segunda-feira, 9 de maio de 2011

Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos


Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos Confronto egípcio deixou 12 pessoas mortas e 232 feridas
Continuam os protestos contra os incêndios em igrejas no centro do Cairo, após o final de semana de confrontos. Os cristãos coptas estão recolhendo os pedaços depois os confrontos em que duas igrejas foram incendiadas e 12 pessoas mortas.

No sábado à noite, grupos muçulmanos atacaram e incendiaram a igreja de Mar Mina, em Imbaba, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma ex-muçulmana que teria mudado de credo para se casar com um jovem cristão. O confronto sangrento deixou pelo menos 12 mortos e 232 feridos, de acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde do Egito.

A mulher teria aparecido em uma televisão cristã para desmentir as acusações.

Grupos de cristãos e muçulmanos atiraram bombas e pedras uns nos outros nas ruas.  Casas e lojas também foram alvejadas. A polícia conseguiu colocar a situação sob controle depois de usar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Os líderes da igreja conduziram orações e declararam três dias de luto.

Centenas de cristãos se reuniram em frente ao prédio da televisão estatal no centro do Cairo, pedindo a demissão do principal líder militar do Egito, o Marechal de Campo Mohamed Hussein Tantawi, e acusando o Exército de não protegê-los.

O governo adotou uma postura mais rígida em resposta à violência, com as 190 pessoas detidas e se comprometeu a pagar uma indenização às famílias dos mortos e feridos na violência.

Autoridades prometem aumentar segurança de igrejas

Em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizado o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia conseguiram acalmar a região.

O confronto, segundo agências de notícias internacionais, representa um novo desafio para os generais que governam o país desde a saída do poder do presidente Hosni Mubarak, em decorrência de intensos protestos.

O ministro da Justiça, Mohamed el-Guindy, prometeu que o governo vai aumentar a segurança nos locais de culto e endurecer as leis que criminalizam ataque a locais de adoração.

Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por motivos religiosos, especialmente no sul do país.


Fonte: Christian Post / Missão Portas Abertas

Confronto na Nigéria deixa 16 cristãos mortos

Confronto na
 Nigéria deixa 16 cristãos mortos

Homens armados atacaram o vilarejo mataram cristãos e queimaram casas
Pelo menos 16 pessoas foram mortas no ataque a uma aldeia cristã no norte da Nigéria assolada pela violência étnica.

Homens armados não identificados atacaram o vilarejo agrícola no Estado de Bauchi, um dos estados mais atingidos pelos tumultos após as eleições no mês passado, matando 16 moradores e queimando 20 casas.

"Houve um ataque à aldeia Kurum por pistoleiros desconhecidos com 16 pessoas foram mortas e 20 casas queimadas", disse Amama Abakasanga, Bauchi comissário da polícia estadual, à AFP por telefone.

O ataque aconteceu em Borogo, área do governo local e ao longo da fronteira com a violência wracked estado do Planalto, cuja capital Jos tem sido um foco de agitação.

A polícia já está na área para evitar a propagação da violência pela região, conhecida por confrontos entre cristãos e agricultores muçulmanos.

Estado de Bauchi é predominantemente muçulmano, mas vizinhos Bogoro e distritos Tafawa Balewa são habitados principalmente por cristãos da tribo Sayawa. Os muçulmanos nômades de Fulani estão em minoria lá, mas as tensões étnicas e religiosas e animosidade entre os dois grupos mantiveram-se elevadas.

"Vamos identificar os agressores, mas o problema das pessoas na área é que elas não estão dispostas a viverem em paz", disse Abakasanga.


Fonte: AFP

 

JACOMEÇOU A NOVA SODOMA - PR: Depois de buscar em 5 cartórios casal gay consegue união estável


O presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, e seu companheiro, o britânico Davis Harrat, oficializaram a união estável do casal homossexual nesta segunda-feira, em um 6º Tabelionato de Curitiba (PR). Desde sexta-feira, um dia após o STF (Supremo Tribunal Federal) reconhecer o direito para gays, eles vêm tentando assinar o documento junto com seus advogados, mas só conseguiram nesta segunda-feira, no quinto cartório procurado.
"Entendemos que os cartórios estão inseguros pelo fato de ser uma decisão recente", disse Toni no ato de assinatura do contrato de união estável. O casal levou para o local uma bandeira do Brasil e adereços com as cores do arco-íris, símbolo da luta dos homossexuais. Aos advogados, os cartórios explicaram que aguardavam orientações sobre como proceder. Toni e David já vivem juntos há 21 anos.
Eles deixaram o tabelionato com o documento em mãos e seguiram direto para a Vara da Infância, onde tentam, sem sucesso, adotar um casal de crianças desde 2005. Com o acordo de união estável firmado, o casal espera que fique mais fácil. Toni e David já têm até um quartinho montado em sua casa.
Especial para Terra

Rafinha Bastos posa de “Jesus Cristo” para revista

Open in new windowO apresentador humorista do programa “CQC” da rede de TV Band, Rafinha Bastos estará na próxima edição da revista “Rolling Stone.”

O humorista está causando muita polêmica por causa da entrevista pela foto que ilustra a reportagem, posando de Jesus Cristo.

“A religosidade sempre foi um dos temas que eu gostei de abordar. Poder fazer isso de uma forma tão representativa e para uma revista tão forte, eu tô com muito orgulho disso que a gente fez.”

Eu gosto de incomodar, declarou o humorista. “Não gosto de achar que estou querendo educar ou passar uma lição.”

Muitos procuram entender quais são as razões de por que Rafinha gosta de incomodar e por que gosta de religiosidade, fazendo alguns apostarem que o humorista possa ter sofrito bullying quando jovem.

Mas seja qual for a razão Rafinha revela sempre certa afinidade por temas religiosos. Em seu Twitter ele posta temas que muitas vezes mencionam “Jesus Cristo,” postando vídeos de músicas como “Jesus Cristo Vai Voltar,” por exemplo.

Em um de seus comentários polêmicos que levou os moradores de Rondônia a fazerem diversas críticas ao apresentador do CQC, ele fez comentários sarcásticos que se tornaram insultos à população de Rondônia.

“Se Deus é brasileiro saibam que ele sacaneou Rondônia.”

Rafinha disse, “o diabo fala português, ah já sei em que estado ele nasceu…” ironizando que o diabo teria nascido em Rondônia.

O humorista ao longo de sua carreira fez outros comentários aos temas religiosos, como em 2009 em que disse que a “Igreja deveria estar falando, a começar por mim(!).”

“O Big Brother é uma das coisas mais estupidamente alienadas que a televisão já exibiu em toda a sua existência. Eu peço encarecidamente que você não perca o seu tempo … Obrigado.”

Ainda no mesmo ano em 2009 ele fez uma performance com Daniel Gifoni com o tema “Judas não era um traidor.”

Rafinha estudou na faculdade católica, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), formando-se em jornalismo. Mais tarde o humorista ingressou na televisão nas emissoras como a Rede Manchete, TVE Brasil e RBS TV.

Fonte: The Christian Post

Fé animada: bar gospel faz sucesso na noite de Santo Ângelo

Shaddocks Gospel Pub, em Santo Ângelo (RS), é opção para quem quer curtir uma noite mais calma, ao som de música gospel.

Carros com música alta circulando pela rua Marechal Floriano denunciam que a noite será longa em Santo Ângelo, nas Missões. Mas, na contramão dos jovens que acreditam que som a todo volume e bebida são requisitos para a diversão, uma casa noturna tem atraído olhares curiosos e público constante. Trata-se do Shaddocks Gospel Pub.

Já na entrada do pub, percebe-se que a nova opção gastronômica e musical da cidade foge do habitual. A ausência de bebidas alcoólicas não é questionada. Canções cristãs ecoam no ambiente e demonstram que, à exceção dos desavisados, quem vai ao local não espera escutar as trilhas que são sucesso nas rádios.

– Percebemos que um bar com essa temática teria espaço na região. E o público tem comprovado que não estávamos enganados – explica o empreendedor Thiago Castanho, 25 anos.

Frequentador da Igreja do Evangelho Quadrangular, Castanho é sócio do amigo Junior Cesar Flores, 22 anos. Com consultoria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a dupla espera reaver o valor investido em até um ano. E desde a inauguração, no início de abril, o pub gospel tem mantido a casa cheia, com mesas nas calçadas e fila de espera.

A proposta agrada mesmo quem não é fiel assíduo dos templos religiosos, como o casal Amanda Silva, 28 anos, e Diogo Marques Carvalho, 27, que passava próximo ao pub e resolveu conferir o empreendimento.

– Não somos de igreja, mas gostamos muito. O clima é agradável, acolhedor. Eu bebo pouco, então a ausência de álcool não incomoda – diz Amanda, enquanto escuta o grupo Adoração Tchê.

