sábado, 1 de janeiro de 2011

"COSTURARAM" O VÉU DO TEMPLO E COLOCARAM DE VOLTA



Texto Base: E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo (Mc 15.38).

O véu que separava o lugar Santíssimo no Tabernáculo e posteriormente no Templo significava que o homem para falar com Deus necessitava de um intercessor humano. Esse intercessor era o sumo sacerdote, que apenas uma vez por ano podia adentrar ao Santo dos Santos, depois de cumprir todo um ritual de purificação. O povo ficava esperando do lado de fora para depois saber o que Deus tinha falado.

A morte de Jesus no Calvário marcou o fim dessa separação, o véu foi rasgado de alto a baixo não deixando dúvidas que foi o poder e a vontade de Deus que o fez. Tudo isso demonstrando que a partir de então o homem tinha livre acesso ao Pai Celestial. A morte de Jesus também significou o sacrifício perfeito e único. Todo sacrifício que o homem necessitava fazer para ter paz com Deus, foi encerrado na morte de Jesus, conforme escreve o autor da epístola aos Hebreus: Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto ele fez, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre (Hb 7.27-28).

Mas agora estamos vendo em algumas igrejas, principalmente nas neopentecostais os pastores sendo colocados como intercessores entre Deus e os homens. Quer dizer, para que Deus lhe atenda você precisa receber a oração feita pelo bispo tal. Se não for dessa maneira, sua suplica a Deus ficará sem resposta. Deus não responde mais as orações de seus filhos se não houver a intermediação de um pastor, apostolo ou bispo. "Costuraram" o véu do Templo e colocaram de volta. O acesso a Deus está restrito a um pequeno grupo de “queridinhos”. São os novos sumo sacerdotes. Muitos crentes já não oram por cura, seja qual for a doença, porque Deus só atende a oração se for feita por pastores ou bispos.

Este tipo de ensinamento não é feito diretamente, mas as pessoas são induzidas a acreditarem que é dessa maneira que as coisas devem ser, já que são bombardeadas com exemplos de curas e milagres que acontecem quando a oração é feita por um desses "ungidos" do Senhor. Existe até uma "guerra" entre igrejas para saber onde está a oração mais forte, onde está o maior número de curas.

A falta de conhecimento bíblico faz com que um grande número de pessoas fique a mercê desse tipo de prática. Tem pastor dizendo que os membros de sua igreja não precisam sequer jejuar, isso será feito por ele.

O sistema de sacrifícios que havia sido encerrado em Jesus, também voltou a ser praticado. Só que agora não é mais com animais e sim com dinheiro. Os púlpitos foram substituídos por altares, que significa lugar de sacrifício. Já apontando para onde o “fiel” deve levar seu sacrifício. Para provar sua fé a pessoa deve entregar seus bens. Se isso não for feito as bênçãos não acontecerão. Estão apresentando um Deus que só atende pedidos se for feito por líderes da Igreja e se houver pagamento. O Deus misericordioso, amoroso e cheio de graça foi substituido por um deus mercenário, que não atende a quem não paga pelo milagre, e é pagamento adiantado.

O mais estranho é que eles ensinam que o pagamento é uma prova da fé, mas quando o milagre não acontece, dizem que foi por falta de fé. Mas a pessoa já não tinha demonstrado sua fé ao pagar pelo milagre? Como então não teve fé? São contradições que o povo "cegamente" aceita.

Uma criação dessa gente que fez grande sucesso foi o sacrifício de "Isaque", em que o fiel entregava a igreja o seu maior e melhor bem. A grande diferença com o sacrifício da Bíblia, é que Deus devolveu a Abraão o seu Isaque. No sacrifício que eles inventaram o "Isaque" não é devolvido. E ningém questiona.

Enfim, é tudo uma grande manipulação. Essa turma esta brincando com a Palavra de Deus. Se fazem de "doutores" nas Escrituras quando na verdade só à usam para alcançarem seus objetivos, que é "criar" uma geração de cristãos dependentes deles.

E o povo segue todas essas coisas como se estivesse tudo correto, tudo segundo a Bíblia. O povo continua escravizado por falta de conhecimento. Até quando? 

J. DIAS

"COSTURARAM" O VÉU DO TEMPLO E COLOCARAM DE VOLTA



Texto Base: E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo (Mc 15.38).

O véu que separava o lugar Santíssimo no Tabernáculo e posteriormente no Templo significava que o homem para falar com Deus necessitava de um intercessor humano. Esse intercessor era o sumo sacerdote, que apenas uma vez por ano podia adentrar ao Santo dos Santos, depois de cumprir todo um ritual de purificação. O povo ficava esperando do lado de fora para depois saber o que Deus tinha falado.

A morte de Jesus no Calvário marcou o fim dessa separação, o véu foi rasgado de alto a baixo não deixando dúvidas que foi o poder e a vontade de Deus que o fez. Tudo isso demonstrando que a partir de então o homem tinha livre acesso ao Pai Celestial. A morte de Jesus também significou o sacrifício perfeito e único. Todo sacrifício que o homem necessitava fazer para ter paz com Deus, foi encerrado na morte de Jesus, conforme escreve o autor da epístola aos Hebreus: Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto ele fez, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre (Hb 7.27-28).

Mas agora estamos vendo em algumas igrejas, principalmente nas neopentecostais os pastores sendo colocados como intercessores entre Deus e os homens. Quer dizer, para que Deus lhe atenda você precisa receber a oração feita pelo bispo tal. Se não for dessa maneira, sua suplica a Deus ficará sem resposta. Deus não responde mais as orações de seus filhos se não houver a intermediação de um pastor, apostolo ou bispo. "Costuraram" o véu do Templo e colocaram de volta. O acesso a Deus está restrito a um pequeno grupo de “queridinhos”. São os novos sumo sacerdotes. Muitos crentes já não oram por cura, seja qual for a doença, porque Deus só atende a oração se for feita por pastores ou bispos.

Este tipo de ensinamento não é feito diretamente, mas as pessoas são induzidas a acreditarem que é dessa maneira que as coisas devem ser, já que são bombardeadas com exemplos de curas e milagres que acontecem quando a oração é feita por um desses "ungidos" do Senhor. Existe até uma "guerra" entre igrejas para saber onde está a oração mais forte, onde está o maior número de curas.

A falta de conhecimento bíblico faz com que um grande número de pessoas fique a mercê desse tipo de prática. Tem pastor dizendo que os membros de sua igreja não precisam sequer jejuar, isso será feito por ele.

O sistema de sacrifícios que havia sido encerrado em Jesus, também voltou a ser praticado. Só que agora não é mais com animais e sim com dinheiro. Os púlpitos foram substituídos por altares, que significa lugar de sacrifício. Já apontando para onde o “fiel” deve levar seu sacrifício. Para provar sua fé a pessoa deve entregar seus bens. Se isso não for feito as bênçãos não acontecerão. Estão apresentando um Deus que só atende pedidos se for feito por líderes da Igreja e se houver pagamento. O Deus misericordioso, amoroso e cheio de graça foi substituido por um deus mercenário, que não atende a quem não paga pelo milagre, e é pagamento adiantado.

O mais estranho é que eles ensinam que o pagamento é uma prova da fé, mas quando o milagre não acontece, dizem que foi por falta de fé. Mas a pessoa já não tinha demonstrado sua fé ao pagar pelo milagre? Como então não teve fé? São contradições que o povo "cegamente" aceita.

Uma criação dessa gente que fez grande sucesso foi o sacrifício de "Isaque", em que o fiel entregava a igreja o seu maior e melhor bem. A grande diferença com o sacrifício da Bíblia, é que Deus devolveu a Abraão o seu Isaque. No sacrifício que eles inventaram o "Isaque" não é devolvido. E ningém questiona.

Enfim, é tudo uma grande manipulação. Essa turma esta brincando com a Palavra de Deus. Se fazem de "doutores" nas Escrituras quando na verdade só à usam para alcançarem seus objetivos, que é "criar" uma geração de cristãos dependentes deles.

E o povo segue todas essas coisas como se estivesse tudo correto, tudo segundo a Bíblia. O povo continua escravizado por falta de conhecimento. Até quando? 

J. DIAS

ANJOS - HIERARQUIA


 
Algumas passagens da Bíblia Sagrada deixam entender que há uma hierarquia entre os anjos.

Na epístola aos Colossenses a posição hierárquica dos anjos está em ordem decrescente: tronos, soberanias, principados e potestades, enquanto em Efésios a mesma graduação é mencionada em ordem crescente: principados, potestades, poder e domínio. Conclui-se que essas posições hierárquicas de autoridade entre os anjos ocorrem devido às suas diferentes funções exercidas no céu.

GABRIEL
O nome Gabriel no hebraico significa literalmente “homem de Deus, varão de Deus”.

Ele aparece quatro vezes na Bíblia, e sempre em missões específicas (Dn 8.16; 9.21; Lc 1.19; 1.26). No Antigo Testamento, Gabriel aparece apenas no livro de Daniel, como mensageiro celestial para revelar eventos futuros ou escatológicos (Dn 8.19; 9.24-27).

