domingo, 23 de janeiro de 2011

BOA SEMANA A TODOS AMIGOS LEITORES. DEUS ABENÇOE SUAS VIDAS

Sou Perseguido e até xingado , mas não deixarei de falar a verdade .

Quero deixar aqui declarado que tenho recebido muitos comentários dos posts do blog gritos de alerta , uns , graças a Deus , de pessoas que estão sendo alcançadas pela palavra de DEUS em mais de 70 países , mas tem uns que percebo que são de pessoas que estão  presas nas garras do inimigo.
Peço aos amados irmãos em Cristo , que oremos por essas vidas , para que Deus venha liberta las.

Conhecereis a verdade , ( Jesus Cristo ) e a verdade ( palavra de Deus ) vos libertará.

Missionário Roberto Torrecilhas

Testemunho de uma ex-espírita e ex-budista

Deus é maravilhoso, é tremendo e tem feito coisas lindas em minha vida, Deus me tirou das trevas, me libertou, me curou e está operando em meu coração e em minha vida.

Hoje sou uma nova criatura graças a esse Deus Vivo, misericordioso, tremendo, maravilhoso e ÚNICO.

Tenho 24 anos, nasci na cidade de São Paulo, filha de pais divorciados (desde meus dois anos de idade), morei com minha mãe e meu irmão até os 15 anos depois resolvi viver com meu pai em Brasília. A vida toda busquei algo que preenchesse o vazio do meu coração, sempre tive muita fome e sede de algo a mais espiritualmente, cometi muitos erros, caminhei por muitos caminhos errados para chegar a única verdade, ao único Deus.

Desde minha infância eu via demônios, costumava ver muitos na casa da minha mãe, eu pensava que era louca, por isso procurava manter segredo. Certa vez acordei no meio da noite com muita sede, então fui buscar água e quando eu desci pela escada que me levava à cozinha, me deparei com um demônio pendurado no lustre do corredor, ele era escuro, com asas, estava nú, tinha uma feição horrível e sorria para mim. Ao vê-lo corri desesperadamente até o meu quarto sem entender o que estava acontecendo – nunca falei para ninguém, mas guardo esse dia até hoje. Uma outra vez, já em minha adolescência, acordei no meio da noite, me levantei da cama e vi nos pés da minha cama, minha tia-avó, que tinha falecido há dois dias, imediatamente acordei a minha mãe para perguntar o que minha tia estava fazendo lá, uma vez que ela morava em Barretos e era paralítica. (eu não sabia que ela tinha falecido) eu a amava muito. E então minha mãe resolver me levar a uma "benzedeira" - ela sempre esteve envolvida com magia, macumba, espiritismo. A benzedeira disse que eu era médium e que eu tinha que trabalhar esta mediunidade, e fez lá suas rezas.

Continuei vendo demônios, era horrível, toda vez que eu me olhava no espelho eu não via meu rosto e sim várias pessoas que haviam morrido, chorando, gritando, não sei nem explicar o que mais eu via, pois eu morria de medo de me olhar no espelho. Isso me deixou apavorada. Minha mãe me levou novamente na "benzedeira" e esta quis fazer um "trabalho" comigo. As duas me levaram para a Serra de São Paulo, no meio da mato, desci do carro com essa "benzedeira" que pediu para eu acompanhá-la até um determinado trecho a pé, ela me vestiu com uma camisola branca, fez as magias dela, e mandou que eu voltasse para o carro sem nunca olhar para trás. Foi o que eu fiz.

Me lembro nitidamente das vezes que minha mãe ia aos "centros" e me levava junto, pois eu era criança e ela não tinha onde me deixar. Eu ficava sentada nos bancos, olhando tudo aquilo sem entender nada, e morrendo de medo. Ela começou a freqüentar esses lugares, para fazer "trabalhos" para o meu pai, e depois passou a fazer para o homem que ela arrumou para ser seu companheiro. Um homem promíscuo, envolvido com contrabandos, dono de madeireira, que não a respeitava e nem me respeitava. Minha mãe o conheceu porque ele era nosso vizinho, era ex-esposo de uma crente que o deixou para casar com um pastor, e depois se mudou para o Mato Grosso. Ele cultivava um ódio intenso por crentes. Nesses "trabalhos" que ela fazia, além de dar dinheiro, ela comprava, farofa, pinga, cigarros, língua de boi, cérebro, galinhas pretas e muitas outras coisas. Muitas vezes eu a acompanhei à cemitérios, encruzilhadas, para deixar os despachos, pois eu tinha medo de ficar em casa sozinha, então tinha que ir com ela. Algumas vezes eu acordava de madrugada e via um vulto com uma capa negra descendo do teto de meu quarto e minha direção, eu tentava gritar e não conseguia, parecia me sufocar.

Um dia resolvi morar com meu pai em Brasília e deixar a minha mãe. Nunca suportei esse tipo de coisa que ela era envolvida, e sentia muita falta de meu pai, que sempre foi muito amoroso e carinhoso comigo. Vim para Brasília – Vida nova – é o que eu almejava. Me envolvi com espiritismo, nova era, esoterismo, fiz *curso de quiromancia, tarô cigano, meditação transcendental, cristais, ervas - (*na Flora Encantada que fica na 402 Norte). Duendes.. eu tinha todos....os idolatrava, conversava com eles....até que numa noite eu vi vários em volta da minha cama, pequenos demônios, correndo e gritando... Fiquei alguns anos nessa vida, e isso ainda não era aquilo o que eu buscava, ou o que eu esperava. Resolvi buscar algo mais em seitas e religiões, conheci a seicho-no-ie, a católica e finalmente o budismo. O qual firmei e permaneci por muitos anos. Mas este budismo (existe várias ramificações) não permitia nenhum objeto de outra religião, então me desfiz de tudo que eu tinha, relacionado a outras religiões, para seguir o budismo. Permaneci três meses estudando para fazer uma prova, para ingressar na igreja, ingressei, fiz um juramento e fui tentando me aprofundar. Os reverendos nunca tinham respostas para minhas perguntas, só falavam que eu não podia interpretar o ensinos e que o budismo era muito difícil de compreender. Comprei meu primeiro oratório budista e depois de alguns anos, comprei o segundo, este era maior e caro (quase R$1000,00), e eu consagrei ele na sala da minha casa contra a vontade de meu pai. Eu rezava todos os dias uma Sutra que se chamava "Sutra de Lótus", em outra língua que eu nem sei que língua é, só sei que tinha 42 páginas e eu rezava todos os dias, sem olhar no livro. Oferecia incenso ao Buda, água, comida, frutas, etc. Os adornos do oratório eram todos de bronze. Eu não acreditava em Deus, muito menos em Jesus Cristo e a Bíblia para mim era um conto de fadas.

Os budistas diziam que Jesus Cristo, foi um Buda e que atingiu a iluminação, mas não soube ensinar isso à outras pessoas, pregava a reencarnação, era baseado na Lei da Causa e efeito, e seu objetivo era ensinar as pessoas a atingir a iluminação – que é um estado de felicidade inabalável.

Todos os servos de Deus que eu encontrava, me deixavam incomodada e irritada. Em meu trabalho havia uma serva de Deus que de vez em quando me falava de Deus. Um dia ela me deu uma carta, e quando li, mesmo não acreditando em Deus, em Jesus Cristo, aquilo me tocou profundamente, li e chorei. Mas mesmo assim continuei no Budismo, mas com uma diferença, eu já não me dedicava mais como antes, já não fazia a oração da manhã (40 minutos) , muito menos a da noite (30 minutos) (*Gongyô). E tudo ia mal, fofocas, confusões, brigas, intrigas, etc. os budistas me diziam que era porque minha fé e minha prática diária estava ruim, pois quando um budista abandona a prática e a fé, as coisas não dão certo. Mesmo assim eu não conseguia mais, eu não tinha mais vontade, tentava, mas não conseguia. E fui deixando aos poucos...

E as perturbações voltaram, desta vez com mais intensidade. Eu ouvia gritos, choros desesperados de várias vozes juntas, já não dormia mais. Eu tinha medo de dormir, eu tinha medo de ficar no escuro, de me olhar no espelho – pois quando eu olhava para o espelho eu não via o meu rosto e sim demônios, ou até mesmo a minha face endominhada, e os demônios riam de mim. Comecei a beber, a fumar, abandonei a faculdade, usava lexotan diariamente, já não agüentava olhar para o meu pai, eu brigava o tempo todo com ele, a minha casa se tornou um inferno, só queria sair, ir em boates, festas e beber. Um dia depois de beber uma garrafa de bebida alcoólica e chegar em casa sem reconhecer meu pai, ele já desesperado, olhou para mim e chorou, chorou muito, e me disse: "o que está faltando na sua vida é Deus" (ele é católico – não praticante), e me sugeriu que lêssemos a Bíblia e o salmo 91 durante um mês. Eu estava totalmente alcoolizada, eu só queria dormir. No dia seguinte não consegui trabalhar, fui direto ao Pronto Socorro tomar soro glicosado e plasil na veia, passei a manhã toda internada. As perturbações ainda continuavam, eu já estava para ficar louca, pois eu já tomava dois lexotans para conseguir dormir, e já não fazia efeito.