A exemplo de bares gospel de Nova York e São Paulo, a iniciativa em Santo Ângelo mostra não ser à toa a presença cada vez mais frequente de programas de louvor em televisão e rádio, além de lojas religiosas. Os membros dessa comunidade buscam espaços onde se reconheçam:

– Existem várias bandas musicais que falam de Deus, mas lugares como o Shaddock’s, é bem difícil – afirma o produtor musical Fernando de Souza, 23 anos, morador de Vacaria e vocalista da banda Adoração Tchê.

A biomédica Thalise Alves, 22 anos, e o amigo atendente de telemarketing Eduardo Nascimento, 24, se encaixam no perfil dos que mais frequentam o pub: são evangélicos e há tempos procuravam um lugar com o qual se identificassem.

– Não é só para quem é de igreja, é um local para quem quer sair com a família ou amigos, comer bem, se divertir, e, principalmente, para aqueles que não entendem a lógica da bebida ser sinônimo de alegria – diz Thalise.

Fonte: Zero Hora

A decisão do STF e o preocupante espírito do nosso tempo


Fim dos tempos: Em nome do liberalismo social, nem a Constituição vale mais para “A guardiã da Constituição”
O que o Supremo Tribunal Federal fez ontem é uma das demonstrações mais clamorosas do absurdo do espírito do nosso tempo. A decisão de dar status de entidade familiar às uniões entre pessoas do mesmo sexo já é uma evidência da acelerada mudança de valores em nossos dias, que, segundo as Escrituras, sinaliza o avizinhamento do fim da História (Rm 1.24-27); mas, o que aconteceu ontem foi muito mais além. A instituição fundada com a missão de ser “A guardiã da Constituição” simplesmente desprezou solenemente o texto constitucional em nome do cumprimento da agenda do liberalismo social.

Se fosse o Congresso Nacional que tivesse aprovado ontem uma mudança no texto constitucional dando esse status de entidade familiar às uniões homossexuais (status este que implica o direito a casamento, adoção de crianças etc), também estaríamos hoje a reprovar a decisão, mas nenhum de nós poderia chamar o que ocorreu de ilegalidade, porque os trâmites legais, estabelecidos no texto constitucional, teriam sido cumpridos. Chamaríamos a decisão de absurda, imoral etc, mas não de ilegal – aliás, nem tudo que é legal é moral. O grande problema do que ocorreu ontem é que, agora, em nome da agenda do liberalismo social, vale tudo – até mesmo a ilegalidade, até mesmo desprezar a Constituição.

O texto constitucional é claríssimo: “A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado” – é o que afirma inicialmente o artigo 226 da Constituição, com todas as letras, em seu caput. Pois bem, a pergunta a se fazer aqui é: Além do óbvio – que é a entidade formado pelo casamento –, o que é também considerado família no Brasil segundo a Constituição? Como esta define o que pode ser considerado entidade familiar? A união entre pessoas do mesmo sexo pode ser entendida como tal? Com a palavra, a Constituição: “Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento. Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes. Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher” (artigo 226, § 3º, § 4º e § 5º, C.R.F.B.).

Para a Carta Magna – Será que depois de ontem ainda podemos chamá-la assim? –, a única união estável reconhecida como entidade familiar é a união estável entre um homem e uma mulher, e não a união estável entre um homem e outro homem ou entre uma mulher e outra mulher. Não há "silêncio" da Constituição sobre o assunto. Não há "omissão" e nem essa afirmação é feita em tom meramente "exemplificativo". Há definição explícita, claríssima. Clara como o sol ao meio-dia em dia de verão.

Mas, como se não bastasse isso, em 1996, foi aprovada e sancionada a Lei 9.278, que regulamenta o parágrafo 3º do artigo 226 da Constituição, cujo tema é exatamente a união estável. E lá está enfatizado, já em sua abertura, com todas as letras: “O  Presidente da República – Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art, 1º - É reconhecida como entidade familiar a convivência duradoura, pública e contínua, de um homem e uma mulher, estabelecida com objetivo de constituição de família”.

Só falta dizer que os textos legais supracitados, de tão claros, "ofuscam"!

Como vemos, a decisão de ontem não era questão de interpretação da Constituição, porque ela não era omissa sobre o assunto, mas objetiva. Entretanto, o que fizeram aqueles que foram ascendidos àquela instituição que tem como missão única preservar a observância da Constituição? Em vez de cumprirem sua função, deram de ombros para um texto objetivo da Constituição, atropelaram a Carta Magna e, em nome de sua simpatia à agenda do liberalismo social, fizeram as vezes do Congresso Nacional. Para usar suas próprias palavras, "preencheram" uma "lacuna legal" com uma canetada. Traduzindo: Legislaram! Ora, estamos em uma democracia representativa em um estado democrático de direito; logo, se há "uma lacuna legal", a função de preenchê-la é do Congresso Nacional, e não do STF! Sei que é óbvio demais, mas leiamos o artigo 44 da Constituição: “O Poder Legislativo [ou seja, o poder de legislar] é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe de Câmara dos Deputados e Senado Federal”. Alguém leu STF ao lado de Câmara dos Deputados e Senado Federal? Aliás, porque o Poder Judiciário se chama “judiciário”, e não “legislativo”?

Com a decisão que transformou, contra tudo o que afirma explicitamente o texto constitucional a respeito, a entidade familiar como um conceito aplicado também a pessoas do mesmo sexo que vivem em união estável, hoje, quaisquer homossexuais que vivem nessa situação podem reivindicar o direito de casar-se bem como de adotar crianças. Porém, mesmo gente que defende a união civil homossexual e a adoção de crianças por homossexuais ficou escandalizada com a decisão do STF. O colunista da revista e do site de “Veja”, o jornalista Reinaldo Azevedo – que, além de não ser evangélico, defende a união civil homossexual e a adoção de crianças por homossexuais – afirmou com muito bom senso em seu artigo de hoje, no seu blog abrigado no site da revista, a respeito da decisão de ontem do Supremo:

Se o texto constitucional não vale por aquilo que lá vai explicitado, então tudo é permitido. Vivemos sob a égide do AI-5 da democracia: o politicamente correto. Aquele suspendia todos os direitos, ouvidas certas instâncias da República, que a Carta assegurava. Na sua violência estúpida contra a ordem democrática, tinha ao menos a virtude da sinceridade. O politicamente correto também pode fazer da lei letra morta, mas será sempre em nome, diz-se, da democracia e da justiça. É uma burrice ou uma vigarice intelectual analisar a decisão de ontem do Supremo segundo o gosto ou opinião pessoal. E daí que eu seja favorável ao casamento gay e mesmo à adoção de crianças por casais ‘homoafetivos’? Não está em debate se a decisão é ‘progressista’ ou ‘reacionária’. O fato é que o Supremo não pode recorrer a subterfúgios e linguagem oblíqua para tomar uma decisão contra o que vai explicitado num Artigo 226 da Constituição. O fato é que o Supremo não pode tomar para si uma função que é do legislador. (...) Gilmar Mendes, diga-se, chamou a atenção para esse aspecto legiferante da Corte nesse particular. Será sempre assim? Toda vez que o Supremo acreditar que o Parlamento falhou ou que está pautado por inarredável conservadorismo vai lá e resolve o problema? Que outras falhas as excelências julgam que o Congresso está cometendo? Em que outros casos pretendem legislar? SE, NA DEMOCRACIA, NENHUM PODER É SOBERANO, ENTÃO, ONTEM, O SUPREMO FOI SOBERANO E FRAUDOU A DEMOCRACIA.

Desconheço país (se o leitor souber de algum caso, me diga) que tenha aprovado o casamento gay ou ‘união homoafetiva’ — para usar essa linguagem docemente policiada — por decisão dos togados. Isso é matéria que cabe ao Legislativo. Não no Brasil. Por aqui, os membros da nossa corte suprema consideraram que o legislador estava demorando em cumprir a sua ‘função’.

Uma das características do politicamente correto, na sociedade da reclamação inventada pelas minorais influentes, consiste justamente na agressão a direitos universais em nome da satisfação de reivindicações particularistas. O que se viu ontem no STF, por 10 a zero, reputo como agressão grave ao princípio da harmonia entre os Poderes. De fato, igualar o casamento gay ao casamento heterossexual não muda em nada o direito dos heterossexuais. Fazê-lo, no entanto, contra o que vai explicitado na Carta agride a constitucionalidade. E, então, sobra pergunta: quando é o próprio Supremo a fazê-lo — e por unanimidade —, apelar a quem? (Leia a íntegra do artigo de Azevedo aqui).

Pois é. Esta é uma boa pergunta: Apelar a quem? Que fazer em uma situação dessas?