No Novo Testamento, Gabriel ressurge somente na narrativa de Lucas que descreve o nascimento de Jesus. Também como mensageiro angelical que anuncia grandes eventos: o nascimento de João Batista (Lc 1-11-20) e de Jesus (Lc 1.26-38). Também é apresentado como aquele que “assiste diante de Deus” (Lc 1.19), o que evidência sua relação pessoal com o Criador. Destes casos se conclui que Gabriel é o portador das grandes mensagens divinas aos homens. Podemos concluir que na Bíblia Gabriel é o anjo mensageiro.

Não é somente nas Escrituras Sagradas que podemos encontrar referências a este ser celestial. Os manuscritos descobertos nas grutas de Qumrã comprovam o interesse dos essênios por anjos. Gabriel é um dos quatro nomes angelicais escritos nos escudos dos Filhos da Luz enquanto saem para a batalha. Os Targuns introduzem Gabriel nas narrativas bíblicas como aquele que guia José para encontrar-se com seus irmãos (Gn 37.15), que enterra Moisés (Dt 34.6) e destrói o exército de Senaqueribe (2 Cr 32.21).

MIGUEL
O nome Miguel é de origem hebraica e significa literalmente “quem é como Deus, que é semelhante a Deus”.

Ele é mencionado com aquele que se levanta, provavelmente em defesa do povo de Israel. “Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia” (Dn 10.13). Neste mesmo sentido, o versículo 21 fala de “... Miguel, vosso príncipe”.

Miguel, diferentemente dos demais anjos, é descrito no Novo Testamento como um arcanjo, “Miguel o arcanjo” (Jd 9), o vocábulo oriundo do grego Arkhangelos, de arkhoo, “governo, chefe, líder”, angelos, “anjo mensageiro”, e significa “líder ou chefe os anjos”.

Na Bíblia temos o entendimento que há apenas um arcanjo, Miguel. Ele é o único ser citado como arcanjo. Se é o único, talvez venha a ser aquele a falar na segunda vinda de Senhor: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.” (I Ts 4.16). Em Apocalipse 12.7-9 aprendemos mais sobre a capacidade de comandar e guerrear do arcanjo Miguel: “E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele".

QUERUBINS
O vocábulo Kerubiym é a forma plural do hebraico Kerub. Seu correspondente grego é Kheroubin. Não se sabe ao certo se este termo significa uma posição especial ou um serviço exaltado rendido por aqueles que levam este nome.

Aparecem pela primeira vez na entrada do Jardim do Éden, incumbidos de guardar o caminho para a árvore da vida depois que o homem foi expulso do jardim (Gn 3.24). Uma função semelhante foi creditada aos dois querubins dourados, sobre a Arca da aliança, no Santo dos Santos do Tabernáculo no deserto, embora em figuras de ouro, foram postos em cada extremidade do propiciatório (a tampa que cobria a Arca no santíssimo lugar – Ex 25.17-22; Hb 9.5), onde simbolicamente protegiam os objetos guardados na Arca e proviam com suas asas estendidas, um pedestal visível para o trono invisível de Deus (Sl 80.1; 99.1).

Também foram bordados querubins nas cortinas do tabernáculo, bem como estampados nas paredes do Templo (Êx 26.31; 2Cr 3.7).

Profeta do cativeiro babilônico, Ezequiel se refere a esses seres chamando-os pelo seu título dezenove vezes. Os quatro seres viventes mencionados pelo profeta são querubins (Ez 1.5, 13-15; 3.13; 10.14-15).

O principal propósito deles é proclamar e proteger a gloria, a soberania e a santidade de Deus. Severino Pedro nos informa que existe uma característica dupla nesses seres viventes denominados querubins: “Eles são chamados de querubins” e como tais desempenham dupla função, isto é, são guardas celestiais (Gn 3.24), e ao mesmo tempo eles desempenham a função de serafins (os componentes do coro angelical) que clamam dia e noite: “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos: toda terra está cheia da sua glória” (Is 6.1-6; Ap 4.8).

Satanás pertencia a essa classe de seres espirituais conforme implícito no texto de Ezequiel 28.14-16: “Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim guardião, do meio das pedras afogueadas”.

SERAFINS
O termo hebraico Serafiym é a forma plural de Saraf, que significa “abrasadores”.

A única menção a esses seres celestiais nas Escrituras Sagradas localiza-se no livro do profeta Isaías (Is 6.3). São vistos pelo profeta como colocados sobre o trono de Deus, tendo cada um seis asas. Ocupam-se do louvor a Deus.

ANJO DO SENHOR
Um ensino de grande importância, que por sua vez causa muita confusão entre os cristãos, está estritamente relacionado com as aparições de um anjo denominado “Anjo do Senhor”. A maneira pela qual esse anjo é descrito distingue-o de qualquer outro ser criado. Este anjo aparece inúmeras vezes no Antigo Testamento. Vale lembra que a palavra anjo significa simplesmente “mensageiro”. Porém, encontramos várias passagens na Bíblia onde o Anjo do Senhor é chamado de “Deus” ou “Senhor”. Confira em: Gn 22.9-12; 32.20; Êx 3.2-4; Jz 6.21-24; 13.16-22.

O Anjo do Senhor apareceu a Hagar quando esta fugia da casa de Abraão (Gn 16.7-14). Quatro vezes nesta passagem a expressão “Anjo do Senhor” é usada, mas no versículo 13 lemos: “E ela chamou o nome do SENHOR, que com ela falava: Tu és Deus que me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê?” Hagar reconheceu esse “Anjo do Senhor” como o próprio Deus.

Ele aparece a Abraão quando este ia sacrificar seu filho Isaque (Gn 22.11-18). Foi Deus que ordenou a Abraão o sacrifício de seu filho e, quando ele levantou a faca para matá-lo “O anjo do SENHOR lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho.” O “me” refere-se inegavelmente a Deus.

Ele aparece a Moisés na sarça ardente, mas que não se consumia (ex 3.2-5). Nesta passagem, lemos no versículo 2 “Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo no meio de uma sarça...”. No versículo 4 esta mesma pessoa é chamada de “Deus”: “... Deus do meio da sarça, o chamou, e disse: Moisés, Moisés...

Ele se manifestou a Gideão enquanto este malhava o trigo no lagar, ocultando-se dos midianitas (Jz 6.11-23). No versículo 12 lemos sobre o “Anjo do Senhor” aparecendo a Gideão. No versículo 14 é dito: “Então se virou o Senhor para ele e disse: vai nessa tua força...

Em Juízes 13.2-23, temos várias descrições de visitas do “Anjo do Senhor”, “Anjo de Deus” e “homem de Deus” a Manoá e sua mulher. Essas expressões são usadas doze vezes sobre esse alguém, mas no versículo 22, lemos: “Disse Manoá a sua mulher: Certamente morreremos, porque vimos a Deus.”

O livro de 2 Reis 19.35 recapitula como o Anjo do Senhor destruiu em uma Noite 185.000 soldados assírios, quando este exército sitiou Jerusalém.

Analisando essas passagens das Escrituras, uma das principais autoridades sobre história dos judeus, línguas e costumes do Antigo Testamento, Charles L. Feinberg, afirma que o “Anjo do Senhor” é a auto-revelação de Deus. Ele é o Senhor em pessoa, o Anjo do Senhor da história do Antigo Testamento é o Cristo pré-encarnado das muitas teofanias (manifestação de Deus) nos livros do Antigo Testamento.

Não se pode evitar a conclusão de que este Anjo misterioso não é outro senão o Filho de Deus, o Messias, o Salvador do Mundo, Jesus Cristo.

FONTE:
Módulo de Teologia da FTB – Doutrina dos Anjos
Fundamentos da Teologia Pentecostal – Ed Quadrangular

Queremos saber dos amigos leitores sobre qual tema gostariam que fosse publicado algumas materias.

peça pelo link do comentário ou pelo email - ubpes@yahoo.com.br
Caso tenha matérias informativas mande também.
teremos o prazer em publica las.

Pastor Roberto Torrecilhas.

COMO EVITAR O ESFRIAMENTO ESPIRITUAL

* T. A. Hegre
A ciência afirma que existe um princípio segundo o qual todos os processos físicos tendem a tornar-se mais lentos, frios e gradualmente desordenados. Chamam isto a "Segunda lei da termodinâmica".

Ninguém precisa ser cientista para concordar com esta afirmação. Basta apenas observar que não conseguimos mais correr como corríamos antes, não mantemos a mesma medida de entusiasmo que tínhamos antes, e não conseguimos lembrar fatos com a mesma facilidade com que lembrávamos antigamente.

A "segunda lei" acha-se presente em todos os aspectos de nossa vida física. Sabemos que existe uma lei semelhante em operação no plano espiritual. "Se não tomarmos providências para evitar que a nossa vida se deteriore, ela se desintegrará."

Jesus diz a mesma coisa com as seguintes palavras: "Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado." (Mt 25.29).

Um culto que antes era fervoroso tende-se a tornar-se frio e formal. Uma obediência que antes era imediata, começará a retardar até tornar-se desobediência. Um testemunho que antes era sincero, tende a ficar estagnado.