Um dia me lembrei daquelas palavras de meu pai – sobre Deus, eu já não agüentava mais, então chorei aos pés de Deus e pedi perdão, e supliquei sua ajuda, li a Bíblia, li o salmo, clamei para Deus me libertar, e nesta noite aconteceu algo diferente. Uma luz se aproximou de mim, me tocou e com a voz bem mansa me falou: " Minha filha, não temas...não temas...levante-te agora, apague a luz e durma em paz, nunca mais temerás".
Foi tudo que fiz, obedeci aquela luz, e nunca mais tive problemas para dormir. Naquela mesma semana, tomei a decisão, busquei Jesus, falei com todas as pessoas que eu sabia que eram de Deus, pois eu queria saber mais sobre esse Deus, e elas foram me explicando e percebi que era isso que faltava na minha vida, era esse único Deus que procurei a minha vida toda, e Ele estava ali...sempre perto de mim.

Uma amiga sugeriu que eu fosse ao Corpo Vivo da Igreja Batista Central, só para conhecer, combinamos duas vezes de irmos juntas e não deu certo – de irmos juntas – fui sozinha. E chegando lá antes do culto começar eu já sabia o que eu queria – Deus – e assim que o pastor fez o convite, me rendi a esse Deus maravilhoso, e me arrependi de todo coração de todos os meus pecados, e naquele dia Deus me deu uma nova vida, um novo coração, um novo lar, me curou, me libertou...são tantas bênçãos...não sei como dizer, só posso dizer que Deus é tremendo, é maravilhoso. Chorei, chorei.....por saber que Ele sempre esteve tão perto de mim, e eu não sabia, por ele ter me libertado, ter me tirado das profundezas das trevas... Aleluia....

Na mesma semana, tentei falar com os pastores da Batista Central, mas não consegui, então pedi para uma amiga da Assembléia de Deus, ir com o marido dela em minha casa retirar tudo do Buda, e por fogo. Antes de chegar o dia que esta minha amiga e o marido dela iam à minha casa retirar as coisas, ao chegar em casa à noite eu ouvia uma voz me falando coisas horríveis, me insultando, com palavras baixas, vulgares e muito ódio. Ficava assustada, tremendo de medo, mas não desisti, as vezes abria a porta da casa, acendia todas as luzes, me trancava no quarto e procurava telefonar para alguém, muitas vezes quando eu abria a porta de minha casa e ouvia essa voz, eu nem entrava, eu chorava e ligava para o meu pai, pedindo para ele vir logo do trabalho, e ficava esperando debaixo de meu bloco. Também chamei uma faxineira evangélica que me ajudou a separar tudo que deveria ser posto no fogo ou no lixo. Separamos tudo, quadros, revistas, estudos, oratórios, Buda, discos, roupas, enfeites, brinquedos, tudo que me deixava na dúvida se era ou não de Deus, joguei fora. Algumas pessoas me disseram que eu estava louca, porque achavam que ao invés de queimar o oratório eu deveria vendê-lo, mas eu não quis em momento algum dinheiro de Satanás e não quero nada dele em minha vida nem na vida do meu próximo.

No dia seguinte a minha casa tinha outro aroma, um aroma maravilhoso e desconhecido, minha casa estava perfumada.

Comecei a me dedicar a Igreja, ir em todos os cultos que desse, ir às vigílias, entrei para a Classe de Batismo, fui batizada dia 24 de setembro, entrei para o Coral da Igreja, comecei a ler a palavra, estudá-la e principalmente falar para as pessoas que Deus é maravilhoso e Vive. Deus modificou a minha vida, me deu uma nova vida, novos amigos, novo lar, hoje não bebo, não fumo, não freqüento nenhum lugar que eu freqüentava no passado, não tenho medo, nem complexos - o meu passado é passado. Tudo que faço é para agradar aquele que me salvou, que me libertou – o único Deus que existe.

As pessoas dizem que eu mudei totalmente, que não sou mais a mesma pessoa (Glória a Deus !!) , alguns dizem que sou fanática, pois falo muito de Deus, mas como não falar de Deus?! ELE É MARAVILHOSO !

Quanto ao budismo, mandei uma carta para a comunidade budista de Brasília, comunicando que eu não fazia mais parte dela e que agora eu pertencia a Jesus, que me curou , me libertou e me salvou, e que eu serviria apenas a esse Deus Vivo. Logo em seguida, sem que eu pedisse à Telebrasília, o número do meu telefone foi mudado – e eu achei ótimo.

Deus tem feito coisas lindas em minha vida e eu glorificarei a Deus por toda a minha vida.
Sou hoje muito feliz com Jesus, e cada dia que sirvo a Deus mais eu quero servir. Bendito seja o nosso Senhor.

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." (2Coríntios 5:17)

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo’’. (Apocalipse 3:20)

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". (João 8:32)

" Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim". (João 14:6) 


Fonte flavio franklin

Motociclista fica gravemente ferido após ser atingido por linha com cerol Homem viajava pela Rodovia dos Bandeirantes, na região de Campinas. Ele foi encaminhado para hospital pelo helicóptero Águia, da PM.

Um motociclista ficou gravemente ferido após ser atingido por uma linha de pipa com cerol enquanto trafegava pela Rodovia dos Bandeirantes, na região de Campinas, a 93 km de São Paulo, neste domingo (23). Uma mulher que também estava na moto teve machucados leves.
O homem atingido diretamente pela linha envolta com cola e pó de vidro. Ele teve ferimentos na barriga e no braço e foi levado pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar, até o Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
A outra vítima teve escoriações pelo corpo e foi encaminhada para o mesmo centro médico por equipes da concessionária que administra a rodovia. Ela estava internada em observação por volta das 15h50.

Globo .com

Pastor Indiano Ferido em Tentativa de Homicídio por Extremistas Hindus

Um líder cristão indiano quase foi morto em um ataque na noite de Domingo por extremistas hindus durante um culto de oração na cidade de Davangere.
O pastor Isaac Samuel, coordenador da Global Council of Indians Christians, foi seriamente ferido quando foi atingido entre o pescoço e o ombro com um cutelo, na frente de sua esposa e dois filhos, enquando conduzia o encontro.
Ele foi levado ao hospital para tratamento. Ele teve que passar por uma transfusão de sangue e receber doze pontos para fechar a ferida.
A polícia prendeu um homem identificado somente pelo nome de Bansava, na sequência da investigação.
Sajan George, presidente da GCIC, acusou os invasores de terem uma “intenção clara de matá-lo,” mas ficou aliviado que Samuel sobreviveu e agradeceu a Deus que “a lâmina perdeu sua cabeça.”
Ele também criticou as leis anti-conversão atualmente exercidas em vários estados indianos, rotulando-as como uma “desculpa para a violência anti-Cristã.”
“O governo da Bharatiya Janata Party deve perceber que a lei anti-conversão tem uma história de abuso pelos fundamentalistas Hindus,” disse ele, de acordo com o AsiaNews.
Apesar da constituição indiana garantir a liberdade de religião, seis de 28 estados restringem essa liberdade com a legislação que permite a punição de convertidos religiosos que não informam oa estado.
Apesar das leis não existirem em Karnataka no sul da Índia onde o incidente ocorreu, tem havido uma demanda forte para introduzir políticas similares.
Um recente relatório pelo Evangelical Fellowship da Índia mostra um aumento na violência contra Cristãos Indianos durante a década passada, com 149 ataques em 2010.
A maioria dos casos acontecem dentro de quatro estados, indicando “ataques aos Cristãos não são incidentes ao acaso, mas são parte de uma campanha sistemática pelas organizações influentes [nacionalistas Hindus],” afirmou o relatório da EFI.
A violência contra Cristãos escalados em 2008, quando extremistas Hindus mataram 110 Cristãos e destruíram 170 Igrejas e 4.500 casas após o assassinato de um líder Hindu.
O Hinduísmo é a principal religião da Índia, com cerca de 80 por cento dos 1,1 bilhões de pessoas Hindus. Os Cristãos representam 2,3 por cento da população.

