sábado, 16 de abril de 2011

TESTEMUNHOS DE VIDA COM DEUS.

Estamos abrindo espaço para você contar seu testemunho para o mundo.


Envie por email e iremos publicar.


Deus abençoe sua vida.

Bispo Roberto Torrecilhas

Psicólogo diz que Pedofilia é Orientação Sexual; Magno Malta Contra-ataca Magno Malta condena declarações de psicólogo de que pedofilia é orientação sexual

 
Psicólogo diz que 
Pedofilia é Orientação Sexual; Magno Malta Contra-ataca Em discurso no plenário, o senador evangélico Magno Malta (PR-ES) condenou as recentes declarações do professor Hubert Van Gijseghem de que a pedofilia é uma orientação sexual.

Segundo o senador, a declaração do psicólogo belga é uma mensagem subliminar e incentiva a pedofilia.

A afirmação do professor foi feita durante debate no parlamento canadense. Van Gijseghem afirmou que os verdadeiros pedófilos têm preferência exclusiva por crianças, o que é a mesma coisa de ter uma orientação sexual, que não pode ser mudada. Apesar disso, afirmou o professor, os pedófilos podem viver uma vida de abstinência. O senador não concorda com as declarações.

- É gente trabalhando ao redor do mundo para formar uma consciência de que é normal e é perfeitamente aceitável a violência sexual contra crianças - protestou o senador.

Plebiscitos

Magno Malta também defendeu a redução da maioridade penal como "parte da engrenagem" para acabar com a violência. O senador afirmou que vai propor a realização de um plebiscito sobre o tema.

Com relação à possibilidade de realização de um plebiscito sobre o desarmamento, o senador disse que a iniciativa "é louvável". Para ele, é preciso sair da hipocrisia e discutir o assunto.



Informações Senado.gov

As viagens do Sem Fronteiras estão chegando, que tal participar de uma?


   
 
Homero S., coordenador do ministério de viagens "Sem fronteiras"  
BRASIL (*) - Em 2011, o Sem Fronteiras, ministério de viagens da Portas Abertas, organizará diversas viagens de campo e algumas delas já estão chegando, que tal se candidatar a uma delas?

Veja a seguir as próximas viagens:

Destino: Colômbia (não é necessário falar nem espanhol e nem inglês)

Data: 16/07 a 25/07

Custo: US$ 835,34 (passagem + taxa aérea)* + US$ 1.250,00 (taxa da Portas Abertas Internacional). TOTAL (aproximado): US$ 2.085,34. O valor em reais é cotado no dia do acerto do pagamento.

Vagas: 7 vagas. Junto com o grupo de brasileiros, nós teremos a participação de mais 10 jovens: 5 da Dinamarca e 5 da Noruega.

Roteiro:

16: Partida do Brasil e chegada à Bogotá.

17: Visita à família em Bogotá e viagem para a Casa Abrigo Visão Ágape.

17-23: Casa Abrigo Visão Ágape, visita à família e comunidade de refugiados.

23-24: Retorno para Bogotá, trabalho com órfãos, visita a escritório da Portas Abertas e turismo.

25: Chegada ao Brasil

*Esse valor pode alterado para menos ou para mais de acordo com a data da compra da passagem e da cotação do dólar.

Destino: China (grupo internacional: é necessário falar inglês)

Data: 10/07 a 20/07*

Custo: US$ 1.956,36 (passagem + taxa aérea)* + 300 reais (visto) + US$ 1.200,00 (taxa da Portas Abertas Internacional). TOTAL (aproximado): US$ 3.158,36 + 300 reais. O valor em reais é cotado no dia do acerto do pagamento.

Vagas: 2 vagas

Roteiro: O objetivo desta viagem é usar o futebol para alcançar regiões da China que são mais restritas pelo governo e não são tão alcançadas por não serem regiões turísticas. É necessário saber jogar bolar e tenho conhecimento técnico mínimo.

*Sujeita à alteração.

**Esse valor pode alterado para menos ou para mais de acordo com a data da compra da passagem e da cotação do dólar.

Destino: China (grupo internacional: é necessário falar inglês)

Data: 09/08 a 20/08*

Custo: US$ 2.037 (passagem + taxa aérea)** + US$ 1.200,00 (taxa da Portas Abertas Internacional). TOTAL (aproximado): US$ 3.337. O valor em reais é cotado no dia do acerto do pagamento.