Como a Constituição não prevê nada em casos assim, porque parte do princípio de que o Judiciário vai apenas se deter em suas prerrogativas definidas por ela, o único jeito seria o Congresso Nacional como um todo (ou as mesas diretoras das duas casas legislativas) levantar-se contra o Supremo denunciando-o por usurpar uma prerrogativa do Congresso. O problema é que a maioria do Congresso é simpática à aprovação disso, mas nunca aprovou-o por causa da pressão popular. Pesquisas Datafolha e Ibope dos últimos anos têm mostrado repetidamente que a maioria da população é contra a união civil homossexual e a adoção de crianças por homossexuais. Ora, a maioria dos parlamentares tem medo de votar contra a vontade da maioria da população, porque, naturalmente, quer se reeleger. Logo, mesmo vendo o STF fazer o que fez, o Congresso tenderá a não fazer nada. E infelizmente, os parlamentares evangélicos e conservadores, que protestam, são minoria nas duas casas.

O Congresso preferirá o silêncio, a omissão, e contará ainda com a cumplicidade da mídia, que sempre defendeu em peso a agenda do liberalismo social e está pronta a atirar contra todo e qualquer nome que se opôr a ela. E o Congresso, hipocritamente, ainda lavará as mãos como Pilatos, dizendo: "Não fomos nós. Foi o Supremo".

A mensagem que ficou clara a todos ontem foi: “E daí que a Constituição diga clara, objetiva e inequivocamente que entidade familiar é apenas a união entre um homem e uma mulher? E daí que todas as pesquisas Datafolha e Ibope mostram que a maioria esmagadora da população é contra se dar status legal de entidade familiar a uniões homossexuais? E daí que o STF tenha surrupiado uma função do Congresso? E daí que a função do STF não é legislar, mas garantir a observância da Constituição? Tudo está valendo, se a causa em apreciação é a minha causa também”.

É, literalmente, a ditadura da minoria sobre a maioria. E agora, o próximo passo do movimento que militou por essa absurda aprovação no STF é a criminalização da homofobia. Está na capa de hoje de alguns dos grandes jornais do país, como “O Globo”. Lê-se lá: “...agora, a luta será pela aprovação da criminalização da homofobia”.

Se nem o Congresso Nacional vale mais alguma coisa e nem a Constituição é mais respeitada em nome do fiel cumprimento da agenda do liberalismo social, e a despeito da vontade da maioria esmagadora da população, alguém ainda duvida que a criminalização da “homofobia” possa ser aprovada a qualquer momento? E quando aprovada, alguém imagina quais serão as consequências?


CPAD NEWS

Line Records comemora 20 anos e lança CD especial


Open in new windowPara comemorar seus 20 anos de trabalho a gravadora Line Records está preparando o lançamento de um CD com 12 canções que marcaram sua história que foi iniciada em 1991, na cidade do Rio de Janeiro.

O álbum, que já está na fábrica, recebeu como título o novo slogan da Line: “Um Novo Tempo, Uma Nova História”.

Esse projeto terá músicas que se tornaram verdadeiros clássicos, como “Levanta e Anda” (Marcelo Nascimento), “Deus Se Importa” (J. Neto), “Vencer ou Vencer” (Gisele Nascimento), “Conquistando o Impossível” (Jamily), “Compromisso” (Regis Danese), “Aliança com Deus” (Robinson Monteiro), entre outros.

Confira o repertório:

1) Aliança Com Deus (Robinson Monteiro)
2) Som Da Chuva (Soraya Moraes)
3) Compromisso (Regis Danese)
4) É Demais (Laysa Rocha)
5) Tudo É do Pai (Gilson Campos)
6) Vencer ou Vencer (Gisele Nascimento)
7) Levanta e Anda (Marcelo Nascimento)
Sou Um Milagre (Adriana Ferreira)
9) Deus Se Importa (J. Neto)
10) Conquistando o Impossível (Jamily)
11) Jóia Rara (Mara Maravilha)
12) Me Levantou Jesus (Cristina Mel)

Fonte: Gospel Prime

Missionário RR Soares nega compra de parte da Rede TV!

Assessoria diz que a única ligação entre eles é a concessão de horário para a exibição do programa “Show da Fé”.

O missionário RR Soares, por meio de sua assessora, Andréa Rocha, negou ao site O Fuxico que a Igreja Internacional da Graça de Deus teria comprado os 30% da Rede TV! de Marcelo de Carvalho.

Há dias que a mídia anuncia o fim da sociedade entre Amilcare Dalevo e Marcelo de Carvalho, donos da RedeTV!. Segundo consta, o marido de Luciana Gimenez teria como objetivo se desfazer dos 30% que detém da emissora paulista. E, para isso, estaria contando com a ajuda do Pactual, seu banco de investimento e também conselheiro econômico.

Nesta quinta-feira, 5, a imprensa deu como certo que Amilcare teria adquirido as ações. Ao site O Fuxico, uma fonte garantiu, porém, que o real comprador da parte de Marcelo na RedeTV! teria sido o missionário RR Soares, que já compra espaço no canal para seus cultos.

Mas Andréa Rocha diz que a única ligação entre o missionário e Rede TV! é a concessão de horário para a exibição do programa “Show da Fé”. A atração, aliás, custaria aos cofres do missionário cerca de R$ 10 milhões mensais para estar nas grades de programação tanto da Rede TV! quanto da Band.

“Essa informação sobre a compra das ações não procede. O bispo paga para veicular seu programa tanto na RedeTV! quanto na Band. A única emissora que lhe pertence é a Rede Internacional de Televisão. Se Deus um dia quiser colocar em nosso caminho um canal aberto desse porte será uma bênção, mas hoje isso ainda não aconteceu”, garantiu a assessora de imprensa.

A assessoria de imprensa da RedeTV!, também negou a informação que circula abertamente nos corredores sobre a chegada de RR Soares à presidência do canal, cujo atual valor de mercado está cotado em cerca de R$ 1,6 bilhão. A assessoria, aliás, nega a venda das ações de Marcelo de Carvalho para quem quer que seja.

Fonte: Gospel Prime

Prefeito manda abrir igreja para abrigar desabrigados, diz assessoria

agua preta (Foto: Prefeitura de Água Preta/Reprodução)


Água Preta tem 30% da população atingida pela chuva, segundo prefeitura.
Sede de igreja que estava fechada é usada para abrigar 14 famílias.


Cidade de Água Preta, na zona da mata de PE, foi
inundada pela chuva
(Foto: Prefeitura de Água Preta/Diivulgação)
A cidade Água Preta, com 33 mil habitantes, está entre as cidades mais atingidas pelas chuvas da última semana em Pernambuco. No estado, segundo a Defesa Civilhá 4.935 famílias desabrigadas e 10.193 desalojadas. Só em Água Preta, na região da Zona da Mata, cerca de 30% da população (cerca de 10 mil pessoas) foi afetada pelas inundações e até esta segunda-feira (9), conforme a assessoria de imprensa da prefeitura. Pelo menos 864 famílias continuam desabrigadas.

Na última sexta-feira (7), porque havia muitas crianças e gestantes desabrigadas nas ruas, o prefeito Eduardo Coutinho “mandou abrir” a sede da Igreja Universal do Reino de Deus da cidade, que é localizada na Praça dos Três Poderes, no centro da cidade, e estava vazia e fechada.


“O prefeito estava apavorado com a situação e pediu autorização do juiz para abrigarmos as famílias no local”, disse a assessora de imprensa do município, Diná Mileide. Segundo ela, “não houve uma autorização judicial formal”. “O juiz entendeu a necessidade e afirmou ao prefeito que poderiam entrar”, afirmou Diná. O nome do magistrado não foi divulgado pela prefeitura.

A prefeitura informou que 14 famílias continuam abrigadas no local e que fez um levantamento dos móveis e utensílios dentro da igreja para evitar danos ou furtos. Segundo a assessora, dois advogados da Universal estiveram no local para conferir a situação e não se opuseram à ocupação.

água preta (Foto: Prefeitura de Água Preta/Reprodução)Ruas foram interditas por inundação em Água Preta
(Foto: Prefeitura de Água Preta/Divulgaçãoo)
O G1 tentou contato com o setor jurídico da Universal em São Paulo e mandou e-mail à assessoria de imprensa da igreja, mas até as 9h desta segunda-feira não obteve retorno.

A prefeitura informou que, na área rural da cidade, pouco menos de 5 mil pessoas continuam ilhadas, ou com difícil acesso. Os pacientes que precisam fazer hemodiálise estão sendo resgatados por helicóptero e mais de 30 engenheiros foram destruídos.

Nesta segunda-feira, o prefeito da cidade irá se reunir com o governador Eduardo Campos para verificar o possível envio de verbas para a região, informou a prefeitura.
Cidades em calamidade
Defesa Civil de Pernambuco informou que 9 municípios declararam estado de calamidade pública e 26 estão em situação de emergência; ao todo, 55 sofreram com os efeitos das chuvas. Até o último balanço, 18 municípios estavam em situação de emergência e 15 mil famílias foram atingidas pelas chuvas.
O estado de calamidade pública está um nível acima da situação de emergência na classificação dos efeitos que um desastre provoca sobre a comunidade. Nos dois casos, o município consegue acelerar o repasse de recursos dos governos estadual e federal para reparar os danos.
Os nove municípios que decretaram estado de calamidade pública foram Água Preta, Barreiros, Catende, Cortês, Jaqueira, Maraial, Palmares, Primavera e Xexéu.
 