Cristiam Post

Marta Suplicy quer Evitar Arquivamento da PLC 122 de Criminalização da Homofobia

A senadora Marta Suplicy se mobiliza discretamente para a volta do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122, que criminaliza a homofobia.
Segundo informações de seu próprio Twitter, Marta Suplicy, está colhendo assinaturas para o PLC 122 sair do arquivamento.
“Vou colher assinaturas para evitar o arquivamento do PLC 122,” disse ela no seu microblog.
O Regimento Interno do Senado estabelece que todas as propostas em tramitação há mais de duas legislaturas sejam imediatamente arquivadas. Dessa forma, terão o arquivo como destino todas as matérias apresentadas em 2006. Esse é o caso do projeto PLC 122/06 de criminalização à homofobia. Assim para o projeto sair do arquivamento é necessário assinaturas de 27 senadores e um novo relator.
Marta Suplicy, considerada a relatora, é relatada indo de “senador a senador” para conseguir assinaturas para que o projeto volte a tramitar. Sua estratégia parece ser convencer cada senador em conversas particulares sem o envolvimento da mídia.
“Se começarmos a dizer os nomes dos senadores que são favoráveis ao projeto, estamos dando de bandeja para a oposição fazer advocacy contra a nossa proposta,” explicou Beto de Jesus, secretário da região Sudeste da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) e representante no Brasil da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersex (ILGA).
Segundo Beto, a senadora se diz otimista e já assume a missão de não deixar o PLC arquivar no Senado, assumindo seu cargo em 2 de fevereiro.
 “... os senadores têm interesse em aprovar projetos especiais,” disse Marta Suplicy referindo-se ao projeto PLC 122.
O prazo para a negociação com os parlamentares deve ser feita em até 60 dias após o começo do ano legislativo. Caso as 27 assinaturas não estejam prontas até essa data, o PLC 122 sobre a criminalização da homofobia, será arquivado de vez.

Cristiam Post

Visão Mundial: 'Espaço Amigável para Crianças' nas Regiões Afetadas pelas Chuvas no Rio de Janeiro

A Visão Mundial Brasil deu início à captação de recursos e prepara o “Espaço Amigável para Crianças” na região Serrana do Rio de Janeiro, lugar recentemente devastado pelas chuvas.
O Espaço Amigável para Crianças, que provê instalações com atividades pedagógicas e lúdicas às crianças vítimas da tragédia, será instalado na estrutura da Igreja Metodista Central da cidade de Nova Friburgo, Rio de Janeiro.
“O pastor Paulo Rangel está fazendo um inventário de tudo o que existe no local para que a Visão Mundial possa providenciar toda a estrutura restante necessária, como mobiliário, utensílios, brinquedos pedagógicos e recreacionais etc,” informou a organização, hoje, em um comunicado ao The Christian Post.
Segundo a organização, parcerias com o governo local já estão sendo estabelecidas, disponibilizando através da prefeitura serviços como, o transporte escolar para levar e buscar as crianças até o Espaço Amigável. Além disso, escolas públicas e particulares também estarão envolvidas com o projeto para disponibilizar espaço físico para atividades externas, como recreação e práticas esportivas.
As crianças podem ser monitoradas também por pessoas da comunidade que estão sendo cadastradas para atuarem no projeto. Cerca de 100 crianças serão atendidas, em dois turnos de atividades, que deverão ser iniciados em 3 semanas e se estenderão por 3 meses.
De acordo com o Gerente de Assuntos Humanitários e Emergência da Visão Mundial e responsável pelo projeto, Emídio Bastos, os “Espaços Amigáveis para Crianças conseguem estabelecer uma rotina diária que dá a elas a estrutura necessária para enfrentar o estado caótico da sua vida atual e promover uma transição adequada entre o período de inatividade das crianças e o retorno às atividades cotidianas e a uma vida normal, com o passar do tempo.”
Potenciais doadores favorecerão a instalação de novos Espaços Amigáveis em outras cidades devastadas pelas enchentes na região serrana fluminense.

