sábado, 13 de novembro de 2010

Lula e Dilma visitam Alencar em hospital de São Paulo

 

Dilma e Lula visitaram o vice-presidente no Sírio-Libanês após viagem à Coreia do Sul. Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República/Divulgação Dilma e Lula visitaram o vice-presidente no Sírio-Libanês após viagem à Coreia do Sul
Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República/Divulgação.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado da presidente eleita, Dilma Rousseff, visitou na manhã deste sábado o vice-presidente, José Alencar, que está internado desde o último dia 25 no Hospital Sírio-Libanês, na região central da cidade. Alencar sofreu um infarto agudo do miocárdio, há dois dias.
Eles chegaram juntos ao local de helicóptero por volta das 9h25, e a visita durou cerca de meia hora. Nenhum deles falou com os jornalistas que mantêm plantão na porta do hospital e saíram separados. Lula usou o helicóptero e Dilma saiu em um automóvel.
Lula e Dilma chegaram hoje de manhã de uma viagem à Coreia do Sul, onde participaram da reunião do G20.
Segundo o boletim médico, Alencar foi transferido para a Unidade Coronária (Semi-Intensiva) na noite de sexta-feira e seu quadro segue estável. Ele continuará o tratamento do tumor intestinal no hospital.
Alencar recebe tratamento a base de quimioterapia no combate a um câncer na região abdominal. No ultimo dia 25, ele voltou a ser internado em razão de sequelas da doença que provocaram uma suboclusão intestinal.

Obama comemora libertação de "heroína" Suu Kyi em Mianmar

Aung San Suu Kyi acena para seguidores após ser libertada da prisão domiciliar. Foto: AFP Aung San Suu Kyi acena para seguidores após ser libertada da prisão domiciliar
Foto: AFP
O presidente americano Barack Obama comemorou neste sábado a libertação da opositora birmanesa Aung San Suu Kyi, a quem chamou de sua "heroína", ao mesmo tempo em que pediu ao regime militar no poder, em Yangun, a deixar livres todos os prisioneiros políticos. Obama está no Japão para a reunião de cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec).
"Enquanto o regime birmanês chegou a níveis extraordinários para isolar e silenciar Aung San Suu Kyi, ela prosseguiu com sua valente luta pela democracia, a paz e a mudança na Birmânia", disse Obama, em comunicado.
"É minha heroína e fonte de inspiração para todos nós que trabalhamos em prol do avanço dos direitos humanos ns Birmânia e no restante do mundo", disse. "É hora de o regime birmanês liberar todos os prisioneiros políticos", acrescentou.
Símbolo da luta pela democracia na Birmânia, ou Mianmar (nome dado ao país pela junta militar que o governa), Suu Kyi foi libertada neste sábado após mais de sete anos consecutivos de prisão domiciliar.
A "Dama de Yangun", Prêmio Nobel da Paz, odiada pelo general Than Shwe, à frente do governo militar, estava presa desde 2003. Ela passou 15 dos últimos 21 anos encarcerada, detida em diferentes ocasiões.
AFP

Projeto que criminaliza opinião contrária à prática do homossexualismo voltará a ser discutido no Senado

Projeto que criminaliza opinião contrária à prática do homossexualismo voltará a ser discutido no Senado Bem próximo ao feriado do Carnaval, com diversos Senadores ainda em viagem de férias, foi colocado em pauta a votação do Projeto de Lei (PLC) 122/2006 na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, sob a direção do Senador Cristovam Buarque. Qualquer pessoa pode telefonar gratuitamente para o Senado e expressar sua opinião sobre o projeto. O telefone é 0800-612211. Muitos cristãos estão ligando para pedir aos senadores uma posição a respeito. Segundo líderes cristãos contrários ao projeto, a aprovação deste PLC implica em "discriminar e criminalizar todos os que não concordam com a filosofia do movimento politicamente organizado pró-homossexualismo". Eles argumentam que este movimento social considera homofóbico, inclusive, o apoio aos que voluntariamente desejam deixar a atração pelo mesmo sexo e promete não só calar como colocar na cadeia todos os que tiverem opinião contrária. Nota oficial do Senado Federal, divulgada 4/2 às 14h11m, conta o que aconteceu: "A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) da Câmara dos Deputados realizará audiência pública para discutir o projeto de lei que define os crimes resultantes de preconceito em razão de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero (PLC 122/06). Três requerimentos com essa finalidade, de autoria dos senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ), Magno Malta (PR-ES) e Arthur Virgílio (PSDB-AM), foram aprovados nesta quinta-feira (4), pela comissão. "O presidente da CDH, senador Cristovam Buarque (PDT-DF), defendeu a realização de mais de uma audiência para discutir o assunto. A relatora da matéria, senadora Fátima Cleide (PT-RO), lembrou que já havia sido apresentado requerimento à comissão para realizar o debate, que não aconteceu antes do recesso parlamentar. "O senador Magno Malta (PR-ES), ao justificar o requerimento, disse que a matéria foi aprovada de "maneira sorrateira" na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), como item extra pauta, antes que o tema fosse amplamente discutido. Para ele, o projeto deve ser discutido com todos os segmentos da sociedade. O senador defendeu ainda a realização de campanhas informativas e educativas, em nível nacional, para que haja respeito a todos os seres humanos. "Também o senador Gerson Camata (PMDB-ES) defendeu amplo debate do tema. Ele ressaltou que o projeto possui artigos que podem dar margem a interpretações equivocadas, como, por exemplo, aceitação da pedofilia. "Camata também observou que, caso a lei estivesse em vigor quando o Papa Dom Bento XVI visitou o Brasil, o pontífice seria preso ao afirmar, em uma homilia, não ser natural casamento entre pessoas do mesmo sexo."

Psicóloga punida vai continuar trabalho de apoio a homossexuais que voluntariamente decidem deixar a prática e recorrem à terapia

O advogado da psicóloga Rozangela Alves Justino, punida nesta sexta (31/7) pelo Conselho Federal de Psicologia (foi condenada à censura pública) por oferecer terapia para ajudar pessoas que desejam sair do homossexualismo, disse que vai recorrer na Justiça Federal contra a decisão, que manteve condenação anterior do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro. Segundo o advogado Paulo Fernando, a decisão “fere a liberdade de expressão, fere a liberdade científica e, principalmente, ofende aquelas pessoas que voluntariamente desejam praticar determinados atos. O resultado foi de uma flagrante injustiça e vamos argui-lo”. Rozangela, por sua vez, que apareceu na entrevista coletiva após a decisão, ainda no CFP, com óculos escuros e máscara do tipo cirúrgica, por temer represálias se fosse reconhecida nas ruas, afirmou que vai continuar seu trabalho de apoio a homossexuais que voluntariamente decidem deixar a prática e recorrem à terapia. “Com certeza, vou continuar. Vejo que as pessoas têm direito de procurar esse apoio. É a pessoa que define o quer dentro da psicoterapia. Não sinto vergonha e nunca sentirei de acolher pessoas que querem deixar voluntariamente o estado de homossexualidade. Estão me submetendo a uma mordaça. Mas quero dizer às pessoas que estão em estado de sofrimento psíquico e desejam deixar a homossexualidade que procurem profissionais nas suas cidades”, disse a psicóloga aos jornalistas, ainda em Brasília, logo após a decisão. O advogado de Rozangela disse ainda, na entrevista coletiva, que o trabalho de Rozangela iria até aumentar: “Nesses 28 anos, ela não teve nenhum paciente que reclamasse do tratamento que recebeu. Devido a essa notoriedade, acredito que vai ter fila na porta do seu consultório de tanta gente querendo ser atendida". Em resposta à resolução do CFP que afirma, desde 22 de março de 1999, que a homossexualidade “não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”, a psicóloga citou uma publicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) que traz a definição de transtorno de identidade sexual. "A homossexualidade pode ser primária ou secundária a outros transtornos”, comentou Rozangela. Enquanto aguardava a decisão, Rozangela já afirmava em seu blog a certeza de estar amparada pela oração e apoio efetivo da Igreja: “Ainda nos encontramos na sala de espera do CFP e estou me sentindo muito bem acompanhada pessoal e tecnicamente por diversos advogados, e pelo pastor Rodrigo da igreja Bola de Neve-DF, além da assessoria do deputado Paes de Lira. Deus colocou diversos advogados e amigos ao meu redor. Milhares de pessoas em todo o Brasil oram por mim e em tudo vejo a mão de DEUS. Embora o site da ABRACEH esteja fora do ar porque milhares de pessoas entraram para participar do abaixo-assinado, as pessoas continuam enviando seus nomes, profissão e número do documento. Não sabemos qual será o desdobramento disso, razão pela qual os advogados me disseram que o abaixo-assinado deve continuar. Paz e todo o bem. Rozangela”. A ABRACEH é uma rede de apoio cidadão que realiza trabalhos preventivos através da ação sócio-educacional-espiritual junto a pessoas que sofrem por terem desenvolvido qualquer transtorno e a sobreviventes da violência estrutural/doméstica/social, priorizando as crianças e os adolescentes em situação de risco social, especialmente aqueles vitimados pelo abuso e exploração sexual. O enunciado do abaixo-assinado, para quem deseja reproduzir e passar aos membros de sua igreja, ou mesmo entre amigos e familiares, é o seguinte: ABAIXO-ASSINADO Considerando os termos dos Arts. 3º, IV; 4º, II; e 5º, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, que nos assegura o direito de: a) PENSAR (liberdade de consciência); b) EXPOR NOSSAS IDÉIAS (liberdade de expressão, intelectual e científica); c) ASSOCIAR PARA APOIAR OS QUE QUEREM SER APOIADOS (liberdade de atuar e/ou fornecer informações à sociedade). É que abaixo assinamos em apoio à psicóloga Rozangela Alves Justino, CRP 05/4917, para que continue a incluir em seu atendimento profissional, também as pessoas que voluntariamente desejam deixar a atração pelo mesmo sexo e a realizar trabalhos preventivos, de forma a garantir este direito humano e constitucional. A psicóloga Rozangela Alves Justino prometeu e vem cumprindo o seu juramento quando da colação de grau que por meio do seu exercício profissional contribuiria para o desenvolvimento da Psicologia como ciência e profissão na direção das demandas da sociedade, promovendo saúde e qualidade de vida a cada sujeito e a todos os cidadãos e instituições cumprindo todos os princípios fundamentais e artigos que envolvem a sua responsabilidade segundo o seu Código de Ética Profissional. (A orientação é que seja feita uma tabela para a lista de assinaturas com NOME / PROFISSÃO / DOCUMENTO, quantas linhas couberem numa folha. No Word em forma de paisagem cabem 25 assinaturas. Após a coleta das assinaturas, deve ser enviado para a CAIXA POSTAL 106.075, Niterói, RJ, CEP 24230-970) Um dos que assinou o manifesto foi o jornalista e pastor metodista, Luciano Pereira Vergara, que declarou: “Manifesto meu total apoio à Psicóloga Rozangela Justino, pessoa de meu conhecimento pessoal, cujos trabalhos tenho acompanhado há vários anos e pelo meio dos quais ela tem cumprido com honradez e competência, fazendo de sua habilidade profissional um instrumento de amor e resgate que torna o exercício de sua função um modo eficaz no propósito de ajudar a quem dela se socorre a se realizar como pessoa e ser social. Feliz a categoria que tem em suas fileiras profissionais da estirpe, seres humanos sensíveis, como a minha amiga Dra. Rozangela Justino”. * Com informações da Agência Brasil. Foto: Valter Campanato/ABr