Vagas: 4 vagas

Roteiro: O propósito desta viagem é participar de um acampamento de jovens. A Portas Abertas irá trazer jovens cristãos chineses (com histórico de perseguição) para Hong Kong para que um grupo de jovens cristãos estrangeiros os visite. Todos os dias da viagem serão repletos de atividades entre os dois grupos.

*Sujeita à alteração.

**Esse valor pode alterado para menos ou para mais de acordo com a data da compra da passagem e da cotação do dólar.

Destino: Egito (grupo de brasileiros: mas é necessário ter um conhecimento básico de inglês)

Data: 14/09 a 23/09

Custo: US$ 1473.53 (passagem + taxa aérea)* + 280 reais (visto) + US$ 1.300,00 (taxa da Portas Abertas Internacional). TOTAL (aproximado): US$ 2.773.53 + 280 reais. O valor em reais é cotado no dia do acerto do pagamento.

Vagas: 8 vagas.

Roteiro: Essa viagem terá a finalidade de promover o encontro com jovens cristãos egípcios. Nessa viagem, o grupo conhecerá cristãos coptas e ex-muçulmanos de duas cidades e visitarão famílias e projetos da Portas Abertas no país.

*Esse valor pode alterado para menos ou para mais de acordo com a data da compra da passagem e da cotação do dólar.

Para saber mais e se candidatar a uma das viagens, entre em contato conosco através do email semfronteiras@portasabertas.org.br.



* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.

Fonte: Portas Abertas

LITERATURA - Cristão de Gaiola A verdade sobre a liberdade de contribuir

Equipe de Jornalismo
Cristão de Gaiola - A verdade sobre a liberdade de contribuir, é o lançamento de Antônio Claudio de Souza pela MK Editora. No livro, o autor, que já recebeu o prêmio Areté de 2008 como melhor ficção pelo livro Namastê, faz um paralelo entre o pássaro, que criado em gaiola teme voar; e o cristão, que doutrinado sobre práticas autoritárias e despóticas de oferta e dízimo, acaba fazendo do ato de ofertar a Deus uma obrigação, sob pena de inúmeras maldições divinas.

“O cristão que é criado na gaiola está despreparado para ter liberdade! Tem medo dela! Está acostumado a engolir o que lhe colocam no bico sem ter direito a escolha. O que cai no traiçoeiro alçapão tem as asas da liberdade cortadas! Em ambos os casos, a alma, que ama a liberdade, é prisioneira permanente do medo da liberdade”, descreve Antônio Claudio na obra.

Mas o livro mostra que ainda há esperança para que os cristãos-de-gaiola tornem-se livres. “Se apenas o esforço humano é insuficiente para alavancar uma mudança, só a intervenção do Espírito de Deus, através da verdade, pode construir no homem a liberdade, num processo que consiste no amadurecimento espiritual que o capacita a pensar, escolher, decidir ... tornando-o plenamente livre, também para contribuir! Pois onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade”! (2 Co 3:17)

Sobre o autor:

Antônio Claudio de Souza, músico, compositor, intérprete e escritor, nasceu na cidade de Sorocaba (SP) e cresceu em Salto Grande (SP). Ao longo dos anos, compôs músicas que foram gravadas por diversos cantores, cantoras e grupos musicais. Cursou teologia (no Seminário e Instituto Bíblico em Cianorte (PR) e na Faculdade Teológica Batista (SP)), e Direito (na PUC (SP)). Casado com Rosimeire, tem 3 filhos: Israel, Marcel e Christian. Evangelista, já pregou em diversos países da América (Sul, Norte, Central), Europa, Oceania e Ásia. Desde 1994 dedica-se ao trabalho de “alcançar os não alcançados” da Índia, como ajudador voluntário da Indian Evangelical Team e de outras missões indianas. É autor do livro Namastê (MK Editora), que ganhou o Prêmio Areté como melhor livro cristão de ficção do ano de 2008.

CRISTÃO DE GAIOLA - A verdade sobre a liberdade de contribuir
MK Editora
Autor: Antônio Claudio de Souza
Formato: 13,5 x 20,5 (com orelha)
Páginas: 156
Preço sugerido: R$ 15,00

Namorar, ficar, paquerar: Cuidado com as ciladas do diabo




O namoro sempre existiu em diversas culturas através dos tempos. É a forma de duas pessoas se conhecerem melhor e, com mais intensidade, alguém com quem se pretende ter um relacionamento sério com vistas ao casamento. Mas, atualmente, para muitos jovens o namoro convencional perdeu status.