Se nossa vida espiritual for deixada ao acaso, podemos estar certos de que declinará em todos os sentidos. Por esta razão, é necessário que, periodicamente, nós nos examinemos sob a inspiração do Espirito Santo.

Damos a seguir algumas sugestões que podem orientar-nos nessa auto-análise.
Examine a sua conversão
Você tem permitido que sua língua funcione sem vigilância? Antes você era muito cauteloso com a maneira como falava com sua esposa. Evitava ferir os sentimentos dela. Mas nos últimos dias, está falando a primeira coisa que lhe vem à cabeça, sem se importar se suas palavras vão magoá-la ou não.

Você tem reagido violentamente contra as palavras de outras pessoas? Tem dado respostas prontas e meio ásperas, quando alguém diz algo a seu respeito que não é muito lisonjeiro? Como têm sido suas palavras quando alguém o interrompe em meio à descrição de um projeto ou de um programa que você aprecia?

É impressionante como as pessoas têm um grande cuidado na escolha das palavras quando se encontram num local de trabalho, ou quando estão conversando com alguém que conhecem pouco. Se pudéssemos ouvi-las quando chegam em casa e se acham com seus queridos, iríamos indagar o que causou tal mudança.

Entre estranhos, sempre dizemos: "eu gostaria de sugerir..." mas em casa: "ponha logo esse jantar na mesa, estou com muita pressa". No escritório, dizemos: "poderia trazer-me um cafezinho, por favor?" Mas em casa: "ei, saia da frente, assim não posso ver o noticiário." Esse descuido na conversação certamente vai refletir-se num esfriamento espiritual.
Examine seu arrependimento
Um dos profetas do passado disse certa vez o seguinte: "Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes..." (Jl 2.13). E essa ordem foi bem compreendida pelo povo de seu tempo. Naquele tempo, rasgar as roupas era um modo muito comum de uma pessoa mostrar que se achava profundamente triste, preocupada ou aflita.

Infelizmente, segundo a opinião do profeta, havia muita rasgação de roupas, mas pouco arrependimento. Havia muita atuação simbólica, mas as atitudes que ela representava não existiam realmente. Recentemente, uma pessoa chamou nossa atenção para um exemplo clássico dessa superficialidade.

Ela contou que um de nossos presidentes, após fazer um apelo público aos americanos para que dedicassem determinado dia à oração e meditação, passou esse dia num campo de golfe. Mas examinemos a nós mesmos. Somos nós que precisamos efetuar essa auto-avaliação. A pergunta a ser feita é a seguinte: "existe algum pecado em minha vida, no presente, do qual ainda não me arrependi?"
Examine seu crescimento espiritual
A melhor maneira de avaliarmos nosso compromisso espiritual é fazendo um retrospecto. Então, o certo é efetuarmos uma auto-análise de vez em quando, para sabermos se estamos crescendo.

Em geral, sentimos que nossa vida é constituída de etapas. Na esfera espiritual, a primeira dessas etapas seguiu-se à nossa experiência de arrependimento e recebimento de Cristo como Senhor e Salvador. Mas certamente, essa não deve ser a última fase do desenvolvimento espiritual. Então chegou um momento em que desejamos outras bênçãos além do perdão dos pecados.

Sabíamos que precisávamos de uma pureza interior que ainda não havíamos experimentado. Além disso, necessitávamos de maior entusiasmo em nosso esforço de ganhar outros para Cristo. E foi assim que provavelmente subimos para outro degrau e recebemos a Cristo como nosso santificador, que nos batizou com seu Espírito Santo.

Mas o problema começa quando nos deixamos ficar num desses degraus, e não seguimos em frente. Você está crescendo ou está parado?
Examine seu estudo da Bíblia
Muitas pessoas, às vezes, vêm ao altar após um culto, e revelam uma carência espiritual, mas não sabem definir com clareza o que está errado. Então eu lhes pergunto: você tem lido a Bíblia como antes? E, de modo geral, a resposta é a seguinte: para ser sincero, devo confessar que não.

Uma senhora muito que fora missionária na Coréia durante cinqüenta anos, visitou certa ocasião um seminário. O diretor da instituição notou que muitos dos seus colegas iam aconselhar-se com ela, e saiam dali radiantes. Então, ele também foi falar com ela.

Mal a porta se fechara, ela lhe perguntou diretamente: com que freqüência o senhor está lendo a Bíblia? Pego de surpresa, ele respondeu: ora, eu sou diretor deste seminário! Entenda uma coisa, disse ela. Não foi isso que eu perguntei. O que quero saber é com que freqüência o senhor está lendo a Bíblia para a edificação de sua alma.

Meio envergonhado, ele confessou que raramente lia as Escrituras com este objetivo. O descuido da verdade, com toda a certeza, nos leva a esfriar. E negligenciar o estudo da Bíblia é descuidar da verdade.
Examine sua comunhão com os irmãos
Existe muita coisa por aí que consideramos comunhão e que realmente não é. É muito fácil estarmos em companhia de pessoas, sem realmente termos comunhão com elas. É possível uma pessoa ir à igreja, ouvir a mensagem e os cânticos, e sair dali sem ter tido um minuto de comunhão.

É também possível termos um calendário cheio de atividades sociais, e uma vida vazia de comunhão. A comunhão cristã é um encontro de corações e mentes em torno de questões que são partilhadas de modo peculiar pelos cristãos.

Como seres humanos, temos muitas coisas em comum com outros cristãos - e somente com outros cristãos. Uma delas é nosso amor por Jesus, e também nossa gratidão pelo perdão e pela vida eterna.

Nós nos interessamos pela condição da humanidade perdida. Temos aquele desejo de que Cristo seja reverenciado aos olhos dos outros. Temos experiência dos dons de Deus e sua graça. Temos testemunhos de vitória sobre as tentações.

Conversas sobre a conduta dos filhos, os últimos resultados dos jogos de futebol,  ou a crise mundial que se aproxima não constituem uma verdadeira comunhão cristã. Podemos debater esse tipo de assunto com qualquer. Mas não são o terreno comum no qual os cristãos se acham unidos.

Portanto, é possível um crente falar o dia inteiro sobre diversos assuntos e ao final sair dali sem o menor sentimento de edificação. Não fomos edificados, porque estivemos cultivando amizade e não comunhão.

Examine o que tem lido ultimamente
Conta-se que William Parker, o grande pregador, muito cedo na vida tomou a decisão de ler somente aquilo que pudesse capacitá-lo a pregar e ensinar a Palavra de Deus. Ele não apenas lia muito, mas selecionava o que lia. Infelizmente, muitos, nem selecionam.

Raramente conseguem lembrar qual foi a última vez que leram alguma coisa de valor ou de grande importância. E, no entanto, os bons livros podem transformar vidas! Bacon afirmava que "ler torna o homem mais completo". E a poetiza Elizabeth Browing disse: "os livros são homens de grande estatura."  O que você tem lido ultimamente?
Examine suas ligações de dependência
Um dos mais importantes princípios para um viver cristão vitorioso é o da crescente dependência. Isso significa que toda vez que recebermos uma orientação do Senhor devemos esperar que ela seja singular.

Nem sempre Deus nos dá a mesma orientação. Com Moisés, por exemplo, uma vez ele mandou bater na rocha. Mais tarde ordenou que falasse a ela. Assim também é conosco. Mas é possível que estejamos cultivando certas dependências falsas, que drenam toda a nossa energia espiritual.

1. Talvez estejamos confinados em nossa atual posição com relação à nossa segurança econômica, em vez de confiarmos em Cristo.
2. E para o caso de perdermos o emprego, estamos confiados em nossas próprias habilidades, em vez de no Senhor.
3. Podemos estar sentindo segurança em nossa conta bancária.
4. Podemos estar confiados no governo federal.
5. E para nosso crescimento espiritual, podemos estar demasiadamente confiados num bom amigo crente.
6. E para o serviço cristão no futuro, podemos estar confiados em nosso talento, ao invés de nos apoiarmos em Cristo e nos seus dons divinos.
7. E nas decisões básicas da vida, podemos estar mais confiados em nossas intuições e palpites do que na orientação do Espírito.

Todas estas coisas são fundamentos falsos. Estão tomando o lugar de Deus.
 Examine seus "espinhos"
Quando o povo de Israel tomou a terra de Canaã, o Senhor lhes disse que, se não destruíssem os cananitas, eles se tornariam como espinhos "em suas ilhargas", a fim de levá-los a buscar a Deus.

É importante que reconheçamos quando um espinho nos está irritando, e reajamos à pontada dele com uma atitude de arrependimento. Muitos crentes não percebem os espinhos que permanecem em sua vida como resultado de uma consagração incompleta. A tendência deles é atribuir aquela dificuldade a Satanás ou a alguma causa natural.

Talvez a sua dor se manifeste em inquietação... e enquanto isso, o espinho é pecado não confessado, ou uma relutância em encarar o  pecado e em reconhecê-lo como tal.

Talvez a dor seja cansaço... e o espinho, o fato de não querer pedir perdão, ou uma atitude de rebelião contra certas circunstâncias que Deus permite em sua vida.