Novo relatório do IBGE sobre batizados, casamentos e funerais

Novo relatório do IBGE sobre batizados, casamentos e funeraisAqueles líderes que têm seu foco de atividade na questão da família e do relacionamento conjugal vão ter muito que ler e refletir nesse feriadão de 15 de novembro. Além da Bíblia, como é de costume, terão um documento de 181 páginas que acabou de ser disponibilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) contendo dados e comentários sobre os registros de nascimentos, informações sobre óbitos, casamentos, divórcios e separações no ano de 2009 no Brasil e em comparação com anos anteriores. As informações e conclusões integram a pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 12/11, “Estatísticas do Registro Civil”, e refletem a totalidade dos registros declarados pelas varas de família, foros e varas cíveis. O relatório traz informações e análises sobre temas relevantes para qualquer pessoa, mas, especialmente, para líderes religiosos cristãos: a vida no seu início e no final, o casamento e o divórcio. Basta lembrar que o templo é o lugar onde majoritariamente acontecem os batizados, funerais e cerimônias de laços matrimoniais.

Assim, dentre tantos dados, temos, no capítulo “Conceitos e definições”, há algumas explicações úteis para líderes que ainda não dominam o que diz a legislação brasileira sobre casamento religioso com efeito civil (veja citação mais adiante). Na análise sobre casamento, ao explicar um leve crescimento no número de casamentos registrados é dito que um dos motivos é a oferta de casamentos coletivos, fruto de parcerias com igrejas. “Os casamentos coletivos tiveram como atrativo a redução dos custos, em função de serem, em geral, decorrentes de parcerias estabelecidas entre Igrejas, cartórios e prefeituras, resolvendo, em parte, problemas relacionados com disponibilidade financeira dos indivíduos e famílias envolvidas”, dizem os pesquisadores.

Algumas informações se destacam na análise dos especialistas. (1) Continua elevado o número de mortes violentas (homicídios, acidentes de trânsito, suicídios etc) entre jovens e adultos do sexo masculino em todo o território nacional; (2) As mulheres estão casando e tendo filhos em faixas etárias mais adiantadas; (3) Consequência da anterior, aumentou o número de casamentos em que o homem é bem mais jovem que a mulher; (4) Os casamentos em que um dos cônjuges é divorciado ou viúvo passaram de 10,6% em 1999 para 17,6% em 2009. (5) As separações se mantiveram estáveis entre 2008 e 2009, enquanto as taxas de divórcios diminuíram 0,1%; (6) Aumentou o percentual de divórcios de casais sem filhos (de 25,6% para 37,9% do total de divórcios) e com filhos maiores (de 12,0% para 24,4%), enquanto os divórcios de casais com filhos menores caíram de 43,1% para 31,4%, após a instituição do divórcio por via administrativa em 2007. (7) Apesar da guarda materna dos filhos ainda ser majoritária (87,6% em 2009), os divórcios com guarda compartilhada aumentaram de 2,7% em 2004 para 4,7% em 2009.

Faça o download da íntegra do relatório “Estatísticas do Registro Civil”, do IBGE (PDF, 11,6 MB).

Raquel Mello ganha seu primeiro disco de ouro das mãos de Silas Malafaia


Raquel Mello ganha seu primeiro disco de ouro das mãos de Silas Malafaia A cantora gospel Raquel Mello recebeu o primeiro disco de ouro de sua carreira. E quem entregou para a cantora este marco em seu ministério foi o Pr. Silas Malafaia.
Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online A entrega foi realizada durante um culto na igreja Assembléia de Deus Vitória em Cristo, na Penha (RJ) no dia 11 de novembro. O prêmio foi dado à Raquel após alcançar as mais de 52 mil cópias vendidas do CD “Sinais de Deus”.
“Foi uma surpresa linda. Eu sabia que havia ganhado, mas não que receberia hoje. É um sonho realizado por Deus. Estou superfeliz, pois é uma promessa do Senhor cumprida em minha vida. Agradeço ainda pelo privilégio de recebê-lo das mãos do pastor Silas”, declarou Raquel Mello.
Segundo a cantora, o sucesso deste CD foi profetizado por Silas Malafaia, durante um congresso em Camboriu (SC). “Ele usou o pastor Silas para anunciar que esse trabalho iria fazer diferença e inaugurar uma nova etapa em meu ministério”, lembrou a cantora.

Marcelo Aguiar prepara novo CD


Marcelo Aguiar prepara novo CD O cantor gospel Marcelo Aguiar está preparando seu novo CD, que será lançado pela Sony Music. Para a elaboração do projeto, Marcelo convidou Esdras Gallo, Clovis Pinho, Minduca e o produtor Reinaldo Barriga. O time está selecionando o repertório do CD.
Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online Reinaldo Barriga tem há muito anos uma parceria com o cantor, produzindo seus álbuns. Clovis Pinho ministra junto de Marcelo no Renascer Praise e manifestou sua satisfação em trabalhar também no álbum solo do cantor, considerando este trabalho como algo para o Reino de Deus.
Marcelo está muito feliz ao ver o retorno de seu trabalho através de seu perfil oficial no Twitter. É também pelo Twitter que o cantor tem mantido os fãs atualizados da preparação do CD. “Deus nos deu letras maravilhosas, agradeço à Ele pelos louvores e o amor dEle que é incondicional!!”, disse Marcelo recentemente. Para conferir as atualizações de Marcelo através do Twitter, acesse: http://twitter.com/marceloaguiar12.
Veja também o site ofifical de Marcelo Aguiar: www.marceloaguiar.com.br

Como evangelizar pessoas secularizadas?




por Luis André Bruneto.
Para encontrar meios eficazes de evangelismo de pessoas secularizadas é necessário conhecê-las.Uma pessoa secularizada é primeiramente uma pessoa sem conhecimento acerca das verdades cristãs e busca uma solução para seus problemas imediatos. A pessoa secularizada é mais consciente das dúvidas do que da culpa e possui uma imagem negativa da igreja.
A pessoa secularizada possui múltiplas alienações. Antes, ela se sentia parte de um todo, mas agora está alienada na natureza. A pessoa secularizada é também desconfiada, possui uma auto-imagem muito negativa e vive perdida, não acha a porta.
Com essas características é possível encontrarmos algumas pistas sobre como evangelizar essas pessoas. Em primeiro lugar, é necessário se formar um círculo de amizade. Nesse caso, um grupo pequeno dentro da igreja parece ser a melhor solução.
Depois, é necessário responder às dúvidas dessas pessoas com amor. Como elas possuem uma imagem negativa da igreja, o grupo pequeno se torna uma saída para o estudo bíblico que responde as suas questões. Entretanto, para que as respostas sejam respaldadas é necessário que a pessoa se sinta parte do grupo que está inserida.
Também é preciso falar a linguagem da pessoa secularizada. Como, por natureza, ela é desconfiada, falar a sua linguagem é uma porta aberta para a evangelização.
É necessário levar a pessoa a um encontro com Jesus, ou seja, realmente apresentar Jesus a ela. Depois disso levar a pessoa a um processo de cura de sua auto-imagem negativa.
Valorizar a pessoa, seus familiares, mostrar amor, falar a sua linguagem, não desprezar o que a pessoa gosta, mas redirecioná-la aos princípios vitais do Evangelho, caminhar com a pessoa são algumas das pistas para evangelizar pessoas secularizadas.