Fonte Cristian Post

MORMORISMO: A FALSIDADE DESMASCARADA


Histórico
O Mormonismo está ligado a pessoa de Joseph Smith, que nasceu em 23 de dezembro de 1805, no condado de Windsor, Estado de Vermont, nos Estados Unidos da América do Norte, fundador, profeta e primeiro presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. 
Quando ele tinha a idade de 10 anos, sua família mudou-se para Palmyra, Nova York. Quatro anos depois, ele experimentou sua primeira visão de Deus e de Jesus Cristo que o instruiu a não se associar a nenhuma igreja existente, denunciando a falsidade de todas elas. 
Por volta do ano de 1827, noutra visão, recebeu uma mensagem divina que havia sido escrita em placas de ouro, em hieróglifos. Segundo o próprio Smith, apareceu-lhe o "anjo" Moroni, que segundo fez crer, havia vivido naquele região há uns 1.400 anos. Seguindo o relato, o pai de Moroni, um profeta, havia gravado a história do seu povo nestas placas. Quando estavam a ponto de serem exterminados por seus inimigos, Moroni teria enterrado essas placas ao pé dum monte próximo do local onde hoje é Palmyra. 
Nesta visão, Moroni teria indicado a Smith o lugar onde as placas teriam sido escondidas e lhe deu umas pedras especiais, um certo tipo de lentes, chamadas de "Urim" e "Tumim", com as quais Joseph Smith poderia decifrar e traduzir os dizeres dessas placas. 
Smith traduziu e publicou (1830) o texto, recebendo o título de "O Livro de Mórmom". Neste livro, ele conta a história religiosa de um povo antigo que viveu no continente Norte-americano e que ele descreve como descendentes dos antigos Hebreus. 
Em 1830, Smith organizou a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e imediatamente começou a enviar missionários para outras localidades. Em virtude da conversão de um número muito grande de pessoas em Ohio, ele se mudou para Kirtland, Ohio, e construiu um templo. 
Ele então fundou outra comunidade no município de Jackson, Mo. O conflito com a população não-Mormom, em Missouri, causou a saída dos Mórmons para o município de Jackson, ao norte do Missouri. Em 1837 esta perseguição forçou Smith a fugir de Kirtland para o Missouri. Dentro de alguns meses de sua chegada, entretanto, seu povo foi expulso e ele foi posto na cadeia. Depois de vários meses, seus carcereiros permitiram que ele escapasse, tendo ele fugido para o Illinois, onde os Mórmons estavam reunidos. Em 1839 Smith ajudou a fundar a cidade de Nauvoo no Mississippi. 
O profeta dos Mórmons era um homem talentoso e imaginativo, com capacidade de expor sua teologia e atrair seguidores. Ele pregou a reunião dos religiosos numa única área e o progresso eterno da raça humana. Em Nauvoo, Smith alcançou ao ponto mais alto de sua carreira. O povo de Illinois recebeu os Mórmons perseguidos, e Smith iniciou a construção de um templo e de um hotel. O estado de Illinois deu para a nova cidade um alvará que permitiu uma milícia, chamada a Legião de Nauvoo, com Smith como o comandante geral. Mas tarde ele também foi o prefeito de Nauvoo, e em 1844 anunciou sua candidatura para a presidência dos E.U.A. 
Em 1843, Smith secretamente instituiu a prática do casamento poligâmico entre um selecionado grupo. Por causa dos rumores de poligamia (ele foi apontado como tendo cerca de 50 esposas) e por causa do ciúme sobre a prosperidade dos Mormons em Nauvoo, a perseguição aumentou. A desconfiança em relação ao profeta foi-se ampliando, principalmente quando John C. Bennet, um de seus antigos assessores, revelou a prática da poligamia em Nauvoo. Quando o profeta, ou "general", como Smith gostava de ser chamado nesta fase, não suportou mais essa crescente onda de críticas, ordenou a destruição do jornal "The Nauvoo Expositor", porta-voz dos que o antagonizavam. Foi quando as autoridades de Illinois resolveram intervir. O profeta e seu irmão Hyrum foram presos e levados para uma cadeia em Carthage, para aguardar julgamento pelo empastelamento do jornal. Contudo, no dia 27 de junho de 1844, uma turba enfurecida de cerca de duzentas pessoas invadiu a cadeia e brutalmente linchou Smith e seu irmão. Dessa forma, sem querer, o profeta recebeu a coroa de mártir da seita, e conquistou para si, entre os mórmons, a perpétua aura de "verdadeiro profeta". 
O conceito de Deus no Mormonismo 
A doutrina mórmon é politeísta e ensina que o universo é habitado por diversos deuses que geram filhos espirituais, os quais, por sua vez, se revestem de corpos em diversos planetas. Segundo os seus ensinos, o deus deste planeta é "Eloim". 
Joseph Smith, inicialmente, conforme podemos ver nos seus "inspirados" pronunciamentos, era unitarista; depois passou para o triteísmo e afinal chegou ao politeísmo pleno, contradizendo totalmente o que está revelado no Velho e no Novo Testamento. 
Em contraste com as Escrituras Sagradas, os "profetas" mórmons tem uma crença toda especial com relação a natureza de Deus. Vejamos algumas destas crenças: 
O "profeta" Joseph Smith disse: "Se o véu se rompesse hoje, e o grande Deus que mantém este mundo em sua órbita, e que sustenta todos os mundos e todas as coisas por seu poder, se fizesse visível - digo se vós pudésseis vislumbrá-lo hoje, vê-lo-íeis em forma de homem..." (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 336). 
Deus é um homem glorificado e perfeito, um personagem de carne e ossos. Dentro de seu corpo tangível, existe um espírito eterno. (Conforme Doutrina e Convênios 130:22). 
Tudo que Deus faz é para ajudar seus filhos a se tornarem como ele - um deus. (Princípios do Evangelho, p. 6). 
"Eles (os deuses) existem, portanto seria melhor nós nos esforçarmos para sermos um com eles." (Discursos de Brigham Young, p. 227).
 "Como o homem é, Deus foi; como Deus é, o homem poderá vir a ser." (Profeta Lorenzo Snow, citado por James E. Tamage, em Regras de Fé, p. 389)
 "Então o Senhor disse: Desçamos. E Eles desceram no princípio, e Eles, isto é, os Deuses, organizaram e formaram os céus e a terra." (Abraão 4.1)
 "Lembremos que Deus, nosso Pai celeste, talvez tenha sido criança um dia, e mortal como nós. Mas foi subindo passo a passo na escala da progressão, na escola do desenvolvimento; ele seguiu adiante e venceu, até atingir o ponto em que se encontra agora." (Apóstolo Orson Hyde, Journal of Discourses, vol. 1, p. 123 - Jornal de Discursos) .
 Com todas estas colocações, vemos que a semelhança não é mera coincidência com as religiões pagãs. As suas doutrinas são pura heresia.
 O fato de haver grande semelhança entre determinados pontos do credo mórmon e a crença bíblica, não significa que os mórmons comungam dos mesmos princípios espirituais que o cristianismo autêntico aceita como doutrina bíblica.
 Os escritores do Novo Testamento e o próprio Jesus ensinaram que existe somente um Deus. E todos os teólogos da igreja, desde os seus primórdios, sempre afirmaram que o Cristianismo é uma religião monoteísta no sentido mais estrito do termo. A Bíblia é inflexível em sua afirmação de que Deus não reconhece a existência de nenhuma outra divindade.
 Vejamos o que nos ensina a Bíblia quanto singularidade de Deus, em Isaias 43:10 e 11; 44: 6 e 8; 45:5, 21 e 22):
 "Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, o meu servo a quem escolhi; para que o saibais e me creiais e entendais que sou eu mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador... Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e além de mim não há Deus... Vós sois as minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça... Eu sou o Senhor, e não há outro; além de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que não me conheces... Pois não há outro Deus senão eu, Deus justo e Salvador não há além de mim. Olhai para mim, e sede salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro".
 Quanto a natureza de Deus, Jesus afirmou:
 "Deus é espírito; e importa que seus adoradores o adorem em espírito e verdade" - João 4.24.
 Cristo no Mormonismo 
Acerca de Jesus são ensinadas as seguintes abominações:
 "Jesus Cristo foi polígamo: Maria e Marta, as irmãs de Lázaro, eram suas esposas pluralistas, e maria madalena era outra. Também a festa nupcial de Caná da Galiléia, onde Jesus transformou água em vinho, realizou-se por ocasião de um dos seus casamentos" (Brigham Young, Wife no. 19, 384).
 "Quando a virgem Maria concebeu o menino Jesus, o Pai o havia gerado à sua semelhança. Ele não foi gerado pelo Espírito Santo... Jesus, nosso irmão mais velho, foi gerado na carne pelo mesmo indivíduo que se achava no jardim do Éden e que é o nosso Pai celestial". (Revista de Discursos, vol. I, pp. 50 e 51).
 "Quando chegou a ocasião em que o Primogênito, o Salvador, deveria vir a este mundo e assumir um tabernáculo, o próprio Pai veio pessoalmente e favoreceu aquele Espírito com um, ao invés de permitir que qualquer outro homem o fizesse". (Discursos de Brigham Young, p.50).
 O evangelho refuta estes ensinos de uma maneira clara que não deixa qualquer dúvida:
 "E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas." (JO 2:2)
 Esta passagem bíblica diz-nos que Jesus estava naquele casamento, onde transformou água em vinho, como convidado e não como noivo.
 Quanto ao nascimento virginal de Cristo, vejamos: "Portanto o Senhor mesmo vos dará sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e lhe chamará Emanuel". (Isaias 7:14)
 Quanto a Jesus não ter sido gerado pelo Espírito Santo, se opõe frontalmente ao firme testemunho das Escrituras Sagradas: "Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mas José seu esposo, sendo justo e não querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava nestas nestas cousas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo". (Mateus 1:18 a 20)
 Plano de Salvação do Mormonismo 
Para o Mormonismo o sacrifício expiatório de Cristo tem um significado diferente daquele que nos é ensinado pelo Evangelho.
Segundo Brigham Young, o sacrifício realizado por Jesus Cristo na cruz, onde derramou Seu próprio sangue, não foi suficiente para a purificação de certos pecados. Vejamos o que ele escreveu no JORNAL OF DISCOURSES, vol. III, pág. 247, e vol. IV, págs. 219 e 220: "Qualquer homem ou mulher que violar as alianças feitas com seu Deus terá de pagar o débito. O sangue de Cristo nunca apagará esse erro. O indivíduo tem de expiá-lo com seu próprio sangue. Mais cedo ou mais tarde lhe sobrevirão os castigos do Todo-Poderoso e cada um terá de fazer expiação pelas suas alianças... Todos os homens amam a si mesmos, e, se todos conhecessem esses princípios, de bom grado derramariam seu próprio sangue... Eu poderia citar inúmeros casos de homens que foram mortos legitimamente, para expiação de seus pecados... Isto é amar ao próximo como a si mesmo; se ele precisar de auxílio, ajude-o; e se ele quiser ser salvo e for necessário derramar seu sangue na terra para que ele possa ser salvo, derrame-o."
 Quão diferentes são as palavras do apóstolo João: "... o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado." (1 Jo 1:7). Ele nos fala: "de todo o pecado" e não: "de alguns pecados".
 Paulo falando a respeito do "derramamento de sangue", no sacrifício de Cristo, escreve aos Colossenses: "Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;" (CL 1:14). Remissão dos pecados é justamente o perdão, misericórdia, clemência, indulgência. Perdão total dos pecados, através do sacrifício vicário de Jesus Cristo. Também a este respeito está escrito na Carta aos Hebreus: "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão." (HB 9:22).
Mais adiante encontramos escrito que este Sacrifício foi completo, pois sendo "único", foi para sempre: "Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus," (HB 10:12)
Para uma melhor elucidação, vejamos o que escreveu Paulo aos Romanos:
"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;"
"Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus."
"Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;" (Rm 3:23 a 25)
O ensino bíblico é bastante claro: somos salvos apenas pela graça, mediante o sacrifício de Cristo.
 A Bíblia no Mormonismo 
"A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias aceita quatro livros como escrituras: a Bíblia, o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor. Esses livros são chamados de obras padrão da Igreja. As palavras de nossos profetas vivos também são aceitas como Escrituras." (Princípios do Evangelho, Cap. 10, pág. 49).
 "Joseph Smith traduziu o Livro de Mórmon para o inglês pelo dom e poder de Deus. Ele disse que o livro é o mais correto que existe sobre a face da terra e a pedra fundamental de nossa religião, e um homem pode se aproximar mais de Deus observando os seus preceitos do que pelos de qualquer outro livro." (History of the Church of Jesus Crist of Latter-day Saints, 4:461).
 Portanto, pelo escrito, vemos que os mórmons colocam a Bíblia em pé de igualdade como os outros livros escritos pelos seus "profetas". Sendo que consideram o livro de Mórmon mais sagrado que a própria Bíblia, pois dizem ser "o livro mais correto que existe sobre a face da terra" e que um "homem pode se aproximar mais de Deus observando os seus preceitos do que pelos de qualquer outro livro" (até mesmo a Bíblia!).
 Com referência á Bíblia, encontramos em "Quem São os Mórmons?" (pág. 11): "A Bíblia é a Palavra de Deus, escrita pelos homens. É básica no ensino mórmon. Mas os santos dos últimos dias reconhecem que se introduziam erros nesta obra sagrada, devido à forma como este livro chegou a nós. Além do mais consideram-na incompleta como um guia..."
 Sobre a Bíblia, deixemos que ela mesma fale por si mesma:
 •O livro dos séculos (Sl 119:89; 1 Pe 1:25) •Divinamente inspirada (Jr 36:2; 2 Tm 3:16; 2 Pe 1:21)
 (Jr 5:14; Rm 1:16; Ef 6:17; Hb 4:12) •Absolutamente digna de confiança (1 Rs 8:56; Mt 5:18; Lc 21:33) •Pura (Sl 19:8) •Santa, justa e boa (Rm 7:12) •Perfeita (Sl 19:7; Rm 12:2) •Verdadeira (Sl 119:142)
 Com apoio das mais recentes descobertas arqueológicas, podemos comprovar que a Bíblia é um livro inalterado, tanto em seu conteúdo literário, como em seu caráter doutrinário. Podemos verificar através das diversas bibliotecas e museus espalhados pelo mundo, onde são guardados milhares de manuscritos das Escrituras Sagradas que ela não sofreu qualquer alteração ou adulteração, sendo transcrita fielmente por diversos copistas. Existem mais de cinco mil manuscritos bíblicos e trechos deles por toda a Europa e Ásia, não sendo necessário, portanto, depender da tradução de apenas um deles.
Além disso, a veracidade das Escrituras comprova-se por suas evidências internas e externas, e pela arqueologia.
É interessante salientar que Joseph Smith editou a "Versão Inspirada da Bíblia", onde teve a oportunidade de acrescentar o que argumentava ter sido "removido" através dos séculos, nas não o fez; pelo contrário, diminuiu-a ainda mais.
 Conclusão 
Depois de analisarmos estes fatos, as evidências que temos, reveladas pelas Escrituras (a autêntica), coisa que os escritores da seita não conseguem explicar satisfatoriamente, à luz da Bíblia.
 O Mormonismo, então, com seus apóstolos, sacerdócio, templos, sinais secretos, símbolos, apertos de mão e mistérios, mascara-se como a "igreja restaurada". Mas em seu âmago, em seus ensinos acerca do Messias, de Deus, da Salvação, das Escrituras, enfim de seu "evangelho diferente", ele se mostra contrário a todos os principais ensinamentos da Bíblia.
 O Mormonismo se esforça grandemente para se apresentar como a única igreja cristã, tendo uma mensagem exclusiva, profetas infalíveis e revelações superiores para uma nova dispensação que, segundo eles, teria iniciado com Joseph Smith Jr.
 Mas a palavra final, tanto da História como da doutrina bíblica, é que a religião de Joseph Smith não passa de um pesadelo politeísta de doutrinas distorcidas, vestidas com a terminologia cristã. E basta este fato, se os outros não forem suficientes, para que a consideremos um seita não cristã.
 Aqueles que estão considerando a possibilidade de entrarem para o Mormonismo, lucrariam grandemente se fizessem um estudo atento dos fatos e evidências aqui abordados, para que não sejam enganados, perdendo-se neste labirinto espiritual que é o Mormonismo.

