finalmente, a igrejas ortodoxas possuem 271 milhões de seguidores, ganhando apenas 5.000 por dia.
O estudo entende que as “seitas cristãs” (Testemunhas de Jeová, mórmons, grupos que duvidam da Trindade ou da divindade de Jesus, etc …) são apenas 35 milhões, crescendo a uma taxa de 2.000 por dia.

Mais Dados

É preciso entender que a maneira mais fácil de fazer um grupo crescer é pelo nascimento. Quanto mais filhos, mais fácil é de ajudar a sua tradição religiosa. Outra forma é a conversão. Mesmo sendo menos fácil de contabilizar, especialmente onde são proibidas, ocorre aos milhões a cada ano. A situação mais comum é um cônjuge aderir à religião do outro.
Outro dado curioso é que em 2011, estima-se que são colocadas mais de 71 milhões de Bíblias (em suas diversas versões) no mundo a cada ano. Calcula-se que existe hoje 1.740 bilhão de Bíblias disponíveis no planeta, muitas delas de forma clandestina.

VIA GRITOS DE ALERTA
Inf. Gospel Prime /Traduzido e Adaptado de Protestante Digital

Blog Terceira Via reúne pastores que aprovam um terceiro nome na luta pela presidência da CGADB

                  
A ideia é tirar os dois candidatos que disputam há anos pelo posto de presidente da Convenção Geral        
  Blog Terceira Via reúne pastores que aprovam um terceiro nome na luta pela presidência da CGADB
A proposta para que haja um terceiro nome na luta pela presidência da Convenção Geral das Assembleia de Deus do Brasil (CGADB), a Terceira Via, está ganhando proporções cada vez maiores e agora conta com um blog onde os apoiadores desse projeto possam discutir medidas para torná-lo real.
O pastor Geremias do Couto é uma das principais vozes que tentam passar essa proposta adiante e agora conta com centenas de outros pastores filiados à CGADB que concordam com ela. Com o blog lançado pela equipe pretende aglutinar outras lideranças pastorais que entendam a necessidade de ter um novo nome na eleição presidencial, além dos dois nomes já conhecidos.
A página de apresentação do blog www.terceiraviacgadb.com.br mostra um texto e propõe um debate entre os pastores para saber se é viável ou não lançar o terceiro candidato ao cargo de presidente da CGADB, posto ocupado há anos pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa.
A Terceira Via pretende mobilizar campanhas de oração para que até 2013, quando acontecerá a próxima Assembleia Geral Ordinária, o terceiro candidato esteja pronto para concorrer ao posto disputado entre o atual presidente e o pastor Samuel Câmara.

VIA GRITOS DE ALERTA

Ministério da Justiça edita resolução sobre assistência religiosa em presídios

Ministério da Justiça edita resolução sobre assistência religiosa em presídios
O Ministério da Justiça editou uma resolução na semana passada para estabelecer leis para a assistência religiosa nas prisões de todo o país. O texto ressalta alguns direitos individuais para que religiões possam realizar o trabalho com os detentos.
Os pontos destacados pelos magistrados são: É garantido ao preso mudar de religião, consciência ou filosofia, a qualquer tempo, sem prejuízo da sua situação prisional;
É garantido o sigilo do atendimento religioso pessoal; É assegurado o ingresso de representantes religiosos em todos os espaços de permanência de presos no estabelecimento prisional; É assegurada a atuação de diferentes confissões religiosas em igualdade de condições.
O documento também garante que o detento tem o direito à liberdade de expressão, de crença, de religião e estabelece ainda que a administração penitenciária precisa oferecer treinamentos aos seus funcionários sobre as “necessidades específicas relacionadas às religiões”.
Fora isso, ficou determinado que os sistema prisional precisa respeitar as necessidades dos presos, incluindo rituais, objetos, datas sagradas e comemorativas, assim como períodos de oração, higiene e alimentação. Para que todos esses aspectos sejam respeitados as Escolas penitenciárias terão um ano para adaptar a matriz curricular e a administração também precisará se adaptar à rotina do cárcere a “aspectos alimentares, de higiene, de horários, de cortes de cabelo, de barba”.