Proliferação de templos no país faz aumentar vigilância de autoridades sobre funcionamento de igrejas evangélicas




O advogado Gilberto Garcia lembra as organizações religiosas devem observar o Plano Diretor de cada município e o Estudo de Impacto na Vizinhança
A reabertura do templo-sede da Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Paulo, no dia 3 de março, pode ter sido o fim de uma batalha espiritual no entender do apóstolo da denominação, Valdemiro Santiago, e de seus fiéis. Mas na prática foi apenas um capítulo a mais na queda de braço cada vez mais forte entre o poder público e as igrejas evangélicas. Não se trata, como alardeiam determinados líderes, de uma luta das trevas contra a luz – embora, em certas situações, a má vontade de gestores públicos contra organizações religiosas fique evidente. Após veementes protestos, nos quais denunciou perseguição religiosa e ensaiou um protesto popular que não ocorreu, a Igreja Mundial contratou técnicos para deixar o prédio de acordo com a legislação. O que chamou a atenção no caso, iniciado em dezembro passado, quando a prefeitura da capital paulista lacrou o imóvel na Rua Carneiro Leão, no bairro do Brás, por falta alvará de funcionamento e problemas de higiene e segurança, é a precariedade com que igrejas são instaladas. Realizam-se cultos em galpões sem qualquer estrutura e até mesmo em pequenos sobrados e garagens residenciais.

O templo da Igreja Mundial lacrado, vigiado pela Guarda Metropolitana: caso reacendeu discussão sobre legalização de espaços de culto
Se, por um lado, o processo representa a abertura de mais espaços para a pregação do Evangelho, por outro, seus frequentadores são submetidos ao desconforto ou, pior ainda, ao perigo. Foi assim em 1998, quando o templo da Igreja Universal do Reino de Deus instalado num antigo supermercado de Osasco (Grande São Paulo) veio abaixo durante um culto, deixando 25 mortos e quase 500 feridos. Constatou-se depois que as vigas de sustentação do telhado, de madeira, tinham apodrecido e ninguém as trocou. Mais recentemente, o principal templo da Igreja Renascer, no centro de São Paulo, caiu no dia 18 de janeiro do ano passado. Nove fiéis morreram e outros cem tiveram ferimentos. As ações de indenização correm na Justiça, e enquanto a igreja esforça-se por reabrir logo sua sede, o Ministério Público (MP) suspendeu o alvará que autorizava a reconstrução.
O que acontece na maior cidade brasileira é típico. O MP estadual e a Prefeitura de São Paulo realizam rondas permanentes pelos bairros, notificando responsáveis e até lacrando imóveis fora das condições legais de uso. Cerca de 500 templos foram interditados e mais de quarenta, fechados na capital paulista. Segundo consta, a maioria das autuações é contra igreja evangélicas, ainda que uma simples inspeção constataria irregularidades em centenas de clubes, bares e boates abertos ao público. “Sempre que há denúncia, fazemos inspeções”, informa o secretário de Controle Urbano, Orlando de Almeida. Ele rechaça a suspeita de que a Secretaria tenha as garras mais afiadas contra os imóveis de uso religioso: “Fazemos diligências para reprimir irregularidades independente do tipo de estabelecimento”. De acordo com a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, as autuações não acontecem apenas por documentação irregular, mas também por excesso de barulho nos cultos.
Inadequação é a regra – “A imensa maioria dos templos que proliferaram em São Paulo funcionam em lugares adaptados como cinemas e teatros, que não oferecem condições de segurança. Noventa por centro dos imóveis com este uso não são adequados a abrigar o fluxo de pessoas que recebem”, confirma Edin Sued Abmanssur, professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e autor do livro As moradas de Deus (Fonte Editorial), sobre o espaço físico de igrejas pentecostais na capital. “A fiscalização é falha e não há muito controle sobre esses locais”, admite o superintendente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), Ademir Alves do Amaral. Segundo ele, qualquer alteração em local onde haja concentração de pessoas deve ser acompanhada por um profissional. “Até vibração sonora pode abalar uma estrutura já comprometida”, avisa.
A fiscalização é dificultada porque abrir legalmente uma igreja evangélica no Brasil é coisa das mais fáceis, e em tese qualquer pessoa pode tornar-se um líder espiritual, independente de formação teológica. Com pouco mais de 100 reais é possível organizar juridicamente uma instituição religiosa; depois, basta um cantinho qualquer para as reuniões e pronto. Em São Paulo, só no caso de templos com capacidade para quinhentas pessoas ou mais é necessário autorização do Departamento de Controle de Uso de Imóveis (Contru)“O ordenamento jurídico nacional abrange normas federais, estaduais e municipais que regulamentam a atuação das organizações religiosas”, lembra o advogado Gilberto Garcia. “É preciso observar o que está estabelecido no Plano Diretor de cada município e regulamentos como o Estudo de Impacto de Vizinhança”. Mas proibições, mesmo, inexistem, de modo que somente depois de verificado um problema, e quase sempre após uma denúncia ou acidente, é que o poder público pode fazer algo. Os números confirmam: de acordo com dados da prefeitura, a cada dois dias nasce uma nova igreja na Grande São Paulo.
“Esse fenômeno acontece com mais intensidade no Sudeste”, aponta o coordenador nacional de pesquisas no Instituto Brasil 21 e missionário de Servindo Pastores e Líderes (Sepal), Luis André Bruneto. “Isso se dá por dois motivos básicos: concentração populacional e concentração de renda”. A migração religiosa é outro fenômeno que alimenta o processo. Em média, uma a cada três pessoas já mudou de crença, aderindo à fé protestante, de acordo com levantamento do Centro de Estudos da Metrópole. Em Brasília, a situação não é diferente – conhecido pela grilagem de terras públicas, o Distrito Federal abriga mais de oitocentos templos em situação irregular. De acordo com a Terracap, empresa que cuida da ocupação do solo em Brasília e no seu entorno, igrejas evangélicas funcionam em áreas públicas sem contrato de concessão de uso, ou com autorização já vencida. Fica no ar a impressão de que a proliferação de igrejas no contexto urbano está descontrolado.
Diluição do sagrado – A multiplicidade das denominações e igrejas livres, no Brasil, é um fruto positivo da liberdade de crença – contudo, envolve também a flexibilização de alguns valores. “Em muitos lugares, a caracterização de templo tem se diluído na mesma velocidade do crescimento”, acrescenta Luis André Bruneto, da SEPAL. Ele enxerga certa perda do sagrado. “No passado, o templo era lugar santo. Hoje, é um espaço multiuso, muitas vezes criando sincretismos religiosos”. No entender do presidente do Fórum dos Secretários de Missões das Assembleias de Deus do Nordeste, a explosão das igrejas, que se observa também nas áreas metropolitanas daquela região, deriva da personalização dos ministérios. “Muitas congregações, ainda que grandes e ricas, estão estribadas no nome de seu pastor”, aponta o pastor Francisco Paixão Cordeiro.
O fundamento deste ideal de crescimento, de acordo com professor Ricardo Mariano, da PUC do Rio Grande do Sul, tem princípios na Reforma Protestante, segundo a qual cada fiel pode construir sua linha de pensamento “A abertura de templos improvisados em garagens e edificações de todo tipo constitui uma longa tradição no pentecostalismo”, esclarece o especialista. Ele explica ainda que, nos primórdios do movimento, a primeira igreja pentecostal fundada em Los Angeles, nos Estados Unidos, teve início num imóvel onde antes funcionava um estábulo. “Isso se deve ao evangelismo conduzido por leigos, também tradicional nos meios pentecostais. Há a legitimidade das cismas nos meios protestantes, uma vez que a igreja, a tradição e a hierarquia eclesiástica não detêm a posse exclusiva da verdade divina”, acrescenta.
“Esse crescimento das igrejas tem acontecido pelo simples fato de que pessoas transformadas atraem outras pessoas”, lembra o pastor Costa Neto, da Igreja Comunidade Cristã Videira, em Fortaleza (PE), que atende 1,7 mil pessoas em seu instituto social. O testemunho, neste caso, faz toda diferença e é um dos pilares de crescimento na região. No entanto, há quem peça uma revisão, em prol do futuro, para que esse crescimento não apenas seja feito dentro das regras legais de urbanização como também com espiritualidade. “É preciso uma nova elaboração da teologia da fé evangélica da oração, que busque priorizar não somente os aspectos formais, mas sobretudo, uma relação com Deus mais profunda”, apela o pastor Estevam Fernandes, da Igreja Batista de João Pessoa (PB).
Fonte: Cristianismo Hoje

Dez mulheres são mortas por dia no País

Média registrada em dez anos fica acima do padrão internacional; motivação geralmente é passional

Bruno Paes Manso, de O Estado de S.Paulo
Em dez anos, dez mulheres foram assassinadas por dia no Brasil. Entre 1997 e 2007, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio – índice de 4,2 assassinadas por 100 mil habitantes. Elas morrem em número e proporção bem mais baixos do que os homens (92% das vítimas), mas o nível de assassinato feminino no Brasil fica acima do padrão internacional.
Os resultados são um apêndice, ainda inédito, do estudo Mapa da Violência no Brasil 2010, do Instituto Zangari, com base no banco de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus).
Os números mostram que as taxas de assassinatos femininos no Brasil são mais altas do que as da maioria dos países europeus, cujos índices não ultrapassam 0,5 caso por 100 mil habitantes, mas ficam abaixo de nações que lideram a lista, como África do Sul (25 por 100 mil habitantes) e Colômbia (7,8 por 100 mil).
Algumas cidades brasileiras, como Alto Alegre, em Roraima, e Silva Jardim, no Estado do Rio, registram índices de homicídio de mulheres perto dos mais altos do mundo. Em 50 municípios, os índices de homicídio são maiores que 10 por 100 mil habitantes. Em compensação, mais da metade das cidades brasileiras não registrou uma única mulher assassinada em cinco anos.
Outro contraste ocorre quando são comparados os Estados brasileiros. Espírito Santo, o primeiro lugar no ranking, tem índices de 10,3 assassinatos de mulheres por 100 mil habitantes. No Maranhão é de 1,9 por 100 mil. “Os resultados mostram que a concentração de homicídios no Brasil é heterogênea. Fica difícil encontrar um padrão que permita explicar as causas”, afirma o pesquisador Julio Jacobo Wiaselfisz, autor do estudo.
São Paulo é o quinto Estado menos violento do Brasil, com índice de 2,8 por 100 mil habitantes. Mas a taxa é alta se comparada à de Estados americanos, como Califórnia (1,2) e Texas (1,5). “Quanto mais machista a cultura local, maior tende a ser a violência contra a mulher”, diz a psicóloga Paula Licursi Prates, doutoranda na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, onde estuda homens autores de violência.