Não é de agora, por exemplo, que os jovens usam o termo “ficar”. A expressão surgiu na década de oitenta entre os adolescentes de 13 aos 17 anos que buscavam simplesmente o prazer sem qualquer perspectiva de compromisso. Ou seja, é um comportamento em que os jovens conversam, se beijam, se abraçam e até têm relação sexual, sem nenhuma responsabilidade pós-encontro. Não há nenhum vínculo emocional, afetivo,espiritual e, muito menos, trocas de endereço e telefone.

O ficar é uma armadilha do Diabo
Para o pastor Gilson Bifano, diretor e conferencista do Ministério Oikos (Ministério Cristão de Apoio à Família) esta prática não deve ser seguida pelos jovens cristãos. “Se ele tem um compromisso com Deus e encara o seu corpo, a sua sexualidade, como a Palavra diz, ele não vai ter esse comportamento. Devemos ser diferentes; sal e luz do mundo", enfatiza o pastor. Na visão dele, o “ficar” é uma estratégia de Satanás para minar a pureza moral da juventude, neutralizar seu testemunho, e, posteriormente, estragar seus lares.

O diabo utiliza vários métodos para levar o homem ou a mulher a uma relação sexual fora dos padrões de Deus. A Bíblia diz : “Não vos defraudeis uns aos outros”. Defraudar é passar dos limites da intimidade com uma outra pessoa que não seja o seu cônjuge. O texto declara que o sexo é para ser desfrutado entre o homem e a mulher no contexto do casamento. E o 'ficar', conhecido antigamente como o 'arrocho', é uma fonte de excitação, em que beijos ardentes e carícias em partes íntimas são praticados. Dificilmente, um jovem conseguirá ter uma vida de santidade em um relacionamento passageiro, sem um peso de responsabilidade e compromisso', enfatiza.


A juventude precisa de santidade

Segundo Bifano, há uma grande diferença entre pureza e virgindade, já que alguns adolescentes se guardam para o casamento, mas mantêm outras práticas sexuais. Em contrapartida, existem pessoas que "perdem a virgindade" e, depois de se converterem, se arrependem e evitam a intimidade antes do casamento.

Para o pastor, a juventude cristã precisa repensar a sua atitude em relação ao namoro, ao noivado e ao casamento, não segundo a ótica do mundo que está sem Deus, mas dentro de uma visão bíblica equilibrada. “O tempo todo a televisão, o rádio, os jornais, as revistas, as músicas, as novelas e os filmes veiculam campanhas de incentivo ao sexo com o uso da camisinha. O importante não é ter relação sexual antes do casamento, mas sim a falta do preservativo. Com isso, os jovens estão absorvendo esta visão não cristã da sexualidade. É necessário influenciar mais e ser menos influenciado”, comenta Bifano.


As consequências do ficar”
A proposta do “ficar”é levar esta geração a experimentar um pouco do outro de uma forma leviana. Além de gerar traumas, frustrações, decepções e até uma gravidez precoce. Segundo Gilson, os pais têm uma parcela de culpa nisso, já que muitos não orientam seus filhos. A questão da informação não é só da igreja, nem da escola. O que tem acontecido hoje é que a família tem transferido sua responsabilidade, e o resultado disso é uma vida sexual fora dos parâmetros bíblicos.

Esta tarefa tem que começar em primeiro lugar na família. E os pais devem estar capacitados para que haja um diálogo franco, contínuo e sem tabus. “Três coisas não são faladas muito em família: morte, dinheiro e sexo. Estes assuntos devem ser tratados no lar, de maneira natural, não apenas em forma de sermões, mas em uma conversa natural com os filhos desde cedo, sempre respeitando, é claro, as faixas etárias", alerta Gilson.


O Namoro Cristão
Gilson Bifano acredita que existem princípios para o namoro cristão. E um deles é justamente o não "ficar”. Um relacionamento segundo a visão cristã é um período de conhecimento mútuo, de aprofundamento da amizade. "A intimidade física não é compatível neste período. Ela só deve acontecer, segundo a Palavra de Deus, no contexto do casamento", enfatiza Gilson.