VIA GRITOS DE ALERTA
Com informações VEJA

Ricardo Gondim faz nova declaração polêmica sobre gays

Ricardo Gondim
Perguntado se era favor da união civil entre homossexuais, sua resposta foi contundente: “Sou a favor. O Brasil é um país laico. Minhas convicções de fé não podem influenciar, tampouco atropelar o direito de outros. Temos de respeitar as necessidades e aspirações que surgem a partir de outra realidade social. A comunidade gay aspira por relacionamentos juridicamente estáveis.
A nação tem de considerar essa demanda. E a igreja deve entender que nem todas as relações homossexuais são promíscuas. Tenho minhas posições contra a promiscuidade, que considero ruim para as relações humanas, mas isso não tem uma relação estreita com a homossexualidade ou heterossexualidade”.
Além de muitas críticas de outros pastores por conta desta posição, isso fez com que o pastor Gondim deixasse, após muitos anos, de ser colunista da revista Ultimato.
Dizendo-se o “herege da vez”, na mesma reportagem, Gondim explicou seu desgaste com os demais pastores por conta de suas posições teológicas a respeito de outras declarações suas a respeito da natureza de Deus e a interpretação da Bíblia.
O Brasil vive um clima de “guerra” declarada na luta pelos direitos da comunidade gay e a postura ferrenha dos pastores que veem nisso uma tentativa de destruir a família tradicional. Se por um lado a violência contra os homossexuais tem sido constantemente denunciada de forma acertada e o discurso religioso apontado [para alguns, de maneira equivocada] como um dos causadores, por outro, a tentativa de proibir qualquer expressão de pensamento contrário à prática homossexual é visto como censura.
Há, de fato, um elemento complicador nesse debate. Por isso, ao que nos parece, um consenso está longe de ser alcançado.
No início deste mês, em outra matéria da revista Carta Capital que questionava “Ser gay é pecado?”, Gondim voltou a falar sobre a questão homossexual. Sua declaração pareceu ambígua:
“A Bíblia, infelizmente, tem sido usada para defender quaisquer posicionamentos, desde a escravidão (sobram textos que legitimam a escravatura) ao genocídio. Como o sexo é uma pulsão fundamental da existência, o controle sobre essa pulsão mantém um fascínio enorme sobre quem procura preservar o poder. Assim, o celibato católico e a rígida norma puritana não passam de mecanismos de controle. O uso casuístico das Escrituras na defesa de posturas consideradas conservadoras ou ‘ortodoxas’ não passam, como dizia Michel Foucault, de instrumentos de dominação”.
Sem tomar posição sobre ser ou não ser pecado (a pergunta levantada pela revista), ele se exime de uma declaração teológica, optando por tratar o assunto dentro da esfera das “relações de poder”.
O pastor Zwinglio Rodrigues, por exemplo, não acredita ser esse o caminho mais indicado. Questionado pelo Gospel Prime sobre a declaração de Gondim, escreveu:
“Para o já falecido Foucault, a temática sexo demonstra de forma cristalina o interesse de um dado poder político [o qual chamo aqui de xy] em condicionar o comportamento e a conduta do sujeito. A partir disso, dá-se uma super-repressão dominadora que objetiva satisfazer os interesses do poder político xy. A isso é dado o nome de biopoder.
Quando Gondim fala sobre ‘o uso casuístico das Escrituras na defesa de posturas consideradas conservadoras ou ‘ortodoxas’, ele acusa os cristãos conservadores de ser o poder político xy. O interesse desse grupo é a [suposta] manutenção do status quo na visão ‘gondiniana’. Eu discordo frontalmente dessa conclusão.
Nossa abordagem do assunto parte do ensino claro das Escrituras, coisa que, em minha opinião, o senhor Gondim já abandonou a muito tempo. Não há projeto de poder por trás do nosso discurso. O que existe é fidelidade a textos como Romanos 1:24-27 que desaprova a prática homossexual e demonstra o estado de pecado dos praticantes do homossexualismo que precisam se reconciliar com Deus através do Mediador Jesus Cristo. Essa conversa sobre dominação, nesse caso, não passa de um papo sociológico que não respeita a Bíblia. Definitivamente, nosso interesse nada tem a ver com repressões e dominações, mas com a libertação dos cativos pelo conhecimento da Verdade [Jo 8:32, 36]”.
Certamente entre os evangélicos brasileiros existe quem tome um partido ou outro. Como em tantas outras questões, não há uma posição única no meio protestante. O que parece ser a questão principal é como a interpretação de textos bíblicos usada até hoje continuará sendo ensinada.
No momento em que as autoridades governamentais passam a reconhecer a possibilidade de casamento entre pessoas do mesmo sexo, resta às igrejas apenas ensinar a maneira como cada uma crê. O grande dilema de nossos tempos, evidenciado mais uma vez nessa matéria da revista, é que as vozes dissonantes dentro da igreja evangélica mais confundem do que esclarecem os “de fora”.
Ao mesmo tempo em que há pastores e pastoras defendendo que uma pessoa não precisa mudar de opção sexual, outros tantos não abrem mão de lembrar a necessidade de um novo nascimento.
Quando uma revista secular se dispõe a perguntar a cristãos de diferentes tradições se “Ser gay é pecado?” e ouve ao mesmo tempo, “sim”, “não” e “depende”, é sinal de que o conceito de pecado já não é mais o mesmo para os evangélicos brasileiros.
Confira a matéria completa da Revista Carta Capital aqui