http://www.combateasseitas.hpg.com.br/mormom.htm 

SEICHO-NO-IÊ : A CONFUSÃO RELIGIOSA


HISTÓRICO 
O movimento Seicho-no-iê foi iniciado por Taniguchi Masaharu, nascido a 22 de novembro de 1893, na Vila de Karasuhara, município de Kobe, no Japão. Devido à pobreza de seu lar, foi educado por seu tio, de maneira severa. Seu temperamento era retraído e entregava-se à leitura com avidez. Começou a sentir desgosto pela vida e a maldizer a sociedade. Já adulto, teve vários casos de amor, a tal ponto que sua consciência dolorida não o deixava dormir. Contraíra doenças venéreas e pensava tê-las transmitido a uma menina, sobrinha de um chefe seu. Somente sua auto-sugestão de que não existia doença o tranqüilizou, curando-o da insânia e aliviando sua consciência por um período de tempo. Depois de terminar a escola secundária, apesar da oposição de seus pais adotivos, inscreveu-se na Faculdade de Literatura Inglesa da Universidade Waseda, em Tóquio. Alimentava então idéias pessimistas sobre a vida, e procurava uma explicação lógica do mundo e do homem. Taniguchi entregou-se ao estudo teórico e prático das ciências psíquicas que exerciam atração sobre ele e nas quais depositava a confiança de que poderiam salvar espiritualmente o homem e a sociedade. Quando a Primeira Guerra Mundial estava no auge, imperava no Japão uma literatura moralizante, espiritualista e nacionalista. Taniguchi dedicou-se novamente à leitura e descobriu uma sutra budista (daizokio), tirando dela o ensinamento fundamental: "Não existe matéria, como não existem doenças: quem criou tudo isso foi o coração... Segue-se disso que a doença pode ser curada com o coração..." Este conceito tornou.se fundamental no Seicho-no-iê. 
Em dezembro de 1922 Taniguchi partiu para Tóquio. Escreveu uma dissertação sobre a natureza religiosa do homem, intitulada: Para a Santidade. Estabeleceu os fundamentos da filosofia de Taniguchi: a "Teologia do movimento Seicho-no-iê". Em 1923 escreveu o livro Crítica a Deus, tendo Judas, o traidor, como herói. Leu Tanisho, livro escrito por um discípulo de Shinram que desenvolveu a idéia do Tariki (salvação pela fé). Para Taniguchi as pessoas não precisavam de uma religião que lhes incutisse o medo, mas que trouxesse uma salvação amigável. Deixou influenciar-se pelas teorias de Bergson, pela lei da ação criadora do coração do livro de Holmes Zenwicke (americano), pela vontade de poder de Adler. Assim leu psicologia, espiritismo e estudou a ciência cristã. Recebeu a revelação divina (shinsa): "Não existe matéria, mas existe a realidade"(jissô) - ensino básico do Seicho-no-iê. "Você é realidade, você é Buda, você é Cristo, você é infinito e inesgotável. " Taniguchi misturou introspecção psicológica e fenômenos psíquicos curando os doentes através da auto-sugestão. Tornou-se um verdadeiro feiticeiro do século XX.
Em 1922, Taniguchi lançou uma revista, denominada Seicho-no-iê. A fama dela aumentou; em junho de 1930, Taniguchi inaugurou uma secretaria de imprensa. Em 1934 estabeleceu a direção do movimento em Tóquio; divulgava a fonte do fluido psíquico que garantia saúde aos amigos. Prometeu que a assinatura da revista garantiria afastar o medo de qualquer mal. Em 1935 começou a imprimir grandes anúncios nos jornais, semanalmente. Lago os assinantes chegaram a trinta mil. Em 1936 registrou o Seicho-no-iê como associação Cultural. Em 1941 transformou-o em seita religiosa centralizada no "Komio", espécie de deus pessoal ao qual se dirigem orações. Durante a Segunda Guerra, a seita colaborou com os nacionalistas, influenciando os operários das indústrias bélicas e os colonizadores da Manchúria. Depois da guerra, Taniguchi foi expulso pelo general MacArthur; a filha Emiko assumiu a chefia do Seicho-no.iê. Taniguchi escreveu uma obra de 40 volumes: Simei no Jissô (Verdade da Vida) - livro básico do movimento.
Tendo início em 1930, como simples movimento filosófico psicológico e cultural para propagar certas verdades, o Seicho-no-iê foi adquirindo aos poucos a conotação de religião. Na década de 1940 o movimento foi registrado como religião pelo governo japonês. É a mais eclética de todas as novas religiões. É uma miscelânea das grandes religiões tradicionais, como o cristianismo, o xintoísmo e o budismo, com psicologia, filosofia, medicina e literatura moderna. Os adeptos são até aconselhados a praticá-lo, continuando em suas religiões de origem. O"Kanro no hou" é utilizado como oração e como amuleto.
O emblema central do grupo Seicho-no-iê é formado pelo sol, dentro do qual se vê a lua, a cruz suástica, demonstrando a síntese que realizou das grandes religiões. Seicho-no-iê significa abrigo, casa, lar do crescimento, da plenitude da vida, amor, sabedoria, abundância e todos os demais bens em grau infinito. Em 1949, o professor Hardmann foi aos Estados Unidos e pediu que Taniguchi Masaharu pudesse desenvolver livremente a sua atividade. A petição estava assinada por americanos de origem japonesa. Taniguchi continua sendo a alma do movimento. Em 1963 empreendeu sua primeira viagem de conferências pelo mundo, visitando o Canadá, Estados Unidos, México, Peru, Brasil, Inglaterra, Alemanha, Suécia, Suíça, França e Itália. Nos Estados Unidos recebeu o título de Doutor em Filosofia do Religious Science Institute. 
Chegou ao Brasil em 1930, com os imigrantes japoneses. Somente depois de 1951 começou a tomar maior impulso, porque suas obras começaram a ser publicadas em português. A sede está na capital paulista desde 1955; há uma Academia em Ibiúna, onde os fiéis se reúnem para o exercício de desenvolvimento espiritual. 
No dia 10 de agosto de 1952, autorizada pela Sede Internacional da Seicho-no-iê, no Japão, foi instituída a Sociedade Religiosa Seicho-no-iê no Brasil, hoje Igreja Seicho-no-iê. Está espalhada principalmente pelos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Goiás, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco.
As primeiras obras da Seicho-no-iê editadas em português começaram a circular em Goiás por volta de 1970, sendo a principal difusão do movimento a realização de seminários, palestras e conferências por professores de filosofia da Seicho-no-ié. Brasília já possui sua sede própria em edifício típico do Japão. Em Goiás, o primeiro templo construído foi o de Inhumas, e é dirigido pela comunidade local, sediando assim um importante núcleo. Em setembro de 1981 foi realizado um importante seminário no Ginásio Emmanuel, Goiânia. Os lucros das refeições vendidas foram revertidos para a construção do templo na capital goiana. Em Pernambuco, desde junho de 1975 começou a funcionar em Recife o Núcleo Central, com representações em Garanhuns, Caruaru, Olinda e Paulista. O Núcleo Central de Recife ainda é responsável pelos núcleos de Natal (RN) e João Pessoa (PB). 
Circula entre nós a revista Acendedor, órgão do novo movimento, cuja distribuição é gratuita e sistemática, bem como a de uma espécie de calendário com mensagens estimuladoras e positivas.  
DOUTRINAS E REFUTAÇÃO 
1. O Mal - A Seicho-no-iê é uma das cento e trinta novas religiões do Japão, e sua doutrina resume-se em três principais proposições: 1) A matéria não tem existência real; só existe a realidade espiritual; 2) O mal não existe; é pura ilusão da mente humana; 3) O pecado também não existe; é mera ilusão. "Os males não têm existência real; nada mais são que simples sombra de imaginação." "O mal, a infelicidade, a doença, a depressão econômica, apagam-se quando são firmemente negados, porque eles nada mais são do que ilusões falsamente criadas pela morte." "Os sofrimentos nada mais são do que projeções da nossa mente em ilusão" (Convite à Prosperidade, p. 16, 27 e 71). A saída para evitar o mal é meditar sobre a verdadeira realidade, que é perfeita; o espírito pode dominar o material e mudá-lo. Não só Taniguchi mas qualquer pessoa é potencialmente Buda e Jesus. Se o mal é realmente uma ilusão, como explicar os terríveis acontecimentos à nossa volta? Deus é bom. Será ele responsável pelo mal que acontece no mundo? Além de a realidade demonstrar que existe o mal, a doutrina da Seicho-no-iê é antibíblica. Desde o princípio da criação o bem e o mal estão presentes (Gên. 2:9). Jesus ensinou esse princípio quando contou a parábola dos lavradores maus; ela nos mostra que o mal está dentro do coração do homem. O mal é uma oposição deliberada contra Deus: é seguir nosso próprio caminho sem tomar conhecimento de que somos filhos de Deus. Paulo nos ensina que a nossa luta neste mundo é contra o mal, que quer dominar nossa vida (Rom. 7:15-25; II Cor. 5:1-l0; Ef. 6:12; 1Cor. 15:50). Malaquias profetizou que há um julgamento para os que praticam o mal (Mal. 3). Os outros profetas também falaram contra o mal. João Batista pregou que o machado está posto sobre os que praticam o mal (Mat. 3 : l0). "Dizer que o mal é uma ilusão é contradizer não somente a Bíblia, que é a Palavra de Deus, mas também ignorar a experiência diária da vivência dos homens em sociedade.'' 