"O texto de Gênesis 2.24 diz: 'Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-à à sua mulher, e serão ambos uma só carne'. Neste trecho existe uma seqüência. Quando se tem esta experiência de ser uma só carne, antes de se casar, há quebra de princípio bíblico. E isso pode, e tem trazido, muitos problemas", relata o pastor.


A Igreja e seu papel

Na opinião dele, os pastores precisam falar mais sobre este assunto, sem condenação. “A igreja tem que parar de apenas dizer que é proibido, mas também educar. Dar condições aos jovens para que eles não façam o que é condenado pela Palavra de Deus. É necessário um trabalho de conscientização em que a juventude seja esclarecida das conseqüências que advêm da quebra dos preceitos bíblicos. Isso pode ser feito através de palestras, congressos etc.", adverte.


Para os jovens cristãos que estão na moda do ficar, o pastor dá alguns conselhos:

1- Repense no que Deus tem para sua vida.

2- Se está se relacionando indevidamente com alguém, deve reconhecer que esta não é a vontade de Deus e parar com tal atitude.

3- Deus perdoa nossos pecados. Ele morreu na cruz para perdoar os erros da humanidade. E, com certeza, a partir deste reconhecimento, Deus vai honrar e abençoar os seus caminhos.


Fonte: Elnet

“Ficar”, uma atitude não cristã!


  O namoro sempre existiu em diversas culturas através dos tempos. É a forma de duas pessoas se conhecerem melhor e, com mais intensidade, alguém com quem se pretende ter um relacionamento sério com vistas ao casamento. Mas, atualmente, para muitos jovens o namoro convencional perdeu status. Não é de agora, por exemplo, que os jovens usam o termo “ficar”.
A expressão surgiu na década de oitenta entre os adolescentes de 13 aos 17 anos que buscavam simplesmente o prazer sem qualquer perspectiva de compromisso. Ou seja, é um comportamento em que os jovens conversam, se beijam, se abraçam e até têm relação sexual, sem nenhuma responsabilidade pós-encontro. Não há nenhum vínculo emocional, afetivo,espiritual e, muito menos, trocas de endereço e telefone.

O “ficar” é uma armadilha do Diabo Para o pastor Gilson Bifano, diretor e conferencista do Ministério Oikos (Ministério Cristão de Apoio à Família) esta prática não deve ser seguida pelos jovens cristãos. “Se ele tem um compromisso com Deus e encara o seu corpo, a sua sexualidade, como a Palavra diz, ele não vai ter esse comportamento. Devemos ser diferentes; sal e luz do mundo", enfatiza o pastor.
Na visão dele, o “ficar” é uma estratégia de Satanás para minar a pureza moral da juventude, neutralizar seu testemunho, e, posteriormente, estragar seus lares. “O diabo utiliza vários métodos para levar o homem ou a mulher a uma relação sexual fora dos padrões de Deus. A Bíblia diz : “Não vos defraudeis uns aos outros”. Defraudar é passar dos limites da intimidade com uma outra pessoa que não seja o seu cônjuge.

O texto declara que o sexo é para ser desfrutado entre o homem e a mulher no contexto do casamento. E o ficar, conhecido antigamente como o arrocho, é uma fonte de excitação, em que beijos ardentes e carícias em partes íntimas são praticados. Dificilmente, um jovem conseguirá ter uma vida de santidade em um relacionamento passageiro, sem um peso de responsabilidade e compromisso, enfatiza.

A juventude precisa de santidade Segundo Bifano, há uma grande diferença entre pureza e virgindade, já que alguns adolescentes se guardam para o casamento, mas mantêm outras práticas sexuais. Em contrapartida, existem pessoas que "perdem a virgindade" e, depois de se converterem, se arrependem e evitam a intimidade antes do casamento. Para o pastor, a juventude cristã precisa repensar a sua atitude em relação ao namoro, ao noivado e ao casamento, não segundo a ótica do mundo que está sem Deus, mas dentro de uma visão bíblica equilibrada.

“O tempo todo a televisão, o rádio, os jornais, as revistas, as músicas, as novelas e os filmes veiculam campanhas de incentivo ao sexo com o uso da camisinha. O importante não é ter relação sexual antes do casamento, mas sim a falta do preservativo. Com isso, os jovens estão absorvendo esta visão não cristã da sexualidade. É necessário influenciar mais e ser menos influenciado”, comenta Bifano. As conseqüências do “ficar”A proposta do “ficar”é levar esta geração a experimentar um pouco do outro de uma forma leviana.