VIA GRITOS DE ALERTA

EU JÁ VI ESSA HISTÓRIA - SAUL X DAVI . VALADÃO OPTA PELO SILÊNCIO


O que estaria motivando os ataques do bispo Edir Macedo aos cantores evangélicos e as manifestações do Espírito Santo ? Segundo o portal IG, as críticas que não devem cessar a Ana Paula Valadão foram motivados por ela integrar o Diante do Trono e ser cantora da Som Livre, do grupo Globo. Após a primeira série de ataques em seu blog no mês de setembro, Ana Paula Valadão, disse ao CREIO, ‘que não iria se defender e não há porque se posicionar.’ Em um congresso nos Estados Unidos a líder do DT adotou a postura do silêncio.

Desde o dia 12 de setembro, Edir Macedo tem provocado os cantores evangélicos. Na ocasião declarou que 99% deles são endemoniados e condenou as quedas e outras manifestações do Espírito. Para quem cria que as opiniões de Macedo terminariam em seu blog, ele usou outro veículo,a TV Record para reiniciar coro de insatisfação.

No último domingo, 40 minutos foram usados no Domingo Espetácular para emitir as opiniões da Igreja e no twitter um boicote foi acertado à emissora da Universal. Mas o que estaria motivando tanta ira? Segundo o portal IG, a cantora Ana Paula Valadão e o Diante do Trono, grupo que a cantora lidera, são junto com alguns padres católicos os artistas que mais vendem dentro do braço gospel da gravadora Som Livre, empresa do Grupo Globo que é a principal rival e alvo da grande maioria dos ataques da Record e do Bispo Macedo.O site IG ainda afirma que segundo fontes dentro da emissora de Edir Macedo, os ataques por parte do Bispo e da Record contra as igrejas pentecostais não devem parar.

Durante a EXPOCRISTÃ logo após a primeira série de ataques, Ana Paula Valadão conversou com a repórter Mayra Bondança, do portal CREIO. Na ocasião a integrante do DT disse: “Não vou me defender, não tenho porque me posicionar. Vou deixar que meus amigos se coloquem e expressem. Infelizmente essas coisas acontecem, mas eu não vou responder”.