Motivação

Para aumentar a visibilidade do problema e intimidar a ação dos agressores, a aprovação da Lei Maria da Penha, em 2006, foi comemorada pelas entidades feministas por incentivar as mulheres a denunciar crimes de violência doméstica, garantindo medidas de proteção para a mulher e punições mais duras e rápidas contra agressores.
Mas a nova lei não impediu o assassinato da cabeleireira Maria Islaine de Morais, morta em janeiro diante das câmeras pelo ex-marido, alvo de oito denúncias. Nem uma série de outros casos que todos os dias ganham as manchetes dos jornais.
Ainda são raros os estudos de casos que analisam as motivações de assassinos que matam mulheres. De maneira geral, homens se matam por temas urbanos como tráfico de drogas e desordem territorial e os crimes ocorrem principalmente nas grandes cidades. Mulheres são mortas por questões domésticas em municípios de diferentes portes.
“No caso das mulheres, os assassinos são atuais ou antigos maridos, namorados ou companheiros, inconformados em perder o domínio sobre uma relação que acreditam ter o direito de controlar”, explica Wânia Pasinato Izumino, pesquisadora do Núcleo de Estudo da Violência da USP.
Em um estudo das motivações de 23 assassinatos contra mulheres ocorridos nos cinco primeiros meses deste ano e investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo (DHPP), em 25% dos casos o motivo foi qualificado como torpe.
São casos como negativas de fazer sexo ou de manter a relação. Em 50% das ocorrências, o motivo foi qualificado como fútil, como casos de discussões domésticas. Houve 10% de mortes por motivos passionais, ligados a ciúmes, por exemplo, e 10% relacionado ao uso ou à venda de drogas.
“Por serem ocorrências domésticas, às vezes a prevenção a casos como esses são mais difíceis”, afirma a delegada Elisabete Sato, chefe da divisão de Homicídios do DHPP.

Número de Divórcios cresceu 149% em SP

 

O número de divórcios no Estado de São Paulo cresceu 149% desde julho deste ano, quando foi aprovada a emenda constitucional 66, que instituiu no país, junto à Lei n.º 11.441/2007, o chamado divórcio rápido (feito por meio de escritura em cartório).
Os números são do CNB (Colégio Notarial do Brasil), que representa os tabeliães de todo o país. No ano passado, entre julho e agosto, foram realizados no Estado 816 divórcios, ante 2.031 no mesmo período deste ano.
Segundo Ubiratan Guimarães, presidente do CNB-SP, o aumento se deve à facilitação do processo, que chegava a se arrastar durante anos, à diminuição dos custos processuais e a uma demanda reprimida pelo serviço.
"Há muita gente que está separada, mas que, devido à morosidade da Justiça e aos altos custos com honorários advocatícios, não formaliza o divórcio. Hoje, a escritura custa R$ 252 e, embora ainda seja necessária a presença de um advogado, sai muito mais barato", diz Guimarães.
Segundo o CNB, mesmo casais que já tenham processo judicial em andamento podem desistir dessa via e formalizar a separação por meio de escritura pública.
Para isso, no entanto, a separação precisa ser consensual e o casal não pode ter filhos menores ou incapazes.

Na escritura, o casal já define a partilha dos bens, pagamento ou dispensa de pensão alimentícia e o uso ou não do sobrenome do outro cônjuge.
Segundo o presidente do CNB-SP, o processo transcorre de forma tranquila. "O clima tem sido de absoluta civilidade. Mesmo porque, se houver alguma animosidade, o tabelião não pode emitir a certidão."
Para José Fernando Simão, doutor em direito civil da USP, "o brasileiro foi emancipado", daí o aumento dos divórcios. "As pessoas descobriram um direito que não sabiam ter", afirma.

Por James Cinino, Folha de SP

O Pastor dos Bandidos


Quem é Marcos Pereira, o polêmico líder evangélico que afirma ter recuperado cinco mil criminosos

Wilson Aquino, para a Revista Istoé
O púlpito da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (Adud) era o centro das atenções. Diante de 800 pessoas humildes, o líder e fundador da congregação, o pastor Marcos Pereira, esconjurava o demônio, como faz todo sacerdote evangélico, em uma quarta-feira de janeiro. Em determinado momento, o religioso deu uma pausa e conclamou, ao microfone:
“Peço aos criminosos convertidos que estão aqui para vir ao palco fazer uma foto para a revista ISTOÉ”. De repente, como em uma romaria, homens começaram a se levantar de todos os lados da igreja e a andar em direção ao pastor. Na tropa de mais de 50, alguns chamavam a atenção por serem ainda adolescentes. Todos são ex-assassinos, traficantes, drogados ou ladrões transformados, hoje, em pessoas com aparência inofensiva e sempre dispostas a falar de Cristo. A Igreja está localizada na Baixada Fluminense, território do Rio de Janeiro marcado pela violência. O pastor encerrou a pregação puxando uma música gospel cuja letra se conecta diretamente com aqueles homens: “Eu, que era ovelha perdida, hoje tenho nova vida, caminhando com Jesus.” Pelas contas de Marcos Pereira, 53 anos, ele e seus missionários – entre os quais o ex-  pagodeiro Wagner Dias Bastos, o Waguinho, exvocalista do grupo “Os Morenos” e hoje braço direito do pastor – já recuperaram mais de cinco mil bandidos e viciados nos últimos 20 anos. Alguns eram famosos e temidos chefões do tráfico, como José Amarildo da Costa, o Maílson do Dendê, que, junto com o irmão Milton Romildo Souza da Costa, o Miltinho do Dendê, chefiou o crime organizado na Ilha do Governador, nos anos 90. “O Rio de Janeiro não está pior graças a mim”, exagera o pastor, no seu estilo sensacional e sensacionalista. Mas é fato que é o único a entrar com seus obreiros em lugares tão perigosos que a própria polícia só incursiona após um planejamento prévio. Em contato com os bandidos, Pereira consegue, muitas vezes, convencê-los a trocar o fuzil pela “Bíblia”.

Mas seus métodos são polêmicos. O pastor filma a conversão de criminosos em bocas de fumo e também o resgate dos sentenciados à morte pelo tráfico, normalmente após bárbaras torturas e à beira da execução. Em seguida, vende os DVDs com essas imagens. Diz que, assim, sustenta a Igreja. “Ninguém me ajuda”, reclama Pereira, que estima em R$ 200 mil mensais as despesas com o tratamento dos regenerados. Segundo ele, o mais importante é ter salvado em torno de 700 condenados à morte pelos traficantes. Seu estilo midiático de trabalhar  acaba despertando mais suspeitas do que admiração. Alguns dizem que ele ajuda a lavar dinheiro do tráfico, outros o acusam de fazer marketing de  sua missão. Ele nega. Há anos, é alvo de investigação das polícias Estadual e Federal, mas nada foi provado. “É tudo safadeza. A polícia me persegue”, reage. Em meio a tantas suspeitas, ele responde a apenas duas ações por crimes ambientais por destruir parte da vegetação da reserva biológica de Tinguá, Nova Iguaçu, onde fica a fazenda Vida Renovada, usada para recuperar os bandidos arrependidos.  A doutrina de sua Igreja é arcaica. Talvez por isso, o cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, tenha desistido de se converter, apesar de ter sido presença certa em todos os cultos comandados por Pereira quando ele visitava a cadeia onde o artista cumpria pena por associação com o tráfico de drogas, em 2008. De fato, as regras são extremamente rigorosas. O pastor proíbe a leitura de jornais e revistas, assim como recomenda aos fiéis que não assistam à tevê, não usem as cores vermelha e preta, não tenham plantas e nem criem animais, nem sequer mantenham bichos de pelúcia em casa.
Segundo ele, o demônio se esconde em todas essas coisas. Tomar Coca-Cola também é proibido, pelo fato de a fórmula do refrigerante não ser conhecida. As mulheres só podem usar roupas que não marquem o corpo e, os homens, calças e camisas de manga comprida. Banhos de mar ou piscina e a prática de esportes só podem ocorrer com as pessoas vestidas. Talvez por isso tenha dificuldade de engordar o rebanho. Adud tem apenas 1,5 mil fiéis em cinco cidades. Pereira ganhou notoriedade em 2004 quando, a pedido do então governador Anthony Garotinho, negociou a rendição de detentos amotinados na Casa de Custódia de Benfica, que ameaçavam matar os reféns. “Essa intimidade com traficantes levanta dúvidas, em quem não o conhece, sobre o comprometimento dele com os bandidos”, analisa o cientista social Luiz Eduardo Soares, ex-secretário nacional de Segurança. Apesar de não concordar com a metodologia do pastor, Soares reconhece a importância e seriedade do trabalho. O pastor Marcos é uma das poucas pessoas que transitam em todas as favelas cariocas, independentemente da facção criminosa que a controla. O que é um fenômeno e tanto, pois a realidade do Rio ensina que quem frequenta área dominada por uma quadrilha não pode ingressar na favela da facção rival, nem para visitar parentes, sem correr o risco de morte. “Pensava que ele ia à favela ver as coisas e depois caguetar para os  inimigos”, conta Alexandre Vieira Pacheco, 33 anos, que não gostava dopastor quando era segurança das bocas de fumo da Favela de Acari.

O Cantor Belo era presença constante nos cultos na cadeia quando foi preso em 2008.