Talvez a dor seja nervosismo... e a razão dela, o fato de você não querer abandonar um mau hábito, como o de permitir-se acessos de raiva, ou deixar-se mergulhar em autopiedade.

Temos de reconhecer a existência desse espinho e tomar a providência que se fizer necessária, pela natureza dele.

Pode ser que logo que começou a ler este artigo, você tenha sentido que está esfriando espiritualmente, mas relutando em examinar sua vida, por recear ficar deprimido. Mas a auto-análise não tem por objetivo ser um fim em si mesma. Ela é apenas o primeiro passo, no sentido de se obter o perdão, e uma nova condição para receber a graça.

Se você resolver encarar todas as coisas que o estão puxando para  baixo, confessá-las a Deus, e resolver modificar-se, ele o perdoará imediatamente e o restaurará. "E estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão." (2 Co 10.6)
E Ele fará ainda mais: colocará diante de nós outra porta aberta para a obediência, para que possamos, seguindo em frente, obter uma paz maior, um poder maior e um maior progresso espiritual. 

* T. A. Hegre - Pastor e fundador da Missão Evangélica Betânia dos Estados Unidos.

Como vaso nas mãos do oleiro



1 A palavra do SENHOR, que veio a Jeremias, dizendo:
2 Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
3 E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas,
4 Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.
5 Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
6 Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.
7 No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir,
8 Se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também eu me arrependerei do mal que pensava fazer-lhe.
Jr. 18:1 – 8

Era um costume no Antigo Testamento Deus falar ao seu povo e até aos reis de outras nações através de seus profetas. Somos privilegiados, porque na nossa geração Deus continua a falar e a sua palavra é acessível a todos nós (Bíblia).

O texto nos fala, sobre a soberania transformadora de Deus no homem . No texto Deus compara seu povo a um vaso , o vaso na cultura oriental é muito mais um utensílio de trabalho, do que uma peça ornamental decorativa, aliás, vasos de decoração têm pouca utilidade.

Às vezes ousamos responder positivamente a pergunta que Deus faz no v.6 , é bom lembrarmos, que no v.4 “o vaso se quebra” e em todo processo em que há quebra dói, e dói no vaso, mas o Senhor nos apresenta um processo de transformação menos dolorido.

Um processo em que não há necessidade de quebra e esse outro processo é o caminho da obediência e conversão (vs.7,8).

E é desse processo que eu gostaria de falar aos irmãos, a partir desse texto Deus nos propõe uma transformação sem dor.

Essa transformação de Deus em nossas vidas irá marcar as características do reino de Deus na terra, isso segundo o que Jesus disse aos fariseus quando perguntado como viria o reino de Deus, o Senhor respondeu: “O reino de Deus está entre vós.” ( Lc. 17:21) e isso é uma grande responsabilidade da igreja, exteriorizar o reino de Deus.

Em ll Co. 5:20 Paulo diz: “De sorte que somos como embaixadores da parte de Cristo.”Agora vejamos ofício de embaixador não como “status”,mesmo porque estamos falando do reino de Deus, e posições e status não são valorizados no reino e, é por isso, que privilégio no reino é ser servo,vejamos o ofício de um embaixador como responsabilidade de um representante de um país em terra estrangeira.

Temos representado bem o reino de Deus aqui na Terra?

É impossível andarmos com Cristo e não acontecerem mudanças perceptíveis á todos ll Co. 5:17 “Assim que, se alguém está em Cristo nova criatura é...” somos novas criaturas, não fariseus melhorados.

Um bom exemplo de transformação está no texto Lc. 9:51-56 Jesus desejou ir a Jerusalém, e mandou mensageiros a um aldeia de samaritanos para que lhe fosse preparada pousada, mas os samaritanos não os receberam – Tiago e João (filhos do trovão) disseram: “Senhor queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma como Elias também o fez?” Jesus o repreendeu dizendo: “Não sabeis de que espírito sois?” At. 8 João vai para Samaria pastorear os samaritanos, depois de andar com Cristo, houve uma grande transformação em João de filho do trovão para discípulo do amor. E é essa ação transformadora que o oleiro deseja fazer conosco, sem precisar quebrar, transformar através do relacionamento, de andar junto.

A religião muda a roupa, o cristianismo transforma o coração.

Só não passa pelo processo de transformação máquinas e não somos máquinas ou robôs que só obedecem a comandos humanos do tipo “olha para o lado e diz isso” ou “diga pro seu irmão aquilo”.

Não somos robôs, somos corpo, organismo vivo passivo de transformações determinadas pelo cabeça que é Cristo. – Isso é a igreja, igreja não é uma instituição com CNPJ e uma placa na entrada,a igreja somos nós.

E o grande agente transformador da igreja (que sou eu e você) é o Espírito Santo – l Co. 6:19 diz que esse espírito habita em nós, Ele não é um hóspede que entra no domingo e sai na segunda e entra de novo e sai, esse processo entra sai de espírito é espiritismo não cristianismo.

O oleiro deseja transformar-nos através da obediência e conversão – temos o auxílio do Seu Santo Espírito, podemos evitar a quebra.

Mas se só através de quebra é que aprendemos, Ele o fará! Mas os processos transformadores de Deus não visam destruir e sim corrigir.

Somos vasos do Senhor hoje, instrumentos de trabalho (é isso que o vaso é), e como vasos do Senhor vivemos e temos valores elevados diferente do mundo, não devemos nos contentar com coisas perecíveis desse mundo, Deus nos preparou algo muito melhor e eterno.

A proposta de um cristianismo que só aumenta as estatísticas do IBGE e não transforma é falsa.Cl. 1:22: “Devemos nos apresentar a Cristo, como santos, irrepreensíveis e sem culpa.”


Se não for assim, desça a casa do oleiro e ele vos transformará.




Pb. Francisco de Aquino

Ano novo,velha luta!



O apóstolo Paulo não deu aos gregos o fabuloso saber que tanto buscavam também não se engajou na busca frenética por sinais e maravilhas dos judeus místicos. Os dois extremos são perigosos e não podem ser à base da nossa fé.
Sinto com pesar os que hoje desejam dar ao Evangelho uma característica mais atraente, facilitando-o para que possa ser recebido sem vínculo de compromisso pelo homem pós-moderno. Há um grande perigo em todo esse processo evangelístico relativo. Diferente de trazer ao homem de hoje uma mensagem comunicada de maneira atual (que até é válida), é tentar apresentar o Evangelho verdadeiro casado com filosofias e tendências que agradam ao homem sem Deus. Não necessitamos de “novidades espirituais” ou de “novas espiritualidades”, como defendem alguns apregoadores do “mercado” evangélico.
A diferença do Evangelho sempre foi o impacto confrontante de sua mensagem. Nunca houve por parte dos apóstolos intenção de mostrarem alguma relação entre o Evangelho da Cruz e qualquer misticismo, filosofia ou conceito humanista.
Desejo para esse novo ano que se inicia uma espiritualidade que não mude depois do ano que vem. Que tenha referências bíblicas seguras. Que seja descanso para a alma. Quero viver experiências novas com Deus que me transformem em um ser humano melhor, não quero ser moldado a cada nova tendência dos pregadores da mídia, com novidades fresquinhas a cada novo dia, que são persuasivos, mas trazem um conteúdo pouco ortodoxo, e porque não dizer herético. Enquanto Paulo se indignou com a idolatria de Atenas, alguns pregadores atuais se encantariam com a diversidade da cultura grega.
Um ano novo que precisará dos velhos apologistas, para que possamos seguir juntos o velho caminho “Jesus”. Nenhum ano será novo se continuarmos a cometer os erros do velho.

Pb. Francisco de Aquino, membro da Igreja “O Brasil para Cristo” Kemel – Poá e professor do Instituto Bíblico O Brasil para Cristo (I.B.B.C.) em Suzano e Poá.