G1

Pastor Silas Malafaia organiza grande protesto contra PL 122 - eu to nessa - Bispo Roberto Torrecilhas

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel A manifestação acontecerá no dia 29 de junho, às 15h, em frente ao Congresso Nacional, em Brasília. O objetivo é protestar contra a volta do Projeto de Lei 122, desarquivado no Senado, em fevereiro deste ano, pela senadora Marta Suplicy, do PT, com a assinatura de 27 senadores. O PL 122 criminaliza qualquer ação, opinião ou crítica que venha a ser interpretada como discriminação ou preconceito quanto ao homossexualismo no Brasil, com pena de 2 a 4 anos de prisão.
O texto do projeto de lei fere a liberdade religiosa e de expressão, direitos garantidos pela Constituição brasileira, expressas no artigo 5º, incisos 4, 6, 8 e 9. “Essa é uma lei vergonhosa, que finge proteger a prática homossexual, porém, sua intenção real é colocar uma mordaça na sociedade e criminalizar os que são contra o comportamento homossexual. Com essa lei querem atingir as famílias, as questões religiosas e a liberdade de expressão”, afirma o pastor Silas Malafaia, que convida os brasilienses para participarem desse manifesto.
Aqueles que não puderem estar presente também podem ajudar nessa luta em favor da família e da liberdade de expressão. Entre no site www.senado.gov.br/senadores e envie para os representantes do seu estado: “Sr. Senador, rejeite a PL122/2006. Em favor da família, em favor da liberdade de expressão e abaixo a pedofilia.” Quem desejar pode ainda enviar esse pedido para os senadores dos demais estados da federação.
No programa Vitória em Cristo, o pastor Silas Malafaia explicou em detalhes a razão do manifesto.


G+

Mundo Israel investirá quase US$ 1 bilhão em defesa contra foguetes

Israel investirá quase US$ 1 bilhão a mais no novo sistema defensivo Iron Dome, o primeiro do mundo capaz de derrubar foguetes de pequeno tamanho e que recentemente foi provado com uma alta percentagem de sucesso na fronteira com a Faixa de Gaza.
O diretor-geral do Ministério da Defesa, Udi Shani, diz em uma entrevista ao jornal Haaretz que cinco países mostraram interesse no novo dispositivo, ainda em fase de teste e que demorará pelo menos cinco anos para chegar a uma fase completamente operacional.
No mês de março, em uma breve espiral de violência entre Israel e o movimento islamita Hamas, o Iron Dome conseguiu derrubar pelo menos oito dos 11 alvos contra os quais foi disparado, após separá-los daqueles foguetes que iam cair em áreas desabitadas e não mereciam portanto ser interceptados.
Ainda assim, Shani adverte que "temos que ajustar nossas expectativas do Iron Dome, tanto o povo como os líderes políticos", porque "não é um sistema que possa garantir a intercepção de cada foguete".
Entre os principais desafios do Iron Dome está o de reduzir consideravelmente os custos de pesquisa e fabricação, já que cada foguete interceptado custa em torno de US$ 40 mil frente aos vários centenas de dólares do foguete a derrubar.
A exportação é uma das vias que o alto funcionário de Defesa vê mais propícias para financiar um projeto que já consumiu quase US$ 1 bilhão e que está à espera de uma verba orçamentária de US$ 205 milhões de ajuda americana para poder seguir em frente.
Os Estados Unidos são, segundo fontes não autorizadas e especialistas, um dos países interessados em dotar suas forças de uma proteção efetiva contra este tipo de ataque em cenários bélicos como o Afeganistão.

Muçulmanos atacam propriedades cristãs no Paquistão

Muçulmanos atacam propriedades cristãs no Paquistão

Dois cristãos foram acusados de blasfêmia
Centenas de muçulmanos em Gujranwala atacaram casas e escolas cristãs e o prédio da igreja Presbiteriana depois de saberem que a polícia liberou dois cristãos acusados de blasfêmia – em meio a relatos de profanação do Alcorão.

Mushtaq Gill e seu filho Farrukh foram liberados após um especialista em caligrafia afirmar que não foram eles que escreveram um bilhete ameaçador ao lado de páginas queimadas do Alcorão. Após serem libertados, os dois foram levados para um local seguro com os membros de sua família.

Na mesma semana, porém, assim que a notícia sobre a liberação deles chegou, muçulmanos falavam que novamente haviam queimado páginas do Alcorão no cemitério Aziz Colony, na província de Punjab, de acordo com Timothy Nasir, chefe do Seminário Teológico Fé em Gujranwala. Ele diz que os alto-falantes nas mesquitas começaram a anunciar, e os muçulmanos radicais começaram a se reunir.

Uma multidão de muçulmanos jogou pedras contra casas cristãs e uma escola dirigida por um cristão, Eric Isaac, que foi levado pela polícia para interrogatório. A multidão também atacou a igreja presbiteriana em Aziz. Armados com paus e bastões, os revoltosos entraram em choque com a polícia que ofereceu proteção aos cristãos cercados.

No total 18 pessoas – 15 muçulmanos e 3 policiais – ficaram feridos e foram hospitalizados. Durante o confronto, foram utilizados bombas de gás lacrimogêneo e bastões para dispersar a multidão. Não há notícias de cristãos feridos.

Cerca de 150 manifestantes foram presos, com três casos registrados de ataques contra propriedades cristãs e “criaram uma situação de lei e ordem.” Timothy Nasir disse a Compass que os violentos protestos e investidas muçulmanas contras os cristãos tem obrigado muitas famílias a fugir.


Fonte: Compass Direct /Missão Portas Abertas

EM QUANTO OS CRISTÃOS DORMEM OS LOBOS ATACAM - ELEITO COM APOIO DOS EVANGÉLICOS - Sergio Cabral,autor do projeto da união gay, teve apoio dos cristãos



Autor do projeto que reconheceu a união homoafetiva que o Supremo Federal legalizou na última semana, Sérgio Cabral chegou ao poder com apoio dos evangélicos. Não só conquistou o Palácio das Laranjeiras como foi reeleito, sem cumprir o acordo de retirar os projetos em favor dos gays. Ex-pupilo de Garotinho, Cabral é o grande responsável pelo projeto que promete tirar o sono da Igreja Brasileira e dar abertura a PLC 122/06.
         O projeto que reconheceu a união foi apenas parte de uma série de projetos em favor dos gays. Em sua gestão foi criado o disque denuncia LGBT e incentivou o turismo gay, incluindo o estado na rota da comunidade, elogiando diversas vezes o benefício para o Estado.
         Para chegar lá teve apoio de Garotinho, e rompeu após ser eleito. No segundo turno para ter apoio de Marcelo Crivella (PRB), chegou a ensaiar a retirada do projeto aprovado em 2010 pelo STF. "Não [retirei a PEC como parte do acordo para receber apoio de Crivella], de maneira nenhuma", afirmou em entrevista a Folha de São Paulo de 06 de outubro de 2006.
         Enquanto apoia a comunidade gay, Cabral se isola dos evangélicos abandonando eventos e parcerias com entidades cristãs muito comum no governo Garotinho.

PARABENS - Associação Vitória em Cristo, do Pastor Silas Malafaia, completa 29 anos

Associação Vitória em Cristo, do Pastor Silas Malafaia, completa 
29 anosA Associação Vitória em Cristo, completou neste dia 5 de maio 29 anos de existência. O ministério criado pelo Pastor Silas Malafaia trabalha na viabilidade do programa de tevê Vitória em Cristo, na realização de eventos e congressos liderados pelo líder da igreja de mesmo nome.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel Em comunicado oficial a igreja destacou suas últimas realizações, como a distribuição dos programas da entidade para mais de 200 países. O comunicado também lembra dos últimos seis eventos de Silas Malafaia conhecidos como Cruzada Evangelística Vida Vitoriosa para Você, que aconteceram em Foz do Iguaçu (PR), Palmas (TO), Belém (PA), Macapá (AP), Vila Cruzeiro (RJ) e Florianópolis (SC).
A Avec, sigla da associação, também destacou os congressos realizados no último ano, como a Eslavec que realizou diversas palestras a 4300 líderes, pastores e jovens de diversas denominações, e os eventos Congresso Pentecostal Brasileiro Fogo para o Brasil e Congresso de Avivamento Despertai.
Segundo o comunicado enviado a imprensa a meta da Vitória em Cristo em 2011 é aumentar a atuação na área social, atualmente a associação doa cerca de cinco mil livros para trabalhos evangelísticos em presídios, casas de recuperação, hospitais e igrejas, além de apoiar cinco projetos sociais.
A Associação Vitória em Cristo acredita que graças a suas ações”até agora milhões de vidas já foram impactadas com o evangelho”. Já o Pastor Silas Malafaia agradeceu o apoio e pediu para que fiéis continuam acreditando e colaborando com a instituição: “Não me canso de dizer que não faço nada sozinho. Glorifico ao Senhor pela expansão deste ministério e pela vida de cada Parceiro Ministerial. Muito obrigado por confiarem neste trabalho. Vocês foram canais de bênção para alcançarmos essas vitórias. Continuo contando com o apoio de vocês para prosseguir nessa árdua missão”.