Pacheco foi convertido há cinco anos. Para militantes da ONG Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, Pereira poderia, graças a seu trânsito livre em favelas, ter ações mais humanitárias, como denunciar as condições subumanas em que vivem os presos ou as arbitrariedades praticadas pela polícia. “Para nós, que temos como foco principal a questão dos direitos humanos, o trabalho do pastor Marcos Pereira não soma nada”, afirma o engenheiro Maurício Campos, 47 anos, militante da Rede. “A melhor forma de recuperar um preso é se esforçar para que a Lei de Execuções Penais seja cumprida”, diz. Representantes da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa também reclamam dos métodos do pastor, explicando que quando Pereira prega que não foi o homem que roubou, traficou ou matou, mas põe  a culpa no Exu ou no Zé Pilintra (entidades espirituais), os bandidos convertidos tornam- se uma ameaça. “Todo  traficante evangélico quer fechar os terreiros na comunidade que domina”, revela uma vítima de preconceito religioso num morro do Rio, que pede para não ser identificada por medo de represália. Entretanto, o padre Elias Wolff, assessor da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vê com bons olhos o trabalho do pastor “desde que por trás dessas ações não haja interesses que não sejam a defesa e a promoção da vida.”
sepal / 
postado por pastor Roberto Torrecilhas

Cliente respira após garantia do empresario Sivio Santos em colocar seus bens como garantia do pagamento do emprestimo


A garantia do empresário Silvio Santos de oferecer os seus bens para cobrir o investimento do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) no Banco Panamericano estancou a saída de clientes, segundo funcionários da instituição.
O anúncio do socorro de R$ 2,5 bilhões do FGC deixou clientes e funcionários mais tranquilos em relação ao destino da instituição financeira. "Na quarta-feira, o telefone não parou de tocar das 7h da manhã até as 22h", disse uma funcionária do banco. "Os clientes queriam saber se os investimentos deles seriam afetados ou não pelas notícias divulgadas."
A tensão só baixou mesmo depois que Silvio Santos colocou os seus bens à disposição. "O nível de confiança aumentou", disse uma outra funcionária. De acordo com ela, muitos clientes mantiveram as suas posições como demonstração de crença na imagem do empresário. "Mas com a direção muitos clientes se decepcionaram. O banco era pequeno, então eles eram conhecidos."
São poucos os funcionários que aceitam falar sobre o descompasso contábil do banco. "Eu tenho certeza de que os funcionários nunca esperavam por uma situação como essa. Quero ver se quem fez isso será preso", afirmou ela.
Para quem depende dos financiamentos pequenos, a preocupação parece ser menor. Um motoboy, que não revelou o nome, disse não ter conhecimento suficiente sobre o caso. Ele adquiriu um financiamento de R$ 10 mil para a compra de uma moto. "Independentemente do que ocorrer eu vou ter que pagar pela moto, senão alguém vai tomá-la de mim", diz ele, que parcelou a dívida em 48 prestações. No banco, os funcionários dizem que o movimento é normal.
Nas lojas de veículos usados (um dos principais nichos de mercado do banco), a quantidade de financiamentos com o aval do Panamericano não mudou. "Era a empresa que mais aprovava e, pelo menos até agora, nada mudou", diz o comerciante Márcio Rosa, de 38 anos, dono de uma loja na região central de São Paulo.
Na avaliação de Rosa, o impacto da notícia do Banco Panamericano foi pequeno. No passado, diz ele, quando cenários parecidos ocorriam, as financiadores tinham uma política mais restritiva quanto à concessão de crédito. "O mercado está muito aquecido. E, ao que tudo indica, nada vai mudar." Outras revendas da região confirmaram que os financiamentos por meio do Banco Panamericano continuam sendo realizados normalmente.
No primeiro dia, após o anúncio do da situação financeira do banco, os investidores resgataram R$ 400 milhões. Na instituição estão aplicado R$ 4 bilhões somente em CDBs. (Certificados de Depósitos Bancários).
Luiz Guilherme Gerbelli - O Estado de S.Paulo
gritos de alerta. 

Imagem de Jesus fumando e bebendo causa indignação na Índia

Desenho está em livro-texto usado nas salas de aula de educação primária na região nordeste do país.

Imagem de Jesus Cristo segurando um cigarro e uma lata de cerveja ilustrado no livro-texto

NOVA DÉLHI - O porta-voz da Arquidiocese de Mumbai, Anthony Charanghat, protestou nesta sexta-feira, 19, pela inclusão de uma imagem de Jesus Cristo fumando e segurando uma lata de cerveja em um livro-texto usado nas salas de aula do primário no nordeste da Índia.
"Deveriam proibir o livro, porque fere os sentimentos dos católicos e representa uma falta de respeito", disse à Agência Efe por telefone Charanghat.
A fonte disse não ter visto o desenho em questão, mas assegurou estar sabendo da polêmica.
O porta-voz da Conferência Episcopal da Índia (CBCI), o irmão Babu Joseph, pediu nesta semana ao Governo que tome medidas contra a editora que publicou o livro, Skyline Publication.
Joseph informou que a CBCI ordenou aos colégios católicos da Conferência Episcopal da Índia que proíbam os livros desta editora nas salas de aula. "Jesus Cristo, como uma divindade, é central na fé e na vida cristã. É errada a tentativa de macular a imagem de Jesus Cristo é um ato censurável e inclusive condenável", disse em declarações à agência de notícias "Ians".
Segundo o porta-voz, Jesus Cristo aparece "caricaturizado" em um livro-texto para os alunos do primário do estado indiano de Meghalaya, onde a fé cristã é majoritária, ao aparecer "com um cigarro em uma mão e uma lata de cerveja na outra".
Curiosamente, em 2007 um jornal tâmil - grupo étnico de fé hindu - gerou uma polêmica religiosa na Malásia ao publicar um desenho de Jesus Cristo na mesma posição.

Efe/Notícias Cristãs


Por que a Globo está divulgando série de reportagens positivas sobre os evangélicos?

Por que a Globo está divulgando série de reportagens positivas sobre os evangélicos? Esta é a pergunta que todos os evangélicos deveriam estar fazendo, com profundo senso crítico e em oração, diante da recente série de reportagens a respeito da ação social dos evangélicos no Jornal Nacional, e de texto da edição de aniversário da Revista Época, também de propriedade do grupo, sobre o crescimento da igreja e as consequências (também positivas) para a sociedade. A resposta certa, nenhum de nós pode dar de forma absoluta. As razões do coração de donos e editores dos veículos só eles guardam na sua intimidade. Mas algumas possibilidades devem ser relacionadas. Veja uma das reportagens do Jornal Nacional, exibida em 28/5, que destaca o trabalho com crianças do Ministério Reame - Resgate e Ame, realizado com o apoio, entre outros, da Igreja Batista. Apesar do fato de a repercussão, independentemente dos motivos da edição, serem muito favoráveis à igreja, com aumento da simpatia da opinião pública, mais crescimento numérico e até recursos para projetos sociais, é preciso que os líderes evangélicos fujam da tentação do deslumbramento com os 15 minutos de fama e aparente simpatia da Globo, até porque não se deve esquecer que esta mesma mídia até bem pouco tempo, às vezes com razão, outras nem tanto, enxovalhou a imagem da igreja evangélica sem dó nem piedade. Por exemplo, seria ingênuo não pensar na possibilidade de existir por trás desta iniciativa, agora favorável, interesses políticos, comerciais, ou aqueles relacionados à perda de audiência. Outra possibilidade é que o crescimento surpreendente do número de fiéis evangélicos esteja gerando consequências não favoráveis para a empresa em questão e sua disputa com outras emissoras concorrentes, especialmente a que está ligada à Igreja Universal. Outro fator importante a ressaltar, é o início da corrida para as eleições para presidente e governadores em 2010. E o fato do apoio dos evangélicos ser cada vez mais ambicionado pelas forças políticas, inclusive as financiadas por anunciantes da própria Globo. Mas a hipótese de motivo das reportagens que desejaríamos seria a de uma decisão livre de reunião de pauta e de reconhecimento sincero do trabalho dos evangélicos pelos editores do jornal. Afinal de contas, foi para isso que, ao longo de muitos meses de trabalho, enviamos, como agência cristã de notícias, a dezenas de jornalistas daquela emissora informações que demonstram o lado outrora pouco divulgado pela mídia não evangélica.(Por Lenildo Medeiros e Philippe Leandro)

Sociedade Bíblica vai ajudar ribeirinhos da Amazônia no Natal

Uma campanha que está em sua 9ª edição pretende beneficiar 21 comunidades carentes da região amazônica. A iniciativa é da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) e o nome da campanha: Natal dos Ribeirinhos. O objetivo é mobilizar empresas, organizações e sociedade civil em torno de uma causa: possibilitar que cerca de duas mil famílias ribeirinhas da região amazônica celebrem o Natal. Segundo o secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, Erní Seibert, "o intuito desta mobilização é levar um pouco de conforto material e espiritual às comunidades do estado do Pará atendidas pelo programa Luz na Amazônia. São populações em situação de risco social que precisam de ajuda. É um convite aos brasileiros a voltar seu olhar à população carente desta região".
Realizada em âmbito nacional, a campanha Natal dos Ribeirinhos 2010 tem a finalidade de captar recursos financeiros, alimentos, roupas, brinquedos, calçados e literatura bíblica para essa população. Este ano, as comunidades a serem alcançadas estão nos municípios de Belém, Acará, Barcarena, Bujaru e Cachoeira do Arari, totalizando 2.041 famílias e 7.572 crianças. As ofertas de material poderão ser realizadas nos postos de arrecadação espalhados em diversas localidades de Belém e São Paulo. Nas demais regiões do País, serão aceitas apenas contribuições em dinheiro, já que pela distância, há uma grande dificuldade em se transportar o material arrecadado. Desde 2005, a campanha Natal dos Ribeirinhos vem implantando, com sucesso, um sistema de adoção de ilhas. As entidades apoiadoras são contatadas e, por meio de fotos ou viagem ao local, recebem informações sobre o número de famílias e crianças para as quais se prontificarão em conseguir os donativos. Em 2009, foram adotadas 23 ilhas, beneficiando mais de 1,5 mil famílias e seis mil crianças. As comunidades atendidas pela campanha deste ano serão: Comunidade Espírito Santo, Laranjeira, São Pedro, Santa Maria, Itaperaçu,Santa Rosa,Cruzeirinho,São Miguel,Guajará-Miri, Colônia e Comunidade Boa Vista do Acará (Acará); São Raimundo e Arrozal (Barcarena); Furo do Benedito, Murutucu, Aurá, Ilha Grande- Escola São José,Ilha Grande-Escola Nazaré e Cacau (Belém); Mocajuba (Bujaru); Caracará (Marajó/Cachoeira do Arari).
Informações sobre os locais de arrecadação de doações podem ser obtidas no site www.sbb.org.br ou pelo 0800-727-8888.
Fonte: SBB

Supermercado do Reino Unido procura igrejas para instalar lojas

Nova loja atende pessoas de todas as religiões
A rede de supermercado do Reino Unidos Tesco transformou o templo de uma igreja metodista de Bournemouth (Inglaterra) em uma de suas lojas e a aceitação dos fregueses tem sido tão boa, que ela está à procura de outros imóveis de ordens religiosas para alugá-los. 