Notícias » Brasil » Brasil Idoso é preso suspeito de abusar sexualmente da filha

Um homem com 61 anos foi preso nesta sexta-feira por policiais do 33° Batalhão da Polícia Militar(PM), em Angra dos Reis, Região dos Lagos, suspeito de abusar sexualmente da própria filha de 9 anos.
De acordo com a polícia, a menina fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Angra. O laudo sairá em 30 dias.
Ainda segundo a PM, a esposa denunciou o marido após saber da própria filha sobre os abusos praticados pelo pai. O caso está na 166ª Delegacia de Polícia (DP).

por O DIA on line

Alguns alertas vermelhos



O Brasil é bipolar. Dilma herda um país com muitas desigualdades: metade da população não tem rede de esgoto, a educação continua de baixa qualidade, segundo dados recentes do PISA - o programa internacional que avalia sistemas educacionais - e os impostos estão entre os mais altos do mundo. Por isso, no discurso de vitória, a 31 de Outubro, ela reiterou que essas seriam as prioridades do Governo. Este Brasil pujante foi estrutu- rado sem se utilizarem todas as boas práticas de gestão pública. Rousseff herda erros que terá de corrigir e problemas que, a prazo, podem desequilibrar o sucesso brasileiro, como o peso da máquina pública. Lula aparelhou o Estado com uma nova classe social: a do sindicalista, conforme dava conta uma reportagem da revista Isto É em meados deste ano. Vícios entranhados.
Depois, há reformas estruturais necessárias para sustentar o crescimento do país. Espera-se que o objectivo da política económica regresse à austeridade fiscal, sustentada na redução de despesas admi- nistrativas. Outro grande desafio para a nova presidente é promover a competitividade do produto brasileiro no mercado internacional que tem vindo a ser prejudicada por causa da valorização da moeda brasi-leira. E o Brasil precisa, ainda, de qualificar a mão de obra para responder às exigências de competitividade de uma economia que está a sair do modelo agrícola e industrial para uma economia de serviços.
Entretanto, o PAC é ainda um tímido programa de desenvolvimento. E o país precisa modernizar a infra-estrutura para assegurar o ritmo acelerado e responder às necessidades dos grandes eventos desportivos dos próximos anos. Os aeroportos brasileiros, por exemplo, estão sobrelotados. As vias rodoviárias que unem o país ou são precárias ou inexistentes.
Dilma herda ainda as armadilhas do elevado gasto público e a necessidade de redução das taxas de juro, bem como os velhos vícios da política brasileira. Lula pouco ou nada fez para melhorar os padrões de relação entre o poder executivo e o Congresso Nacional, hoje, significativamente fragmentado, criando estabilidade. É com ele que Rousseff vai ter de dialogar para poder dar continuidade ao legado Lula. Sem desiludir.

 

Pelo menos 15 supostos rebeldes islamitas morreram neste sábado (1º) em três ataques de aviões teleguiados americanos no noroeste do Paquistão, segundo funcionários da segurança local.

France Presse

Mísseis matam 15 no Paquistão

Pelo menos 15 supostos rebeldes islamitas morreram neste sábado (1º) em três ataques de aviões teleguiados americanos no noroeste do Paquistão, segundo funcionários da segurança local.
O primeiro, de madrugada, aconteceu em Mandi Jel, 25 km ao norte de Miranshah, capital do Waziristão Norte, e deixou sete mortos.
A cidade de Mandi Jel e seus arredores são considerados feudo da rede islamita Haqqani, ligada à rede terrorista da al-Qaeda.
O grupo havia se reunido para retirar os feridos e os corpos quando foi surpreendido por um segundo ataque de um avião não tripulado americano, que matou mais quatro militantes.
Um terceiro ataque, realizado mais tarde contra um veículo que circulava em Datta Jel, a 20 km a oeste de Miranshah, matou outros quatro rebeldes.
Foram lançados dois mísseis contra o automóvel, matando outros quatro.

Companheira de cela de Dilma diz que chora há três dias


Presidente Dilma Rousseff se emocionou ao discursar no Palácio do Planalto. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra Companheira de cela da presidente Dilma Rousseff no presídio Tiradentes, em São Paulo, a ex-guerrilheira Ieda Akselrud de Seixas, que acompanha, neste sábado, a posse da primeira presidente do Brasil, disse estar muito emocionada e sente como se todos aqueles que lutaram e morreram nos anos de chumbo também tivessem chegado ao poder neste 1º de janeiro.
Com lágrimas nos olhos quando ouviu Dilma homenagear, em discurso, aqueles que tombaram durante a ditadura militar, Ieda resumiu: "eu estou sentindo que, de uma certa forma, é como se fossem aqueles que lutaram contra a ditadura que estivessem subindo a rampa. A minha felicidade é muito grande. Faz três dias que não paro de chorar. É muito bom que a primeira mulher a ser presidente seja também uma mulher combatente".
Ao ficar frente a frente com a nova presidente, a ex-colega de cela afirma que dará um recado à nova chefe da nação: "Mineirão (um dos apelidos de Dilma), você chegou aqui, hein?"
Durante os anos 60, em meio à ditadura militar brasileira, Dilma foi militante de esquerda e guerrilhou contra o regime vigente, sendo perseguida politicamente, presa e torturada.
Redação Terra
Dilma se emociona em discurso durante cerimônia de posse, em Brasília Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
Laryssa Borges  Direto de Brasília
 

Após posse, Alckmin vai a Brasília cumprimentar Dilma

'
Com a presença de Fernando Henrique Cardoso e José Serra (PSDB), Alckmin fez um discurso enaltecendo o ex-presidente: FHC mudou o País. O governador .... Foto: Nelson Antoine/Foto Arena/Especial para Terra


Após tomar posse em São Paulo, neste sábado, o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), viaja a Brasília para cumprimentar Dilma Rousseff (PT), que será empossada presidente do Brasil hoje. O tucano deve deixar a capital paulista às 16h30.
O voo partirá do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, e tem previsão de chegada em Brasília às 18h10, segundo informações da assessoria do Palácio dos Bandeirantes.
Em seu discurso durante a posse, Alckmin prometeu trabalhar pelo desenvolvimento de São Paulo e do Brasil. "Trabalharei pelo desenvolvimento de São Paulo da única forma que os paulistas admitem, que é a de, ao mesmo tempo, trabalhar pelo desenvolvimento do Brasil".
Alckmin relembrou sua trajetória pela política e falou sobre a Estado de São Paulo. "São Paulo assombra pela variedade da sua riqueza, pela dimensão da sua economia, pela sua população: 41 milhões e 500 mil habitantes".
Terra Alckmin faz discurso na cerimônia de posse Foto: Nelson Antoine/Foto Arena/Especial para Terra
Simone Sartori Direto de São Paulo

‘Estava pronto para sair’, afirma Alencar sobre posse

Lucas Frasão/G1
Em entrevista a jornalistas no quarto que ocupa no décimo primeiro andar do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, o vice-presidente José Alencar disse que, se dependesse dele, iria à posse da presidente Dilma Rousseff, em Brasília, neste sábado (1º).
“Sei que estou em condições (de ir para a posse). Só que há algo que poderia acontecer”, afirmou. De terno e gravata, sorridente e com a voz fraca, Alencar disse que a opinião da esposa pesou na decisão de não viajar à capital federal.  “Hoje, minha mulher falou que eu não poderia contrariar os médicos.”
O vice -presidente afirmou considerar a entrevista uma espécie de substituto da posse. “Estava pronto para sair”, disse, apesar de não estar em condições de caminhar. O mineiro de 79 anos afirmou que, se dependesse dele, iria a Brasília mesmo de cadeira de rodas.
Depois de passar a faixa para a Dilma em Brasília, o presidente Lula deverá visitar Alencar ainda hoje no hospital.
Lucas Frasão

No Tocantins, Gaguim passa faixa de governador a cinegrafista Governador eleito recebeu faixa não-oficial por criança no púlpito. Irritado, Gaguim abandonou cerimônia de posse criticando sucessor.

O governador de Tocantins, Carlos Gaguim (PMDB), entregou a faixa do governo do estado a um cinegrafista da TV Anhanguera, afiliada da TV Globo, depois de uma confusão na cerimônia de transmissão do cargo a seu sucessor, Siqueira Campos (PSDB), neste sábado (1º).
O problema começou devido ao local onde seria feita a entrega da faixa. Gaguim queria passá-la em uma área fechada do palácio do governo, mais distante do público. Siqueira Campos, no entanto, ficou aguardando no púlpito, em frente ao público, a chegada de Gaguim.

Depois de algum tempo, uma criança ligada a uma fundação estadual entregou ao governador eleito uma faixa não oficial. Irritado com a cena, Gaguim então caminhou em direção ao cinegrafista da TV Anhanguera, passou a faixa a ele e foi embora.

Siqueira assume o governo do Tocantins pela quarta vez nos 22 anos de existência do estado. Ele foi o autor da emenda de criação do estado e, em 1988, tornou-se o primeiro governador. Depois voltou ao cargo entre 1995 e, reeleito, cumpriu mandato até 2002.

Do G1, em Brasília, com informações da TV Anhanguera

Até onde a religião e a cultura se misturam com a intolerância?


Uma mulher de Cartum, capital do Sudão, foi punida por 53 chibatadas em praça pública por cometer o crime de usar calça, de acordo com código penal islâmico. Um vídeo de dois minutos postado no Youtube mostra a mulher em desespero, aos berros, sendo açoitada por policiais rindo. Pelo menos uma das vergadas acerta o seu rosto. Um policial afirma que, se ela não se sentasse para receber o castigo, poderia ficar presa por dois anos. O Sudão é o maior país da África.



Nas leis de países totalitários governados sob o radicalismo religioso, coisas desse tipo ocorrem todos os dias. Nós, no Ocidente, ficamos chocados com tamanha atrocidade. E ainda vemos “pastores” deixando o cristianismo para seguir uma religião tal intolerante e radical.

Lá, transgrediu a lei, a punição é severa. Não há misericórdia. Só que nós cometemos coisas piores diariamente. Nosso delito não tão simplório como o motivo do crime acima. Nossos erros estão no nosso falar, no nosso agir, no nosso modo segregador de tratar as pessoas.