Em Dallas, nos Estados Unidos, desde que começou a segunda onda de ataques de Edir Macedo e Record, Ana Paula Valadão e sua família mantiveram a postura do silêncio.

VIA GRITOS DE ALERTA

Psicóloga Marisa Lobo pede união entre Silas Malafaia, Magno Malta e Marco Feliciano

 

Psicóloga Marisa Lobo pede união entre Silas Malafaia, Magno Malta e Marco FelicianoNesta quinta-feira (17), a doutora Marisa Lobo, que tem militado contra o que chama de “privilégios gays”, pediu união dos pastores e parlamentares cristãos. Marisa pediu que eles deixem de lado o “ego e a vaidade e se unam, em ações contra o preconceito cristão” que está se instaurando no país.
Alvo de duras críticas de ativistas gays, que usaram o Twitter para se manifestar contra a posição da psicóloga, que cobra uma postura séria do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que para ela tem sido partidário ao apoiar e se manifestar em defesa do movimento LGBT.
Marisa teve sua foto estampada por mais de duas semanas no maior site gay do país, Gay1. Com uma matéria criticando a postura da psicóloga e questionando o fato de ela ser conhecida como “Psicóloga Cristã”.
Comparada com o pastor Silas Malafaia – a versão “feminina do Mala” – como é chamado entre os ativistas gays. Marisa tem sido ridicularizada no Twitter, além de estar sendo acusada de homofobia, por sua posição contrária ao movimento LGBT.
Marisa é parceira do Fenasp, Fórum Evangélico Nacional de Ação Social, além de ajudar em campanhas contra as drogas, questionando privilégios e questões ligadas a educação infantil, abusos, temas que degradam a família. Em sua última ação, entrou de cabeça apoiando o Plebiscito pedido pelo deputado Marco Feliciano, onde o povo possa decidir se concorda ou não com o casamento gay.
Marco Feliciano respondeu o apoio da psicóloga em um culto da UMADC, de Santa Catarina, promovido pelo Gideões Missionários da Última Hora. Ele elogiou o trabalho da psicóloga Marisa Lobo, que se solidarizou com sua luta, e reclamou da falta de apoio, de pastores e líderes de renome, como também de deputados em todo o Brasil. Feliciano pediu apoio das comissões e garantiu que se os deputados não ajudarem, a esclarecer a sociedade, a importância deste Plebiscito, só Deus sabe o que isso pode acarretar.
Marisa tem pedido aos deputados, pastores e líderes que se unam em torno desse Plebiscito. Ela também contatou o presidente do FENASP, Wilton Acosta, que garantiu que passará no gabinete do pastor Marco Feliciano, na próxima semana, oferecendo total apoio do FENASP. Acosta entende que por se tratar da família brasileira o FENASP deve dar total apoio ao Plebiscito. Ele também se comprometeu em pedir apoio em todas as comissões.
Marisa também acredita que se o senador Magno Malta se empenhar no apoio ao Plebiscito, como também o pastor Silas Malafaia, que em sua opinião, “tem lutado sozinho, sofrendo perseguições”, comentou Marisa, “ficando desgastado. Ele precisa de apoio e poderá apoiar todas as ações em conjunto, pois esse não é mais um projeto do Marco, é de todo aquele que luta para defender direitos éticos e moral de toda a família brasileira”, o resultado poderá ser favorável ao Plebiscito.
Marisa chamou a atenção de todos, pedindo para todo povo cristão, “que peçam aos seus deputados, de sua região, que apoiem este projeto, e aos líderes e pastores, que façam corrente de oração, e lutem pela família brasileira”, comentou.
“A questão não é negar direitos civis, pois todos nós temos, em igualdade, porém não podemos casar pessoas do mesmo sexo, com o nome de casamento igualitário, pois isso abre precedentes para algo muito pior, a obrigatoriedade de se fazer casamento no religioso, com o perigo de um pastor, por exemplo, ou padre, ser criminalizado, por descumprir a lei”, esclarece Marisa.
Para ela com a cobrança popular, do povo e dos pastores, pode sim, haver uma mudança em relação ao rumo que as leis têm tomado e permitir que o povo decida, através de Plebiscito, leis polêmicas, como a do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