A Tesco pouco mexeu na igreja para instalar as gandôlas e os terminais das caixas. Os vitrais com personagens bíblicos foram mantidos. Os fregueses são das várias religiões.

Alguns cristãos, tendo à frente Bob Mckinley, reverendo do antigo templo, acusam a Tesco de blasfêmia. Eles citam a passagem da Bíblia em que Jesus expulsou os vendilhões do templo.

“Tirem isso daqui!”, disse Mckinley. “Não faça da casa do Pai uma casa de comércio.”

Na Holanda, livrarias, cafés e casas de shows já ocupam imóveis de antigas igrejas sem que haja tanta resistência dos líderes religiosos. Os holandeses ateus representam 44% da população.

A Tesco acredita que não terá dificuldade de encontrar novas igrejas para expandir sua rede de lojas por causa do desinteresse crescente das pessoas pelas religiões.

Vitrais com personagens bíblicos servem de decoração
Com informação da Sky News.

Americano dá surra em padre que abusou dele 35 anos atrás

A polícia americana prendeu William Lynch (foto), 44, sob a acusação de ter dado uma surra no reverendo Jerold Lindner, 65, por tê-lo estuprado quando tinha sete anos.

Lynch foi solto mediante o pagamento de fiança de US$ 25 mil, o equivalente a R$ 42.610. Pat Harris, seu advogado disse que ele vai negar na Justiça ter agredido o sacerdote.

De acordo com a polícia, Lynch em março ou em abril foi ao asilo na Califórnia onde mora o reverendo e o esmurrou diante de testemunhas. "Parecia que ele queria bater em Lindner para matá-lo", disse uma testemunha. Só agora a polícia conseguiu identificar Lynch.

Em 2002 o Los Angeles Times publicou uma reportagem sobre o abuso. Nela, Lynch afirma que ele e o seu irmão, quando tinha cinco anos, foram violentados em 1975 pelo sacerdote em um acampamento nas Montanhas de Santa Cruz, ao sul de San Francisco. Depois, Lindner forçou um menino a fazer sexo oral em outro.

Lynch contou que ficou traumatizado. Passou a ter pesadelos, tornou-se alcoólatra, teve depressão e tentou se matar duas vezes. 

Ele disse ao jornal: “Muitas vezes pensei ir a Los Angeles para ficar diante do padre Jerry [Jerold Lindner]. Eu queria exorcizar todo meu ódio, raiva e amargura. É impossível colocar em palavras o que esse cara fez comigo.” 

Em 1998, a ordem Jesuítas da Província da Califórnia pagou a Lynch e ao seu irmão indenização de US$ 625 mil, cerca de R$ 1 milhão. 

O reverendo não admite que seja pedófilo, mas outras supostas vítimas o acusam de abuso. Entre elas há parentes. 

A sua irmã Kathy McEntire disse ter sido molestada por ele quando ela tinha cinco anos. Depois, quando já tinha se casado, descobriu que seu filho também foi violentado pelo reverendo durante anos. Lindner teria ainda abusado da filha de seu irmão Larry quando ela tinha oito anos.   

A Igreja Católica nunca afastou Lindner de suas atividades religiosas. Após as denúncias, a igreja  designado-o para cuidar de um asilo onde ele se aposentou e hoje mora.

Lindner também nunca foi julgado pela Justiça. 

Com informação da BBC Brasil e do KTLA.com.

Outro padre safado é condenado por estuprar criança

Mais um caso de padre pedófilo, o que demonstra que o papa Bento 16 não consegue resolver sequer os problemas da Igreja Católica, embora faça pregação quase diária sobre como amenizar os males do mundo.
O padre safado da vez é Juscelino de Oliveira, 40. Ele foi condenado pela Justiça de Ribeiro Preto (SP) a 12 anos de prisão em regime fechado por ter abusado em 2006 de uma menina que na época tinha 10 anos.
Ele é da Diocese de Santo Amaro, em São Paulo, a mesma do padre Rossi.
A imprensa da região de Ribeiro Preto informa que Oliveira é primo do pai da vítima e que morou na mesma casa da família da menina por 11 meses, quando era seminarista.
Designado para administrar a Paróquia de Santa Edwiges, no Jardim Noronha, em São Paulo, ele visitava com freqüência sua mãe em Franca (SP), onde tinha contato com a família da menina.
A polícia apurou que Oliveira estuprou a menina em sua própria casa. Ele deu um jeito de ficar sozinho com ela.
Depois, em outubro daquele ano, em uma brincadeira de confidências, uma prima da menina ficou sabendo do abuso. “Ele arrancou minhas roupas, me jogou na cama e abusou de mim. Aí pediu para eu guardar segredo, senão não me levaria para São Paulo”, disse a menina para a prima.
O pai da criança ficou sabendo e encaminhou o caso à Delegacia de Defesa da Mulher. Um laudo médico comprovou que a menina tinha sido violentada.
Oliveira ficou preso preventivamente no 13º DP (Distrito Policial) de São Paulo entre 26 de junho e 7 de dezembro de 2007, quando obteve um habeas corpus do STF (Supremo Tribunal Federal).
O padre falou que é inocente.
Wilson Inácio da Costa, seu advogado, disse que vai recorrer da sentença.
Enquanto isso, o padre ficará em liberdade. E o papa prosseguirá em sua pregação para salvar o mundo da decadência moral.

Organizador de parada gay pego em operação policial contra abuso sexual de menores



© 2007 WorldNetDaily.com

Um dos coordenadores da “PrideFest” homossexual de Milwaukee está agora enfrentando uma acusação de crime grave depois que a polícia disse que ele tentou, por meio da Internet, ter um encontro sexual com um menino de 14 anos.
De acordo com as autoridades, aparentemente David W. Bodoh, de 42 anos, de Wauwatosa, Wisconsin, EUA, fez contato com um menino da cidade de Oconomowoc, e acabou marcando um encontro com um agente disfarçado que, pela Internet, se fez do menino. Segundo declarações, a mãe adotiva do menino descobriu emails explícitos entre seu filho e Bodoh em janeiro, e fez contato com a polícia.


No mês passado, o agente, que estava fazendo o papel do menino, fez contato com Bodoh num site montado para promover conexões homossexuais.
Conforme a queixa criminal, Bodoh marcou um encontro com o “menino” no shopping center da Praça Brookfield em 12 de julho, onde o suspeito prometeu dar ao menino “o maior passeio de sua vida”.
Quando Bodoh chegou em sua moto, ele foi preso por policiais de várias agências, mas lhes disse que estava simplesmente planejando levar o menino para um passeio e lanche.
Ele foi acusado de usar um computador para facilitar crimes sexuais e, se for condenado, enfrenta até 25 anos de cadeia e 100.000 dólares em multas.
Embora o nome de Bodoh tenha sido tirado do site da PrideFest, uma versão arquivada indica que ele era parte da equipe de produção do evento de 2007.


De acordo com o site da PrideFest: “A missão da PrideFest é defender, celebrar e educar a comunidade geral e a comunidade gay, lésbica, bissexual e transexual (GLBT) com relação a todos os aspectos da cultura GLBT. Para realizar isso, a PrideFest produz uma celebração anual de orgulho gay. Os eventos educacionais incluem, mas não são limitados a, exposições, palestras, arte e promoções na comunidade que mostram de forma plena a diversidade da cultura GLBT”.


Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com


Fonte: www.wnd.com/news/article.asp?ARTICLE_ID=56862

Estupradores são mortos ou abusados por outros detentos

No Brasil, não há estudos oficiais que comprovem a incidência de estupro nas prisões. Entretanto, um relatório produzido por entidades brasileiras de defesa da mulher e do preso entregue à Organização dos Estados Americanos em março de 2007, com dados referentes ao ano anterior, aponta situações de abuso contra presas nas carceragens de pelo menos cinco estados. De acordo com o estudo, no Rio Grande do Norte e na Bahia, as mulheres são obrigadas a dividirem a cela com travestis e adolescentes do sexo masculino. Em Mato Grosso do Sul, onde há uma cadeia mista na cidade de Amambai, porém com celas separadas por sexo, um funcionário manteve relações sexuais com uma presa dentro da cela, na presença de dez mulheres. Em cadeias de Pernambuco e do Rio de Janeiro, não há agentes prisionais do sexo feminino, o que aumenta os riscos de ocorrer estupro [1].