Para tal, como transgressores cruéis, merecíamos, sim, a devida punição. Éramos dignos de sofrer as devidas admoestações por causa de nossos pecados. Graças a Deus que houve Alguém que sofreu tudo isso, levou todas as dores e desgraças e tem intercedido por nós, transgressores.

Quanto à mulher do Sudão, fiquei pensando no que Jesus faria estando entre aqueles que a judiaram (como fez com a mulher adúltera). Se é para punir, por que não castigam os corruptos, os pedófilos, os estupradores, os terroristas, os psicopatas? Ou melhor: se é para punir, por que eles não olham para si e analisam se estão ou não cometendo crimes – interiores e espirituais – piores do que a vítima?

Enfim. Isto é o que se intitula “ser humano”. Isto é a criação detratora que há de se julgada pelo próprio Deus. Esta é a sociedade. Divisória. Incontinente. Cruel. Banal. E nós, cristãos, o que temos feito para mudá-la ou, ao menos, salvar os mortais humanos do fogo (Jd 23)?

Muitos aceitam a Cristo, mas quantos seguem os Seus ensinamentos?



Não é difícil, em nosso mundo, fazer uma pessoa se interessar pela mensagem do Evangelho. O que é terrivelmente difícil é fazê-la conservar o interesse. Milhões de pessoas, em nossa cultura, se decidem por Cristo, mas a taxa de desgaste é enorme. Muitos proclamam que nasceram de novo, mas as evidências de um discipulado cristão maduro são muito pequenas.

Em nosso tipo de cultura, qualquer coisa (até notícias sobre Deus) pode ser vendida se tiver sido empacotado recentemente, mas, quando perder a novidade, torna-se um montão de lixo. Existe um grande mercado de experiência religiosa em nosso mundo; mas, existe pouco entusiasmo e paciência para a aquisição de virtudes e pouca inclinação para o aprendizado longo do que gerações antigas de cristãos chamavam "santidade".

O que tem movido os nossos corações a Cristo? A curiosidade? O fato de muitas pessoas estarem tomando o mesmo rumo? As ofertas de prosperidade, lucro fácil, riquezas e notoriedade? O que nos motiva a ir constantemente às reuniões e passar ali um tempo cantando, orando e ouvindo um sermão?

Jesus orientou seus discípulos a sair e pregar o Evangelho. Disse que aqueles que viessem a crer seriam salvos. O apóstolo Paulo disse que os que creem e passam a viver uma nova vida em Cristo são completamente transformados. Terá isso acontecido, realmente, conosco? Cremos, verdadeiramente, na Palavra de Deus? E a partir do momento que cremos, fomos transformados? Deixamos o mundo para trás? Somos, sem dúvidas, novas criaturas?

O Senhor Jesus não é uma mercadoria que compramos, como os presentes de Natal, que recebemos, usamos e, talvez, joguemos fora logo. Ele é a maior bênção que uma pessoa pode ter. Ele deve ser guardado no coração e vivido, por fé por toda a nossa existência.

Com Jesus no coração, a única coisa que podemos ainda buscar, para uma completa felicidade, é uma vida de virtudes e santidade, de obediência e submissão. Só assim seremos verdadeiros cristãos, só assim o Natal deixará de ser uma data comercial, só assim a nossa alegria será perfeita.

EMO não, Cristão sim!

(I Tessalonicenses 5:23) – E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.
Pena que uma parte de nossa juventude não lê essa passagem, o que está valendo agora é “Deus quer somente o meu coração”.
Mal sabem que quando a Palavra de Deus fala sobre coração, está falando da parte mais importante do ser humano, a divisão entre a alma e o espírito, e não do músculo que bombeia o sangue para as artérias…
Essa tal moda “EMO”, esta tentando entrar em nossas Igrejas por nossos jovens e adolescentes, vamos ver de onde deriva esta moda:
A versão mais aceita como real é a de que o nome foi criado por publicações alternativas como o fanzine Maximum RocknRoll e a revista de Skate Thrasher para descrever a nova geração de bandas de “hardcore emocional” que aparecia no meio dos anos 80, encabeçada por bandas da gravadora Dischord de Washington DC, como as já citadas Embrace e Rites of Spring, além de Gray Matter, Dag Nasty e Fire Party.
É importante lembrar que nenhuma destas bandas jamais aceitou ou se auto-definiu através deste rótulo. A palavra “Emo” é vista como uma piada ou algo pejorativo e artificial.
Sabemos que somos templo do Espírito Santo, e se Deus habita realmente em nossas vidas, não podemos nos contaminar com essas modas mundanas e demoniacas usadas por PUNKS, GAYS, METALEIROS E AFINS…
A Palavra diz, santifique em tudo, precisamos orar muito por nossas juventude e que Deus tenha misericórdia dela, pois as setas do inimigo são fortes…
Pais que este alerta sirva de orientação para todos, fiquem de olho nas amizades, roupas, estilos de músicas, ensinem o caminho correto para seus filhos pela Palavra…
(I Tessalonicenses 5:22) – Abstende-vos de toda a aparência do mal.
Que Deus Abençoe a todos!





por Zeriky de Souza articulista do Gospel Prime

A moda EMO e sua influência gospe - DEUS NOS LIVRE DESSE MAU.