Fonte: Gospel+

Pastor Silas Malafaia ataca Ana Paula Valadão, Aline Barros, André Valadão e Fernanda Brum após Brasil reconhecer união gay

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel Silas Malafaia iniciou uma campanha esta semana para que fiéis enviassem emails Aos Ministros do STF afim de que eles não julgassem procedente as ações que visavam dar direitos civis e reconhecimento a união gay como entidade familiar. Nesta quarta última, 4 de maio, o Pastor pediu por intermédio de seu Twitter que os cantores republicassem suas mensagens para seus seguidores na rede social. Até o fechamento desta matéria Ana Paula Valadão possuia 180 mil seguidores, André Valadão 207 mil, Fernanda Brum 150 mil e Aline Barros 247 mil.
Como nenhum dos cantores respondeu a mensagem pública, o Pastor Silas iniciou um ataque com fortes críticas aos famosos após os ministros votarem a favor da união gay: “Obrigado pela omissão de vocês em não [dar] RT (ato republicar uma mensagem, na linguagem do Twitter) para conclamar o povo de Deus a pressionar os ministros do STF num assunto tão fundamental que favorece os homossexuais. Se Twitter é para mostrar fotos e agenda é melhor acabar porque não presta pra nada”, enviou para todos os cantores, e completou: “Vamos usar o Twitter para algo proveitoso no Reino de Deus, e não para futilidades”.
O debate se tornou mais acalarado quando a Pastora Ana Paula Valadão respondeu a crítica, sem citar nomes, afirmando que devemos buscar é conseguir almas para Deus, porque “se as pessoas temerem a Deus não abortarão seus bebês, ainda que haja uma lei a favor do aborto”, disse em relação a legalização da união civil. Confira o relato completo:
“Tive a tristeza de ler alguns twitts que citam meu nome com acusações e julgamentos. É verdade, cada um dará contas de si mesmo a Deus, e de cada palavra que proferimos. Lamento por algumas partes do Corpo de Cristo que se acham no direito de acusar outros por não agirem como eles sentem que Deus os chamou para agir. Eu só posso dizer o q eu sinto q Deus quer que eu diga.
Avivamento, a volta de uma pessoa ou de uma nação para Deus e Seus princípios, a meu ver não é algo que aconteça de cima para baixo. Podem haver leis proibindo isso ou aquilo e as pessoas continuarem na prática de pecado. Creio que o avivamento vem de baixo para cima e a mudança ou estabelecimento de leis segundo os padrões de Deus serão consequência do que se passa numa sociedade em avivamento, que quer Deus mais do que querer mudança ou impedimento de legislação. De cima para baixo.
Clamo por mudança do coração das gentes, da nação, de baixo para cima. Por exemplo: se as pessoas temerem a Deus não abortarão seus bebês, ainda que haja uma lei a favor do aborto. Oro pelo o avivamento espiritual no Brasil. Se isso resultar em leis segundo Deus, amém. Se não, tudo bem, porque pessoas temerão Deus de qualquer maneira.”
Prontamente o Pastor Silas Malafaia respondeu com novas críticas: “Quando é para defender seu nome, responde rapidamente. Quando é para defender o Reino de Deus, diz que está viajando” e completou “Tem gente que perde a oportunidade de ficar calada. Mais povo de Deus tem de aprender que tem horas para orar e horas para
agir”. Apesar da Pastora não querer falar mais sobre o assunto, o líder da Igreja Vitória em Cristo continuou criticando a opinião da pastora: “Gostaria de argumentar que o avivamento só existe com atitudes do povo d Deus (…) Avivamento não eh uma acao sobrenatural de Deus independente da nossa acao (…) O povo de Deus não pode se omitir e deixar para Deus aquilo q eh da nossa competencia”, disse o televangelista em algumas mensagens.
O Pastor encerrou afirmando que irá “continuar amando a irmã Ana Paula Valadão. Sei que ela é serva de Deus. Mas sei que ela está terrivelmente equivocada nos seus conceitos” e completou: “Ana Paula Valadão, amigo é aquele que diz a verdade.”
Até o fechamento desta matéria os Pastores André Valadão, Fernanda Brum e Alina Barros não se manifestaram.

Fonte: Gospel+

Líder de gangue muçulmana aterroriza cristãos coptas


   
 No dia 30 de março, dez organizações de direitos humanos iniciaram um protesto em frente ao prédio do Escritório Geral de Advocacia para atrair a atenção pública para a tragédia na vida de 9 mil aldeões coptas que estão vivendo no medo desde o fim de janeiro. Ativistas e aldeões foram reunidos pelo advogado Peter elNaggar, que registrou queixa contra o policial muçulmano Ali Hussein, apelidado de “Holaku”, por causa do líder Mongol.

Hussein foi acusado de aterrorizar os coptas, estuprando suas esposas e sequestrando seus filhos para poder pedir resgate. O advogado elNaggar disse que se essas acusações forem comprovadas, podem ser puníveis com a morte.

As forças de segurança foram informadas em janeiro sobre os incidentes nos dois vilarejos “mas fizeram vista grossa”, disse o cristão copta Nader Shoukry, que tornou a questão pública após registrar todos os crimes contra os aldeões coptas.

O terror teve início no dia 28 de janeiro, quando Ali Hussein atacou o cristão copta Khalil Suweiha e sua família. O senhor Suweiha registrou uma queixa, mas foi forçado a retirar as acusações após ser ameaçado por Hussein e sua gangue armada.

Então, Hussein começou a extorquir dinheiro dos coptas e a atacar suas casas. Todos eles tiveram que retirar suas queixas contra o muçulmano.

De acordo com Shoukry, “Ali Hussein elegeu-se governador de dois vilarejos apesar da existência de prefeitos. Ele está cometendo injustiças e atos de tirania apenas contra os aldeões cristãos. Ele caminha nas casas dos cristãos, carregando uma arma em seus ombros, seguido por seus parentes e aliados”. Ele acrescenta que Hussein e sua gangue declararam-se governantes dos cristãos coptas. Os incidentes de extorsão, roubo, destruição de colheitas e sequestro de crianças se tornaram tão comuns que muitas famílias estão deixando os vilarejos porque não têm mais dinheiro para entregar.

Na manhã de domingo, 3 de abril, a polícia e as forças armadas invadiram o vilarejo para prender Hussein e sua gangue, mas ele foi informado sobre a ação e conseguiu fugir. Somente alguns integrantes de seu grupo foram presos. A polícia permaneceu apenas três horas nos vilarejos, deixando novamente os coptas à mercê de Ali Hussein.

Os ativistas e aldeões estão programando mais uma manifestação para pedir justiça e proteção para as autoridades. Ore para que o coração dos governantes seja movido em favor desses cristãos, para que a perseguição cesse e Ali Hussein encontre o amor de Cristo.

Tradução: Missão Portas Abertas



Fonte: AINA
 

Salafistas atacam coptas: confronto deixa 12 mortos e 232 feridos

   
No sábado à noite (7), grupos muçulmanos atacaram e incendiaram a igreja de Mar Mina, em Imbaba, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma ex-muçulmana que teria mudado de credo para se casar com um jovem cristão. O confronto sangrento deixou pelo menos 12 mortos e 232 feridos, de acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde do Egito.

Soldados e policiais tiveram que usar bombas de gás lacrimogênio e dispararam para o alto na tentativa de dispersar a multidão, mas os confrontos se seguiram durante toda a noite em ruas próximas à igreja e se estenderam até a madrugada de hoje.

Houve um breve tiroteio do lado de fora da igreja, onde cerca de 500 islâmicos conservadores, conhecidos como salafistas, se reuniram e se armaram contra os cristãos. Uma outra igreja, localizada nas proximidades, também foi queimada.

"Meu filho frequenta esta igreja. Como podemos nos sentir seguros?", disse Nashaat Boshra, que chorava no domingo em frente a igreja incendiada de Santa Maria.

Os salafistas são uma das mais rigorosas correntes do Islã e estão a cada dia ganhando mais terreno no Egito.

Os cristãos egípcios, majoritariamente coptas, representam cerca de 10% da população do país.

Autoridades prometem aumentar segurança de igrejas

Há poucos instantes, em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizado o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia conseguiram acalmar a região.

O confronto, segundo agências de notícias internacionais, representam um novo desafio para os generais que governam o país desde a saída do poder do presidente Hosni Mubarak, em decorrência de intensos protestos.