Em novembro de 2007, o caso de uma adolescente presa na mesma cela que vinte homens em Abaetetuba, no norte do Pará, foi explorado pela grande mídia e chocou a opinião pública nacional. Durante sua estadia de 26 dias na delegacia da cidade, que possui apenas uma cela, a adolescente foi forçada a fazer sexo com os outros prisioneiros em troca de comida [2].

Também em novembro de 2007, três presos foram filmados sendo estuprados numa cela da prisão de Santa Rita de Caldas, Minas Gerais por outros quatro detentos. As imagens foram feitas pelo celular de um dos dezesseis presos. O caso, denunciado pelo jornal espanhol El País, motivou o juiz Eduardo Soares de Araujo a determinar que os presos fossem colocados em liberdade até que houvessem vagas em outras prisões da região [3].

De acordo com o "código de ética" da prisão, o estuprador é considerado a pior espécie de infrator, ao lado dos delatores. Por causa disso, não podem conviver com o restante da população carcerária e são constantemente ameaçados de estupro e morte. Os presos justificam a repulsa argumentando que eles poderiam violentar suas mulheres, filhas ou irmãs que estão na rua. Em geral, por causa do risco que corre na prisão, o estuprador é colocado em celas à parte. Também não pode tomar banho de sol com os demais presos [4]. De fato, são comuns casos de estupradores mortos e abusados quando colocados em contato com outros detentos [5][6][7].

Estados Unidos da América
De acordo com a organização não-governamental Human Rights Watch, pelo menos 140 mil presos sofrem abuso sexual nas prisões dos Estados Unidos a cada ano [8]. A organização Stop Prisoner Rape, Inc., que luta pelo fim dos estupros nas cadeias, estima que há mais estupros de homens presos nos EUA do que de mulheres soltas. A estimativa é de que presos jovens correm cinco vezes mais risco de serem atacados do que mulheres soltas e que, uma vez estuprados, correm dez vezes mais risco de contrair uma doença sexualmente transmissível que pode levar à morte.

Um estudo oficial, realizado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos em 2006, concluiu que naquele ano houve um total de 2.205 relatos de atos não-consensuais entre presos no sistema carcerário estadunidense. Mais de 260 desses relatos eram comprovadamente fundamentados [9].

Em 2003, o Congresso dos EUA aprovou a Lei de Eliminação do Estupro nas Cadeias. O texto dessa afirma que, apesar de não haverem dados oficiais, pelo menos 13% dos presos nos Estados Unidos já sofreram abuso sexual. De acordo com o mesmo texto, nos últimos vinte anos o número de presos que sofreram abuso sexual provavelmente excede o primeiro milhão.

Igreja Universal abrirá concurso para pastor; salário inicial é de R$ 8 mil

O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) abrirá o primeiro concurso para pastor da Igreja Universal do Reino de Deus.
Segundo representante da Universal, o concurso público tem a intenção de recrutar profissionais qualificados para participarem do “a grande expansão da Palavra” e a “cultura popular de Deus”.
“Já conquistamos nosso espaço em 172 países. Temos obras sociais espalhadas nos quatro cantos do globo. Precisamos de profissionais não apenas ungidos pelo Espírito Santo e preparados no fogo do Pai das Luzes para cumprir nossa missão evangelizadora, mas também de pastores com conhecimento técnicos para darem continuidade a essa obra tremenda” explica empolgado o pastor Ricardo Ibrahim, responsável interno da IURD pela organização do concurso.
Adavilson dos Santos, de 23 anos, morador de Guarulhos, pensa em fazer o concurso. “Estou muito ansioso, sou pastor desde os meus 18 anos e obreiro da minha igreja desde os 11. Colei grau em Teologia ano passado. Sempre estudei bastante. Esta é uma oportunidade muito grande na carreira de qualquer pastor e não vou perdê-la”, vibra o jovem.
As vagas serão abertas para candidatos do sexo masculino com curso superior em quaisquer áreas. Candidatos com Bacharelado em Administração Eclesiástica ou Pós-Graduação (mestrado e doutorado) em Administração de Igrejas e disciplinas afins ganham pontos na prova de títulos. O número de vagas não foi divulgado. O salário inicial na investidura do cargo é de R$ 8.234,82 mais benefícios.
Fonte: Alem Tempo Real
Postado por: Felipe Pinheiro

Abduzidos por sonhos pentecostais

1Ts 4.9-12: Leia o texto e me diga se podemos alimentar a esperança de ver estas palavras circulando através de emails, torpedos, blogs e sites de convivência. Sim ou não?
"No tocante ao amor fraternal, não há necessidade de que eu vos escreva, porquanto vós mesmos estais por Deus instruídos".
Este foi um sermão que os tessalonicenses não precisaram ouvir novamente. O amor se tornara parte de seu DNA, visto que a transfusão veio diretamente da corrente sanguínea de Cristo.
Este amor contaminou, não apenas as suas mentes, mas ganhou asas, transformando pernas e mãos em uma extensão ativa capaz de se esticar por uma larga região conhecida como Macedônia (1Ts 4.9).
Me desculpe, se pareço um sonhador, mas o meu lado pentecostal vê o sonho como um bônus previsto pelo profeta Joel e derramado, pelo Espírito sobre "toda a carne".
Tudo começou no dia de Pentecostes, quando os discípulos se comportavam como crianças procurando pelo algodão doce no parque. Não arredaram o pé de Jerusalém, esperando pela capacidade de sonhar os sonhos de Deus e interpretá-los e anunciá-los, mesmo que fosse em um idioma desconhecido, mas passível de tradução.
A Igreja foi inaugurada em meio a visões, fumaça, fogo e sons estranhos.
Jesus é detentor exclusivo de recursos que eu e você não somos capazes de inventar, mas aos quais temos acesso pelo sangue do Cordeiro. Um sonho realizável.
Isto nos leva a outra pergunta: Quais são estes recursos e como usá-los?
Comece tentando, mesmo desajeitado. É algo, ou alguém, que os ignorantes não sabem de onde vem, onde está e para onde vai. Os medrosos olham de longe e zombam. Os sábios empurram a si mesmos, pegam no tranco e armam a sua tenda debaixo deste Sol.
Mesmo que as primeiras tentativas de se equilibrar nos trilhos da obediência a Deus sejam claudicantes, já vale pela intenção.
Tente amar, procure ser misericordioso, ensaie o anúncio das Boas Novas, ameace participar, projete o bem e mantenha momentos devocionais diários. Já é um início. Melhor do que estagnar.
Quando, finalmente, estas tentativas forem incorporadas, sempre haverá espaço para progredir nelas.
"Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais e a diligenciardes por viver tranquilamente, cuidar do que é vosso e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos; de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e de nada venhais a precisar".
Este tipo de progresso tem mais a ver com a prática do que com o conhecimento adquirido durante sucessivas e prolongadas exposições e intenso doutrinamento.
O caminho do amor fraterno oferece espaço para novas manobras, novas paisagens, novas formas e novas pessoas. A criatividade é expontânea e se intensifica, mesmo quando a escalada exige mais força do motor. O combustível existe e está disponível, mas há muita imitação.
Evite abastecer seus sonhos em postos de outras bandeiras, onde o combustível é mais barato, mas não é puro. Não escolha a gasolina pelo rótulo, cor ou cheiro, mas pelo conteúdo e procedência. Somente o Espírito Santo tem um sonho de amor genuíno para derramar em nossos corações.
Ubirajara Crespo

Ubirajara Crespoé pastor, escritor, conferencista, editor e diretor da Editora Naós.
Visite o Blog sob Nova Direção -http://sob-nova-direcao.blogspot.com/