Além de gerar traumas, frustrações, decepções e até uma gravidez precoce. Segundo Gilson, os pais têm uma parcela de culpa nisso, já que muitos não orientam seus filhos. A questão da informação não é só da igreja, nem da escola. O que tem acontecido hoje é que a família tem transferido sua responsabilidade, e o resultado disso é uma vida sexual fora dos parâmetros bíblicos. Esta tarefa tem que começar em primeiro lugar na família.

E os pais devem estar capacitados para que haja um diálogo franco, contínuo e sem tabus. “Três coisas não são faladas muito em família: morte, dinheiro e sexo. Estes assuntos devem ser tratados no lar, de maneira natural, não apenas em forma de sermões, mas em uma conversa natural com os filhos desde cedo, sempre respeitando, é claro, as faixas etárias", alerta Gilson.O Namoro CristãoGilson Bifano acredita que existem princípios para o namoro cristão. E um deles é justamente o não "ficar”.

Um relacionamento segundo a visão cristã é um período de conhecimento mútuo, de aprofundamento da amizade. "A intimidade física não é compatível neste período. Ela só deve acontecer, segundo a Palavra de Deus, no contexto do casamento", enfatiza Gilson. "O texto de Gênesis 2.24 diz: Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-à à sua mulher, e serão ambos uma só carne. Neste trecho existe uma seqüência.

Quando se tem esta experiência de ser uma só carne, antes de se casar, há quebra de princípio bíblico. E isso pode, e tem trazido, muitos problemas", relata o pastor. A Igreja e seu papel Na opinião dele, os pastores precisam falar mais sobre este assunto, sem condenação. “A igreja tem que parar de apenas dizer que é proibido, mas também educar. Dar condições aos jovens para que eles não façam o que é condenado pela Palavra de Deus.

É necessário um trabalho de conscientização em que a juventude seja esclarecida das conseqüências que advêm da quebra dos preceitos bíblicos. Isso pode ser feito através de palestras, congressos etc.", adverte. Para os jovens cristãos que estão na moda do “ficar”, o pastor dá alguns conselhos:

1- Repense no que Deus tem para sua vida.

2- Se está se relacionando indevidamente com alguém, deve reconhecer que esta não é a vontade de Deus e parar com tal atitude.

3- Deus perdoa nossos pecados. Ele morreu na cruz para perdoar os erros da humanidade. E, com certeza, a partir deste reconhecimento, Deus vai honrar e abençoar os seus caminhos.
Eliane Canegal - Elnet.com.br

Brigas dos pais afetam os relacionamentos dos filhos até a vida adulta

Você pode não se dar conta, mas discussões de casal diante dos filhos podem marcá-los para sempre.

Foi exatamente isso o que aconteceu com Paula (que prefere não revelar o nome), relações-públicas que mora em São Paulo e tem 30 anos. Emocionada, ela garante não acreditar mais no amor. Para ela, um dos motivos de sua vida amorosa ser tumultuada é resultado dos exemplos que teve em casa: constantes confrontos dos pais e a separação dos dois.

“Eles acabaram com o casamento deles e eu com o meu, no ano seguinte. Fiquei tão passada quando descobri uma traição do meu pai que acabei fazendo do problema deles o meu. Conclusão: meu ex não aguentou tanta pressão”, resume. Namorando há três anos outra pessoa, Paula diz ter a impressão de que a relação não vai decolar. “Quando me lembro das brigas que presenciei na minha infância e na adolescência, acho que não casarei e nem terei filhos”, diz ela, que afirma lutar contra esses pensamentos, mas é difícil não associar família a um ambiente conturbado.

Para Lidia Weber, professora e pesquisadora da UFPR, pós-doutora em desenvolvimento familiar, o comportamento dos pais tem sido um dos principais temas de pesquisa em relacionamento familiar nos últimos tempos, em todo o mundo.

“Sabemos, com certeza, que não basta ter ótimas práticas educativas. Os pais também devem ter bom relacionamento entre eles”, explica a especialista. “Uma abordagem integrativa e interdisciplinar inclui três relações de influências mútuas em uma família: mãe-filhos, pai-filhos e relação conjugal.”