O ministro da Justiça, Mohamed el-Guindy, prometeu que o governo vai aumentar a segurança nos locais de culto e endurecer as leis que criminalizam ataque a locais de adoração.
Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por motivos religiosos, especialmente no sul do país.

(Com agências internacionais)


 




 

 

 

 

 

 




Missão Portas Abertas

OREMOS POR NOSSOS IRMÃOS NA CHINA - Membros de uma igreja protestante clandestina são detidos na China

Ao menos 15 membros de uma igreja protestante clandestina da China foram detidos quando tentavam celebrar um culto ao ar livre, no último incidente de uma série na qual a polícia já deteve mais de 200 de seus fiéis em menos de um mês, informou nesta segunda-feira a imprensa local.
Os membros da igreja de Shouwang, que tem cerca de 1.000 seguidores, estavam em uma praça de uma área comercial de Pequim, na qual havia uma forte presença policial como a cada domingo desde o dia 10 de abril, quando foram detidos ali 169 fiéis, informou o jornal independente "South China Morning Post".
As autoridades chinesas estão há semanas evitando que esta igreja oficie serviços religiosos em público.
Alguns dos cristãos detidos em algumas ocasiões anteriores assinalaram que a Polícia lhes permitiu rezar e cantar enquanto estavam detidos, mas também lhes pressionou para que assinassem declarações nas quais prometiam não voltar a celebrar um culto na rua.
A igreja perdeu o lugar onde realizava seus ritos quando as autoridades locais forçaram seu senhorio a despejá-los e impediram que se mudassem para um escritório comprado pela igreja em 2009.
A China é um Estado aconfessional que reconhece religiões, entre elas a cristã, mas só em grupos oficiais controladas pelo Partido Comunista da China (PCCh), no poder desde 1949.

Suprema Tirania Federal: STF e seu despotismo pró-sodomia


O jeitinho brasileiro do STF na interpretação da Constituição vai parar na sodomia ou na pedofilia?

Julio Severo
Na decisão de legislar à força para todo o Brasil a união civil homossexual (com o bônus inevitável e trágico da adoção de crianças por duplas gays), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) mostraram que, se o Congresso demonstrar alguma demora ou indisposição para aprovar uma lei politicamente correta exigida por extremistas socialistas, o STF vai tomar o assunto em suas próprias mãos.
E se o Congresso, sob pressão do povo que o representa, não aprovar o PLC 122 ou o aborto? O jeitinho brasileiro do STF poderá novamente entrar em ação. Jeitinho de despotismo, sem dúvida, que vem marcando o Judiciário brasileiro.
Em outubro do ano passado, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao perder a paciência, demitiu sumariamente, sem nenhuma base moral e legal, um jovem funcionário do STJ. Conforme o jornal O Globo, tudo o que ele precisou dizer ao rapaz foi: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”. Ordem arbitrária dada. Demissão cumprida.
O STF é diferente? Com sua recente decisão impondo legitimidade, com uma criatividade incrível para distorções constitucionais, à união homossexual (e seu bônus de adoção de crianças por duplas gays), os ministros do STF praticamente disseram ao Brasil:
“Somos o STF e a moralidade, os bons costumes, as tradições cristãs, os valores da família e os valores constitucionais estão demitidos. Fora daqui!” Ordem arbitrária dada. União homossexual legitimada.
Com o STF legislando no lugar do Congresso, o papel dos parlamentares se tornou desnecessário, especialmente em assuntos caros ao STF, como a sodomia. Qualquer coisa que os supremos déspotas de togas declararem constitucional, será constitucional, independente do que diga a Constituição, a maioria do povo e do Congresso. Aliás, pesquisas já mostraram que a maioria do povo brasileiro não aceita a união civil homossexual. Pelo jeito, os ministros do STF devem estar dizendo: “E daí?”
A atitude do STF de passar por cima do Congresso é muito séria e merece uma resposta firme do povo, que tem o direito e o dever de sair às ruas e manifestar democraticamente: “Somos o povo brasileiro e vocês estão demitidos!” Se o povo permitir que o STF permaneça sem prestar contas dos erros que cometeu, será inútil queixar-se depois dos muitos outros problemas que ainda virão. Os povos que se dobram ao autoritarismo são por ele humilhados e escravizados.
A base do STF para justificar a equiparação da relação sexual de homem com homem com a relação sexual de homem com mulher, inclusive com o direito de adotar crianças, é o fato de que a Constituição não proíbe explicitamente a sodomia, que é considerada uma orientação sexual.
A Constituição também não proíbe explicitamente a pedofilia, que também é considerada pela classe de psicólogos como orientação sexual.
E agora?
Fonte: www.juliosevero.com

Autoridades cubanas pressionam pastores a abandonar seus ministérios

Três pastores protestantes foram detidos e interrogados pelas autoridades cubanas no fim de semana.

O ministério Christian Solidarity Worldwide (CSW) manifestou preocupação com a detenção e interrogatório de três pastores protestantes pelas autoridades cubanas no fim de semana.

Os pastores são afiliados ao Movimento Apostólico, uma rede de igrejas que tem enfrentado a interferência do nos últimos anos.

De acordo com a CSW, agentes do Estado e funcionários do partido comunista levaram os pastores Benito Rodriguez e Barbara Guzman para interrogatório.

Os pastores foram levados para a Delegacia de Polícia em Camaguey, onde foram mantidos por duas horas. Eles alegam que as autoridades interrogaram e tentaram convencê-los a parar os cultos em suas casas.

No domingo, o chefe do Escritório para Assuntos Religiosos do Ministério Provincial de Justiça interrompeu um culto realizado por dois pastores e emitiu uma notificação exigindo que eles apresentassem a prova de propriedade para o Ministério da Justiça até ontem. Pastor Rodriguez, 45 anos, afirma que viveu na casa toda a sua vida.

Outro pastor, Bernardo de Quesada Salomon, foi detido no mesmo dia, após deixar sua casa. Ele diz que os interrogadores exerceram pressão sobre ele e fizeram ameaças na tentativa de fazê-lo abandonar o seu trabalho pastoral.

Um líder do Movimento Apostólico, o Pastor Omar Gude Pérez, está na prisão cumprindo uma sentença de prisão de seis anos e meio sob liberdade condicional.

Ele disse a CSW que a pressão sobre a rede de igrejas tinham se intensificado. “Esta é apenas uma das muitas ocasiões em que pastores foram detidos, multados, ou ameaçado pelo regime de Fidel Castro, que não alterou em nada, pelo menos a sua política de negação da liberdade religiosa”, disse ele.

Pastor Gude Pérez disse que vários pastores, incluindo sua esposa Kenia Denis, tiveram, recentemente, a permissão negada para deixar o país, a fim de participar de eventos religiosos no exterior.

A rede suspeita que as autoridades negaram o seu pedido porque os seus membros continuam a relatar violações da liberdade religiosa em Cuba para grupos internacionais de direitos humanos e para a mídia.

Andrew Johnston, diretor de Advocacia da CSW, afirmou que estão preocupados com a detenção arbitrária, intimidação dos Pastores Rodriguez, Guzman e de Quesada e a hostilidade generalizada em direção a mais igrejas.

“Pedimos ao governo cubano para parar à perseguição a esses homens e mulheres e permitir que estas igrejas se registrem para que possa funcionar livremente”.

Fonte: CPAD News

Regente de coral de igreja é preso por aliciar menores

Em depoimento à polícia, menor de 15 anos, contou que conheceu o acusado no grupo jovem de uma igreja evangélica.

Acusado de aliciar sexualmente menores, com a promessa de que os tornaria membros de um 'grupo ninja', Daniel Pinheiro da Cruz, 30 anos, foi preso na noite de sexta-feira, em sua casa, na Taquara, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Ele foi autuado por estupro de vulnerável e ameaça.

Em depoimento à polícia, X., 15 anos, contou que conheceu Daniel no grupo jovem de uma igreja evangélica - onde o acusado era regente do coral. Por ele, foi convidado a fazer parte de um 'clã ninja', o NinjaJet. Mas, para ingressar, o jovem teria que se submeter a uma espécie de treinamento. O adolescente, então, teria começado a ser molestado. De acordo com a vítima, para transformá-lo em um verdadeiro ninja, X. teria que passar pelos seguintes testes: receber pingos de cera quente pelo corpo nu, assistir a filmes pornográficos sem roupa e ser acariciado por Daniel.

Ainda segundo o relato do menor, quem passasse dessa 'fase', seria obrigado a manter relações sexuais - chamadas de 'kaboom' - para atingir o status de 'ninja'. Caso a vítima se negasse, seria punida com a expulsão do 'clã'.

O delegado Leandro Aquino, titular da 32ª DP (Taquara) e responsável pela investigação, afirmou que Daniel parecia acreditar na história que contava. "Ele frequentava a igreja para se aproximar dos adolescentes. Assim, os observava e procurava o menino mais vulnerável ou que tivesse passando por um momento difícil na vida. Oferecia amizade e um 'treinamento', que evoluía para o abuso sexual", explicou.