A moda atual é ser EMO, além de ser algo que poucos conseguem entender, eles estão se infiltrando nas igrejas evangélicas de maneira bem sutil, para quem não sabe até banda EMO Gospel já existe…
E você… sabia que existe até manual com dicas para ser emo e como se comportar? Alias neste ‘manual de sobrevivencia’ você percebe claramente que eles na verdade pensam e sentem em relação a sociedade e seu comportamento pode influenciar a muitos…
Portanto cuidado, pois nossas crianças e adolescentes podem ser vitimas desta maquinação diabólica…
Dicas para ser um emo!!!
01- Nunca admita que você é emo, por que os emos que admitem ser emos são considerados posers de emo, que é pior que ser emo ( se é que existe coisa pior ).
02- Use roupas de velhos e de crianças de cinco anos de idade, misture camisas polos, com listras, coletes, suéter.Essas coisas fora de moda. ( E olha que os emos falam que estão na moda )
03- Use óculos mesmo que você não precise deles, de preferência estilo soldador.
04- Sempre reclame do sistema e nunca faça nada pra ele melhorar, apenas reclame.
05- Mesmo estando feliz, se mostre triste para todo mundo ficar com pena de você.
06- Não olhe ninguém nos olhos, dê uma de cachorro com fome.
07- Ao ver uma briga na rua, faça um escândalo e depois comece a chorar e falar sobre a violência no mundo ( isso fará você ganhar afagos e carícias ).
08- Chore por uma mosca ter pousado no seu ombro.
09- Uso roupas do sexo oposto.
10- Pinte o cabelo de cores estranhas.
11- Pague pau, um emo sem pagar pau não é emo.
12- Se perguntarem se você é emo, diga que é HC, essa é a desculpa de todos emos.
13- Corra atrás dos mais populares, na esperança de você virar um deles.
14- Tire fotos com poses descontraídas, fotos sem sentido, e em preto e branco.As coloridas são tiradas pelos posers de emo.
15- Comece a se interessar pelos anos 50, 60 e 70, apesar de você nem ter pensado em existir nessa época.
16- Mude o nick do seu MSN e Orkut regularmente.
17- Coloque prefixos antes do nick ou nome como Srta, Srto, Dona, Dono, Lady, Sr, Seu, Mister, etc…
18- Use cintos cheios de enfeites de metal.
19- De uma de criança, e relembre todas as suas brincadeiras, recordando-as em fotos e postando em seus respectivos flogs.
20- Convide quem você não é muito próximo pra comentar no seu flog.
21- Se você for do sexo feminino, ponha algo do tipo no seu profile do Orkut: Não sou produto, não to a venda, não me rotule, não me use, não me empreste, etc…
22- Se faça de coitado(a) e diga todos seus defeitos e problemas no seu profile.
23- Não coma carne, você tem pena dos pobres animaizinhos.
24- Chegamos ao número emo.
25- Use lacinhos.
26- Use allstar rabiscado. ( se for quadriculado melhor ainda )
27- Curta rock britânico. estilo the libertines.
28- Tire fotos com a boca torta e cara de pensativo.
29- Não esqueça dos piercings.
30- Nas festas vá a caráter emo e dance reggae e funk. ( não ligue pro que os outros vão dizer)
31- Use um estilo dark pra fazer concorrência com metal.
32- Use maquiagem exagerada seja homem ou mulher.
33- Se você for menina, chame a sua melhor amiga de marida.
34- Use bótons e mais bótons.
35- Ao sair com outros emos, de risada de tudo e tente se achar o dono(a) da situação.
36- Em festas de 15 anos, vá de allstar, terno e maquiagem. ( vai ficar lindo e todos os emos vão querer você )
37- Diga que é contra o imperialismo americano mas use e abuse de música/marcas/logos estadunidenses.
38- Seja viciado em The OC.
39- Tenha webcam mas nunca convide ninguém nem aceite convites. ( aliás você não deve aceitar nada descente )
40- Dê uma de maníaco depressivo sem ter depressão.
41- Mexa com pessoas na rua. ( é um ótimo exercício )
42- Fale mal de todo mundo pelas costas. ( seja amigo ou não. )
43- Use Franjas gigantes, cortes de cabelo emo e se ache com eles.
44- Vá cortar cabelo no estagiário do Senac.
45- Cultue seu All Star.
46- Ouça Blink 182 e Good Charlotte. ( bandas extremamente “batutas” na sua gíria. )
47- Em tempos de aula, use seu uniforme como roupa normal.
48- Tenha um mal gosto da *****.
49- Se adicione no MSN e use nicks bem coloridos.
50- Saia cantarolando “fresno” pela rua.
51- Dê uma de intelectual sem mesmo saber quanto é 2 + 2. ( não se esqueça dos óculos de solda )
52- Fale abobrinhas sem exitar.
53- Faça um escândalo por qualquer coisa.
54- Se revolte com tudo que você não gosta e chore por causa disso.
55- Tire fotos com cara de triste.
56- Use alargador na orelha. ( enquanto não passar um cabo de vassoura não é o suficiente. )
57- Assista programas infatis como Barney e Telletubies com os amigos(as) e ria pra valer.
58- Leia Capricho.
59- Se você for menina se ache uma garota malvada.
60- Não esqueça que você sempre está certo(a).
61- Substitua todos os seus CD’s por discos de vinil. ( qualidade vem em segundo lugar. )
62- No MSN dê risadas estranhas e loucas e use gírias próprias,
63- Ignore todos que não são emos.
64- Você sempre é a vítima.
65- Infeste locais públicos e faça deles seu point.
66- Vire escravo do que você chama de moda.
67- Faça tudo para apareer ou para os outros notarem sua presença. ( isso inclui auto- humilhação e choro. )
68- Seja um(a) maria vai com as outras. ( acima de tudo isso. )
69- Já mencionei chorar por qualquer coisa?
70- Compre roupas no brechó mais porco da sua cidade.
71- Tente parecer um nerd.
72- Use desenho de caveiras enfeitadas. ( se forem rosas melhor ainda. )
73- No seu quarto tenha sempre posters de bandas HC/Emo.
74- Fofoque.
75- Evite ter relações sexuais com pessoas do sexo oposto.
76- Evite pensar. ( além de consumir seu cérebro fede. )
77- Seja fútil e superficial.
78- Se você tiver namorada(o) e ela o dispensar corra pro primeiro macho que você encontrar na rua. ( vai ser divertido. )
79- Se humilhe por bobagens. ( como chicletes ou ainda por um beijo de um amigo. )
80- Beijar pessoas do mesmo sexo é fundamental e sadio.
81- Não mostre empolgação, é “cafona”.
82- Afaste-se de todos os seus amigos, você tem novos amigos emos agora e só pode andar com eles.
83- Não se assuste se você apanhar por qualquer motivo.Mesmo que ele não exista.
84- Fique feliz se te jogarem em uma lixeira. ( afinal, você já fede mesmo. )
85- Goste de bonecas mesmo que você seja homem e tenha dezoito anos.
86- Nunca use violência contra ninguém, apanhe e agradeça por isso.
87- Use ofensas como: bobo, feio, cara de mamão, etc…
88- Acredite em Papai Noel e coisas do tipo.
89- Tenha medo de palhaços. ( afinal, eles são felizes. )
90- Sinta-se incompreendido(a). ( estamos carecas de saber o que você pensa e é, mas mesmo
assim sinta-se dessa forma. )
91- Tente corrigir todos com o que você acha que é certo. ( todos são burros perto de você. )
92- Não pratique esportes. ( você pode suar. E seu esporte nato é a vadiagem.)
93- Tenha como hobbie o tricô, crochê, pqp, etc…
94- Faça poses extremamente inúteis e bizarras.
95- A beleza é a única coisa que importa. ( mesmo você sendo ridículo. )
96- Deprede patrimônios públicos.
97- Nunca seja você mesmo(a). ( siga a moda e o que te deixe mais popular. )
98- Nunca esteja satisfeito(a) com o que tem. ( explore seus pais ao limite. )
99- Deixe de lado tudo que você gosta. ( agora você é emo. )
100- Relembrando o primeiro e o mais importante passo. NUNCA, NUNCA, NUNCA Admita que você é emo! Nunca!
Abaixo uma pesquisa com uma lista de bandas e músicas Emo gospel:
Run kud run
Jars of clay
Underoath[metal core emo]
Stellar kart
Eleventyseven
Nome das musicas:
*Jesus Love you
*Me and Jesus
*Livin on a Player
* Recliva (HP7)
O smusicos de qualquer estilo podem louvar a Deus , desde que não tentem levar os jovens das igrejas a viverem mentiras dos infernos.



By Desfrutando da Graça

Músicos americanos usam sua influência para alavancar ações sociais ao redor do mundo.

Ícones da música como Michael W.Smith, Amy Grant e Petra, nos anos 1980 seguiram a mesma linha de trabalho de Bono Vox, do U2, associando-se à luta pela justiça social.

Músicos, inclusive os cristãos, nem sempre são admirados por suas atitudes fora dos palcos. Entre as críticas mais frequentes, fala-se do estrelismo, da vaidade e da insensibilidade social que caracteriza a vida de muitos desses artistas – mas um grupo cada vez maior de cantores e compositores evangélicos norte-americanos têm contrariado o estereótipo e feito de sua fama a alavanca para ajudar a mudar a vida de muita gente. Eles seguem o exemplo de George Beverly Shea, conhecido por ser responsável pelas canções nas cruzadas do evangelista Billy Graham, que costumava cantar para arrecadar fundos para a missão Samaritan's Purse (“Bolsa do Samaritano”). Mais recentemente, ícones da música como Michael W.Smith, Amy Grant e Petra, que nos anos 1980 seguiram a mesma linha de trabalho de Bono Vox (foto), do U2, associando-se à luta pela justiça social. Por causa das parcerias firmadas com esses artistas, mais de um milhão de crianças recebem hoje apoio de entidades como a Compassion Internacional e da Visão Mundial. Só em 2008, artistas do segmento musical cristão foram responsáveis por 48% do suporte financeiro desses grupos. É a fama a serviço do bem.

Entretanto, esses músicos estão indo além da mera parceria à distância: eles se envolvem diretamente com as atividades de ajuda humanitária, levando seus admiradores junto. Os artistas têm se posicionado na linha de frente da luta contra a pobreza, o tráfico de pessoas, o combate à epidemia de Aids e outras mazelas oriundas da miséria. As atividades sociais lideradas por músicos sofreram uma mudança radical em dezembro de 2002, quando Bono viajou Nashville, nos Estados Unidos, em sua turnê pela conscientização dos problemas ligados à Aids. Durante a temporada, ele organizou o Nashville Summit, onde encontrou-se com cantores e bandas para estimulá-los a fazer algo. O vocalista irlandês fez uma enfática defesa do envolvimento da categoria na luta contra o HIV e no suporte às pessoas que sofrem com o vírus, principalmente na África.

A partir daí, artistas como Seven Curtis Chapman, Twila Paris, Imperials, Sara Groves, Jars of Clay e Third Day entraram de cabeça. Alguns fizeram bem mais do que apenas divulgar as causas; viajaram em missões para visitar e ajudar as crianças apoiadas por seus trabalhos. Outros criaram até organizações de assistência que carregassem a mesma visão. Tanto engajamento é sinal de maturidade espiritual, afirma o presidente da Associação de Música Gospel, John Styll: “O Evangelho nos leva a sair em direção aos necessitados e ajudá-los”, pontifica. O envolvimento com a pobreza nos países em desenvolvimento estava começando a influenciar até mesmo as composições. Seguindo a liderança de Bono, outros astros compuseram e gravaram canções denunciando a injustiça e pedindo paz. Muitas letras tinham também fortes relações com passagens bíblicas e críticas ao contraste entre a opulência do estilo de vida materialista e a proposta do Evangelho.

Palcos para o Reino
Scott Moreau, professor de missões no Wheaton College, entende que há boas razões pelas quais os cristãos deveriam se alegrar com o trabalho destes artistas. “Eles têm usado seus palcos de forma apropriada para o Reino de Deus. Estão mergulhados nessa visão, e isso é algo que nenhum missiólogo pode negar”, destaca. Moreau afirma que eles têm sido sábios ao evitar o campo minado das missões de curto prazo, que podem criar uma dependência desnecessária, além de prejudicar as iniciativas de trabalho local. De fato, alcançar sustentabilidade é alvo importante nas causas humanitárias. Steven Garber, diretor do Washington Institute for Faith, Vocation and Culture, tem trabalhado em parceria com alguns artistas, inclusive Bono e a banda Jars of Clay. Para ele, a crença em Deus é o maior e mais forte motivo que conduz as pessoas a tais ações. “Existem consequências da fé, o que faz com que um cristão tenha razões suficientes para ir ao encontro do próximo”, justifica. “A ligação entre a música e as causas humanitárias tem sido aprimorada e otimizada”, faz coro Mark Allan Powell, autor da Enciclopédia de música cristã.