Segundo Lidia, quanto mais os pais brigam entre si, mais a criança tem tendência de apresentar comportamentos denominados antissociais (brigar, mentir, praticar bullying, gritar etc.).

“Conflitos simples entre os pais não são apontados como problemas se o casal consegue resolver as diferenças. Porém, se as brigas continuam, podem levar a sinais de depressão, ansiedade e outros problemas transferidos às crianças”, explica.

A professora realizou uma pesquisa –junto com sua assistente de mestrado em Educação, Gisele Stasiak– com 40 crianças entre 6 e 7 anos de idade, pais e professores. O estudo revelou dados curiosos sobre a influência conjugal na vida dos filhos. Veja o que foi detectado:

COMPORTAMENTO DAS CRIANÇAS DIANTE DA RELAÇÃO CONJUGAL DOS PAIS
Quanto melhor a interação familiar, menos estressante é a relação entre pais e filhos

Quanto mais as crianças percebem a desarmonia dos pais, menos regras os adultos colocam e mais elas são consideradas "difíceis" por eles

Quanto mais as crianças percebem um clima conjugal negativo, menor o índice de habilidades sociais

Quanto mais estressante a vida do casal, mais frequentes as punições físicas em relação às crianças

Crianças cujos pais têm uma relação harmônico têm melhores relacionamentos com os amigos

Discussões para o bem
Kátia Teixeira, psicóloga da Equipe de Diagnóstico e Atendimento Clínico de São Paulo (EDAC), defende o valor da experiência das brigas conjugais para crianças e jovens em formação. “Acredito que o problema não está na discussão, mas, sim, em como ela é conduzida.

Discussões fazem parte dos relacionamentos. Se um casal diverge em algo, não precisa omitir dos filhos. Mas essa conversa deve acontecer com respeito, sem ofensas, humilhações e, especialmente, sem violência, seja ela física ou verbal”, defende. “Casais que não se respeitam possivelmente facilitarão o surgimento de conflitos nos filhos.”

Lidia diz que os filhos podem aprender muito com as crises. "As pessoas brigam e se reconciliam, podem ter opiniões diferentes e se amar mesmo assim; podem se amar e brigar de vez em quando... É importante aceitar a opinião de outros e saber perdoar", explica ela. "Brigas ruins são compostas por insultos pessoais, expressões de hostilidade, xingamentos e agressão física. Discussões que levam ao aprendizado mostram expressões verbais de apoio ao outro, compreensão e empatia; cumplicidade e compromisso para resolução do problema”, diferencia.

SEIS DICAS DAS TERAPEUTAS PARA NÃO TRAUMATIZAR OS FILHOS
1. Evite ao máximo brigar seriamente na frente dos filhos, especialmente crianças pequenas, que acham isso assustador

2. Lembre-se de que crianças são sensíveis, observadoras e perceptivas. Elas sentem facilmente tensões, segredos e mal-estar. Como não sabem as causas, podem achar que são culpadas pelos desentendimentos dos pais

3. Leve em conta que brigar na frente dos filhos não é um bom comportamento; os pais devem ir a outro cômodo ou esperar os filhos dormirem

4. Se os seus filhos presenciaram uma briga séria, é preciso que eles vejam a resolução da situação. Assim, aprenderão que conflitos são normais e podem ser resolvidos através da comunicação. Deixe claro que as crianças não são culpadas de nada

5. Se saiu do sério, explique que a falta de controle foi um erro, em um momento de nervosismo, e peça desculpas

6. Nunca, sob hipótese alguma, inclua os filhos em uma briga. Também não peça que eles tomem partido de um ou de outro, jamais

DEPOIMENTOS REAIS

A professora Lidia Weber fez a seguinte pergunta às crianças entrevistadas: "Se você pudesse fazer três pedidos para a fada madrinha realizar, quais você faria para ela mudar ou melhorar na sua casa, nos seus pais ou na sua escola?". Veja algumas respostas:

“Queria que meus pais parassem de gritar comigo e minha mãe parasse de me xingar.” (menina de 6 anos - caso 32)

“Queria que meus pais não me batessem mais.” (menina de 7 anos - caso 21)

“Queria que meus pais parassem de brigar entre eles e meu irmão não brigasse tanto comigo.” (menino de 5 anos - caso 37)

Fonte: UOL

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...