Outro adolescente ouvido pela polícia, Y., 17 anos, contou ter sido envolvido pelo acusado em um momento de depressão pela morte da avó. Ele relatou que Daniel o orientava a desrespeitar os pais e a mentir para as pessoas. O jovem afirmou que, no dia em que teria que manter relações sexuais com o acusado, se recusou e teria passado a receber ameaças de morte caso deixasse o 'clã'.

Polícia quer analisar computador
O delegado Leandro Aquino solicitou à Justiça a quebra do sigilo digital de Daniel e a apreensão do computador e do pen-drive dele. Há suspeita do envolvimento de outras pessoas nos abusos, já que os adolescentes afirmaram que o acusado trocava e-mails com seus 'superiores no clã'.

A prisão de Daniel foi decretada no fim da tarde de sexta a pedido da promotora Christiane Monnerat, da 19ª Promotoria de Investigação Penal. Se condenado, ele pode pegar até dez anos e seis meses de prisão. Mas a pena pode ser aumentada, se novas vítimas prestarem depoimento.

Depois de denúncia dos pais de um dos adolescentes, Daniel acabou expulso da igreja.

Fonte: Terra

Casamento Gay , uma afronta contra os principios de Deus para os seres Humanos

Quero Deixar bem claro nessa pequeno trecho que , caso o Supremo tribunal ou o Congresso Brasileiro aprove o casamento dos Homossexuais nas igrejas eu serei preso, pois jamais acatarei essa ordem que traspassa o limite permitido dos seres humanos atuarem sobre as leis divinas.
Somos a favor dos direitos de cada cidadão , mas não tentem legislar sobre leis que Deus determinou , pois essas leis homem nenhum muda.


Bispo Roberto Torrecilhas.

Bancada evangélica quer lei para impedir casamento gay em igreja

Proposta visa a evitar ''constrangimentos para a religião'' à luz da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre união homoafetiva.

Após o STF reconhecer a união estável entre pessoas do mesmo sexo, a bancada evangélica quer incluir na legislação um dispositivo para impedir que igrejas sejam obrigadas a celebrar cerimônias de casamento entre homossexuais. Para integrantes do movimento LGBT, a medida visa a tirar o foco da discussão sobre os direitos civis dos homossexuais.

O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), diz que a proposta visa a evitar constrangimentos para a religião. Ele afirma que a intenção é evitar a existência de decisão judicial que obrigue a realização de cerimônia. "Seria bom tornar isso explícito para evitar que algum juiz preconceituoso, atendendo a alguma demanda específica, possa dar uma sentença impondo uma ação dessa a alguma igreja."

Campos afirmou que em Goiânia houve uma decisão liminar obrigando uma igreja evangélica a realizar casamento de pessoas que não seguiam a igreja e isso poderia acontecer também no caso de homossexuais. A frente presidida por Campos conta com 76 deputados e 3 senadores.

"Desespero." O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), homossexual, diz que a proposta quer desviar o foco da discussão sobre os direitos civis. "Isso é desespero para jogar a opinião pública contra o direito civil. O direito é público, a fé é privada. Nenhum homossexual quer casar em igreja", reiterou.

Wyllyse defende a aprovação de uma proposta de emenda constitucional para garantir o direito dos homossexuais ao casamento civil. Com isso, ressalta o parlamentar, as pessoas não precisariam mais recorrer à Justiça para ter direitos como de pensão, hereditariedade, tributários, entre outros.

A bancada evangélica quer esperar o detalhe da decisão do STF para saber a sua abrangência. Evangélico, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirma que é preciso ver qual a extensão do reconhecimento feito pelo Supremo para daí entender quais direitos foram estendidos.

Uma das dúvidas é se a adoção de crianças está ou não no âmbito da decisão. "Ainda tem muito oba-oba. Temos de conhecer o detalhe da decisão, é isso que vai nortear a ação do Congresso. Houve a decisão política do Supremo, mas precisa ver a natureza jurídica disso. O julgamento sequer acabou."

Fonte: Estadão

CNBB: união entre homossexuais é a "destruição da família"



APARECIDA (SP) - Embora o reconhecimento da união entre casais do mesmo sexo não seja tema da 49ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), bispos que participam do evento anual, que está sendo realizado em Aparecida (SP) e define as ações da Igreja Católica no Brasil, condenaram o reconhecimento da união entre casais do mesmo sexo. O arcebispo de Maringá (PR), dom Anuar Battisti, afirmou que a união entre homossexuais aprovada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) representa uma "agressão frontal" à família, fato com o qual a Justiça estará "institucionalizando a destruição da família".

- Criando essa norma, essa lei, estaremos institucionalizando a destruição da família. Se torna mais uma vez uma agressão frontal à família que nós sempre defendemos - disse o arcebispo de Maringá, que não concorda com o "matrimônio" entre gays: - Não podemos concordar que aí exista uma união matrimonial, porque não existe uma união sacramental entre duas pessoas do mesmo sexo.

Para o bispo de Nova Friburgo (RJ), dom Edney Gouvêa Mattoso, é preciso que haja discernimento entre o que é "união civil" e "casamento", já que a Igreja Católica condena o casamento entre homossexuais, não a união civil.

- Uma coisa é união civil, outra é casamento. A Igreja se posiciona contrária a questão do casamento. O casamento, do ponto-de-vista religioso, é um sacramento e tem suas orientações próprias. Agora, o direito de duas pessoas de conviver e constituir um patrimônio, com direito a herança, penso que é consenso. Mas essa união não pode ser chamada de casamento - pregou o bispo.

Seria uma contradição, conforme o ponto-de-vista de dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, bispo auxiliar de Belo Horizonte, a Igreja defender a infelicidade das pessoas, mas a felicidade, conforme seus princípios, não deve ter como base uma família homossexual.

- A Igreja não deseja a infelicidade das pessoas. Isso seria uma contradição em si mesma. Ela busca, na fidelidade de Jesus, a salvação das pessoas, portanto a realização plena das pessoas. A Igreja, ao pensar assim, não está castigando ninguém, não está sendo proibitiva, leviana. Não, ele entende que o ser humano de fato se realizará na profundidade de sua relação na constituição de uma família a partir de um casal homem e mulher. Não homossexual.

Em tom didático, dom Joaquim Mol, que já foi professor da PUC-MG, observa que a discussão que acontece a partir da proposta de união gay em votação no STF deve servir para que a Igreja reforce suas convicções

- No Brasil nós deveremos dar o exemplo de reforçar nossa ação na criação de convicções das pessoas. Essas questões todas que tem sido discutidas ultimamente no Brasil, em outros países já foram discutidas, inclusive aprovadas. A Igreja não deseja ficar brigando apenas pela lei. Ela deseja uma lei muito boa e, se a lei contempla o que ele acredita, melhor ainda. Mas se isso não acontece, como já acontece em muitos países, e em algumas situações no Brasil, o que as Igreja precisa fazer é gerar convicções - defendeu o bispo mineiro.

Como exemplo, dom Joaquim Mol cita a hipótese de criação de uma lei que permitisse roubar que, mesmo aprovada, não teria a prática dos católicos convictos.

- Se essa lei for criada, que nós trabalhemos com a convicção tal que o cristão, seguidor de Jesus, diga assim: 'Embora a lei me faculte isso, por convicção e porque sou seguidor de Jesus e seu evangelho, eu não vou.' É a ação como resultado da convicção

Mais comedido, o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, observou que, assim como o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), a igreja católica no Rio quer garantir direitos civis a funcionários públicos, cidadãos que constroem um patrimônio em conjunto, a Igreja Católica quer preservar o direito de todos

- A CNBB, como toda a Igreja do Brasil e do mundo inteiro, quer preservar o direito de todos, quer o bem de todos, a dignidade de todos. No caso do Rio de Janeiro, o governador quer que as pessoas tenham direito a herança, uma coisa e outra. São questões financeiras, estão trabalhando juntos, construindo juntos, mas não é uma família. A Igreja sempre defendeu, defende e defenderá os direitos das pessoas, é contra qualquer exclusão - defendeu.

Dom Orani afirma que não há qualquer divergência dos católicos em relação a duas pessoas que constroem os seus bens em conjunto, mas em relação ao que se entendo como família.

- O que a Igreja coloca é que partimos de bases diferentes, a família. A família é uma entidade que vem do direito natural, não é uma decisão da maioria das pessoas. As pessoas tem o direito sim, de ter sua responsabilidade, sua dignidade. Somos favoráveis a isso. Mas não é pela maioria que se diz o que é família.

Fonte: O Globo

STF aprova a união civil de homossexuais



Por Heitor Alves 

Os que são a favor da decisão do STF estão dizendo que não se trata de "casamento civil", e sim de uma "união estável". Ora, eles estão querendo minimizar o problema! Os ministros entendem que casais do mesmo sexo formam uma família. As ações pediam que a união estável homossexual fosse reconhecida juridicamente e que os casais homossexuais pudessem ser considerados como entidade familiar. Agora, há um novo tipo de família. 