2. O Pecado - Na revista Acendedor, nº 75, p. 36, há o artigo "O Pecado Não Existe", da autoria de Taniguchi. Tal afirmação não tem fundamentos, pois é anticientífica, anti-social, sem lógica. Qualquer pessoa racional, de bom senso, observa através da história que alguma coisa está errada com o homem. Não somente os religiosos, mas também os psicólogos e sociólogos admitem o erro que existe no homem e que perturba o seu ajustamento consigo mesmo e com os outros. A Bíblia chama esse erro, esse desvio, de pecado, corrupção, iniqüidade, em contraste com Deus, santo, puro, verdadeiro. "Por um homem entrou o pecado no mundo"" (Rom. 5:12). Trouxe morte física e espiritual (Gên. 2:15-17; Rom. 5:12, 23; Ef. 2:1-3). O pecado domina o homem (Rom. 7:19,20). Cristo morreu pelos nossos pecados e salva o homem dos pecados e da condenação (II Cor. 5:21; 1 Pe. 2:24; Rom. 5:1-11). A Seicho-no-iê não admite o pecado mas fala em culpa, crime, perdão, purificação, mácula, aprimoramento, preguiça, maldade, desgraça, calúnia. Diz que não existe doença, mas prega a cura! 
3. Doenças - As doenças não existem; a dor não é real, porque a matéria não tem existência real. As formas físicas, materiais, não passam de sombras da luz celeste a refletir-se sobre a terra. Tudo o que acontece no mundo material é reflexo da mente. "O como carnal não sente dores porque não é matéria" (Acendedor, n.° l10, p. 7). "Como Deus não criou a doença, a doença não existe." "De agora em diante não existirá mais nenhum sofrimento, nenhuma tristeza, nenhuma decepção e nenhum desapontamento" (Convite à Prosperidade, p. l6). A Seicho-no-iê ensina que os seguidores precisam controlar suas mentes. O homem deve procurar sua própria felicidade, mentalizando-a. A própria ciência já fez descobertas extraordinárias: Não somente o homem e os animais sentem dor, mas também as plantas. A Seicho-no-iê prega que "se por acaso a vida apresenta um estado de imperfeição, está doente, significa que você não está contemplando mentalmente a vida de Deus que habita em seu íntimo" (Convite à Prosperidade, p. 53). Nos capítulos11 e 12 de II Coríntios, Paulo descreve o seu sofrimento por amor a Cristo: açoitado pelos judeus; apedrejado; naufragou; em perigo; sentiu dores. Pediu ao Senhor que o livrasse do espinho na carne (sofrimento), mas Deus lhe respondeu: "A minha graça te basta" (II Cor. 12:9). A experiência de Paulo, de Jó e de outros servos de Deus mostra claramente que as doenças não são uma ilusão da mente da pessoa e sim uma realidade. O próprio Jesus Cristo sentiu a dor e o sofrimento em sua carne e pediu que Deus passasse dele esse cálice. A própria experiência humana, fora dos limites da Seicho-no-iê, atesta a realidade da doença, da dor e do sofrimento; em sã consciência, ninguém pode nega-los. Os cristãos, entretanto, sabem enfrentar a dor, o sofrimento, a morte, a doença, com dignidade, sabendo que "todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus"(Rom. 8:28). Se não existisse a doença, como a Seicho-no-iê prega curas milagrosas através de seus livros e revistas?
4. O Homem - Para a Seicho-no.iê todos os homens são filhos de Deus: os ladrões, os assassinos, os terroristas. O homem é bom. Sem o homem Deus não pode manifestar-se. O homem é puro e perfeito. Como filho de Deus o homem também é Deus. O homem se eleva à condição de Deus pela libertação da consciência do pecado. Não existe matéria, nem carne, nem corpo. 
Cristo chamou os fariseus de sua época de filhos do Diabo (João 8:44). Paulo falou em filhos de Deus e filhos do Diabo (At. 13:10). Somente é filho de Deus aquele que recebe a Cristo pela fé (João 1:11, 12). O homem é tão bom que está se destruindo, um ao outro; está destruindo o mundo que o rodeia; está destruindo os animais. Os sociólogos estão desiludidos e não sabem encontrar a resposta para tantos problemas existentes entre os homens. Vemos que o homem sem Deus é uma tragédia total!
A Seicho-no-iê diz que o homem é imortal. Não admite a realidade da velhice. Entretanto, o envelhecimento do próprio Taniguchi, com mais de 90 anos de idade, e de todos os seus seguidores, prova a falácia dos seus ensinamentos, sua inconsistência, a incoerência de suas teorias, a ilusão (isso sim) de suas verdades. 
5. Deus - A Seicho-no-iê tem a ousadia de criticar o Pai Nosso, que é uma oração ensinada pelo Mestre dos mestres, Jesus. Diz que os cristãos têm por anos e mais anos repetido o Pai Nosso: "...seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu", mas tal não se realiza porque o céu não está acima das nuvens nem no mundo das três dimensões; o céu está no íntimo transcendental, aqui e agora (Convite à Prosperidade, p 17)_ o que se deve é mentalizar o céu para que seja encontrado pelas pessoas. 
Na literatura da Seicho-no-iê não se tem uma noção clara sobre Deus. Ele é panteísta, uma vez que se encontra em cada pessoa, em cada coisa deste mundo. 
A Bíblia apresenta um Deus pessoal. Ele criou o homem à sua imagem e semelhança; uma das semelhanças é ser pessoal. 
A Bíblia ensina que Deus é transcendente, está além do mundo material (Is. 57:15). Deus não habitou no interior de Hitler, Stalin, Mussolini e outros homens perversos. Deus habita no interior dos contritos, humildes, daqueles que dão lugar a seu Espírito. 
6. A Bíblia - A Seicho-no-iê não dá qualquer relevância à Bíblia. Cita-a de maneira vaga e parcial, sem identificação e fora de contexto, sem qualquer exegese, interpretação ou explicação; utiliza alguns textos para favorecer a seita. A regra de fé e prática da Seicho-no-iê são os escritos de Taniguchi. Para a Seicho-no-iê, por ser um livro divino, a Bíblia é o mais humano dos livros. Para nós, cristãos, a Bíblia é um livro milenar. Sua formação foi encerrada há dois mil anos. Há muitas provas de sua inspiração divina: uma delas é o tempo de sua duração; a transformação que tem causado na vida de milhares de pessoas; sua indestrutibilidade. Deus disse tudo o que queria num único livro. A Seicho.no.iê já tem 300 obras escritas mas ainda não disse tudo. Não há comparação entre a Bíblia e a literatura dessa seita. 
7. Cristo - Taniguchi já afirmou que sua religião é superior ao cristianismo porque opera maiores e mais milagres do que Cristo. Sente-se com autoridade para interpretar as palavras de Cristo segundo suas próprias convicções. Alguns católicos disseram até que compreenderam melhor a doutrina de Crista na Seicho-no-iê. Taniguchi é mais crido, mais reverenciado, mais citado do que Jesus Cristo. Cristo disse: "Eu sou o caminho", isto é, o único caminho para Deus, para a salvação. A Seicho.no-iê interpreta essas palavras como se cada homem fosse o caminho, a porta da saída de Deus; não tendo Deus outra alternativa para manifestar sua força a não ser pelo homem. A Bíblia nos ensina que Deus tem usado o homem mas não está preso a ele, não depende dele porque é onipotente. Cristo disse que, se os discípulos se calassem, até as próprias pedras clamariam. Se não existissem mal, não existiria pecado, e o sacrifício vicário de Cristo não teria razão de ser. Cristo veio para salvar os pecadores, como nos ensina a Bíblia (Luc. 19:10; João 3:14, 15; II Cor. 5:21; 1 Ped. 2:24; 1 Cor. 15:3). Cristo, filho unigênito de Deus veio ao mundo para salvá-lo. Morreu, ressuscitou e foi para os céus, para salvar o homem e interceder por ele. 
8. Milagres - Israel Carlos Biork assim se expressou num de seus artigos: "O fato de no Seicho-no-ieísmo haver muitos milagres, não indica que é verdade. Os feiticeiros no Egito fizeram milagres diante de Moisés. Cristo disse que muitas pessoas vão comparecer diante dele e dizer que profetizaram, expulsaram demônios e fizeram muitos milagres, mas Cristo vai dizer que nunca as conheceu. A Bíblia diz que no fim do sistema atual, haveria muitos cristos aparecendo como salvadores da humanidade. E exatamente para isso que o seicho-no-ieísmo diz que existe, mas só apareceu no mundo em 1929. Diz a reportagem: 'Seu objetivo é construir um paraíso terrestre onde não haja uma só pessoa que padeça de sofrimentos ou enfermidades.' Por que o deus do Seicho-no-ieísmo deixou a humanidade mergulhada no sofrimento e na maldade por milhares de anos, para aparecer somente em 1929? O Deus da Bíblia nunca desamparou a humanidade. Sempre esteve empenhado na sua salvação por meio de Cristo, desde o jardim do Éden, quando o próprio Deus sacrificou um cordeiro para tipificar o Cristo que havia de vir para salvar a humanidade, e que já veio e que salva realmente, não pelos nossos méritos, mas por sua morte vicária." A Seicho-no-iê é uma seita oriental que não entra em conformidade com nossa maneira de pensar e com a nossa maneira de crer. É simplesmente humanista, pensando no aqui e agora; muda os ensinamentos de Jesus; enfatiza o poder de cada pessoa em dominar sua mente, sua vida, sua felicidade. Conhecemos o poder da mente na saúde física e espiritual do homem; entretanto, é impossível realizar todos os bens anunciados pela Seicho-no-iê. Cristo quer que sejamos sal da Terra. 
CONCLUSÃO: os ensinos da Seicho-no-iê são radicalmente contrários á Palavra de Deus. Ou aceita-se os seus (falsos) ensinos ou abandona-os, em prol da verdade.