VIA GRITOS DE ALERTA
INF OVERBO NOTÍCIAS CRISTÃS

Abertura do Cimad foi marcada por experiências missionárias


Abertura do Cimad foi marcada por experiências missionárias
Culto de abertura foi realizado em meio a muita emoção e mover do Espírito Santo

O primeiro dia do 2º Congresso Internacional de Missões das Assembleias de Deus (Cimad), realizado nesta quarta (16) na sede da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Belenzinho, São Paulo (SP), contou com plenárias durante a manhã e a tarde, além de um avivado culto à noite.

A primeira plenária da manhã trouxe como tema “A visão Missionária das ADs nos USA”, dirigida pelo superintendente geral das Assembleias de Deus nos Estados Unidos, pastor George Wood / USA. Também foi discutida a “Visão Missionária das Assembleias de Deus no Brasil”, que teve como preletor o presidente da AD Belém e da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa.

Tarde de plenárias

A tarde começou com a plenária: “A importância do preparo para o futuro missionário”, com o pastor Elizeu Martins, diretor executivo da Escola de Missões das Assembleias de Deus (Emad). Ele aproveitou a oportunidade para apresentar a escola aos líderes que estão reunidos no templo sede da AD, ministério Belém (SP).

De acordo com o pastor Elizeu Martins a AD está preocupada com missões e com a qualidade na execução do trabalho. “O Centenário mostrou que somos capazes. Mas, é necessário lembrar que a nossa denominação tem uma escola que prepara missionários. Os obreiros não precisam se preparar em outras escolas, pois temos uma escola de ótima qualidade”, lembra.

O tema da segunda plenária da tarde foi uma pergunta: “Como fazer missões na realidade brasileira?”. Para ministrar sobre esse assunto o pastor Raul Cavalcante, presidente da AD em Imperatriz (MA) fez a leitura bíblica em Atos 1.8.

Visão Missionária

Para mostrar a visão missionária da Secretaria Nacional de Missões (Senami), foi convidado o pastor Anísio Nascimento, secretário da nacional da CGADB. Ele ministrou baseado em 2 Reis 7. 9. Ele fez a seguinte conta: Se cada crente desse 10 centavos por dia, ou R$ 3 por mês, ou R$ 36 ano. Isso daria R$ 72.000.000,00 por ano. Com esses recursos daria para enviar 20 mil missionários com R$3 mil por mês. “O que falta para abrir os olhos? Aqui não tem maremotos, terremotos e guerra e porque essa conta não fecha? Deus vai requer de cada um”, questiona.

O que tem preocupado o secretário é que o Brasil deixe de enviar missionários. “O Brasil tem o grande sonho de ganhar uma cadeira cativa no Conselho da ONU, mas o sonho da igreja é ser a líder de evangelização mundial”.

Culto de abertura

O culto de abertura do Cimad foi realizado em meio a muita emoção e mover do Espírito Santo. O culto foi dirigido pelo pastor Anísio do Nascimento, Secretário Executivo da Secretaria Nacional de Missões (Senami) no templo sede da AD ministério do Belém (SP).

Para o pastor José Wellington Bezerra da Costa, líder da igreja e presidente da CGADB, o trabalho missionário deve ser feito com preparo. “Estamos nesse congresso para mostrar aos participantes que Deus quer usá-los, basta dar lugar ao Espírito Santo”.

A leitura oficial foi feita pelo pastor Arcelino Victor de Melo no livro de Marcos 16.9 e a oração pelo pastor Kemuel Sotero. Logo no início do culto, o cantor Victorino Silva louvou ao Senhor com três canções, o coral masculino da igreja e depois as irmãs da Vila Diva louvaram para recolher os dízimos e ofertas.