O líder e vocalista do Jars of Clay, Dan Haseltine, esteve no encontro de Nashville com Bono. “Ele trouxe um ‘algo a mais’ ao envolvimento da comunidade nas causas sociais”, confirma Dan. “A única forma de se engajar verdadeiramente nessa causa é estabelecer relações profundas com os que sofrem”, enfatiza o artista. Foi o que fez a cantora Sara Groves. Depois de ouvir uma série de relatos sobre as atrocidades do genocídio que dizimou boa parte da população de Ruanda nos anos 1990, ela foi pessoalmente conferir as condições de vida atuais daquele povo. “Foi transformador”, lembra. “Há uma diferença brutal entre caridade e justiça. Eu estava agindo movida pela caridade, aquela coisa de ‘vou ajudar a África’. Mas Deus verdadeiramente quebrantou meu coração. Ele me mostrou a realidade da injustiça”, afirma.

Depois do encontro em Nashville, Sara começou a pensar no que poderia fazer pelo país e seu povo. Em parceria com a ONG Food for the Hungry (“Comida para famintos”), a cantora organizou a turnê Art, Music and Justice, durante a qual recrutou aproximadamente 700 patrocinadores para apoiar projetos sociais em Ruanda, uma das mais pobres nações africanas. O resultado foram diversas ações educativas, médicas e profissionalizantes levadas a cabo pela agência humanitária na área rural de Gisanga. “As canções de Sara contam a bela história de Deus de uma forma incrível”, elogia Elisabeth Jones, diretora artística de Food for the Hungry e líder da equipe humanitária no país. “Suas músicas conduzem os ouvintes às histórias de Deus em sua promoção de justiça.”.

“Compaixão chama compaixão”
Esse crescente envolvimento entre os músicos cristãos acontece justamente no meio de uma crise no mercado fonográfico. As vendas do setor têm caído assustadoramente no Estados Unidos, panorama que se repetiu em sete dos últimos oito anos. Isso, em parte, deve-se ao aumento da ilegalidade na transmissão e apropriação de arquivos digitais de música. Muitos artistas têm procurado superar a crise estabelecendo uma controlada rede de acesso às suas músicas na internet, atuando de forma mais direta junto aos ouvintes. Isso beneficia, de alguma forma, os músicos envolvidos em causas humanitárias. É que o público acaba envolvido pelo discurso do seu cantor preferido. Música, missão e mensagem convergem de tal forma que impacta os ouvintes e os impulsiona à ação.

Depois da visita a Ruanda, a paixão de Sara Groves por justiça social tornou-se ainda maior quando conheceu Terrify no More, trabalho de assistência aos explorados sexuais no Cambodja realizado pela Missão Internacional pela Justiça (IJM, na sigla em inglês). “Quando o trabalho se torna impactante, as palavras são dispensáveis”, comenta. “Criatividade chama criatividade. Compaixão chama compaixão. Somos chamados a sermos pessoas misericordiosas e compassivas. É meu trabalho compor canções nessa jornada”, assume.

É também na África que os integrantes do Jars of Clay fazem de sua música instrumento para levar a água da vida aos sedentos – na linguagem figurada, referindo-se à verdade de Jesus, e também na prática. Em Torbi, vila isolada do deserto do Quênia, o povo turkana tem lutado ao longo dos séculos contra a escassez do precioso líquido, captado e armazenado com técnicas rudimentares. Nos últimos anos, contudo, as populações da região têm contado com um sistema mais eficiente, que afastou o fantasma da sede. Ali e em muitas outras localidades, a missão Blood: Water Mission revolucionou o modo de vida de quase uma centena de tribos nômades e seminômades do nordeste africano.

O trabalho da missão começou em 2001, durante uma visita do líder do Jars of Clay, Dan Haseltine, ao Malauí. O roqueiro ficou com um aperto na garganta quando viu moradores das vilas locais bebendo água suja de depósitos abandonados. Quando voltou aos Estados Unidos, lançou aos companheiros a ideia de criar a Blood: Water Mission. O nome vem daquilo que Haseltine define como as duas maiores necessidades na África: sangue e água purificados. Doenças transmitidas por água contaminada, como cólera e disenteria, afetam milhões de africanos e matam mais gente do que qualquer outra causa, incluindo a Aids, no continente.

Desde então, Haseltine já viajou cinco vezes à África, incluindo uma visita com toda a banda, para que conhecessem os lugares por eles assistidos. O objetivo da missão é providenciar água potável para que possam beber, além de um sistema de saneamento básico. Contudo, eles também trabalham em parceria com outras agências em ações preventivas à disseminação da Aids e na promoção de educação. No último ano, a fundação teve uma entrada de US$ 7 milhões e um gasto de US$ 5,8 milhões, movimento devidamente auditado. A organização também está envolvida com outros trabalhos, como o Lifewater International (“Água da vida internacional”), a fim de equipar a comunidade local para que possam construir seus próprios reservatórios de sistema de água e saneamento. “Essas parcerias fortalecem as comunidades locais”, afirma o diretor-executivo Jena Lee Nardella.

O recurso de captação que a Blood: Water Mission providenciou na região tem trazido água para todas as comunidades atendidas. “As consequências têm sido maravilhosas”, entusiasma-se o cantor. “É maravilhoso ouvir as histórias de pessoas que não mais estariam aqui, se não fosse a água que agora está à disposição delas”. O músico diz que sentiu como se Deus é que o conduzisse para aquele lugar. Haseltine reluta em descrever a entidade como uma organização cristã, embora sua equipe seja composta basicamente por crentes. “O Evangelho nos impulsiona ao trabalho, independente de carregarmos ou não a bandeira religiosa nas costas”, argumenta.

Legitimidade

Steven Curtis Chapman é muito conhecido pelos fãs em todo o mundo graças ao seu trabalho musical. Mas nos últimos anos seu ativismo social tem chamado tanto a atenção quanto seu talento. Não satisfeito em adotar três crianças chinesas – a primeira das quais, Shaohannah, foi trazida em 2000 –, ele e sua mulher, Mary Beth, quiseram fazer algo mais. O curioso é que o casal já tinha três filhos naturais adolescentes, e por causa das intensas atividades do músico, Beth ficava boa parte do tempo sozinha com eles. Por causa do seu estilo de vida e idade – ambos estavam com quase 40 anos –, pensar em adoção era algo praticamente impossível. No entanto, os filhos do casal, principalmente Emily, costumavam deixar bilhetes nos seus travesseiros, dizendo: “Por favor, ouçam o que Deus está falando a vocês”.

Steven e Beth adotaram então mais duas meninas chinesas, Stevey Joy, em 2003, e Maria Sue, em 2004. O irmão dela e o de Steven também adotaram, cada um, duas crianças chinesas. Muitos de seus amigos fizeram o mesmo. Então, os Chapman começaram a se aventurar no apoio a fundações de suporte à adoção, através da Bethany Christian Services, agência especializada no assunto com a qual trabalhavam, na tentativa de conseguir auxílio para pessoas que não conseguiam arcar com os altos custos do processo internacional – em alguns casos, de 45 mil dólares. Mas a agência não pôde dar esse tipo de assistência. Ambos resolveram, por isso, começar uma própria fundação. Dois anos depois eles fundaram a Shaonhannah Hope, que ajuda famílias cristãs interessadas em adotar crianças órfãs ou abandonadas.

Desde 2003, o ministério, que agora se chama Show Hope, ajudou mais de 2 mil famílias, investindo mais de US$ 6 milhões – boa parte deles oriundos de doações do casal fundador. “Auxiliamos apenas com o necessário para que os interessados em adotar possam dar continuidade ao processo”, explica Beth, que ocupa a presidência da instituição, tendo o marido como vice. As crianças vêm da China, Etiópia, Guatemala, Rússia e até dos próprios EUA. Entre os beneficiados pelo Show Hope estão Dan e Jori Susanka, de Jakopee, Minnesota. Através da captação de recursos de alguns outros lugares, somados ao auxílio da Show Hope, eles adotaram Emily Ruth Yeye, na China, em 2005. Jori, uma grande admiradora de Steven, não lhe poupa elogios pelo que faz: “É maravilhoso ver que o coração de Steven está no mesmo lugar que suas canções. Eles realmente investem nos lugares sobre os quais cantam. Não apenas falam sobre adoção, mas vivem-na.”

Em maio do ano passado, Maria Sue morreu tragicamente, atropelada pelo irmão na calçada em frente à casa da família. “Nós sentimos muita falta de Maria”, diz Beth. “Mas sabemos que Deus tem feito muitas coisas através do que nos aconteceu. Muitas pessoas têm sido transformadas e tocadas pela história dela”. Em julho passado, toda a família Chapman foi à China para a inauguração da Maria’s Big House, um abrigo para crianças. Durante a viagem, visitaram a província de Sichuan, afetada por um terremoto devastador que, em maio de 2008, matou mais de 70 mil pessoas e deixou 5 milhões desabrigados. “Por causa da morte de Maria, estávamos mais preparados para confortar os enlutados”, emociona-se o músico.

Fonte: Cristianismo Hoje

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...