http://www.combateasseitas.hpg.com.br/seicho.htm

O MOON ESTA NO TUMULO . A CARAPUSA É PARA QUEM SERVIR. -

Lucas 24: 5 – 6. 
“Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles (os anjos) lhes falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galiléia”.
INTRODUÇÃO
    Iniciando esta meditação, gostaria de destacar o afeto destas mulheres para com Jesus, levantando-se de madrugada, foram em direção ao cemitério com a finalidade de embalsamarem o seu corpo. São elas:
  • Maria Madalena, aquela de quem Jesus havia expulsado sete demônios. Conforme Mc. 16:9.
  • Maria, mãe de Tiago e de José, esposa de Clopas, conforme Mt. 27:56.
  • Salomé, mãe de João e de Thiago e esposa de Zebedeu, conforme Mt. 27:56 e Mc.15:40.
Não há registro de nenhum homem ter se levantado para estar com as mulheres neste importante carinho ao seu Senhor. Elas queriam prestar a última homenagem ao seu Senhor. O desejo de embalsamarem o corpo de Jesus era tão grande, que, nem mesmo esperaram o amanhecer do dia, mas, foram para o cemitério ainda escuro. Talvez seja essa a maior razão de estarem temerosas. Devemos considerar, ainda, o fato de que a maior preocupação delas era como remover a pedra; e, ainda assim, nenhum homem se dispôs a ajudar aquelas mulheres. Isto mostra, com clareza, que as mulheres são muito mais atentas a estas necessidades afetivas. Os homens, geralmente, não valorizam estas atitudes. Ressaltamos ainda, que aquelas mulheres sempre estiveram presentes no Ministério de Jesus; o que demonstra este carinho, também no dia a dia, e não apenas em um fato isolado.
CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES:
            Jesus, em várias ocasiões afirmou aos seus seguidores, principalmente aos mais de perto, que haveria de morrer e depois ressuscitar. Parece-me que o ser humano só escuta o que lhe interessa. Quando não temos interesse naquilo que nos é transmitido, não prestamos atenção e não levamos a sério. Escutamos, mas não ouvimos; escutamos, mas não temos o interesse necessário para gravar aquilo em nossa memória. Foi o que aconteceu com os discípulos e também com aquelas mulheres. Em diversas ocasiões Jesus já havia afirmado que deveria morrer e ao terceiro dia ressuscitar. Sendo assim, não haveria motivos para o corpo de Jesus ser embalsamado ao terceiro dia, pois, depois de três dias Jesus ressuscitaria.
Porém, os discípulos, bem como aquelas mulheres, tinham em seus corações, um desejo muito grande que Jesus viesse a ser o grande líder daquele povo. Por essa razão, não deram ouvidos a voz de Jesus, quando dizia que deveria morrer, para depois ser ressuscitado. Sendo assim, quando chegaram ao sepulcro e não viram o corpo do Senhor, ficaram assustadas e vão logo em busca de Pedro e João para lhes contar o acontecido, conforme João 20: 1- 2. Estes, sabendo da notícia, correm até o sepulcro com a finalidade de constatar os fatos. Afinal, foram apenas algumas mulheres que tinham presenciado o túmulo vazio e, elas poderiam estar sob forte emoção, não percebendo com clareza as coisas. João corre mais que Pedro e chega primeiro. Porém, não entra no sepulcro; mas, fica esperando por Pedro do lado de fora. Pedro, chegando ao sepulcro, foi logo entrando e, em seguida João também entra. Em João 20:8 está escrito: “Então entrou também o outro discípulo (João), que chegara primeiro ao sepulcro, viu e creu”. Mas, creu no que? João percebe que o lençol estava intacto, o lenço que fora amarrado no rosto de Jesus continuava amarrado; apenas estava vazio. João entendeu que o que havia acontecido realmente tinha sido um milagre! Era a vitória da vida sobre a morte. Jamais poderia ser um ato de suborno, na tentativa de enganar todas as pessoas. João crê que Jesus realmente havia ressuscitado.
Creu que não se tratava de alguém ter roubado o corpo de Jesus, mas, que, de fato, ele havia ressuscitado dentre os mortos. Aleluia!!!
Há muitas teorias e especulações a respeito da ressurreição de Jesus:
  • Corpo roubado. Alguns dizem que Jesus não ressuscitou, mas, afirmam que o corpo de Jesus teria sido roubado pelos seus discípulos. Este pensamento levou os sacerdotes pagarem os guardas para tomarem conta do sepulcro, para que ninguém roubasse o corpo. Diante da ressurreição de Jesus, eles subornaram os guardas para que afirmassem que, tendo eles dormido, vieram alguns discípulos e roubaram o corpo de Jesus.
  • A teoria do desmaio. Outra corrente de pensamento afirma que Jesus não teria realmente morrido. Eles afirmam que Jesus, diante do sofrimento na cruz, teria desmaiado e tido como morto. Depois, sendo colocado no túmulo frio, teria recuperado a consciência e saído do túmulo. Esta afirmação é mesmo um absurdo. Se considerarmos que Jesus, tendo sido examinado pelos vários soldados, fora tido como morto, razão pela qual não quebraram as suas pernas. Como poderia um homem completamente desfalecido emocional e fisicamente,  recuperar a consciência e também as suas forças, mesmo sem nenhum alimento, encontrar forças suficientes para remover a grande pedra que estava fechando a entrada do túmulo? Não há como acreditarmos nessa corrente de pensamento. Teria Jesus, conseguido enganar a todos os seus seguidores, que, mesmo sabendo que Jesus não havia ressuscitado, foram capazes de segui-lo, e até mesmo foram capazes de dar as suas próprias vidas na defesa da sua fé?
  • Teoria espírita. Há ainda, outra corrente, que afirma que Jesus, em suas várias aparições aos seus discípulos, o fez tão somente em espírito e não em forma corpórea. Esta afirmação não pode ser verdadeira, pelos seguintes motivos:
  • a)      Jesus aparece a dois discípulos no caminho de Emaus, conversa com eles, caminha com eles e come com eles. Espírito não come. Espírito não tem necessidades fisiológicas.
  • b)      Jesus aparece aos discípulos reunidos e conversa com eles, mas Tomé não estava presente, e duvidou da palavra dos demais discípulos.
  • c)      Novamente Jesus aparece aos discípulos com a presença de Tomé e manda que este lhe toca nas mãos e no seu lado para constatar os ferimentos. Ora, espírito não tem ferimento. Então, Jesus havia ressuscitado e apareceu em forma corpórea e não apenas em espírito, como afirma essa corrente de pensamento.
  • d)      Por último, Jesus aparece aos discípulos que estavam em pescaria no mar da Galiléia e, ali, pede alguma coisa para comer e come peixe com os discípulos. Como podemos ver, não estava ali apenas o espírito de Jesus, mas também o seu corpo. Afinal, espírito não tem necessidade de alimentação. Como afirmam as escrituras sagradas, Jesus foi visto por mais de quinhentas pessoas. Como ele poderia enganar a todas aquelas pessoas?
COMENTÁRIOS:
Se Jesus não tivesse ressuscitado, a nossa fé não teria nenhum sentido; a nossa fé seria uma farsa; Jesus teria sido um vilão, um enganador; jamais o Salvador do mundo, o Senhor dos Senhores, o Rei dos Reis, o Emanuel, o Deus conosco. Ele não seria Deus e a Bíblia seria um bom livro de histórias, para conhecimentos gerais; ou ainda, de ficção; mas, jamais seria a Palavra de Deus. A Bíblia não seria o nosso alimento espiritual e a sua leitura seria apenas como conhecimento literário. O Apóstolo Paulo na I carta de Co. 15: 14 – 17, afirma: “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação e vã a vossa fé; e somos tidos por falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não ressuscitou, se é certo que os mortos não ressuscitam. Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados”.
  •         Em Lucas 24:6 o anjo disse para as mulheres: “Ele não está aqui, mas ressuscitou”. Se Cristo não ressuscitou, o anjo estaria mentindo? Qual seria o objetivo do anjo mentir?
  •         Pelas muitas provas evidentes da ressurreição de Cristo, podemos afirmar com absoluta certeza que Cristo realmente ressuscitou, subiu ao céu e está assentado a direita do Pai, todo poderoso, de onde há de vir para buscar a sua igreja. Quais são as provas?
    • a)      A sua promessa de que deveria morrer e ao terceiro dia  ressuscitar;
    • b)      O túmulo vazio, que demonstra que ele não estava lá;
    • c)      O lençol que cobriu o corpo de Jesus e o lenço que tinha sido amarrado em sua cabeça estava intactos e vazios;
    • d)      O testemunho dos anjos;
    • e)      As muitas aparições aos discípulos;
    • f)        O testemunho de aproximadamente quinhentas pessoas, que o viram após a sua ressurreição.
São Muitas as provas de que Jesus realmente ressuscitou.
JESUS RESSUSCITOU! VEJAMOS:
  •         Sua palavra em João 14: 18 - 19. “Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros”. “Ainda por um pouco e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis”. A afirmação de Jesus tem valor absoluto. Não há como duvidar da palavra do próprio filho de Deus. Ele afirma neste versículo que está vivo e nos dá a promessa de que nós também viveremos e estaremos com ele.
CONCLUSÃO:
Irmãos, a ressurreição de Cristo é o grande diferencial do cristianismo. Muitos lideres surgiram na história, que revolucionaram o mundo e, arrebanharam muitos seguidores. Vejamos alguns:
  • ·        Siddhartha Gautama, fundador do Budismo, na Índia (563 – 483 aC).
É mais conhecido como Buda. Filho de família nobre. Vivia no Palácio em meio ao luxo. Aos 29 anos de idade abandonou toda a sua fortuna, seu luxo e a oportunidade de se tornar o sucessor do seu Pai. Abandou também sua esposa e filhos, para viver como andarilho, mendigando o pão, em busca da verdade. Buda morreu em 480 aC, aos 80 anos de idade. Seu corpo foi queimado e as cinzas foram repartidas entre os fieis. Buda não ressuscitou.
  • ·        Sun Myung Moon, nascido em 06/01/1920, na Coréia. Fundador da seita: Igreja da Unificação (Moonismo). Foi educado, por seus pais, na Igreja Presbiteriana. Teve algumas experiências pentecostais e depois, segundo ele, teve uma visão onde Jesus teria vindo diretamente a ele e dado uma ordem que precisaria terminar o trabalho de Cristo, que ficara inacabado. Rev. Moon também morreu, foi sepultado; mas, o seu corpo permanece lá. Ele não ressuscitou.
  • ·        Maomé, o criador do Islamismo. Não é uma seita, mas uma religião, que está entre as quatro maiores do mundo. Um árabe, conhecido como Maomé, nascido na cidade de Meca, em 570 aC. Sua proposta seria restaurar a verdadeira religião e levar a humanidade a uma verdadeira adoração a Alá. Maomé também morreu e seus restos mortais continuam lá no sepulcro. Ele também não ressuscitou.
Porém,todos eles morreram, e tudo terminou ali, na sua morte. Nenhum deles disse: “Eu sou a porta”, “Eu sou o caminho”, “Eu sou a verdade”, “Eu sou a vida” “Eu sou o pão da vida”, “Eu sou a água da vida”. Nenhum teve a coragem de dizer: EU SOU. O único que pode dizer isso é Jesus. Jesus é o nosso salvador, é o nosso Senhor, é o caminho que nos leva o Deus, é a porta que nos conduz ao céu. É o nosso refúgio, o nosso abrigo, a nossa solução; e mais, Ele é o dono da nossa vida. Quando Ele foi até o calvário e entregou a sua vida aos malfeitores, adquiriu o direito de posse sobre a nossa vida. Somos propriedades exclusivas de Jesus. Ninguém pode nos arrancar das mãos do Senhor.
 A DÍVIDA ESTÁ QUITADA:
      A morte de Jesus foi a quitação da nossa culpa conquistada com o pecado de Adão. Jesus a pagou, por completo, cravando-a na cruz. Não devemos mais. Não somos mais descendentes de Adão. Com a ressurreição de Cristo, nós nascemos novamente, não mais de Adão, mas de Cristo. Agora somos novas criaturas, nascidos de Cristo, com uma nova natureza; a de Cristo. Por isso não temos mais o direito de viver como antes; mas, devemos buscar uma vida de Santidade. É por isso que o Apóstolo Pedro disse: “Sede santos porque eu sou santo”. Ele estava se referindo a Cristo.
Amados irmãos, hoje é dia de festa! O nosso Deus não está morto! Vamos celebrar este grande feito de Deus. Por que alguns de nós ainda estamos procurando o que vive entre os mortos?  Nós, porém, devemos celebrar ao Deus vivo e verdadeiro! O que venceu a morte e está assentado a Destra do Pai de onde há de vir para buscar a sua igreja.
Aleluia!!!

 
VIA GRITOS DE ALERTA

Nesse Domingo _ Rafael Bitencourt _ _ Ministro de Louvor do Ministério Apascentar






 Estará Ministrando em
nossa Igreja local – Ministério Apascentar de N.I / RJ.


Louve a Deus conosco com as canções.:
Deus do Impossível
Virada
Vencedor
Vitoria da Fé
Venha estar conosco e seja impactado pelo poder da Palavra de
Deus que será Ministrada.


Lhe aguardamos lá,
Fiquem na Paz

A Plenitude de Deus




Efésios 3: 19 - E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.
A Bíblia não aprova vida cristã raquítica. Ao estabelecer o objetivo do discípulo de Cristo, o Apóstolo Paulo escreve: "E conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus" (Efésios 3: 19). Contrariando os ideais de Paulo para os Efésios, muitos cristãos atuais se contentam em "não faltar aos cultos"... E ficam por aí, sem nem se dar conta de que é possível ser curados de sua aventura espiritual. Ao falar de Sua missão, Jesus disse que veio para nos dar "vida com abundância". Já Paulo acrescenta: esta tal de vida abundante é o resultado do crente que se abre para "o amor de Cristo". E ele explica: amor que não é para ser entendido, mas para ser vivido. Crente que começa a amar, à semelhança do Cristo, começa a se encher da "plenitude de Deus". E a se alegrar com a espiritualidade da sua vida aqui na Terra. O Senhor nos quer cheios da "plenitude de Deus". Que, na prática é a plenitude de Cristo, por causa do Seu amor

O QUE SIGNIFICA 5777--"LEI PERFEITA, LEI DA LIBERDADE"

(TG 2:8; 1:25)(ler -2 Co 3:16 a18)."SE CRISTO VOS LIBERTAR SEREIS VERDADEIRAMENTE LIVRES."(JO 8:36)-- Para que...