O preletor da noite foi o pastor José Satírio (foto), missionário brasileiro há 35 anos em Cúcuta – Colômbia. Ele baseou sua mensagem em Lucas 4.18. “A unção tem um efeito especial na vida do enviado e da igreja que o enviou. Ela proporciona ao servo do Senhor a visão e a revelação”.

O pastor destacou ainda que a unção muda tudo e a pessoa passa a fazer as coisas para Deus sem querer nada em troca. “A nossa esperança está assegurada. Então, guarde a esperança e caminhe com a esperança”, revela.

O pastor Satírio chamou a atenção dos irmãos para não transformar as coisas transitórias em permanentes. “Jacó decretou a morte do seu filho, mesmo não tendo certeza. Ele decretou o luto transitório em permanente. Vale apena viver de luto por uma prova que Deus já decretou vitória?”, questiona Satírio.

Experiência no Butão

Em 1975, pastor Satírio foi enviado a Colômbia e começou a ler tudo que saia na mídia a respeito do Butão. Em 1995, a igreja de Cúcuta também começou a orar pelo Butão e pequenos grupos de oração se formaram. Eles nunca pararam de orar pelo país.

Em 1996 Satírio recebeu uma carta. “O rei do Butão abriu as portas do país para o turismo e entre os países beneficiados estava o nome do Brasil. Glória a Deus!”

“Quando ouvi isso quis ir para o Butão, mas estávamos construindo a igreja na Colômbia e eu não sabia o que fazer e Deus me disse: ‘Eu não amo ferro, areia e tijolos, Eu amo almas’”.

O resultado foi apresentado com fotos no telão da igreja. Elas mostravam a inauguração de mais uma igreja no Butão com quatro andares, e capacidade para 450 pessoas. Além disso, foram consagrados 22 obreiros. Hoje somos mais de 2 mil membros no Butão”, conclui o pastor.

VIA GRITOS DE ALERTA
Inf. Ivan Carlos/Redação CPADNews

Ataque a igreja na Somália mata duas pessoas e fere três


Ataque a igreja na Somália mata duas pessoas e fere três
Supostos extremistas islâmicos lançaram uma granada no local

Supostos extremistas islâmicos na Somália, da milícia Al Shabaab, lançaram uma granada dentro da casa de um guarda da Igreja Pentecostal da África Oriental (EAPC) na noite de sábado, dia 5 de novembro. O ataque matou uma menina de oito anos de idade e outro membro da igreja.

A menina de 8 anos de idade, Winnie Mwenda Mutinda, e um jovem membro da igreja, John Kikavu, de 25 anos, morreram instantaneamente. A criança era a filha caçula de Patrick Mutinda, membro da igreja e também segurança do templo.

Outras três pessoas ficaram feridas depois da explosão. O filho do vigia, Samuel Mutinda, de 12 anos, sofreu queimaduras no peito e na perna, e seu irmão de 10 anos, Peter Mutinda, sofreu queimaduras na mão e na perna. A avó dos garotos também foi atingida pela explosão e passará por uma cirurgia.

Os três membros feridos da família foram inicialmente levados para a casa do pastor da igreja, antes de serem levados para o hospital, em Garissa. “Os três cristãos feridos estão em condição estável e recebendo tratamento”, disse o pastor. “Espero que eles sejam liberados o quanto antes.”

Muçulmanos têm tentado restringir a ação das igrejas em Garissa de diversas maneiras. Os cristãos não têm permissão de orar, cantar ou usar instrumentos durante os cultos domésticos que são realizados em casa alugadas por muçulmanos.

Além disso, nenhum ensino religioso que ensine aos alunos sobre a doutrina cristã é permitido, nem mesmo nas escolas cristãs.

Garissa tem mais de 15 denominações cristãs, sendo as principais a EAPC, a Igreja do Evangelho da Redenção, a Igreja Anglicana, a Igreja do Evangelho Pleno do Quênia, além de igrejas domésticas, igrejas cristãs africanas e escolas.


Fonte: Portas Abertas

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...