Veja a forma que o Estadão dá a notícia: "Os casais homossexuais têm os mesmos direitos e deveres que a legislação brasileira já estabelece para os casais heterossexuais. A partir da decisão de hoje do Supremo Tribunal Federal (STF), o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo será permitido e as uniões homoafetivas passam a ser tratadas como um novo tipo de família" (veja aqui).

Agora veja como o portal G1, da Globo, dá a notícia: "Em seu voto, o ministro Ayres Britto, relator do caso, foi além dos pedidos feitos nas ações que pretendiam reconhecer a união estável homoafetiva. Baseada nesse voto, a decisão do Supremo sobre o reconhecimento da relação entre pessoas do mesmo sexo pode viabilizar inclusive o casamento civil entre gays, que é direito garantido a casais em união estável. A diferença é que a união estável acontece sem formalidades, de forma natural, a partir da convivência do casal, e o casamento civil é um contrato jurídico formal estabelecido entre suas pessoas" (veja aqui).

O relator das ações, ministro Ayres Britto, foi favorável à equiparação de direitos dos casais heterossexuais aos homossexuais no único voto proferido na quarta-feira. De acordo com ele, "a família é a base da sociedade, não o casamento". Britto comentou que não se pode interpretar a Constituição de maneira reducionista ou contra seu princípio. Por isso, ponderou, é inconstitucional o artigo do Código Civil que trata a união estável usando os termos "homem e mulher", uma vez que o texto de tal legislação não tem a mesma complexidade que a Carta Magna.

É esse o problema! Não poder ser chamada de "família" uma relação entre dois homens ou duas mulheres. Deus disse: "E serão os dois uma só carne". Ele mesmo determinou o que seria uma família: composta de um homem e uma mulher.

A decisão do STF autoriza sim o casamento civil, visto que a decisão fala em "novos direitos civis" aos gays. É uma decisão que dá direitos civis iguais a casais homoafetivos e heterossexuais. As ações pediam que a união estável homossexual fosse reconhecida juridicamente e que os casais homossexuais pudessem ser considerados como entidade familiar. Com o resultado, os casais homossexuais passam a ter direitos, como herança, inscrição do parceiro na Previdência Social e em planos de saúde, impenhorabilidade da residência do casal, pensão alimentícia e divisão de bens em caso de separação e autorização de cirurgia de risco. Vejam com mais detalhes:

  • Assim como nos casos previstos para união estável no Código Civil, os companheiros ganham direito a pedir pensão em caso de separação judicial.
  • Hoje, o INSS já concede pensão por morte para os companheiros de pessoas falecidas, mas a atitude ganha maior respaldo jurídico com a decisão.
  • As empresas de saúde em geral já aceitam parceiros como dependentes ou em planos familiares, mas agora, se houver negação, a Justiça pode ter posição mais rápida.
  • Os casais homossexuais tendem a ter mais relevância como alvo de políticas públicas e comerciais, embora iniciativas nesse sentido já existam de maneira esparsa.
  • Por entendimento da Receita Federal, os gays já podem declarar seus companheiros como dependentes, mas a decisão ganha maior respaldo Jurídico.
  • Para fins sucessórios, os parceiros ganham os direitos de parceiros heterossexuais em união estável, mas podem incrementar previsões por contrato civil.
  • Alguns órgãos públicos já concediam licença de até 9 dias após a união de parceiros, mas a ação deve ser estendida para outros e até para algumas empresas privadas.
  • A lei atual não impede os homossexuais de adotarem, mas dá preferência a casais, logo, com o entendimento, a adoção para os casais homossexuais deve ser facilitada.

Fala-se que o casamento civil não foi estendido aos gays. Pra quê estender, se isso já é praticado? Antes do julgamento do STF, os homossexuais já podiam registrar sua união em cartório num contrato que estabelece divisão de bens e constata a validade da união. “É uma situação que já existe, só falta mesmo regulamentar” afirma a advogada cível Daniella de Almeida e Silva sobre a união homoafetiva (veja aqui).

Alguns sites ainda insistem que o "único dos 112 direitos que continua restrito aos heterossexuais é o direito ao casamento civil". Mas como vimos, esse direito também foi extendido a casais gays.

A Bíblia não reconhece e nem autoriza que os benefícios de uma família onde há uma relaçao homem-mulher, sejam extendidos a outras relações antibíblicas, ilegais e estranhas. Que esses estranhos casamentos aconteçam na esfera civil, para que a ira de Deus recaia sobre o país. A igreja precisa continuar na luta pela manutenção do plano de Deus para a família, sem abençoar essas anomalias dentro da igreja! 
 
 
 
 
 

Extraído do blog: http://blogdoseleitos.blogspot.com/2011/05/stf-aprova-uniao-civil-de-homossexuais.html#ixzz1LqjAKamH
Informe autores, tradutores, editora, links de retorno e fonte. Não é autorizado o uso comercial deste conteúdo. Não edite ou modifique o conteúdo.
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Proteste agora! União homoafetiva não é entidade familiar!




"Envie agora e-mails para os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal com a mensagem: RELAÇÃO HOMOAFETIVA NÃO É ENTIDADE FAMILIAR. VOTE CONTRA ESSA LEI INCONSTITUCIONAL! O STF continuará a julgar no início desta tarde (05/05) uma ação que reconhece a união entre casais do mesmo sexo como uma “entidade familiar”.

Até a suspensão do julgamento na noite da última quarta-feira (04/05), somente o relator do projeto, ministro Carlos Ayres Britto, votou a favor. Faltam ainda os votos dos outros dez ministros. Caso o Supremo reconheça os casais homossexuais como entidade familiar, a decisão garante a estes os mesmos direitos das uniões estáveis de heterossexuais, tais como herança, comunhão parcial de bens, pensão alimentícia e previdenciária.

O que está em jogo é a célula mater da sociedade, a família. Não se trata apenas de defender os princípios bíblicos, mas de apregoar o que prevê a Constituição Federal, a qual reconhece como entidade familiar a união estável entre homem e mulher. Não adianta só orarmos enquanto temos de agir. Vamos somar forças!

Segue a relação de e-mails de todos os ministros do STF: mluciam@stf.jus.br; gabcob@stf.jus.br; beatriz@stf.jus.br; audienciagabmmam@stf.jus.br; audienciaellengracie@stf.jus.br; audienciasgilmarmendes@stf.jus.br; gabminjoaquim@stf.jus.br; gabinete-lewandowski@stf.jus.br; emilias@stf.jus.br; gabmtoffoli@stf.jus.br e gabineteluizfux@stf.jus.br."

MAIS UMA COVARDIA DOS RADICAIS ISLÃMICOS - Fanáticos islâmicos matam 12 cristãos no Egito e ferem centenas no ataque a uma igreja


Pelo menos 232 pessoas se feriram e outras 12 morreram em um dos piores confrontos religiosos no Egito desde março, quando 13 fiéis cristãos morreram no incêndio de uma igreja, o que levou o governo local a prometer medidas duras para enfrentar a onda de violência. O incidente ocorreu em Imbala, no subúrbio da capital Cairo no final deste sábado. A violência foi detonada por fanáticos islâmicos sob inspiração da Irmandade Muçulmana. "Aglomerações em lugares de adoração devem ser banidos para proteger os lugares sagrados, reforçar a segurança dos moradores e prevenir novos conflitos", disse o ministro da Justiça Abdel al Gindi, em uma comunicação lida na televisão estatal. Ele prometeu usar "mão de ferro contra todos aqueles que forem contra a segurança nacional" e que "o governo aplicará de maneira imediata e firme as leis que castigam os ataques contra locais de culto e contra a liberdade de crença". O Exército egípcio informou que 190 pessoas detidas serão apresentadas perante tribunais militares. Muçulmanos e cristãos socorridos em hospitais mostraram a repórteres sinais aparentes de ferimentos a bala, e fontes médicas confirmaram pelo menos 65 feridos por tiros. O incidente aconteceu quando grupos de muçulmanos atacaram a igreja cristã de Mar Mina sob a acusação falsa de que os cristãos mantinham presa ali uma mulher que tinha se convertido ao Islã para se casar com um jovem desse credo. Os muçulmanos agressores pertencem à corrente dos salafis, uma das mais rigorosas do Islã e que a cada dia está ganhando mais terreno no Egito. Os cristãos egípcios, majoritariamente coptas, representam 10% da população do país, calculada em cerca de 75 milhões de habitantes.

O QUE SIGNIFICA 5777--"LEI PERFEITA, LEI DA LIBERDADE"

(TG 2:8; 1:25)(ler -2 Co 3:16 a18)."SE CRISTO VOS LIBERTAR SEREIS VERDADEIRAMENTE LIVRES."(JO 8:36)-- Para que...