Detectando Líderes "maquiavélicos" no seio da Igreja

A Primeira vez que o termo liderança veio aos meus ouvidos ocorreu de uma forma pura, deslumbrante e profundamente pautada na Bíblia, o que me fez apaixonar pelos estilos de liderança que tiveram seu início em Moisés, passando por Neemias e culminando no maior exemplo de todos – Jesus.
Hoje, qualquer palestrante não tem como falar de liderança, sem citar os modelos bíblicos. As orientações do mestre, atravessaram os séculos, orientando à todos chamados pelo dom de liderar: "...quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos" Marcos 10:44.
Porém, acompanhando alguns líderes e seus métodos de "liderar", fui exposto à minha ingenuidade, tendo de acordar de um edificante sonho para uma dura realidade – A presença do maquiavelismo no seio da igreja.
Durante um bom tempo, cri (como muitas ainda crêem) que a conquista de um cargo eclesiástico ou denominacional e o convite à exercer determinados ministérios eram essencialmente pela oração, dedicação pessoal e orientação divina. Estas três formas ainda subsistem, mas estão cada vez mais raras, demandando do povo de Deus muita atenção à métodos nada bíblicos criando sérias raízes no corpo de Cristo.
"Os fins justificam os meios, e, por isto, vale tudo para atingir os fins almejados" essa é a máxima na cabeça de muitos ditos "líderes cristãos". Tanto é verdade, que bastou as eleições presidenciais de 2010 surgirem com toda a força dos emails e twitters, para que qualquer um de nós contabilizasse centenas de mensagens em nossos correios eletrônicos com mensagens discriminatórias e difamatórias, espalhadas com a "justificativa" de prevenir a perseguição à igreja por este ou aquele presidente da república. Afinal, os "fins justificam os meios...(?!)", mas só na cabeça de Maquiavel e de todos os quanto o seguem...
Em sua Obra "O Príncipe", Nicolau Maquiavel elaborou um verdadeiro manual sobre como chegar ao poder e, mais importante, manter-se nele, de maneira eficaz. A partir da análise do comportamento humano, mostrou como um líder pode utilizar o conhecimento da natureza humana para influenciar as ações de seus liderados.
Maquiavel estudou a natureza do comportamento humano e determinou que devemos esquecer a fantasia ou a imaginação e tratar apenas da realidade, indo atrás da verdade efetiva das coisas. Para ele, as pessoas não são boas e não têm sempre comportamentos louváveis e previsíveis. Isto é verdade? Sim e Não.
Sim, porque sem Jesus as pessoas são pecadoras, desconhecem os mandamentos e vivem de forma egoísta. Não, porque ao crer em Jesus, a Mente é transformada (Rom 12:2) e assume comportamentos antagônicos com os valores seculares, os quais sejam: a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade (Gál. 5:22b).
E é justamente nas palavras do Líder Paulo aonde encontramos a diferença entre o Líder Cristão e o Maquiavélico: Liderança Espiritual x Liderança Carnal.
A luta pelo Poder sempre será uma das maiores mazelas da humanidade. Lemos sobre golpe de Estado, e ficamos espantados com o tamanho da violência e das traições, mas nos esquecemos sobre "Golpes de Ministério" (Conheço inúmeros casos de pastores destituídos de seus ministérios pelos "colegas" de colegiado).
Não podemos nos espantar com o atual estado da Igreja Evangélica, quando muitos já gritam por uma segunda reforma. Se temos evidências que muitos líderes chegam aonde chegam pelo poder da Carne, não há como não sofrer as consequencias de tamanho pecado.
Porém, como sempre houve e sempre haverá os "remanescentes fiéis de Israel" (Sofonias 3:13), eis algumas dicas para ajudá-lo à se prevenir de ser liderado por um "maquiavélico":
1)  Cuide-se com a Teoria do "não existe almoço grátis" – Perceba se algum favor, presente ou qualquer outra coisa não está sendo ofertada à você com o objetivo de “comprá-lo” ou por troca de favor que vá contra a moral e ética cristã;
2)  Conheça a vida pregressa de seu líder. O ser humano tem forte tendência em repetir comportamentos, assim é conveniente conhecer o Currículo Vitae e o background de qualquer candidato à postos de liderança em qualquer nível;
3)  Valorize os 3 "C's" da Liderança – O Pr. Bill Hybels sempre deixa claro que em sua igreja, um candidato à líder necessita possuir os 3 "C's" – Caráter, Competência e Combinação. De fato, são os três pilares da liderança cristã, sem qualquer um deles, os restantes irão abaixo;
4)  Conheça a Família do Líder – "Nenhum sucesso justifica o fracasso no lar" é uma máxima verdadeira. Como o líder trata seu cônjuge? Seus filhos? Já se viu envolvido em escândalos sexuais? (1 Timóteo 3:4)
Conheço um caso verídico, ocorrido em uma igreja brasileira, que tem todos os elementos para se repetido inúmeras vezes. Durante uma sucessão pastoral, a Igreja "x" optou por escolher seu novo líder apenas pelo currículo. Como sempre, a história é a seguinte: "Esposa ministra de música", "pastor com doutorado na instituição 'y', 'n' viagens ao exterior, entre outras valorizações de títulos". Ora, com tantas exigências curriculares, sobraram poucos candidatos possíveis à eleição, afunilando as opções em um único nome que preenchia todos os “requisitos pré-determinados”. E assim, lá se foi a igreja contrariando todos os ensinos do Mestre, valorizando o "Ter" mais do que o "Ser"... O final da história? Catástrofe !!!
O mais triste desta história, é que ela ocorreu mais vezes do que gostaríamos de ouvir. É hora de aprendermos a lição da importância da Liderança Bíblica para o exercício do Ministério de Deus. O ditado popular diz que "O Sábio aprende com o erro dos outros, e o Tolo com seus próprios erros".
Liderança sempre foi e sempre será um tema relevante. Vivemos dias de grande carência de Líderes, mas não de líderes "maquiavélicos" e sim líderes cristãos de verdade. Necessitamos de liderança que investigue os modelos bíblicos e adotem como estilo de vida e trabalho. Líderes que associem o conhecimento à prática, que vivam sobre a Graça de Jesus e na dependência do Espírito.
Não tenho a pretensão de esgotar o tema como se fosse a última palavra no assunto. Apenas levantar um assunto que tenho por relevante. Na busca da perfeição como Líder Cristão não perderei meu tempo adotando Maquiavel, mas sim investindo na leitura de Hunter, Maxwell e sobretudo, a Bíblia. Modelos eficazes para um líder espiritualmente eficaz.

Eduardo Baldaci de Lima, 44 anos, casado com a Educadora Religiosa Kely Baldaci e Pai de Cyro Eduarddo e Gabryella Kelly, é Pastor Batista desde 1992, cursou o Seminário Teológico Batista de Niterói, graduado em Liderança pelo Haggai Institute em Maui, Hawaii em 2006. Astrônomo Amador Criacionista, sendo um dos 5 registrados pela NASA / JPL no Brasil, apresentador do Programa "De Olho no Céu" na TV. Ass. Leg. MT. Atua desde 2004 como Ouvidor Público no Governo de Mato Grosso, estando no momento como Ouvidor da SEC. ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO.
Contato: www.eduardobaldaci.com/ Twitter: @eduardobaldaci

"Campanha contra a Bíblia é ridícula", afirma apologista cristão

Um apologista cristão da Universidade Biola (EUA) respondeu na última quinta-feira a uma nova campanha ateísta anúncio que critica a Bíblia, dizendo que ela é "ridícula" para os humanistas, em uma palestra sobre a moralidade sem Deus na imagem.
O Ateu Richard Dawkins é apresentado nos Estados Unidos em um novo anúncio (vídeo) para a Associação Humanista Americana. A AHA lançou sua maior campanha de anúncio, esta semana, falando contra a Bíblia e o Alcorão ao público que se considera humanista.
"Eles estão tentando mostrar que eles podem ser bons sem Deus, mas isso é ridículo", disse o Dr. Craig Hazen, fundador e diretor do programa de mestrado em Apologética Cristã da Universidade Biola, em uma entrevista para o Christian Post.
"Como você começa um dever de um ser?" colocados Hazen. "O conceito de bom não tem nenhum significado na visão de mundo humanista. Como em todo o mundo podem compreender o bem eo mal, prazer e sofrimento, quando eles acreditam que a criação deste mundo é aleatório?"
No início desta semana, a Associação Humanista Americana lançou uma campanha nacional que desafia diretamente a Bíblia e o Alcorão. Nos anúncios, trechos de ambas as escrituras são retratados em uma luz negativa, como forma de mostrar a abordagem humanista a temas como mulheres, a homossexualidade e a guerra como sendo mais moral.
Em um dos anúncios de vídeo da AHA, um ator interpretando um pastor cita 1 Timóteo 2:12, dizendo: "Eu não permito à mulher ensinar ou ter autoridade sobre um homem. Ela deve ficar em silêncio". O clip de vídeo, que pode ser visto no site "Consider Humanism" ("Considere Humanismo", na tradução literal), é seguido por uma citação do século 19, livre-pensador Robert Ingersoll, afirmando que "os direitos dos homens e mulheres deveriam ser iguais e sagrados" e que "o casamento é uma parceria perfeita".
No entanto, os anúncios levam versículos da Bíblia fora de contexto e não pintam um retrato exato do cristianismo, de acordo com Hazen. Citando Efésios, ele disse que a Bíblia não é misógina, mas ensina que os maridos devem amar suas esposas como Cristo amou a igreja.
"Os homens devem amar suas esposas como Cristo amou a igreja e se entregue à morte para ela", disse Hazen. "Isso não soa como algo subjugado, mas parece que ninguém iria querer o profundo amor."
"Eles estão simplesmente assumindo que a Bíblia é misógina e homofóbica, sem fazer o trabalho cuidadoso que os historiadores fazem da Bíblia", acrescentou o estudioso cristão. "Eles estão tentando definir as regras para o debate, mas na verdade eles não querem ouvir os argumentos."
Não a primeira vez que a organização ateísta tenta aumentar a sua adesão, mas é a primeira em que os anúncios são diretamente lançados contra a Bíblia. No ano passado, o grupo lançou uma campanha de férias com o lema "Sem Deus? Não há problema!", em anúncios de ônibus em todo o país.
O diretor da AHA, Roy Speckhardt disse que a campanha deste ano pretende recrutar ateus e agnósticos que queiram se juntar à sua organização, em vez de uma igreja.
Um anúncio em vídeo também apresenta o conhecido ateu Richard Dawkins dando a impressão de que o humanista assume grande inteligência. Sua frase é emparelhada com um versículo da Bíblia, situado em Provérbios 03:05, que convida os crentes a confiarem no Senhor e não se apoiarem em seu próprio entendimento.
A campanha, composta publicações em sites de vídeos, revistas e anúncios de transportes públicos, irá incluir um espaço na TV local no Dateline NBC, na sexta-feira e anúncios impressos em jornais importantes, como o EUA Today, o Seattle Times, o Atlanta Journal Constitution e do San Francisco Chronicle.
Apesar de Hazen ter dito que os humanistas não tem nada a interpretar na Bíblia, ele concluiu que os anúncios podem ter alguma ressonância devido ao analfabetismo bíblico entre os cristãos de hoje. "Alguns cristãos podem ver esses anúncios e pensar: 'Sim, nós temos que ser mais tolerantes, abertos ou bondosos", disse ele.
"Infelizmente, é eficaz", comentou Hazen. "É uma acusação sobre a educação cristã em geral, mas acontece que nós temos os produtos em termos de pensamento e de excelente resposta a campanhas como esta."
Hazen disse que o interesse público na apologética cristã tem sido crescente, especialmente em Biola no sul da Califórnia, e espera que a escola de pós-graduação do programa pode treinar mais "pensamento claro" os cristãos a defenderem a sua fé em praça pública.
Fonte: ChristianPost / Guia-me

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...